A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SOLENE VIGÍLIA PASCAL PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO. O CORDEIRO PASCAL ESTÁ EM PÉ!

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SOLENE VIGÍLIA PASCAL PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO. O CORDEIRO PASCAL ESTÁ EM PÉ!"— Transcrição da apresentação:

1

2 SOLENE VIGÍLIA PASCAL

3 PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO. O CORDEIRO PASCAL ESTÁ EM PÉ!

4 Caríssimos irmãos e irmãs! Noite Pascal! Noite de Vigília, a mãe de todas

5 as vigílias. Noite feliz. Exulte o céu, alegre-se a terra porque a

6 Luz do Ressuscitado dissipa as trevas do pecado e nos

7 transfigura, nos traz vida nova. Na Luz do Cristo Glorioso,

8 exultemos de alegria: é a Páscoa da Ressurreição!

9

10 Apagam-se as luzes da igreja.

11 Fora da igreja, em lugar conveniente,

12 acende-se uma pequena fogueira.

13 O povo se reúne perto da fogueira.

14 O sacerdote chega com os ministros. Um deles traz o Círio Pascal.

15

16 Meus irmãos e minhas irmãs.

17 Nesta noite santa,

18 em que nosso Senhor Jesus Cristo passou da morte à vida,

19 a Igreja convida os seus filhos dispersos por toda a terra

20 a se reunirem em vigília e oração.

21 Se comemorarmos a Páscoa do Senhor

22 ouvindo sua palavra e celebrando seus mistérios,

23 podemos ter a firme esperança

24 de participar do seu triunfo sobre a morte

25 e de sua vida em Deus.

26

27 Bênção do fogo

28 O fogo simboliza o Cristo, Luz do mundo. Com o fogo novo se

29 acende o Círio Pascal, que é símbolo do Cristo ressuscitado.

30 OREMOS: Ó Deus, que pelo vosso Filho

31 trouxestes àqueles que creem o clarão da vossa luz,

32 santificai † este novo fogo.

33 Concedei que a festa da Páscoa

34 acenda em nós tal desejo do céu,

35 que possamos chegar purificados

36 à festa da luz eterna.

37 Por Cristo, nosso Senhor.

38 Amém.

39

40 Preparação do Círio Pascal

41 O Círio Pascal é apresentado ao sacerdote. Com um estilete, o

42 sacerdote faz nele incisões, dizendo palavras que

43 falam da eternidade de Cristo.

44 Cristo ontem e hoje (faz a incisão da haste vertical);

45 Princípio e fim (faz a incisão da haste horizontal);

46 Alfa (faz a incisão da letra Alfa no alto da haste vertical);

47 e Ômega (faz a incisão da letra Ômega embaixo da haste vertical);

48 A ele o tempo (faz a incisão do primeiro algarismo do ano em curso

49 sobre o ângulo esquerdo superior da cruz);

50 e a eternidade (faz a incisão do segundo algarismo do

51 ano em curso sobre o ângulo direito superior);

52 a glória e o poder (faz a incisão do terceiro algarismo do

53 ano em curso sobre o ângulo esquerdo superior);

54 pelos séculos sem fim. Amém (faz a incisão do quarto algarismo do

55 ano em curso no ângulo direito inferior).

56 AΩAΩ 20 12

57 O sacerdote toma cinco grãos de incenso, que simbolizam as

58 chagas de Jesus, e os crava na cruz do Círio, dizendo assim:

59 Por suas santas chagas

60 suas chagas gloriosas

61 o Cristo Senhor

62 nos proteja

63 e nos guarde. Amém

64 O sacerdote acende o Círio Pascal no fogo novo, dizendo:

65 A luz do Cristo que ressuscita resplandecente

66 dissipe as trevas de nosso coração e nossa mente.

67 Procissão

68 As luzes da igreja devem estar apagadas.

69 O diácono ou o sacerdote levanta o Círio e canta:

70 Eis a luz de Cristo! Demos graças a Deus!

71 Na entrada da igreja, o diácono ou o

72 sacerdote levanta o Círio e canta:

73 Eis a luz de Cristo! Demos graças a Deus!

74 Todos acendem sua vela na luz do Círio. Ao chegar diante do altar, o

75 diácono ou o sacerdote levanta pela terceira vez o Círio e canta:

76 Eis a luz de Cristo! Demos graças a Deus!

77

78 O Círio Pascal é colocado no seu lugar de

79 destaque e acendem-se as luzes da igreja.

