A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Teleconferência de Resultados 2º Trimestre de 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Teleconferência de Resultados 2º Trimestre de 2013."— Transcrição da apresentação:

1 Teleconferência de Resultados 2º Trimestre de 2013

2 Destaques  Crescimento de 2,5% no consumo total em comparação ao 2T12, influenciado pelo aumento do consumo nos segmentos comercial e industrial, que cresceram 5,1% e 4,1%, respectivamente;  A arrecadação no trimestre alcançou 104,2% do faturamento, 0,3 p.p. acima do 2T12;  As perdas não-técnicas/mercado BT, dos últimos 12 meses, foram de 44,2%, representando uma redução de 0,7 p.p. em relação a março de 2013;  No semestre, os investimentos totalizaram R$ 326,7 milhões, sendo R$ 272,8 milhões no negócio de distribuição de energia. OPERACIONAIS  Aumento de 2,6% na Receita Líquida (sem receita de construção), que atingiu R$ 1.670,9 milhões no 2T13;  O EBITDA consolidado do trimestre foi de R$ 277,9 milhões, 8,9% superior ao alcançado no 2T12, como consequência do aumento da participação da atividade de geração. Ajustado pelo ativo regulatório (CVA), totalizou R$ 397,2 milhões, 20,1% acima do montante do 2T12;  Lucro Líquido de R$ 58,2 milhões no 2T13, com aumento de 46,2% em comparação ao 2T12. Ajustado pela CVA, totalizou R$ 136,9 milhões, 52,5% acima do montante do 2T12;  Dívida Líquida fechou em R$ 4.056,1 milhões, com múltiplo para efeito de covenants em 2,62x. FINANCEIROS  Foi aberta, pela Aneel, audiência pública para discussão da proposta preliminar de Revisão Tarifária da Light SESA, com reunião presencial em 13/09, no Rio de Janeiro; REGULATÓRIO

3 Consumo de Energia Distribuição - Trimestre +2,5% ,5ºC 23,2ºC 2T T10 22,7ºC +2,6% 1 Nota: Em razão de preservar a comparabilidade com o mercado homologado pela Aneel no processo de Revisão Tarifária, foi desconsiderada a energia medida dos clientes livres: Valesul, CSN e CSA, tendo em vista a planejada saída desses clientes para a Rede Básica. MERCADO TOTAL (GWh) ¹ 2T122T13 Outros Cativos 15,1% Comercial 29,6% Residencial 33,4% Industrial 5,8% Livre 16,0%

4 Consumo de Energia Distribuição - Semestre +3,1% ,2ºC 25,1ºC 1S S10 25,1ºC 25,5ºC +2,0% 1 Nota: Em razão de preservar a comparabilidade com o mercado homologado pela Aneel no processo de Revisão Tarifária, foi desconsiderada a energia medida dos clientes livres: Valesul, CSN e CSA, tendo em vista a planejada saída desses clientes para a Rede Básica. MERCADO TOTAL (GWh) ¹ Considerando o consumo que deixou de ser faturado pela mudança de critério, o aumento no consumo total de energia na área de concessão seria de 3,4% na comparação contra 1S12. 1S121S13 Outros Cativos 14,7% Comercial 29,5% Residencial 35,7% Industrial 5,7% Livre 14,4%

5 +2,5% Mercado Total RESIDENCIAL INDUSTRIAL COMERCIAL OUTROS TOTAL 2T122T ,6% ,1% ,1% CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA (GWh) MERCADO TOTAL - TRIMESTRE 2T122T13 2T122T13 2T122T13 2T122T13 4,1% LIVRE CATIVO

6 +3,1% Mercado Total RESIDENCIAL INDUSTRIAL COMERCIAL OUTROS TOTAL 1S121S ,2% ,5% ,8% CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA (GWh) MERCADO TOTAL - SEMESTRE 1S121S13 1S121S13 1S121S13 1S121S13 0,2% LIVRE CATIVO

7 Arrecadação TAXA DE ARRECADAÇÃO 12 MESES TAXA DE ARRECADAÇÃO POR SEGMENTO TRIMESTRE 2T122T13 98,2% 99,5% Jun/12Jun/13 103,9% 104,2% 105,0% 104,5% 100,1% 101,8% 107,4% 108,1% Total Varejo Grande ClientesPoder Público

