A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Resíduos Sólidos no Japão e a Política Sobre a Reciclagem 1 Governo do Japão Ministério do Meio Ambiente Gabinete para a Promoção da Reciclagem Shigeyoshi.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Resíduos Sólidos no Japão e a Política Sobre a Reciclagem 1 Governo do Japão Ministério do Meio Ambiente Gabinete para a Promoção da Reciclagem Shigeyoshi."— Transcrição da apresentação:

1 Resíduos Sólidos no Japão e a Política Sobre a Reciclagem 1 Governo do Japão Ministério do Meio Ambiente Gabinete para a Promoção da Reciclagem Shigeyoshi Sato JICA Japan – Seminário Brasil-Japão sobre Reciclagem de Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos 12/03/2012

2 Tópicos ・ Introdução - Sistema atual de reciclagem - Histórico do Japão ・ Era da Gestão de Resíduos Sólidos ・ Era da Reciclagem ・ Panorama atual 2

3 1º. Reduzir a Produção Reduce Reduzir a produção de resíduos 2º. Reutilizar Reuse Reutilizar após sua utilização, se possível Descarte Definitivo 3º. Reciclagem Recycle O que não pode ser reutilizado é usado como recurso para a reciclagem 5 º : Descarte Definitivo Não havendo outra opção, o material é descartado definitivamente 4º. Energia Materiais que não podem ser reciclados são queimados para a produção de energia elétrica Processamento ( Reciclagem, Incineração, etc. ) Recursos Naturais Consumo/Uso Resíduos Sociedade que reduza a produção de resíduos, pelo uso/descarte correto e cíclico, diminuindo assim o consumo de recursos naturais e o impacto sobre o meio ambiente.[Lei de Promoção para Sociedade Ecologicamente Sustentável, Artigo 2º(Publicado em Junho de 2000 e validado em Janeiro de 2001)] Produção ( Fabricação, Distribuição, etc. ) Redução de entrada de recursos naturais Modelo de uma Sociedade Sustentável 3R = Redução, Reuso, Reciclagem

4 Lei de processamento de Resíduos Sólidos Lei de Incentivo à Utilização Otimizada de Recursos Naturais Lei de Incentivo à Utilização Otimizada de Recursos Naturais Embalagens Lei Básica do Meio Ambiente Planejamento Ambiental Regulamentação específica para cada tipos de materiais Vidros, garrafas PET, embalagens de papel, plásticos em geral Ar-condicionados, geladeiras, freezers, aparelhos de TV, máquinas de lavar, secadoras, outros Lei de Incentivo para Aquisição “Green” ( Produtos reciclados por iniciativa do Governo ) Madeiras, concreto, asfalto Restos de alimentos Automóveis Eletro- domésticos Construção Automóveis Proteção do Meio Ambiente físico Diminuição do consumo de recursos Diminuição do impacto ao meio ambiente Lei de Promoção para uma Sociedade Sustentável ① Redução da produção de resíduos sólidos ② Tratamento apropriado dos resíduos( inclui reciclagem) ③ Regulamentação dos locais de manejo dos resíduos ④ Regulamentação dos profissionais envolvidos ⑤ Regulamentação dos critérios de manejo, etc. ① Reciclagem dos recursos recicláveis ② Plantas que favoreçam a estrutura e os insumos para a reciclagem ③ Regulamentação para separar os resíduos ④ Incentivo à utilização de subprodutos Reduzir Reciclagem→ Reutilizar Reciclar ( 1R ) ( 3R ) Plano de Promoção p/ Soc. Sust.: Outros programas nacionais Agosto 1994 Abril 2012 Janeiro 2001 Publicado em Março de 2003 Revisado em Março de 2008 Emendado em Maio 2005 Abril 2001 Aplicado desde Maio 2001 Emendado em Junho 2007 Revisado em Abril 2001 Aplicado desde Abril 2000 Emendado em Junho 2006 Aplicado desde Maio 2002 Aplicado desde Janeiro 2005 Aplicado desde Abril 2001 Estrutura Legal para uma Sociedade Sustentável Alimentos Eletro- eletrônicos Eletro-eletrônicos em geral Promulgado em Agosto 2012