80

81 Proclamação da Páscoa

82 A proclamação da Páscoa, ou Precônio Pascal, é um hino que canta a alegria

83 que todos nós sentimos pela Ressurreição do Cristo.

84 Proclamação da Páscoa (longa)

85 Exulte o céu, e os Anjos triunfantes,

86 mensageiros de Deus, desçam cantando;

87 façam soar trombetas fulgurantes,

88 a vitória de um Rei anunciando.

89 Alegre-se também a terra amiga,

90 que em meio a tantas luzes resplandece;

91 e, vendo dissipar-se a treva antiga,

92 ao sol do eterno rei brilha e se aquece.

93 Que a mãe Igreja alegre-se igualmente,

94 erguendo as velas deste fogo novo,

95 e escute, reboando de repente,

96 o Aleluia cantado pelo povo.

97 (E vós, que estais aqui, irmãos queridos,

98 em torno desta chama reluzente,

99 erguei os corações, e assim unidos

100 invoquemos a Deus onipotente.

101 Ele, que por seus dons nada reclama,

102 quis que entre os seus levitas me encontrasse:

103 para cantar a glória desta chama,

104 de sua luz um raio me traspasse!)

105 O Senhor esteja convosco.

106 Ele está no meio de nós.

107 Corações ao alto.

108 O nosso coração está em Deus.

109 Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

110 É nosso dever e nossa salvação.

111 Sim, verdadeiramente é bom e justo

112 cantar ao Pai de todo o coração,

113 e celebrar seu Filho Jesus Cristo,

114 tornado para nós um novo Adão.

115 Foi ele quem pagou do outro a culpa,

116 quando por nós à morte se entregou:

117 para apagar o antigo documento

118 na cruz todo o seu sangue derramou.

119 Pois eis agora a Páscoa, nossa festa,

120 em que o real Cordeiro se imolou:

121 marcando nossas portas, nossas almas,

122 com seu divino sangue nos salvou.

123 Esta é, Senhor, a noite em que do Egito

124 retirastes os filhos de Israel,

125 transpondo o mar Vermelho a pé enxuto,

126 rumo à terra onde correm leite e mel.

127 Ó noite em que a coluna luminosa

128 as trevas do pecado dissipou,

129 e aos que creem no Cristo em toda a terra

130 em novo povo eleito congregou!

131 Ó noite em que Jesus rompeu o inferno,

132 ao ressurgir da morte vencedor:

133 de que nos valeria ter nascido,

134 se não nos resgatasse em seu amor?

135 Ó Deus, quão estupenda caridade

136 vemos no vosso gesto fulgurar:

137 não hesitais em dar o próprio Filho,

138 para a culpa dos servos resgatar.

139 Ó pecado de Adão indispensável,

140 pois o Cristo o dissolve em seu amor;

141 ó culpa tão feliz que há merecido

142 a graça de um tão grande Redentor!

143 Só tu, noite feliz, soubeste a hora

144 em que o Cristo da morte ressurgia;

145 e é por isso que de ti foi escrito:

146 A noite será luz para o meu dia!

147 Pois esta noite lava todo crime,

148 liberta o pecador dos seus grilhões;

149 dissipa o ódio e dobra os poderosos,

150 enche de luz e paz os corações.

151 Ó noite de alegria verdadeira,

152 que prostra o Faraó e ergue os hebreus,

153 que une de novo ao céu a terra inteira,

154 pondo na treva humana a luz de Deus.

155 Na graça desta noite o vosso povo

156 acende um sacrifício de louvor;

157 acolhei, ó Pai santo, o fogo novo:

158 não perde, ao dividir-se, o seu fulgor.

159 Cera virgem de abelha generosa

160 ao Cristo ressurgido trouxe a luz:

161 eis de novo a coluna luminosa,

162 que o vosso povo para o céu conduz.

163 O círio que acendeu as nossas velas

164 possa esta noite toda fulgurar;

165 misture sua luz à das estrelas,

166 cintile quando o dia despontar.

167 Que ele possa agradar-vos como o Filho,

168 que triunfou da morte e vence o mal:

169 Deus, que a todos acende no seu brilho,

170 e um dia voltará, sol triunfal.