8 Arrecadação TAXA DE ARRECADAÇÃO 12 MESES TAXA DE ARRECADAÇÃO POR SEGMENTO SEMESTRE 1S121S13 98,2% 99,5% Jun/12Jun/13 99,3% 102,5% 98,0% 102,0% 99,7% 103,4% 104,0% 102,5% Total Varejo Grande ClientesPoder Público

9 Combate às Perdas INCORPORAÇÃO GWh 1S131S12 69,4 50,4 +37,6% RECUPERAÇÃO DE ENERGIA GWh 1S13 1S12 35,6 35,3 EVOLUÇÃO DAS PERDAS (12 Meses) 43,1% 42,2% 32,4% % Perda Não Técnica/ Mercado BT Perda Não Técnica GWh Perda Técnica GWh % Perda Não Técnica/ Mercado BT - Regulatória ,2% +1,0% Dez/12 Mar/13 45,4% Jun/ Set/12 44,9% Jun/

10 Ações de Combate a Perdas Resultados obtidos até junho/13 Área de Perda Zero (APZ)Comunidades Pacificadas Redução média de perdas: 26,0 p.p. Aumento médio na arrecadação: 7,0 p.p. Redução média de perdas: 51,8 p.p. Aumento médio na arrecadação: 80,4 p.p.

11 Receita Líquida Industrial 5,5% RECEITA LÍQUIDA (R$MM) Geração 7,4% Distribuição 83,1%** RECEITA LÍQUIDA POR SEGMENTO (2T13)* Comercialização 9,5% * Não considera eliminações ** Não considera Receita de Construção RECEITA LÍQUIDA DISTRIBUIÇÃO (2T13) Comercial 30,0% Outros (Cativo) 12,7% Uso da Rede (TUSD) (Livres + Concessionárias) 9,7% Residencial 42,1% Receita de Construção Receita sem receita de construção 2T13 2T12 +3,2% 1.846, ,1 162, , ,9 175,6 +4,8% 3.389, ,0 332,8 299, , ,8 +2,6% +4,2% 1S13 1S12

12 Custos e Despesas Operacionais Gerenciáveis (distribuição): R$ 358,4 (22,4%) Geração e Comercialização: R$ 207,9 (13,0%) Não gerenciáveis (distribuição): R$ 1.036,6 (64,7%) *Não considera eliminações ** Não considera custo de construção CUSTOS GERENCIÁVEIS DA DISTRIBUIDORA (R$MM) CUSTOS (R$MM)* 2T13 322,6 358,4 +11,1% 2T13 2T12 R$ MM2T122T13Var.1S121S13Var. PMSO169,9202,319,0%337,6386,314,4% Provisões84,066,6-20,7%170,5111,8-34,4% PCLD72,248,4-33,0%133,877,4-42,1% Contingências11,818,254,2%36,734,4-6,3% Depreciação67,983,823,6%143,6164,514,6% Outras Rec./Desp. Operacionais 0,85,7567,2%4,112,9219,2% Total322,6358,411,1%655,7675,53,0% 1S13 1S12 655,7 675,5 +3,0%

13 EBITDA EBITDA CONSOLIDADO (R$MM)EBITDA POR ATIVIDADE* 2T13 Geração 35,9% (Margem EBITDA: 75,9%) Comercialização 1,5% (Margem EBITDA: 2,5%) Distribuição 62,6% (Margem EBITDA: 11,7%) *Não considera eliminações 277,9 255,1 +8,9% 2T122T131S121S13 633,1 688,5 -8,0%

14 EBITDA EBITDA 2T12 EBITDA 2T13 Receita Líquida Custos Não Gerenciáveis Custos Gerenciáveis (PMSO) Provisões 76 Ativos e Passivos Regulatórios EBITDA Ajustado 2T12 EBITDA Ajustado 2T (33) (6) 0, EBITDA Ajustado– 2T12 / 2T13 (R$ MM) +20,1% +8,9% Outras Receitas Operacionais 17 Equiv. Patrimonial 278

15 EBITDA EBITDA 1S12 EBITDA 1S13 Receita Líquida Custos Não Gerenciáveis Custos Gerenciáveis (PMSO) Provisões 74 Ativos e Passivos Regulatórios EBITDA Ajustado 1S12 EBITDA Ajustado 1S (191) (1) EBITDA Ajustado– 1S12 / 1S13 (R$ MM) +12,0% -8,0% Outras Receitas Operacionais 59 Equiv. Patrimonial 633 (52) (13)

