A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Estado totalitário deve ser o Estado da responsabilidade total. Requer de cada um o cumprimento total do seu dever perante a nação. O cumprimento total.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Estado totalitário deve ser o Estado da responsabilidade total. Requer de cada um o cumprimento total do seu dever perante a nação. O cumprimento total."— Transcrição da apresentação:

1 O Estado totalitário deve ser o Estado da responsabilidade total. Requer de cada um o cumprimento total do seu dever perante a nação. O cumprimento total desse dever sobrepõe-se ao carácter privado da existência individual. Hitler, Mein Kampf (1923)

2 É fundado na Alemanha o 1º campo de concentração. para onde eram enviados todos os suspeitos de oposição ao regime. 1933

3

4 A nossa concepção racial não acredita de forma nenhuma na igualdade. Pelo contrário, reconhece que o seu valor é mais elevado ou menos elevado. Sente assim a obrigação de favorecer a vitória do melhor e do mais forte, de exigir a subordinação dos piores e dos mais fracos. Os Arianos foram os únicos fundadores de uma humanidade superior, a que criou a civilização […] Hitler, Mein Kampf (1923)

5 1935 São publicadas as primeiras leis anti semitas.

6 Os judeus são considerados pertencentes a uma raça inferior…

7 … e inicia-se uma violenta propaganda…

8

9 Professor e alunos Judeus a serem expulsos da escola

10 Judeus não são bem-vindos

11 Alemães Defendam-se Não comprem Judeu ! … e inimiga da Alemanha Alemães Defendam-se Não comprem Judeu ! Judeus voltem para Israel

12 Perante esta intensa propaganda muitos judeus tentaram abandonar a Alemanha À espera de visto… Refugiados…

13 A 9 de Novembro de 1938, num movimento concertado, milícias Nazis atacam as lojas e bairros judeus,

14 por toda a Alemanha, Sinagogas são queimadas

15 Judeus são espancados e presos e Judeus são presos e espancados

16 …naquela que ficou conhecida como a NOITE DE CRISTAL!

17

18 Judeus presos em Munique na “Noite De Cristal”

19 Os dirigentes do Nacional Socialismo prometiam acabar com a falta de trabalho e a miséria dos seis milhões de desempregados alemães e eu acreditei neles. Acreditei que unissem o povo alemão e ultrapassassem as dificuldades resultantes do Tratado de Versalhes […]. Em Março de 1933, tinha então 17 anos, entrei para a Juventude Hitleriana. Hitler conseguiu comunicar-nos o seu fanatismo […] e nós não nos dávamos conta de que se ia a pouco e pouco apagando a fronteira entre o Bem e o Mal […]. O mais horrível é que não eram gangsters nem brutos, mas homens normais, bem dotados de espírito e alma, aqueles que se puseram ao serviço de um mal sem limites.

20 Os judeus passam a ter que andar identificados com uma estrela amarela

21 e a ter que prestar trabalhos forçados

22 Multiplicam-se os campos de concentração …

23 … para onde para além dos opositores políticos,

24 … são enviados os criminoso comuns. Os criminosos de ascendência ariana recebiam frequentemente privilégios especiais nos campos e poder sobre outros prisioneiros.

25 É criado um complexo sistema de identificação

26 O púrpura aplicava-se a todos os objectores de consciência por motivos religiosos, por exemplo, as Testemunhas de Jeová Foram internados em campos de concentração entre a testemunhas de Jeová. Cerca de 1400 morreram. Muitos outros foram executados por se recusarem servir o exército alemão

27 Alemães de descendência africana e imigrantes. Foram usados, por exemplo, pelos prisioneiros Espanhóis que se exilaram em França a seguir à derrota na revolução Espanhola, e que mais tarde foram deportados para a Alemanha considerados como apátridas.

28 A perda do orgulho racial

29 Ciganos De aproximadamente um milhão de ciganos que viviam na Europa foram mortos cerca de

30 homossexuais. Cerca de foram internados em campos de concentração

31 lésbicas e mulheres "anti-sociais". (alcoólatras, grevistas, feministas) e deficientes.

32 “O conceito moral e religioso da vida exige o prevenção da transmissão de uma hereditariedade doente”

33 Propaganda à eutanásia Os deficientes eram considerados uma impureza da raça e como tal tinham de ser exterminados ou esterilizados.

34

35 O nosso ponto de partida não é o indivíduo: não subscrevemos a perspectiva que se deva alimentar os famintos, dar água a quem tem sede ou vestir os despojados… Os nossos objectivos são diferentes: Devemos ter uma população saudável de modo a prevalecer no mundo Joseph Goebbels, 1938

36 Em Março de 1939 a Alemanha invade a Checoslováquia e a 1 de Setembro a Polónia. 1939

37 "Ainda Varsóvia acabava de se render, logo começou o grande gáudio dos vencedores, o prazer incomparável dos conquistadores – a caça aos judeus. Após o rápido, grandioso triunfo, aos soldados alemães, exuberantes e compreensivelmente desejosos de aventura, apareciam, completamente surpresos, inúmeros indivíduos orientais, ou de aspecto aparentemente oriental, com longas faixas de cabelo nas têmporas, e com fartas barbas. Exóticas eram também as suas roupas: pretas e sem ornamentos... Os jovens soldados (alemães) viram pois pela primeira vez nas suas vidas judeus ortodoxos. Os soldados podiam agora também gozar de uma satisfação inconsciente. Pois se em casa, não conseguiam distinguir visualmente os judeus dos alemães de “raça pura”, os “arianos”, aqui eles podiam finalmente ver aqueles que só conheciam das caricaturas dos jornais alemães,....