171 Amém.

172

173 Pela Liturgia da Palavra, contemplamos as maravilhas que o amor de

174 Deus realiza em nós e para nós: a primeira criação, a caminhada do

175 seu povo, a nova criação em Cristo, que nos faz novas criaturas.

176 Escutemos com fé e atenção!

177

178 Primeira Leitura (mais breve) Gn 1, a

179 Leitura do Livro do Gênesis

180 1 No princípio Deus criou o céu e a terra.

181 26 Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem

182 e segundo a nossa semelhança,

183 para que domine sobre os peixes do mar,

184 sobre as aves do céu,

185 sobre os animais de toda a terra,

186 e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”.

187 27 E Deus criou o homem à sua imagem,

188 à imagem de Deus ele o criou:

189 homem e mulher os criou.

190 28 E Deus os abençoou e lhes disse:

191 “Sede fecundos e multiplicai- vos,

192 enchei a terra e submetei-a!

193 Dominai sobre os peixes do mar,

194 sobre os pássaros do céu

195 e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”.

196 29 E Deus disse: “Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente

197 sobre a terra, e todas as árvores que produzem fruto

198 com sua semente, para vos servirem de alimento.

199 30 E a todos os animais da terra,

200 e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra

201 e que é animado de vida,

202 eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez.

203 31a E Deus viu tudo quanto havia feito,

204 e eis que tudo era muito bom.

205 Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia.

206 Palavra do Senhor. Graças a Deus!

207

208 Salmo responsorial Sl 103(104)

209 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

210 e da terra toda a face renovai.

211 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

212 e da terra toda a face renovai.

213 1. Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

214 Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!

215 De majestade e esplendor vos revestis

216 e de luz vos envolveis como num manto.

217 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

218 e da terra toda a face renovai.

219 2. A terra vós firmastes em suas bases,

220 ficará firme pelos séculos sem fim;

221 os mares a cobriam como um manto,

222 e as águas envolviam as montanhas.

223 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

224 e da terra toda a face renovai.

225 3. Fazeis brotar em meio aos vales as nascentes

226 que passam serpeando entre as montanhas;

227 às suas margens vêm morar os passarinhos,

228 entre os ramos eles erguem o seu canto.

229 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

230 e da terra toda a face renovai.

231 4. De vossa casa as montanhas irrigais,

232 com vossos frutos saciais a terra inteira;

233 fazeis crescer os verdes pastos para o gado

234 e as plantas que são úteis para o homem.

235 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

236 e da terra toda a face renovai.

237 5. Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras,

238 e que sabedoria em todas elas!

239 Encheu-se a terra com as vossas criaturas!

240 Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

241 Enviai o vosso Espírito, Senhor,

242 e da terra toda a face renovai.

243

244 Oração depois da primeira leitura A criação

245 OREMOS: Deus eterno e todo- poderoso,

246 que dispondes de modo admirável todas as vossas obras,

247 dai aos que foram resgatados pelo vosso Filho

248 a graça de compreender

249 que o sacrifício do Cristo, nossa Páscoa,

250 na plenitude dos tempos,

251 ultrapassa em grandeza a criação do mundo

252 realizada no princípio.

253 Por Cristo, nosso Senhor.

254 Amém.

255

256 Segunda Leitura (mais breve) Gn 22,1-2.9a

257 Leitura do Livro do Gênesis

258 Naqueles dias, 1 Deus pôs Abraão à prova.

259 Chamando-o, disse:

260 “Abraão!” E ele respondeu:

261 “Aqui estou”. 2 E Deus disse:

262 “Toma teu filho único, Isaac, a quem tanto amas,

263 dirige-te à terra de Moriá,

264 e oferece-o ali em holocausto

265 sobre um monte que eu te indicar”.

266 9a Chegados ao lugar indicados por Deus,

267 Abraão ergueu um altar, colocou a lenha em cima,

268 amarrou o filho e o pôs sobre a lenha em cima do altar.

269 10 Depois, estendeu a mão,

270 empunhando a faca para sacrificar o filho.

271 11 E eis que o anjo do Senhor gritou do céu,

272 dizendo: “Abraão! Abraão!”

273 Ele respondeu: “Aqui estou!”

274 12 E o anjo lhe disse:

275 “Não estendas a mão contra teu filho

276 e não lhe faças nenhum mal!

