A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Superintendência de Desenvolvimento da Educação Infantil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Superintendência de Desenvolvimento da Educação Infantil."— Transcrição da apresentação:

1 Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Superintendência de Desenvolvimento da Educação Infantil e Fundamental Encontro de Orientadores de Estudo 12, 13 e 14 de novembro de 2013 A Qualidade Social da Educação e a Progressão Escolar Continuada

2 “Em ciência, como no senso comum, existe uma estreita relação entre ver com clareza e dizer com clareza. Quem não diz com clareza, não está vendo com clareza. Dizer com clareza é a marca do entendimento, da compreensão.” Rubem Alves, in “Filosofia da Ciência” 2

3 3 “Mexer com concepções é algo que mexe com nós mesmos. Quando mudamos concepções não estamos lidando apenas com teorias, mas com valores, vivências, angústias e medos.” Patrícia Mendonça e Lúcia Leite

4 A conquista da Qualidade Social da Educação “A garantia de padrão de qualidade, com pleno acesso, inclusão e permanência dos sujeitos das aprendizagens na escola e seu sucesso,com redução da evasão, da retenção e da distorção de idade/ano/série, resulta na qualidade social da educação, que é uma conquista coletiva de todos os sujeitos do processo educativo.” Artigo 8º, Resolução CNE 4/2010

5 Conceito de “Qualidade” da Educação  Complexo, polissêmico, dinâmico.  Qualidade : latim qualitas = “jeito de ser”, “várias formas de ser”.  Histórico : se constrói e se altera no tempo / espaço.  Influência : contexto político e socioeconômico.  Constituição Federal e LDB: direitos sociais / educação de qualidade / padrão de qualidade. Problemática da Qualidade : sempre presente no campo educacional, mas nunca com a centralidade de agora

6 Qualidade Social da Educação: nova abordagem numa perspectiva social direito subjetivo (acesso e permanência) Educação como prática social e ato político Desafio histórico da educação hoje: Garantia efetiva dos direitos de aprendizagens, desenvolvimento humano pleno de cada um e de todos os alunos. Conquista coletiva voltada ao social: formação integral, emancipação e inclusão

7 “A escola de qualidade social é aquela que (...) busca atender às expectativas de vida das famílias e estudantes, dos profissionais que a compõem (...) busca transformar todos os espaços em lugares de aprendizagem significativa e de vivências humanas efetivamente democráticas.” Rebelatto, Durlei e Tedesco, Anderson 7 Centralidade: o aluno e sua aprendizagem

8 O aluno no centro de nossas atenções… 8

9 Pressupostos básicos para a implementação das ações do PIP / Ensino Fundamental O aluno no centro de nossas atenções. Foco no seu desempenho Gestão pedagógica como eixo do trabalho da SEE/SRE/SME/Escolas Garantir o princípio da continuidade da trajetória escolar do aluno Realizar intervenções pedagógicas no tempo certo, priorizando as escolas estratégicas Estreitar distâncias e apoiar as escolas por meio do trabalho conjunto das Equipes Municipais, Equipes Regionais e Equipe Central Cumprimento das metas pactuadas do PROALFA: compromisso de todos Formação continuada dos Professores, Diretores e Especialistas de educação

10 A construção da qualidade social da educação:  Processo coletivo  Senso de urgência das transformações X paciência histórica  Exigências básicas externas e internas à escola “impaciente paciência histórica” “É preciso toda a aldeia para educar uma criança.” Provérbio Africano

11 -“Os contextos das escolas brasileiras são diversos”(...) “(...)apesar da diversidade, há direitos de aprendizagem que são comuns, tal como o direito à alfabetização”. (Silva, Leal e Lima Caderno2, Ed. Campo, Pacto) “(...) a leitura da palavra deve ser inserida na compreensão da transformação do mundo”. Paulo Freire

12 “O importante (...) não é “fazer como se” cada um houvesse aprendido, mas permitir a cada um aprender(...)” Perrenoud, 1995 “O fracasso escolar é outra forma de exclusão: a exclusão dos incluídos, já que formalmente os alunos estão no sistema, mas não estão aprendendo.” Celso Vasconcelos Alfabetizar no Tempo Certo–PIP/2007 Alfabetizar na Idade Certa–PACTO/2013

13 “...A ideia de progressão continuada mexe com a identidade docente construída na história (...) Mexe com o modo no qual nós nos entendemos e com o modo o qual entendemos educação (...) Com o modo que entendemos o fazer pedagógico, a nossa possibilidade de autoridade, especialmente com a nossa imagem docente. E isso é uma coisa forte nas nossas práticas.” Mário Sérgio Cortella 13 A Qualidade social da Educação e a Progressão Escolar Continuada

14 A Progressão : fenômenos distintos, interligados:  Progressão Escolar : direito de avançar na escolarização de uma etapa para outra Artigo 60, Res. SEE 2197/12  Progressão do Ensino : definição dos direitos das aprendizagens, dos mais simples aos mais complexos Artigo 63 e 64, Res. SEE 2197/12  Progressão das Aprendizagens : agregar conhecimentos e capacidades ao longo dos ciclos Artigo 65 e 73, Res. SEE 2197/12 Trágico: Progressão Escolar sem Progressão das Aprendizagens

15 “Tanto a reprovação, quanto a progressão sem aprendizagem são prejudiciais e destroem a autoestima das crianças, além de retardar o seu acesso a diferentes práticas culturais em que a escrita faz-se presente(...)” Pacto, Ano 01, Unidade 07 15

16 A Progressão Escolar Continuada na Resolução SEE nº 2197/2012 “ Artigo 72 : A progressão continuada, com aprendizagem e sem interrupção, nos Ciclos da Alfabetização e Complementar está vinculada à avaliação contínua e processual, que permite ao professor acompanhar o desenvolvimento e detectar as dificuldades de aprendizagem apresentadas pelo aluno, no momento em que elas surgem, intervindo de imediato, com estratégias adequadas, para garantir as aprendizagens básicas. Parágrafo único. A progressão continuada nos anos iniciais do Ensino Fundamental deve estar apoiada em intervenções pedagógicas significativas, com estratégias de atendimento diferenciado, para garantir a efetiva aprendizagem dos alunos no ano em curso.