16 Lucro Líquido 2T12 2T13 EBITDAResultado Financeiro ImpostosOutros LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO 2T12 / 2T13 (R$ MM) Ativos e Passivos Regulatórios LL Ajustado 2T12 LL Ajustado 2T13 +46,2% (14) (16) ,5%

17 Lucro Líquido 1S12 1S13 EBITDAResultado Financeiro ImpostosOutros LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO 1S12 / 1S13 (R$ MM) Ativos e Passivos Regulatórios LL Ajustado 1S12 LL Ajustado 1S13 -23,9% (55) 16 (20) ,6%

18 Endividamento Prazo médio: 4,2 anos AMORTIZAÇÃO* (R$ MM) Custo Nominal Custo Real Jun/13 Mar/ ,1 EVOLUÇÃO DÍVIDA LÍQUIDA¹ Sem fundo de pensão 2,73 2,62 * Inclui Hedge * Somente principal EVOLUÇÃO DO CUSTO DA DÍVIDA Jun/13 2,24% 8,21% 4,87% 11,08% 4,25% 11,03% 2012 Dívida Líquida / EBITDA (cálculo covenants) ,84% 2,40% Reclassificado para refletir desconsolidação dos resultados das empresas controladas em conjunto pela Light ,4 TJLP 15,6% CDI 72,4% IPCA 10,1% Outros 1,5% U$/Euro 0,5%

19 Investimentos INVESTIMENTOS (R$ MM) 1S13 Geração 7,1 Administração 13,7 Outros 5,2 Reforço da rede e expansão 175,0 Combate às Perdas 92,6 Investimentos em Ativos Elétricos (Distribuição) Comerc./ Eficiência Energética 33, ,8 928,6 700, ,8 694,1 102,7 446,9 116,9 518,8 181,8 774,8 153,8 1S13 1S12 302,3 272,8 26,0 53,9 328,4 326,7 -0,5%

20 Revisão Tarifária Proposta preliminar - principais pontos: 1)Base de Remuneração: • Base de Remuneração Bruta: R$ • Base de Remuneração Líquida: R$ )Perdas Não-Técnicas Regulatórias: • Ponto de partida : 31,82% • Trajetória de redução: 1,195 p.p. Grupo de Trabalho da Aneel iniciado em 07/08, com prazo de 30 dias Próximos passos: 13/set - Realização de Audiência Pública presencial 03/out - Aneel encaminha nova proposta consolidada para concessionária e representantes dos consumidores (estimativa) 29/out - Reunião de diretoria da Aneel (estimativa) 07/nov - Data da Revisão Tarifária Periódica

21 Aviso Importante Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com a sua experiência e o ambiente econômico e nas condições de mercado e nos eventos futuros esperados, muitos dos quais estão fora do controle da Companhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e as declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros incluem a estratégia de negócios da Companhia, as condições econômicas brasileira e internacional, tecnologia, estratégia financeira, desenvolvimentos da indústria de serviços públicos, condições hidrológicas, condições do mercado financeiro, incerteza a respeito dos resultados de suas operações futuras, planos, objetivos, expectativas e intenções, entre outros. Em razão desses fatores, os resultados reais da Companhia podem diferir significativamente daqueles indicados ou implícitos nas declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros. As informações e opiniões aqui contidas não devem ser entendidas como recomendação a potenciais investidores e nenhuma decisão de investimento deve se basear na veracidade, atualidade ou completude dessas informações ou opiniões. Nenhum dos assessores da Companhia ou partes a eles relacionadas ou seus representantes terá qualquer responsabilidade por quaisquer perdas que possam decorrer da utilização ou do conteúdo desta apresentação. Este material inclui declarações sobre eventos futuros sujeitas a riscos e incertezas, as quais baseiam-se nas atuais expectativas e projeções sobre eventos futuros e tendências que podem afetar os negócios da Companhia. Essas declarações incluem projeções de crescimento econômico e demanda e fornecimento de energia, além de informações sobre posição competitiva, ambiente regulatório, potenciais oportunidades de crescimento e outros assuntos. Inúmeros fatores podem afetar adversamente as estimativas e suposições nas quais essas declarações se baseiam.

22 Contatos João Batista Zolini Carneiro Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luiz Felipe Negreiros de Sá Superintendente de Finanças e Relações com Investidores Gustavo Werneck Gerente de Relações com Investidores


Carregar ppt "Teleconferência de Resultados 2º Trimestre de 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google