277 Agora sei que temes a Deus,

278 pois não me recusaste teu filho único”.

279 13 Abraão, erguendo os olhos, viu um carneiro

280 preso num espinheiro pelos chifres; foi buscá-lo

281 e ofereceu-o em holocausto no lugar do seu filho.

282 15 O anjo do Senhor chamou Abraão,

283 pela segunda vez, do céu,

284 16 e lhe disse: “Juro por mim mesmo – oráculo do Senhor –,

285 uma vez que agiste desse modo

286 e não me recusaste teu filho único,

287 17 eu te abençoarei

288 e tornarei tão numerosa tua descendência

289 como as estrelas do céu

290 e como as areias da praia do mar.

291 Teus descendentes conquistarão

292 as cidades dos inimigos.

293 18 Por tua descendência serão abençoadas

294 todas as nações da terra, porque me obedeceste”.

295 Palavra do Senhor. Graças a Deus!

296

297 Salmo responsorial Sl 15(16)

298 Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

299

300 1. Ó Senhor, sois minha herança e minha taça,

301 meu destino está seguro em vossas mãos!

302 Tenho sempre o Senhor ante meus olhos,

303 pois se o tenho a meu lado não vacilo.

304 Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

305 2. Eis porque meu coração está em festa, ╬

306 minha alma rejubila de alegria,

307 e até meu corpo no repouso está tranquilo;

308 pois não haveis de me deixar entregue à morte,

309 nem vosso amigo conhecer a corrupção.

310 Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

311 3. Vós me ensinais vosso caminho para a vida; ╬

312 junto a vós, felicidade sem limites,

313 delícia eterna e alegria ao vosso lado!

314 Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

315

316 Oração depois da segunda leitura O sacrifício de Abraão

317 OREMOS: Ó Deus, Pai de todos os fiéis,

318 vós multiplicais por toda a terra os filhos da vossa promessa,

319 derramando sobre eles a graça da filiação

320 e, pelo mistério pascal,

321 tornais vosso servo Abraão pai de todos os povos,

322 como lhe tínheis prometido.

323 Concedei, portanto, a todos os povos

324 a graça de corresponder ao vosso chamado.

325 Por Cristo, nosso Senhor.

326 Amém.

327

328 Terceira Leitura Ex 14,15―15,1

329 Leitura do Livro do Êxodo

330 Naqueles dias, 15 O Senhor disse a Moisés:

331 “Por que clamas a mim por socorro?

332 Dize aos filhos de Israel que se ponham em marcha.

333 16 Quanto a ti, ergue a vara,

334 estende o braço sobre o mar e divide-o,

335 para que os filhos de Israel caminhem

336 em seco pelo meio do mar.

337 17 De minha parte, endurecerei o coração dos egípcios,

338 para que sigam atrás deles,

339 e eu seja glorificado às custas do Faraó

340 e de todo o seu exército,

341 dos seus carros e cavaleiros.

342 18 E os egípcios saberão que eu sou o Senhor,

343 quando eu for glorificado às custas do Faraó,

344 dos seus carros e cavaleiros”.

345 19 Então, o anjo do Senhor, que caminhava

346 à frente do acampamento dos filhos de Israel,

347 mudou de posição e foi para trás deles;

348 e com ele, ao mesmo tempo, a coluna de nuvem,

349 que estava na frente, colocou- se atrás,

350 20 inserindo-se entre o acampamento dos egípcios

351 e o acampamento dos filhos de Israel.

352 Para aqueles a nuvem era tenebrosa,

353 para estes, iluminava a noite.

354 Assim, durante a noite inteira,

355 uns não puderam aproximar-se dos outros.

356 21 Moisés estendeu a mão sobre o mar,

357 e durante toda a noite o Senhor fez soprar sobre o mar

358 um vento leste muito forte; e as águas se dividiram.

359 22 Então, os filhos de Israel entraram

360 pelo meio do mar a pé enxuto,

361 enquanto as águas formavam como que uma muralha

362 à direita e à esquerda.

363 23 Os egípcios puseram-se a persegui-los,

364 e todos os cavalos do Faraó,

365 carros e cavaleiros os seguiram mar adentro.

