A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROF. LUIZ RENATO IGNARRA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROF. LUIZ RENATO IGNARRA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO."— Transcrição da apresentação:

1 PROF. LUIZ RENATO IGNARRA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

2 PLANEJAMENTO • É o processo de estabelecer antecipadamente a finalidade da organização, escolher objetivos e prever as atividades e os recursos necessários para atingi-los. • Processo contínuo e interativo que visa manter uma organização como um conjunto apropriadamente integrado a seu ambiente.

3 O PROCESSO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Planejamento estratégico é um processo com várias etapas: • 1) Análise do ambiente • 2) Estabelecimento da diretriz organizacional • 3) Formulação da estratégia • 4) Implantação da estratégia • 5) Controle estratégico

4

5 ANÁLISE DO AMBIENTE • Processo de monitorar o ambiente organizacional para identificar as oportunidades e os riscos atuais e futuros. • O ambiente organizacional é o conjunto de todos os fatores, internos e externos, que podem influenciar o progresso obtido por meio da realização dos objetivos

6 CONTEXTO INTERNO • São aspectos internos à organização que favorecem ou dificultam seu desempenho, desenvolvimento, crescimento.

7 PONTOS FORTES • São os aspectos da organização e dos indivíduos que nela trabalham que contribuem para a sua sobrevivência e consolidação.

8 PONTOS FRACOS • São os aspectos da organização e dos indivíduos que nela trabalham que ameaçam a sua sobrevivência e consolidação.

9 OPORTUNIDADES • É o aspecto que afeta ou pode vir a afetar positivamente a organização, contribuindo para o cumprimento de sua missão.

10 AMEAÇAS • É o aspecto que afeta ou pode afetar negativamente a organização comprometendo o cumprimento de sua missão.

11 ANÁLISE DO AMBIENTE – CONCEITO • É o processo de monitoramento do ambiente organizacional para identificar as oportunidades e os riscos atuais e futuros que podem vir a influenciar a capacidade das entidades de atingir as suas metas. As organizações modernas são mais do que sistemas fechados: são sistemas abertos que recebem influência do ambiente e estão em constante interação com ele.

12 COMPONENTES DO AMBIENTE GERAL • Componente econômico - PIB, renda per capita, taxas de inflação, taxas de emprego, balanço de pagamentos, taxas de juros, despesas públicas, taxas de câmbio.

13 COMPONENTES DO AMBIENTE GERAL • Componente sócio cultural – níveis educacionais, costumes, crenças, estilo de vida, idade, distribuição geográfica, mobilidade populacional, indicadores de saneamento e saúde pública, diversidade da mão de obra, preocupações com o meio ambiente, índices de violência urbana, IDH – índices de desenvolvimento humano

14 COMPONENTES DO AMBIENTE GERAL • Componente político – filosofia de regulamentação e desregulamentação das atividades públicas, políticas educacionais e de formação profissional, plataformas de partidos políticos, privatização e desestatização, acontecimentos políticos relevantes, políticas de inserção social

15 COMPONENTES DO AMBIENTE GERAL • Componente legal – lei de proteção ao consumidor, legislação de regulamentação do terceiro setor, legislação de regulamentação do voluntariado, lei de regulamentação da filantropia, leis de proteção ambiental, legislação anti truste, legislação tributária, legislação de marcas e patentes, legislação trabalhista.

16 COMPONENTES DO AMBIENTE GERAL • Componente tecnológico – inovações nos produtos, aplicações do conhecimento, novas tecnologias de comunicação, desenvolvimento da mecatrônica, nanotecnologia, desenvolvimento de fontes alternativas de energia.

17 MISSÃO ORGANIZACIONAL • É uma proposta da razão pela qual a organização existe. • Em geral apresenta informações como os tipos de produto ou serviço que a entidade oferece, quem são seus clientes e que valores importantes possui. • A missão é uma declaração muito ampla da diretriz da instituição.

