A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Coordenadora: Professora Josandra Araújo Barreto de Melo. Professora: Ana Bandeira. Bolsistas:Nivaldo Silva.Daniela Santana. Nathália Rocha. José Márcio.Leomar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Coordenadora: Professora Josandra Araújo Barreto de Melo. Professora: Ana Bandeira. Bolsistas:Nivaldo Silva.Daniela Santana. Nathália Rocha. José Márcio.Leomar."— Transcrição da apresentação:

1

2 Coordenadora: Professora Josandra Araújo Barreto de Melo. Professora: Ana Bandeira. Bolsistas:Nivaldo Silva.Daniela Santana. Nathália Rocha. José Márcio.Leomar Rocha.

3 ORIENTAÇÕES CURRICULARES PARA O ENSINO MÉDIO Ciências Humanas e suas Tecnologias

4  Desenvolvimento da proposta: apontar e desenvolver indicativos que pudessem oferecer alternativas didático-pedagógicas que atendessem às necessidades e às expectativas das escolas e dos professores na estruturação do currículo para o ensino médio.  Os atuais marcos legais para oferta do ensino médio, consubstanciados na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (nº. 9394/96).

5 Dois aspectos merecem destaque:  Atribuições para ensino médio: o aprimoramento do educando como ser humano, sua formação ética, desenvolvimento de sua autonomia intelectual e de seu pensamento crítico.  O segundo propõe a organização curricular: base nacional comum, superação da organização do currículo por disciplinas, integração e articulação dos conhecimentos em processo de interdisciplinaridade, proposta pedagógica elaborada e executada pelos estabelecimentos de ensino, com a participação dos docentes.

6  Preparar o aluno para: localizar, compreender e atuar no mundo complexo, problematizar a realidade, formular proposições, pensar e atuar criticamente em sua realidade.

7  Objetivos: da Geografia no ensino médio é a organização de conteúdos que permitam ao aluno realizar aprendizagens significativas.  A escola e o professor devem, a partir do objetivo geral da proposta pedagógica adotada pela instituição e dos parâmetros que norteiam a Geografia enquanto ciência e enquanto disciplina escolar, definir os objetivos específicos que, a título de referência, podem ser assim detalhados:

8

9  Reconhecer as dimensões de tempo e espaço na análise geográfica.  Identificar os fenômenos geográficos expressos em diferentes linguagens.  Compreender o papel das sociedades no processo de produção do espaço, do território, da paisagem e do lugar.  Capacidade de diagnosticar e interpretar os problemas sociais e ambientais da sociedade contemporânea.

10

11  Um dos grandes desafios de um professor de Geografia é selecionar os conteúdos e criar estratégias de como proceder nas escolhas dos temas a serem abordados em sala, ou seja, como articular a teoria e a prática.  O professor tem papel importante no cotidiano escolar e é insubstituível no processo de ensino–aprendizagem, criando condições para que o aluno adquira a capacidade para analisar sua realidade para o ponto de vista geográfico.  CAVALCANTE (2002), destaca que o processo de formação de professores visa o desenvolvimento de uma competência crítica- reflexiva que lhes forneça meios de pensamento autônomo, que facilite as dinâmicas de auto formação que permita a articulação entre a teoria e a prática de ensino. O que é ser professor de Geografia nos dias atuais?

12 Desse modo:  É necessário um repensar no que se ensina, e o que se aprende, para que a atuação prática promova a interação entre o saber aprendido na universidade, com os conteúdos a serem aplicados em sala de aula. É oportuno lembrar que a prática docente adquire qualidade quando existe a produção do saber.  Participar de um processo de construção de conceitos e saberes.  Pensar e planejar a sua prática, quer seja individual, quer seja coletiva.

13 LLonge de ser a única possibilidade de trabalho, o livro didático é um instrumento que utilizado como complemento do projeto político-pedagógico da escola, acaba por promover a reflexão e a autonomia dos educandos. PPropor novas situações de aprendizagem que se reverenciem em resoluções de problemas em perspectiva disciplinar.