366 24 Ora, de madrugada,

367 o Senhor lançou um olhar, desde a coluna de fogo

368 e da nuvem, sobre as tropas egípcias e as pôs em pânico.

369 25 Bloqueou as rodas dos seus carros,

370 de modo que só a muito custo podiam avançar.

371 Disseram, então, os egípcios:

372 “Fujamos de Israel!

373 Pois o Senhor combate a favor deles, contra nós”.

374 26 O Senhor disse a Moisés:

375 “Estende a mão sobre o mar,

376 para que as águas se voltem contra os egípcios,

377 seus carros e cavaleiros”.

378 27 Moisés estendeu a mão sobre o mar

379 e, ao romper da manhã, o mar voltou ao seu leito normal,

380 enquanto os egípcios, em fuga,

381 corriam ao encontro das águas,

382 e o Senhor os mergulhou no meio das ondas.

383 28 As águas voltaram e cobriram carros,

384 cavaleiros e todo o exército do Faraó,

385 que tinha entrado no mar em perseguição a Israel.

386 Não escapou um só.

387 29 Os filhos de Israel, ao contrário,

388 tinham passado a pé enxuto pelo meio do mar,

389 cujas águas lhes formavam uma muralha

390 à direita e à esquerda.

391 30 Naquele dia, o Senhor livrou Israel da mão dos egípcios,

392 e Israel viu os egípcios mortos nas praias do mar,

393 31 e a mão poderosa do Senhor agir contra eles.

394 O povo temeu o Senhor, e teve fé no Senhor

395 e em Moisés, seu servo.

396 15,1 Então, Moisés e os filhos de Israel

397 cantaram ao Senhor este cântico:

398

399 Salmo responsorial Ex 15

400 Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

401

402 1. Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória:

403 precipitou no mar Vermelho o cavalo e o cavaleiro!

404 O Senhor é minha força, é a razão do meu cantar,

405 pois foi ele neste dia para mim libertação!

406 Ele é meu Deus e o louvarei, Deus de meu pai, e o honrarei.

407 Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

408 2. O Senhor é um Deus guerreiro

409 o seu nome é “Onipotente”:

410 Os soldados e os carros do Faraó jogou no mar,

411 seus melhores capitães afogou no mar Vermelho,

412 Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

413 3. Afundaram como pedras e as ondas os cobriram. ╬

414 Ó Senhor, o vosso braço é duma força insuperável!

415 Ó Senhor, o vosso braço esmigalhou os inimigos!

416 Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

417 4. Vosso povo levareis e o plantareis em vosso Monte,

418 no lugar que preparastes para a vossa habitação,

419 no Santuário construído pelas vossas próprias mãos.

420 O Senhor há de reinar eternamente, pelos séculos!

421 Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

422

423 Oração depois da terceira leitura – I A passagem do mar Vermelho

424 OREMOS: Ó Deus, vemos brilhar ainda em nossos dias

425 as vossas antigas maravilhas.

426 Como manifestastes outrora o vosso poder,

427 libertando um só povo da perseguição do Faraó,

428 realizais agora a salvação de todas as nações,

429 fazendo-as renascer nas águas do batismo.

430 Concedei a todos os seres humanos

431 tornarem-se filhos de Abraão

432 e membros do vosso povo eleito.

433 Por Cristo, nosso Senhor.

434 Amém.

435

436 Hino de Louvor

437 Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por ele amados.

438 Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo- poderoso.

439 Nós vos louvamos, nós vos bendizemos,

440 Nós vos adoramos, nós vos glorificamos,

441 Nós vos damos graças por vossa imensa glória.

442 Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito,

443 Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai.

444 Vós, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

445 Vós, que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica.

446 Vós, que estais à direita do Pai, tende piedade de nós.

447 Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor,

448 só vós, o Altíssimo, Jesus Cristo,

449 com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

450

451 Oração do dia

452 OREMOS: Ó Deus, que iluminais esta noite santa

453 com a glória da ressurreição do Senhor,

454 despertai na vossa Igreja o espírito filial

455 para que, inteiramente renovados,

456 vos sirvamos de todo o coração.

457 Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,

458 na unidade do Espírito Santo.

459 Amém.

460

461 Carta Rm 6,3-11

462 Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

463 Irmãos: 3 Será que ignorais que todos nós,

464 batizados em Jesus Cristo,

465 é na sua morte que fomos batizados?