18 IMPORTÂNCIA DA MISSÃO ORGANIZACIONAL • Ajuda a concentrar esforços em uma direção comum. A missão torna explícitos os principais alvos que a organização está tentando atingir. • Ajuda a assegurar que a organização não persiga propósitos conflitantes. Propósitos inconsistentes indicam que a organização está se movendo em direções diferentes e incompatíveis.

19 IMPORTÂNCIA DA MISSÃO ORGANIZACIONAL • Serve de base para a alocação de recursos organizacionais. As organizações usam diversos recursos para produzir bens e serviços e torná-los disponíveis para os consumidores. Entre esses recursos estão os monetários, humanos, de matérias primas e de equipamentos. Uma declaração de missão desenvolvida adequadamente apresenta regras gerais relacionadas aos recursos que a organização deve adquirir e à forma de distribuí-los.

20 INFORMAÇÕES CONTIDAS NA DECLARAÇÃO DA MISSÃO • Produto ou serviço da entidade • Mercado. Quem são e onde estão os clientes da organização. • Tecnologia. Instrumentos, máquinas, materiais, técnicas e processos usados para produzir os bens e serviços da organização • Objetivos da entidade.

21

22 EXEMPLO DE MISSÃ0 • Missão da ONG Cooperando: • Estimular a criação e o fortalecimento de cooperativas de produção no âmbito do estado do Rio de Janeiro.

23 VISÃO • A declaração da visão define aonde a entidade quer chegar, a direção que pretende seguir, e o que ela quer ser. • É o sonho acalentado pela organização.

24 VISÃO • Visão é a imagem que os instituidores da entidade têm a respeito do futuro do seu negócio. É o que eles pretendem que a organização seja dentro de um certo horizonte de tempo. • A visão consiste em olhar para o horizonte e visualizar qual é a imagem que se tem da entidade quando se chegar lá. • Isto permite que os instituidores estabeleçam objetivos e metas, indicadores de desempenho e mensuradores de resultados futuros.

25 VISÃO

26 OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS • Um objetivo organizacional é uma meta para a qual a organização direciona esforços. • Os objetivos fornecem o fundamento para o planejamento, a motivação e o controle • Sem objetivos e sem uma comunicação efetiva, a organização pode tomar qualquer direção

27 IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS • Diretrizes na tomada de decisão. O administrador que sabe quais são os objetivos estabelecidos para a organização descobre que é mais fácil tomar decisões que garantam atingir esses objetivos. • Guia para aumentar a eficiência organizacional. Uma organização eficiente é aquela que, para conseguir atingir seus objetivos, emprega poucos recursos.

28 TIPOS DE OBJETIVOS NAS ORGANIZAÇÕES • Existem dois tipos de objetivos: de curto prazo (1 a 2 anos) e de longo prazo (três a cinco anos). • Os objetivos de curto prazo são mais específicos acerca de questões como quem os executará, o que exatamente deverá ser executado, quando deverá ser executado e em que área organizacional.

29 CARACTERÍSTICAS DOS OBJETIVOS EFICAZES • Específicos. Indicam exatamente o que deve ser feito, por quem e dentro de que intervalo de tempo. Objetivos organizacionais específicos e de alta qualidade são os fundamentos que a administração precisa para formular estratégias organizacionais adequadas.

30 CARACTERÍSTICAS DOS OBJETIVOS EFICAZES • Exigentes de esforços. Os objetivos devem ser difíceis o suficiente para que os funcionários tenham de se esforçar para alcançá-los. Por outro lado não devem ser extremamente difíceis para que os funcionários não fiquem frustrados e parem de tentar.

31 CARACTERÍSTICAS DOS OBJETIVOS EFICAZES • Atingíveis. Todos os membros da organização devem considerar os objetivos organizáveis atingíveis. • Flexíveis. Os objetivos devem ser estabelecidos sabendo-se que podem ser modificados. Eles são normalmente alterados nas organizações à medida que os ambientes organizacionais mudam.

32 CARACTERÍSTICAS DOS OBJETIVOS EFICAZES • Mensuráveis. Objetivos mensuráveis, também denominados de operacionais, São aqueles que permitem identificar através de medidas de resultados se os objetivos estão efetivamente sendo alcançados. • Consistentes a longo e curto prazo. Devem permitir vários cronogramas que se apoiem uns nos outros.

