A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Música Brasileira 1ª Metade do Século XX. Samba  Como gênero musical é entendido como uma expressão musical urbana do Rio de Janeiro, onde esse formato.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Música Brasileira 1ª Metade do Século XX. Samba  Como gênero musical é entendido como uma expressão musical urbana do Rio de Janeiro, onde esse formato."— Transcrição da apresentação:

1 Música Brasileira 1ª Metade do Século XX

2 Samba  Como gênero musical é entendido como uma expressão musical urbana do Rio de Janeiro, onde esse formato nasceu e se desenvolveu entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX. Foi no Rio de Janeiro, antiga capital do Brasil, que a dança praticada pelos escravos libertos entrou em contato e incorporou outros gêneros musicais tocados na cidade, como a polca, o maxixe, o lundu, o xote, entre outros, adquirindo um caráter totalmente singular. Desta forma, ainda que existissem diversas formas regionais de samba em outras partes do país, samba carioca urbano saiu da categoria local para ser alçado à condição de símbolo da identidade nacional brasileira durante a década de 1930.

3 Origens do Samba Moderno Um marco dentro do samba ocorreu em 1917, com a gravação em disco de "Pelo Telefone", considerado o primeiro samba a ser gravado na Brasil. A canção tem a autoria reivindicada por Ernesto dos Santos, mais conhecido como Donga, com co-autoria atribuída a Mauro de Almeida, um então conhecido cronista carnavalesco. Na verdade, "Pelo Telefone" era uma criação coletiva de músicos que participavam das festas da casa de tia Ciata, mas acabou registrada por Donga e Almeida na Biblioteca Nacional. "Pelo Telefone" foi a primeira composição a alcançar sucesso com a marca de samba e contribuiria para a divulgação e popularização do gênero. A partir daquele momento, esse samba começou a ser difundido pelo país, inicialmente ligado ao carnaval e posteriormente adquirindo um lugar próprio no mercado musical. Surgiram muitos compositores como Heitor dos Prazeres, João da Baiana, Pixinguinha e Sinhô.

4 A Turma do Estácio Criadores do formato definitivo do samba urbano carioca, onde surgiria a Deixa Falar, a primeira escola de samba brasileira. A primeira a desfilar no carnaval carioca ao som de uma orquestra de percussões formada por surdos, tamborins e cuícas, aos quais se juntavam pandeiros e chocalhos (bateria). Formada por alguns compositores do bairro do Estácio, com destaque para Ismael Silva, atraiu os filhos da classe média, como o ex-estudante de direito Ary Barroso e o ex-estudante de medicina Noel Rosa. Outra mudança foi a valorização das segundas partes da letra e música das composições. Em lugar da típica improvisão das rodas de samba (partido-alto), houve a a consolidação de sequências preestabelecidas, que teriam um tema: o cotidiano carioca, o amor e a possibilidade de se encaixar tudo dentro dos padrões de gravações fonográficas da época, de 78 rpm.

5 Samba Exaltação Gênero incentivado por Getúlio Vargas, o qual patrocinava apresentações públicas de intérpretes populares desse samba em eventos badalados - como o "Dia da Música Popular" e a "Noite da Música Popular". O Teatro Municipal do Rio de Janeiro passou a receber artistas renomados do samba. Em uma ação para promover o estilo como produto genuinamente "nacional", as transmissões radiofônicas oficiais incumbiam-se de levar o samba carioca urbano ao exterior. A ideologia do Estado Novo ajudou a retirar a imagem de marginalidade samba carioca, associada "como antro de malandros e desordeiros". O DIP procurava coagir compositores a abandonarem a temática da malandragem nos seus sambas, através de políticas de aliciamento ou na base da censura.