466 4 Pelo batismo na sua morte, fomos sepultados com ele,

467 para que, como Cristo ressuscitou dos mortos

468 pela glória do Pai,

469 assim também nós levemos uma vida nova.

470 5 Pois, se fomos de certo modo identificados a Jesus Cristo

471 por uma morte semelhante à sua,

472 seremos semelhantes a ele também pela ressurreição.

473 6 Sabemos que o nosso velho homem

474 foi crucificado com Cristo,

475 para que seja destruído o corpo de pecado,

476 de maneira a não mais servirmos ao pecado.

477 7 Com efeito, aquele que morreu está livre do pecado.

478 8 Se, pois, morremos com Cristo,

479 cremos que também viveremos com ele.

480 9 Sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos

481 não morre mais; a morte já não tem poder sobre ele.

482 10 Pois aquele que morreu,

483 morreu para o pecado uma vez por todas;

484 mas aquele que vive, é para Deus que vive.

485 11 Assim, vós também considerai-vos mortos para o pecado

486 e vivos para Deus, em Jesus Cristo.

487 Palavra do Senhor. Graças a Deus!

488

489 Salmo responsorial Sl 117(118)

490 Aleluia, Aleluia, Aleluia.

491

492 1. Dai graças ao Senhor, porque ele é bom!

493 Eterna é a sua misericórdia!

494 A casa de Israel agora o diga:

495 “Eterna é a sua misericórdia!”

496 Aleluia, Aleluia, Aleluia.

497 2. A mão direita do Senhor fez maravilhas, ╬

498 a mão direita do Senhor me levantou,

499 a mão direita do Senhor fez maravilhas!

500 Não morrerei, mas ao contrário, viverei

501 para cantar as grande obras do Senhor!

502 Aleluia, Aleluia, Aleluia.

503 3. A pedra que os pedreiros rejeitaram,

504 tornou-se agora a pedra angular.

505 Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:

506 Que maravilhas ele fez a nossos olhos!

507 Aleluia, Aleluia, Aleluia.

508

509 Evangelho Mc 16,1-7

510 O Senhor esteja convosco.

511 Ele está no meio de nós.

512 PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos

513 Glória a vós, Senhor!

514 1 Quando passou o sábado.

515 Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago,e Salomé,

516 compraram perfumes para ungir o corpo de Jesus.

517 2 E bem cedo, no primeiro dia da semana,

518 ao nascer do sol, elas foram ao túmulo.

519 3 E diziam entre si:

520 “Quem rolará para nós a pedra da entrada do túmulo?”

521 4 Era uma pedra muito grande.

522 Mas, quando olharam,

523 viram que a pedra já tinha sido retirada.

524 5 Entraram, então, no túmulo e viram um jovem,

525 sentado ao lado direito, vestido de branco.

526 6 Mas o jovem lhes disse:

527 “Não vos assusteis!

528 Vós procurais Jesus de Nazaré, que foi crucificado?

529 Ele ressuscitou. Não está aqui.

530 7 Vede o lugar onde o puseram.

531 Ide, dizei a seus discípulos e a Pedro

532 que ele irá à vossa frente, na Galileia.

533 Lá vós o vereis, como ele mesmo tinha dito.”

534 Glória a vós, Senhor!

535 SE MORREMOS COM CRISTO, COM ELE VIVEREMOS!

536

537 Começa agora o rito solene da bênção da água que será usada

538 para aspergir os fiéis e para a administração do Batismo.

539

540 Liturgia Batismal Se houver batismo

541 Caros fiéis, apoiemos com as nossas preces

542 a alegre esperança dos nossos irmãos e irmãs (N.N.),

543 para que Deus todo-poderoso

544 acompanhe com sua misericórdia

545 os que se aproximam da fonte do novo nascimento.

546

547 Liturgia Batismal Se não houver batismo, mas só a bênção da água batismal

548 Meus irmãos e minhas irmãs,

549 invoquemos sobre estas águas

550 a graça de Deus Pai onipotente,

551 para que em Cristo sejam reunidos aos filhos adotivos

552 aqueles que renascerem pelo batismo.

553

554 Ladainha de todos os Santos

555 Momento de profunda comunhão. A Igreja da terra

556 se une à Igreja do céu e invoca a proteção dos que nos

557 precederam na fé na Ressurreição.