33 ESTRATÉGIAS • São caminhos escolhidos que indicam como a organização pretende concretizar seus objetivos e consequentemente sua missão.

34 FORMULAÇÃO DE ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS • A estratégias organizacionais são formuladas pela alta administração e projetadas para atingir os objetivos globais da entidade. Inclui duas tarefas: • Seleção e desenvolvimento das estratégias • Definição das diversas linhas de negócios da organização e quais recursos serão alocados entre si.

35 EXEMPLOS DE ESTRATÉGIAS

36

37

38

39 PLANEJAMENTO TÁTICO E OPERACIONAL • O planejamento estratégico se volta para a organização como um todo. • Existem, contudo, outros níveis de planejamento, como o tático e o operacional, que procuram estabelecer objetivos mais detalhados.

40 PLANEJAMENTO TÁTICO • No planejamento tático as atenções são mais específicas e estão voltadas para dentro da organização. • É no planejamento tático que são explicitados objetivos e métodos de ação para cada uma das atividades a serem desenvolvidas pela organização, como: produção, pesquisas, divulgação, finanças, pessoal, material e patrimônio.

41 PLANEJAMENTO OPERACIONAL • É o detalhamento dos objetivos e métodos do planejamento tático em cada área da organização, visando a especificar os objetivos a serem cumpridos no prazo de seis meses a um ano.

42 PROGRAMA • É o conjunto de projetos a serem executados, para os quais há recursos específicos. No programa agrupam-se projetos que se assemelham em termos de objetivos ou áreas de atuação.

43 PROJETO • É o trabalho realizado com prazo determinado e recursos estabelecidos previamente, como tempo, dinheiro, equipamentos e pessoas.

44 ATIVIDADE • É o trabalho necessário ao funcionamento de uma organização que é realizado de modo rotineiro. As atividades também constituem as ações programadas de um projeto.

45

46

47 COMPONENTES DOS PROJETOS • ObjetivoO que fazer • JustificativasPor que fazer • EstratégiasComo fazer • AtividadesEtapas do trabalho a serem executadas • OrganogramaQuem fazer • CronogramaRelação atividades/tempo • OrçamentoReceitas e despesas • FluxogramaEm que sequência

48 CRONOGRAMA As etapas para a construção do cronograma são: 1.Identificação e relação das atividades a serem executadas 2.Estimativa do tempo de execução em dias, semanas, meses ou anos 3.Análise da sequência das atividades, identificando as que podem ser realizadas em paralelo e suas interdependências. À medida que se tomam decisões a respeito, colore-se os quadrinhos à direita. 4.Análise visando a melhorar a alocação de recursos e das pessoas do projeto.

49

50 ORÇAMENTO • O orçamento expressa o plano, os programas, os projetos e as atividades da organização em termos numéricos, demonstrando receitas e despesas em um período de tempo. • Acompanhar e avaliar o desempenho a partir do orçamento apresenta a vantagem de permitir a utilização de uma unidade uniforme de mensuração, a monetária, o que possibilita a realização de comparações entre dados de um ano e outro entre dados de projetos diferentes. Por exemplo: podem-se comparar as receitas do ano com as de um ano anterior, o gasto com pessoal do projeto x, em relação ao projeto y.

51 RECEITAS • As receitas podem ser derivadas de: • Doações – recursos provenientes das entidades que financiam as atividades da organização a fundo perdido; • Receitas operacionais – fruto das atividades da organização; • Receitas patrimoniais – originárias de aplicações financeiras, alugueis de imóveis, etc.

52 DESPESAS • As despesas podem ser classificadas em categorias como pessoal, encargos sociais, materiais, equipamentos, serviços públicos, etc. • As despesas podem também ser classificadas por produtos como programa de educação, programa de apoio ao pequeno agricultor, etc. • As despesas podem também ser classificadas por unidade como departamento de pesquisa, departamento, de educação, departamento de administração.

53


Carregar ppt "PROF. LUIZ RENATO IGNARRA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google