38 Em Outubro de 1940 muros são levantados isolando um bairro para onde os Judeus são obrigados a mudar-se. É o guetto de Varsóvia

39 Ao guetto de Varsóvia seguir-se-ão outros espalhados por toda a Europa

40

41

42 “Cada alemão que vestisse um uniforme e tivesse uma arma podia, em Varsóvia, fazer com um judeu o que quisesse. Podia obrigá-lo a cantar, a dançar, ou a fazer nas calças, ou a ajoelhar-se perante ele rogando pela sua vida. Podia abatê-lo repentinamente ou matá-lo de forma mais lenta. Podia ordenar a uma judia que se despisse, que limpasse o passeio com a sua roupa interior e depois que urinasse em frente de toda a gente. Ninguém estragou o divertimento aos alemães que se entregavam a estes passatempos, ninguém os impediu de maltratar e matar os judeus, ninguém os chamou à responsabilidade."

43 Diariamente judeus eram obrigados a cavar profundas covas e depois executados.

44 Ou gaseados com os tubos de escape nas traseiras de camiões

45 Mas estas soluções causavam impacto negativo na moral das tropas alemãs e havia que encontrar outras mais eficazes. Em Janeiro de 1942 é ouvida pela 1ª vez a expressão : SOLUÇÃO FINAL

46 Ainda em Janeiro 1942 os Alemães começam a deportar os judeus do guetto de Varsóvia

47 A 19 de Abril os soldados Alemães tentam entrar no guetto mas deparam- se com uma feroz resistência. Com o pouco que tinham os Judeus haviam-se organizado.

48 4 dias depois, a 23 de Abril, conseguem vencer a resistência e entrar finalmente no guetto

49 Todos os sobreviventes são presos e deportados

50

51 Na primavera de 1942 por toda a Europa judeus são amontoados em comboios de mercadorias.

52 Estava em curso a operação REINHEART. Iniciara-se o extermínio sistemático dos Judeus com vista à SOLUÇÃO FINAL.

53 As condições de transporte eram tais que muitos chegavam ao destino mortos, desidratados ou sufocados.

54 “Havia um lugar chamado rampa onde os comboios com judeus paravam. Chegavam de dia e de noite, algumas vezes um por dia e às vezes 5 por dia…. Constantemente pessoas do coração da Europa estavam a desaparecer e chegavam ao mesmo lugar com a mesma ignorância do destino do transporte anterior… e aquela multidão de pessoas … eu sabia que num par de horas … 90% morreria gaseada.” Sobrevivente Judeu que trabalhou em Aushwitz

55

56 Comandei Auschwitz desde 1 de Dezembro de 1943 e calculo que, pelo menos, dois milhões e meio de pessoas foram mortas nas câmaras de gás e outro meio milhão morreu de fome e doenças […] Este número representa setenta a oitenta por cento de todos aqueles que eram enviados para Auschwitz pois o resto foi destinado a trabalhar [...]Em Auschwitz trabalhavam dois médicos das SS que examinavam todos os que chegavam ao campo[…]. Os aptos para o trabalho ficavam no campo enquanto que os outros eram directamente enviados para as câmaras. As crianças de curta idade eram sempre mandadas para a morte, visto que não podiam trabalhar […] Declaração de Rudolf Hess no julgamento de Nuremberga, 1946

57

58

59 O gás Ziclon B

60

61 Queríamos que toda a operação fosse mantida em segrado, mas o cheiro originado pela incineração dos cadáveres inundava toda a região Declaração de Rudolf Hess no julgamento de Nuremberga, 1946

62

63

64

65

66 Para além da fome e frio, das doenças e dos trabalhos pesados os prisioneiros deparavam-se muitas vezes com torturas brutais.

67 Ou serviam de cobaias em experiências efectuadas pelos médicos

68 Cerca de civis polacos morreram nos campos de concentração como resultado da tentativa Nazi de acabar com os lideres polacos POLACOS

69 SOVÉTICOS

70 Rudolf Vrba, who worked in Auschwitz “Ouvimos uma voz a gritar repetindo as mesmas palavras em Inglês e alemão : hello, Hello, somos soldados Britânicos e viemos para vos libertar. Estas palavras ainda me soam nos ouvidos”

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88

89

90

91

92

93

94

95 Alemanha ÁustriaHungria Polónia Checoslováquia Croácia Aushwitz Majdanek Sobibór Belzec Treblinka Chelmno Jasenovac Maly Trostinet Maiores rotas de deportação Campos de concentração Cidades com Guettos Maiores Massacres Campos de extermínio Roménia Bulgária

96 É certo que hoje todo o Alemão honesto se sente envergonhado do seu Governo. Quem entre nós tinha alguma noção das dimensões da vergonha que cairia sobre nós e os nossos descendentes quando um dia o véu caísse dos nossos olhos e o mais horrível dos crimes chegasse à luz do dia? White Rose

97 Montado por: Maria João Gama


Carregar ppt "O Estado totalitário deve ser o Estado da responsabilidade total. Requer de cada um o cumprimento total do seu dever perante a nação. O cumprimento total."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google