A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação qualitativa da implantação de práticas da produção enxuta: estudo de caso em uma fábrica de máquinas agrícolas Autores: Tarcisio Abreu Saurin.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação qualitativa da implantação de práticas da produção enxuta: estudo de caso em uma fábrica de máquinas agrícolas Autores: Tarcisio Abreu Saurin."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação qualitativa da implantação de práticas da produção enxuta: estudo de caso em uma fábrica de máquinas agrícolas Autores: Tarcisio Abreu Saurin Cléber Fabrício Ferreira Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção – PPGEP Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Ano:

2 2  META: Eliminar qualquer perda do Sistema de Produção  GARANTIR: 1.Produtos e serviços de alta qualidade, 2. ao menor custo possível 3.atendendo da melhor forma as necessidades do clientes

3 PRINCIPIOS: PRÁTICAS Regras que o Sistema Viabilizam a deve seguir implementação dos princípios 3

4  Princípios e Praticas do PE não devem ficar restritos ao sistema de manufatura...  Mas atuar em outras áreas como: vendas, compras,contabilidade e desenvolvimento do produto. 4

5  Dificuldades de implantação: falta de compreensão acerca dos princípios fundamentais da PE (WOMACK e JONES,1998)  Absorção dos princípios enxutos: processo lento e gradual, com adoção de práticas enxutas. 5

6  Discussão da implantação do PE em um fabricante de maquinas agrícolas.  A empresa adota PE desde 2001  Contribuir para o aperfeiçoamento dos métodos de PE existentes 6

7  Linha de Montagem: Colheitadeiras 7 Indicado por Diretores Industriais Praticas Enxutas mais presentes em relação aos demais setores

8 Quatro fontes de evidencia 1. Observações diretas do trabalho na linha de montagem 2. Analise de documentos relativos ao sistema de produção 3. Entrevistas com três grupos de dez operadores de linha (24,6% do total) 4. Entrevistas individuais com quinze gerentes e supervisores de diversas áreas da empresa 8

9 Avaliação para cada item da lista a) Não se Aplica (NA) Peso:0 b) Não Existe (NE) Peso: 0 c) Aplicação muito Fraca (MFR) Peso:2,5 d) Aplicação Fraca (AF) Peso:5,0 e) Aplicação Forte (FO) Peso:7,5 f) Aplicação muito Forte (MFO) Peso:10,0 9

10 Nota para cada prática: (12 praticas avaliadas) Nota = ((Bx2,5)+(Cx5)+(Dx7,5)+(Ex10))/A A: nº itens aplicáveis B:nº itens com aplicação muito fraca C:nº itens com aplicação fraca D:nº itens com aplicação forte E:nº itens com aplicação muito forte 10

11 11

12 Em relação à empresa  Reativo ( identificar defeitos) e não preve-los  Não possui um metodo para identificar e controlar as causas raizes dos defeitos.  Açoes não resgistradas (conhecimento) 12

13 Em relação aos fornecedores  Defeitos são registrados e cadastrados como conformidades.  A seguir o fornecedor é contactado para resolver o problema. 13

14 Em relação aos Operários  Autonomia para paralisar linha 14 Porem, não possuem capacidade para detectarem um problema e corrigi-lo

15  Operadores relatam que preferem documentos escritos junto nas estações.  Padrões não são periodicamente revisados visando a melhoria continua  Operadores não participam da elaboração dos padrões. 15

16  Nem todos os fornecedores estão operando sob o Sistema Just In Time (muitos ainda entregam grandes lotes com Lead Time alto) 16 Limitação Geográfica: Região pouco industrializada, com predomínio da agricultura

17  Poucos operadores estão aptos a realizarem atividades de manutenção, como limpeza e lubrificação. 17

18 18 Freqüentes variações na Demanda Forte restrição ao amadurecimento do PE Baixa qualificação da mão- de-obra a longo prazo

19  Grupos de Qualidade ( composto espontaneamente por operários)  Uso de ferramentas de resolução de problemas (Causa-Efeito,Brainstorming)  Propostas avaliadas por membros da gerencia e as melhores são premiadas 19

20 Problemas  Metas Gerenciais ≠ Ações grupos de melhoria  Eram escolhidos segundo criterio dos trabalhadores e não tinham relação com as metas da empresa. 20

21  Limpeza e organização do ambiente de trabalho é o que mais impressiona na fábrica.  Forte a presença de placas com avisos de segurança e faixas no piso.  Problema: Muitos dispositivos visuais ficam acima do nível do piso e não são facilmente visíveis. 21

22  Realizado para todas as familias de produtos que passava pela linha de montagem.  Problema: restrito ao fluxo de materias dentro da empresa (não se estendendo aos fornecedores) 22

23  Grande sazonalidade da demanda não permite que a produção seja totalmente contra-pedido.  O grande porte dos produtos permitiu que o arranjo físico tivesse o formato de uma reta (Deslocamentos curtos,permitindo a comunicação entre operadores) 23

24  In Process Kanban (IPK).Estoque temporario de produtos acabados.  Caso algum IPK esteja preenchido, isso significa que há algum problema na linha. 24

25 25

26  PCP garantir alta previsão nas demandas  Freqüente a inserção de pedidos não previstos ou personalizações do produto. 26

27  Não existe Setup nas trocas de modelo entre as famílias 27

28  Sete ( num total de doze) praticas apresentaram nota maior ou igual a 7,5  Nenhuma pratica possui desempenho menor que 5,0  A empresa precisa buscar alternativas para aumentar seu desempenho nas praticas que está abaixo de 7,5 28


Carregar ppt "Avaliação qualitativa da implantação de práticas da produção enxuta: estudo de caso em uma fábrica de máquinas agrícolas Autores: Tarcisio Abreu Saurin."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google