558

559 Senhor, tende piedade de nós.

560 Cristo, tende piedade de nós.

561 Senhor, tende piedade de nós.

562 Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós.

563 São Miguel, rogai por nós.

564 Santos Anjos de Deus, rogai por nós.

565 São João Batista, rogai por nós.

566 São José, rogai por nós.

567 São Pedro e São Paulo, rogai por nós.

568 Santo André, rogai por nós.

569 São João, rogai por nós.

570 Santa Maria Madalena, rogai por nós.

571 Santo Estêvão, rogai por nós.

572 Santo Inácio de Antioquia rogai por nós.

573 São Lourenço, rogai por nós.

574 Santas Perpétua e Felicidade, rogai por nós.

575 Santa Inês, rogai por nós.

576 São Gregório, rogai por nós.

577 Santo Agostinho, rogai por nós.

578 Santo Atanásio, rogai por nós.

579 São Basílio, rogai por nós.

580 São Martinho, rogai por nós.

581 São Bento, rogai por nós.

582 São Francisco e São Domingos, rogai por nós.

583 São Francisco Xavier, rogai por nós.

584 São João Maria Vianney, rogai por nós.

585 Santa Catarina de Sena, rogai por nós.

586 Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.

587 Todos os Santos e Santas de Deus, rogai por nós.

588 Sede-nos propício, ouvi-nos, Senhor.

589 Para que nos livreis de todo mal, ouvi-nos, Senhor.

590 Para que nos livreis de todo pecado, ouvi-nos, Senhor.

591 Para que nos livreis da morte eterna, ouvi-nos, Senhor.

592 Pela vossa encarnação, ouvi-nos, Senhor.

593 Pela vossa morte e ressurreição, ouvi-nos, Senhor.

594 Pela efusão do Espírito Santo, ouvi-nos, Senhor.

595 Apesar de nossos pecados, ouvi-nos, Senhor.

596 Se houver batismo Para que vos digneis dar a nova vida

597 aos que chamastes ao batismo, ouvi- nos Senhor.

598 Se não houver batismo Para que santifiqueis com a vossa

599 graça esta água, onde renascerão

600 os vossos filhos, ouvi-nos, Senhor.

601 Jesus, Filho do Deus vivo, ouvi- nos, Senhor.

602 Cristo, ouvi- nos.

603 Cristo, atendei- nos.

604

605 Oração (se houver batismo)

606 Ó Deus de bondade,

607 manifestai o vosso poder

608 nos sacramentos que revelam vosso amor.

609 Enviai o espírito de adoção

610 para criar um novo povo,

611 nascido para vós nas águas do batismo.

612 E assim possamos ser em nossa fraqueza

613 instrumentos do vosso poder.

614 Por Cristo, nosso Senhor.

615 Amém.

616

617 Bênção da água batismal

618 A bênção solene da água relembra e faz memória de todas as

619 maravilhas operadas por Deus por meio da água.

620 Ó Deus, pelos sinais visíveis dos sacramentos

621 realizais maravilhas invisíveis.

622 Ao longo da história da salvação,

623 vós vos servistes da água

624 para fazer-nos conhecer a graça do batismo.

625 Já na origem do mundo,

626 vosso espírito pairava sobre as águas

627 para que elas concebessem

628 a força de santificar.

629 Nas próprias águas do dilúvio

630 prefigurastes o nascimento da nova humanidade,

631 de modo que a mesma água

632 sepultasse os vícios

633 e fizesse nascer a santidade.

634 Concedestes aos filhos de Abraão

635 atravessar o mar Vermelho a pé enxuto,

636 para que, livres da escravidão, prefigurassem

637 o povo nascido na água do batismo.

638 Vosso Filho, ao ser batizado nas águas do Jordão,

639 foi ungido pelo Espírito Santo.

640 Pendente da cruz,

641 do seu coração aberto pela lança

642 fez correr sangue e água.

643 Após sua ressurreição, ordenou aos apóstolos:

644 “Ide, fazei meus discípulos todos os povos,

645 e batizai-os em nome do Pai

646 e do Filho e do Espírito Santo”.

647 Olhai agora, ó Pai, a vossa Igreja,

648 e fazei brotar para ela a água do batismo.