14  Para esta reflexão cabe, portanto, breves considerações sobre o significado do projeto político-pedagógico no currículo escolar.  O projeto político-pedagógico da escola como um documento de referencia básica deve ser construído de forma cooperativa, envolvendo todos os agentes do cotidiano escolar. Deve expressar a complexidade característica do ambiente escolar – considerando seus aspectos físicos, os diferentes segmentos sociais e procedimentos pedagógicos, além de planejar as ações de curto, médio e longo prazo, e que sejam promovidas as necessárias revisões e atualizações do projeto.

15  O projeto político-pedagógico vai alem de um simples agrupamentos de planos de ensino e de atividades diversas: é construído e vivenciado, em todo o processo educativo da escola. ( Veiga, 2003.p. 13).  O papel da geografia no projeto político-pedagógico da escola, assim como das demais disciplinas, é sua inserção como componente curricular que tem o planejamento contextualizado, atendendo aos princípios gerais e a explicitação de regras básicas.  Uma vez estabelecido as bases intelectuais para o desenvolvimento do trabalho na escola, algumas práticas pedagógicas podem ser sugeridas para possibilitar a obtenção de bons resultados das atividades docentes. Com base nisso sugere-se as preposições de situações problematizadoras da realidade, a partir de temáticas capazes de mobilizar os estudantes para desencadear os processos de aprendizagem significativos e relevantes.

16

17 • Os PCN’s para a geografia buscam articular o diálogo entre didática (pensar pedagógico) e a epistemologia (pensar geográfico); • Tornar o conhecimento geográfico mais significativo para compreender o mundo; • Princípios filosóficos, metodológicos e pedagógicos fundamentam a educação geográfica.

18  Avanços verificados na Geografia escolar a partir da década de 70;  Porém, para uma parcela dos docentes, a preocupação ainda se centra nas informações estatísticas e descrições que reforçam um ensino mnemônico;  Participação discreta na estruturação do currículo escolar;

19

20  Práticas cotidianas ajudam a construir os conceitos geográficos e cartográficos;  Exercitar a interdisciplinaridade (diversidade de fontes e de linguagens);  Mais precisão na localização e definição dos espaços;  O saber geográfico permite ao aluno conhecer o significado da cidadania e, desta forma, exercitar o seu direito de interagir na organização espacial;

21 As orientações curriculares com temas geográficos objetivam que o aluno:  Aprenda a ler mapas;  Conheça a simbologia das legendas;  Organize e hierarquize fenômenos;  Perceba os detalhes da relação cidade e campo. Dimensão local, regional, nacional ou global devem ser consideradas para entender as mudanças que ocorrem em diferentes lugares.

22 “É fundamental que se considere que a aprendizagem é um processo do aluno, e as ações que se sucedem devem necessariamente ser dirigidas à construção do conhecimento por esse sujeito ativo.” (CALLAI, 2002, p ).  O espaço reflete as condições naturais de sua formação manifestando-se em diversas formas dependendo da maneira como o ser humano usa tal espaço por meio de seus processos sociais, culturais econômicos...

23  É preciso saber ler o mundo para compreender a realidade e entender o contexto em que as relações sociais se desenvolvem.  Portanto, a partir do cotidiano os alunos perceberão os diversos lugares que compõem a Geografia, ampliando a dimensão limitada que às vezes se tem dela.

24

25 Sobre Conteúdos e Metodologias no Ensino de Geografia Os conceitos cartográficos (escala, legenda, alfabetos cartográfico) e os geográficos (localização, natureza, sociedade, paisagem, região, território e lugar) podem ser construídos a partir das práticas cotidianas.

26 Apoio nas Aulas de Geografia  Linguagens cartográficas, textual, cênica e o uso das tecnologias.

27 Compreender a Geografia Local  Lugar;  Paisagem;  Os fluxos de pessoas e mercadorias;  Áreas de lazer;  Espaço urbano e rural.