17 Sistema de Ciclos, por quê? Ciclo da Alfabetização, por quê?  “Ciclo”, latim cyclu e grego kyklos = série de fenômenos que se sucedem numa ordem determinada; “círculo”.  “O regime de ciclos nos oferece possibilidades de repensarmos os tempos escolares, de modo a encontrarmos formas diversificadas de abordar os conhecimentos, rumo a um ensino mais problematizador.” Pacto, Ano 01, Unidade 08 Resolução SEE 2197/2012, Art. 28 e 29: Ensino Fundamental estruturado em 4 ciclos

18 Possibilita a elaboração de um currículo que favorece a continuidade, interdisciplinaridade e a participação. Colabora para a negação da lógica excludente e permite a lógica da inclusão e solidariedade. Tem perspectiva multicultural com respeito à diversidade de saberes, práticas e valores do grupo. Favorece o reconhecimento da heterogeneidade e da diversidade cultural e de percursos individuais de vida. (Ferreira e Leal, 2006) O Sistema de Ciclos: 18

19 Definir Direitos de Aprendizagem: para quê?  Magda Soares: -“... É preciso delimitar claramente o que precisa ser ensinado para que a ação pedagógica seja consistente e a aprendizagem seja garantida dentro do tempo escolar previsto”. 19

20 ...“avaliamos para favorecer aprendizagens e não para legitimar as desigualdades perversas que servem, na maior parte das vezes, para promover a exclusão e a competitividade.” PACTO 2013 Garantir os direitos de aprendizagem

21 Transmissão do conhecimento 21 AVALIAÇÃO, FENÔMENO HUMANO • Avaliar, latim – “dar valor”. • “Mudar a avaliação, mudar a escola globalmente”. • “Assim como o professor ensina, assim ele avalia” Construção do conhecimento Na sala de aula é o professor quem dá o tom do ensino e da avaliação conforme suas concepções, crenças e posturas. Questão-desafio de Perrenoud: “Cabeças bem cheias ou cabeças bem feitas?”

22 DO ensino/aprendizagem PARA medição/julgamento Problema central da Escola: NÃO Aprendizagem Problema central da Avaliação: lógica classificatória e excludente desloca-se a ênfase:

23 “Assim, a reprovação, embora pareça um ato técnico-pedagógico e paradoxalmente “bem intencionado”, é, essencialmente, um ato político que serve à reprodução das desigualdades sociais” (...) Thereza Penna Firme

24 Superar o problema da Reprovação não é cair na mera APROVAÇÃO APRENDIZAGEM Compromisso de TODOS com a aprendizagem efetiva de TODOS os alunos. Neste desafio, o PROFESSOR não pode sentir-se só. É superar a NÃO-Aprendizagem: Maior desafio da Escola hoje PROGRESSÃO CONTINUADA PROGRESSÃO PARCIAL

25 O Maior Desafio do Professor Alfabetizador: Usar de sua LIDERANÇA, de seu PODER e de sua AUTORIDADE e assumir o compromisso apaixonado com a alfabetização efetiva de TODOS os alunos no TEMPO CERTO. O maior desafio da Escola hoje: superar a NÃO aprendizagem 25

26 PARA TANTO É URGENTE: -ERRADICAR a PEDAGOGIA da REPETÊNCIA e - INSTAURAR em seu lugar uma PEDAGOGIA DE ENSINO EFICAZ para garantir a progressão continuada, com aprendizagem Nosso compromisso ético e social na construção da Qualidade Social da Educação 26

27 Não esquecer que: “(...) a seriação e a reprovação não podem, sozinhas, serem tomadas como a causa do fracasso escolar e, em contrapartida, o ciclo e a promoção serem tomados como a grande solução para esse problema(...)” Fernandes,

28 Assim, “(...) entendemos que essas orientações não deveriam servir para diagnosticar “quem vai e quem fica” na escolaridade; pois, ao reter uma criança, necessariamente, não garantimos que ela tenha mais chances de se alfabetizar no ano seguinte.” Pacto, Ano 3, Unidade Resolução SEE 2197/2012: Progressão Continuada, com aprendizagem, nos Ciclos da Alfabetização e Complementar

29 Um Convite... “Nós vos pedimos com insistência: Não digam nunca - Isso é natural: Sob o familiar, Descubram o insólito. Sob o cotidiano, desvelem O inexplicável Que tudo o que é considerado habitual Provoque inquietação. Na regra, descubram o abuso, E sempre que o abuso for encontrado, Encontrem o remédio.” Bertold Brecht 29

30 Ninguém dá o que não tem. Ninguém dá aquilo em que não acredita. Entre estar SENSIBILIZADO e estar COMPROMETIDO o caminho pode ser longo. Há uma distância entre estas duas atitudes – pequena ou grande, tudo depende de você. Obrigada! Fite SIF/SEE


Carregar ppt "Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Superintendência de Desenvolvimento da Educação Infantil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google