649 Que o Espírito Santo dê, por esta água,

650 a graça do Cristo,

651 a fim de que o ser humano, criado à vossa imagem,

652 seja lavado da antiga culpa pelo batismo

653 e renasça pela água e pelo Espírito Santo

654 para uma vida nova.

655

656 Nós vos pedimos, ó Pai, que por vosso Filho

657 desça sobre toda esta água a força do Espírito Santo.

658 E todos os que, pelo batismo,

659 forem sepultados na morte com Cristo,

660 ressuscitem com ele para a vida.

661 Por Cristo, nosso Senhor.

662 Amém.

663

664 Fontes do Senhor, bendizei o Senhor!

665 Louvai-o e exaltai-o para sempre!

666

667 Bênção da água (Se não houver batismo nem bênção da água batismal)

668 Meus irmãos e minhas irmãs,

669 invoquemos o Senhor nosso Deus

670 para que se digne abençoar esta água,

671 que vai ser aspergida sobre nós,

672 recordando o nosso batismo.

673 Que ele se digne renovar- nos,

674 para que permaneçamos fiéis

675 ao Espírito que recebemos. (Silêncio)

676 Senhor nosso Deus, velai sobre o vosso povo

677 e nesta noite santa

678 em que celebramos a maravilha da nossa criação

679 e a maravilha ainda maior da nossa redenção,

680 dignai-vos abençoar esta água.

681 Fostes vós que a criastes para fecundar a terra,

682 para lavar nossos corpos e refazer nossas forças.

683 Também a fizestes instrumentos da vossa misericórdia:

684 por ela libertastes o vosso povo do cativeiro

685 e aplacastes no deserto a sua sede;

686 por ela os profetas anunciaram a vossa aliança

687 que era vosso desejo concluir com a humildade;

688 por ela finalmente,

689 consagrada pelo Cristo no Jordão,

690 renovastes, pelo banho do novo nascimento,

691 a nossa natureza pecadora.

692 Que esta água seja para nós

693 uma recordação do nosso batismo

694 e nos faça participar da alegria

695 dos que foram batizados na Páscoa.

696 Por Cristo, nosso Senhor.

697 Amém.

698

699 Renovação das promessas do batismo

700 Meus irmãos e minhas irmãs,

701 pelo mistério pascal

702 fomos no batismo sepultados com Cristo

703 para vivermos com ele uma vida nova.

704 Por isso, terminados os exercícios da Quaresma,

705 renovemos as promessas do nosso batismo,

706 pelas quais já renunciamos a Satanás e suas obras,

707 e prometemos servir a Deus na Santa Igreja Católica. Portanto:

708 Fórmula 2:

709 Para viver na liberdade dos filhos de Deus,

710 renunciais ao pecado?

711 Renuncio.

712 Para viver como irmãos e irmãs, renunciais a tudo o que vos

713 possa desunir, para que o pecado não domine sobre vós?

714 Renuncio.

715 Para seguir a Jesus Cristo, renunciais ao demônio,

716 autor e princípio do pecado?

717 Renuncio.

718 Credes em Deus Pai, todo- poderoso,

719 criador do céu e da terra?

720 Creio.

721 Credes em Jesus Cristo,

722 seu único Filho, nosso Senhor,

723 que nasceu da Virgem Maria,

724 padeceu e foi sepultado,

725 ressuscitou dos mortos e subiu ao céu?

726 Creio.

727 Credes no Espírito Santo,

728 na Santa Igreja Católica,

729 na comunhão dos Santos,

730 na remissão dos pecados,

731 na ressurreição dos mortos

732 e na vida eterna?

733 Creio.

734 O Deus todo- poderoso,

735 Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,

736 que nos fez renascer pela água e pelo Espírito Santo

737 e nos concedeu o perdão de todo pecado,

738 guarde-nos em sua graça para a vida eterna,

739 no Cristo Jesus, nosso Senhor.

740 Amém.

741

742 Banhados em Cristo,

743 somos u’a nova criatura.

744 As coisas antigas já se passaram,

745 somos nascidos de novo.

746 Aleluia, aleluia, aleluia!

747

748 Canto das Oferendas

749

750 Orai, irmãos e irmãs

751 para que o nosso sacrifício

752 seja aceito por Deus Pai todo- poderoso.

753 Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício,

754 para glória do seu nome,

755 para nosso bem e de toda a santa Igreja.

756

757 Sobre as oferendas