28 Para a análise dos fenômenos Geográficos, é importante, considerar a dimensão, local, regional, nacional e global.

29 Os Conceitos Estruturantes para o Ensino de Geografia

30

31 ... Ao construir o conceito, o aluno vai confrontar seus pontos de vista resultantes do senso comum e os conhecimentos científicos...

32

33 Estabelecendo conexão entre conceitos e conteúdos  A Geografia é uma ciência dinâmica;  Torna-se necessário articular seus conteúdos com os de outras disciplinas (Interdisciplinaridade);  Buscar tornar o conteúdo de Geografia mais significativo para o aluno;

34 Trabalhar com eixos temáticos que podem estar relacionados com as especificidades locais; estes podem ser estruturados da seguinte forma:  Formação territorial brasileira;  Estrutura e dinâmica de diferentes espaços urbanos e o modo de vida na cidade, o desenvolvimento da Geografia Urbana mundial;  O futuro dos espaços agrários, a globalização modernização da agricultura no período técnico-científico informacional e a manutenção das estruturas agrárias tradicionais como forma de resistência;

35  Organização e distribuição mundial da população, os grandes movimentos migratórios atuais e os movimentos socioculturais e étnicos, as novas identidades territoriais;  As diferentes fronteiras e a organização da Geografia política do mundo atual, estado e organização do território;  As questões ambientais, sociais e econômicas resultantes dos processos de apropriação dos recursos naturais em diferentes escalas, grandes quadros ambientais do mundo e sua conotação geopolítica;  Produção e organização do espaço geográfico e mudanças nas relações de trabalho, inovações técnicas e tecnológicas e as novas Geografias, a dinâmica econômica mundial e as redes de comunicação e informações.

36

37 O futuro dos espaços agrários, a globalização a modernização da agricultura no período tecnico-cientifico informacional e a manutenção das estruturas agrárias tradicionais como forma de resistência.  A modernização do campo;  As populações tradicionais.

38 Organização e distribuição mundial da população, os grandes movimentos migratórios atuais e os movimentos socioculturais e étnicos, as novas identidades territoriais.  Organização, distribuição e apropriação do espaço como uso para viver e produzir;  Aceitação da diversidade e do multiculturalismo.

39 As diferentes fronteiras e a organização da Geografia política do mundo atual, estado e organização do território.  O Estado possibilitador ou cerceador!?  Definidor de fronteiras.

40 As questões ambientais, sociais e econômicas resultantes dos processos de apropriação dos recursos naturais em diferentes escalas, grandes quadros ambientais do mundo e sua conotação geopolítica.  Ciência geográfica;  “aldeia global”; o Escalas de Globalização;  Mundial;  Nacional;  Regional e Local.

41 Produção e organização do espaço geográfico e mudanças nas relações de trabalho, inovações técnicas e tecnológicas e as novas Geografias, a dinâmica econômica mundial e as redes de comunicação e informações.  O trabalho;  Revolução científico-tecnológica;  Novas relações.

42 Avaliação  Superar os tradicionais exames escolares;  Singularidade do aluno;  Ferramenta de orientação não de coesão;

43 Leitura e escrita  Verificação da Aprendizagem  Capacidade de observação;  Descrição e análise dos espaços.

44 Referências: CALLAI, Helena Copetti. Estudar o lugar para compreender o mundo. In: CASTROGIOVANNI, Antonio Carlos et. Alii (org.). Ensino de Geografia, prática e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Editora Mediação, 2004, p CAVALCANTI, Lana de Souza. Geografia e práticas de ensino. Goiânia: Editora Alternativa, LACOSTE, Yves. A Geografia – Isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. 17 ed. São Paulo: Editora Papirus, 2010.


Carregar ppt "Coordenadora: Professora Josandra Araújo Barreto de Melo. Professora: Ana Bandeira. Bolsistas:Nivaldo Silva.Daniela Santana. Nathália Rocha. José Márcio.Leomar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google