6 Samba Exaltação O samba-exaltação caracterizava-se por composições em exaltação ao trabalho, como na notória letra de "O Bonde São Januário", parceria de Ataulfo Alves com o "malandro consagrado" Wilson Batista, (sucesso do carnaval de 1941) ou ao país como "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso, gravada por Francisco Alves em 1939, e que se transformou no primeiro sucesso musical brasileiro no exterior. Apesar da atuação do Estado na cooptação de sambistas, havia compositores que tentavam driblar o poder censório ditatorial, com letras carregadas de sutilezas e ironias (como em "Recenseamento", de Assis Valente, que embora pareça reproduzir o discurso de exaltação ao "Brasil grande e trabalhador", desmonta os argumentos oficiais).

7 Os anos 50 e a Bossa Nova ● Origem → Zona sul do Rio de Janeiro e no seio da Classe Média. ● Destaques → João Gilberto, Tom Jobim e João Donato.

8 Tom Jobim e João Gilberto

9 ● Características → Novo samba: Mistura de música brasileira e influência do jazz norte-americano.

10 Racha na Bossa Nova ●“Participantes” (Geraldo Vandré e Nara Leão) X “Alienados” (T. Jobim e J. Gilberto)

11 O Episódio do Festival de Música em 1968

12 A Jovem Guarda e os anos 60 ● Forte influência da Beatlemania → Típica manifestação pop de massa. ● Forte apoio da mídia (TV) → Primeiros ídolos “jovens” do Brasil

13 Contexto da Jovem Guarda ● Movimento musical brasileiro que não sofreu perseguição da censura durante o regime militar.

14 Tropicalismo ● Movimento de Vanguarda → Mistura de manifestações tradicionais e inovações estéticas radicais

15 Destaques do Tropicalismo

16 Discografia Tropicalista.'Tropicália ou Panis et Circencis' - Mutantes – 1968.'Caetano Veloso' - Caetano Veloso – 1968.'Expresso 2222' - Gilberto Gil – 1972.'Transa' - Caetano Veloso – 1972.'Gal Costa' - Gal Costa – 1969.'Tom Zé' - Tom Zé – 1970.'A Banda Tropicalista do Duprat' - Rogério Duprat – 1968.'Doces Barbaros' - Gil, Caetano, Gal e Bethania

17 Os anos 70 e a Repressão Musical ● A Censura no Regime Militar → Lei de Imprensa (1967), AI-5 (1968) e Lei de Segurança Nacional (1969).

18 Teatro Brasileiro ● Os Centros Populares de Cultura (CPC) → Teatro engajado politicamente. ● Duramente reprimido pela ditadura → Famoso episódio da peça “Roda Viva”

19 O Teatro de Arena ● Destaques → Oduvaldo Viana Filho, Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri.

20 Cinema Novo ● Surge no final dos anos 50 → Contexto do fim dos estúdios Vera Cruz e em oposição ao gênero chanchada. ● Cinema engajado com a realidade sócio- política brasileira → Destaque para Glauber Rocha → “Deus e o Diabo na Terra do Sol” e “Terra em Transe”.

21

22 O Pagador de Promessas (1962) Anselmo Duarte  Principais prêmios e indicações  Oscar 1963 (EUA) → Indicado na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. Oscar  Festival de Cannes 1962 (França) → Ganhou a Palma de Ouro. Festival de CannesPalma de Ouro Festival de CannesPalma de Ouro  Festival de Cartagena 1962 (Colômbia) → Ganhou o Prêmio Especial do Júri.  San Francisco International Film Festival 1962 (EUA) → Ganhou o Prêmio Golden Gate nas categorias de Melhor Filme e Melhor Trilha Sonora.

23 Movimento Armorial ● Fundado por Ariano Suassuna → O objetivo é criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do nordeste.

24 Movimento Manguebeat ● Surge em Recife na década de 90 → Contexto de crítica ao abandono econômico-social do mangue, da desigualdade do Recife. ● Característica principal → Representa uma mistura ritmos regionais, como o maracatu, e o rock, hip hop, funk e música eletrônica.

25 Destaques do Manguebeat


Carregar ppt "Música Brasileira 1ª Metade do Século XX. Samba  Como gênero musical é entendido como uma expressão musical urbana do Rio de Janeiro, onde esse formato."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google