5 Ano ConteúdoLei promulgada Pós Guerra~ Anos 50 ・ Tratamento de resíduos por conta da política de saneamento ambiental ・ Manutenção de um ambiente limpo e confortável ・ Limpeza (1954) Anos 60~70 ・ Aumento de resíduos e exposição da “poluição ambiental” por causa do forte crescimento econômico ・ Tratamento de resíduos visando a política de proteção ao meio-ambiente ・ Lei de medidas emergenciais para a adaptação de instalações para ambiente de vida (1963) ・ Lei de tratamento de Resíduos Sólidos (1970) ・ Retificação da Lei de tratamento de resíduos (1976) Anos 80 ・ Evolução de instalações e tecnologia de tratamento de resíduos sólidos ・ Tratamento de resíduos envolvendo a conservação ambiental ・ Lei para o Centro de melhoria Ambiental da costa marítima (1981) ・ Lei para Fossa séptica (1983) Anos 90 ・ Controle de produção de resíduos, reciclagem ・ Criação de sistemas de reciclagem para cada tipo de material ・ Contramedida a materiais tóxicos (inclusive derivados de dioxinas) ・ Introdução de ajustes nos processos de tratamento apropriado por causa da crescente variedade de tipos e aspectos dos resíduos ・ Retificação da lei de gerenciamento de resíduos (1991) ・ Lei de adaptação das instalações para Tratamento específico de resíduos industriais (1992) ・ Lei Básica do meio ambiente (1993) ・ Lei para Reciclagem de embalagens e recipientes (1995) ・ Retificação da Lei de tratamento de resíduos (1995) ・ Lei de reciclagem de eletrodomésticos (1998) ・ Lei de medidas específicas para o tratamento de substâncias derivadas da dioxina (1999) Rec/Soc.SutentavelRec/Soc.Sutentavel Poluição Ambiental Poluição Ambiental SaneamentoSaneamento Histórico da Legislação Sustentável

6 6 Ano ConteúdoLei promulgada Anos 2000~ ・ Desenvolvimento da política do 3R visando a construção da sociedade sustentável ・ Fortalecimento das medidas para o tratamento de resíduos industriais ・ Fortalecimento da política para combater o abandono ilegal de resíduos ・ Lei básica de promoção para o Desenvolvimento de uma sociedade Sustentável (2000) ・ Lei de Reciclagem para construção civil e para alimentos (2000) ・ Retificação da lei de tratamento de resíduos (2000) ・ Medidas específicas para o tratamento de bifenilpoliclorados(PCB) – (2001) ・ Lei de reciclagem de automóvel (2002) ・ Medidas especiais para a eliminação de problemas de resíduos industriais (2003) ・ Retificação da lei de tratamento de resíduos (2003 a 2006, 2010) Rec/Soc.SutentavelRec/Soc.Sutentavel Poluição Ambiental Poluição Ambiental SaneamentoSaneamento

7 Era da Gestão de Resíduos Sólidos 7

8 ・ Ações temporárias como ”Limpar somente o lixo que está na nossa frente”, “Tampar o que está cheirando mal” ・ Nas instalações de tratamento pensava-se: ”barato que sai caro”, o mal investimento afasta o bom investimento Situação anterior dos resíduos Com essa situação, ocorreram casos de abandono ilegal e/ou tratamento inapropriado dos resíduos Como o Japão combateu o problema dos resíduos? ★ O tratamento inadequado dos resíduos na forma de abandono ilegal causa poluição do meio ambiente, refletindo no cotidiano e na saúde da população ★ Além da influência no meio ambiente, o abandono e o tratamento incorreto dos resíduos causam prejuízos econômicos degradando terrenos tornando-os inutilizáveis. Se tratado corretamente, não há a necessidade de recuperar o ambiente degradado ou sujo, evitando-se enormes gastos.

9 9Introdução  Mudanças na geração de resíduos sólidos em municípios japoneses

10 10 Era da Lei de Remoção de Resíduos ( ) Era of Dirt Removal Law  1877 Repetidos surtos graves e propagações de doenças infecciosas, como a cólera.  1900 Decretada a Lei de Remoção de Resíduos Prevenção de surtos de doenças infecciosas e garantia de um ambiente higiênico  1930 Revisão da Lei de Remoção de Resíduos Para o gradual aumento de lixo acompanhado pelo crescimento populacional nas cidades

11 11 Era da Lei de Remoção de Resíduos( )  A degradação do ambiente higiênico e repetidos surtos de cólera e outras doenças infecciosas em áreas urbanas levaram ao estabelecimento da Lei de Remoção de Resíduos  Municípios ficam obrigados de coletar o lixo em áreas públicas  O lixo coletado era levado às áreas designadas – eram queimados sujeitos à regulamentação ※ Não existiam instalações para incineração na época; as incinerações ocorriam a céu aberto  Na época, o lixo era composto basicamente por resto de alimentos ※ metais, papeis e têxteis eram coletados como objetos de valor, em vez de lixo 肥料飼料として利用 新たな廃棄物の発生 Geração de novos resíduos Usados como fertilizantes ou ração Source: Tokyo Metropolitan Government Bureau of Environment

12 12 Era da Lei de Limpeza Pública( ) Era of Public Cleaning Law  Recuperação pós-guerra  1954 Promulgação da Lei de Limpeza Pública - Com o objetivo de lidar com o grande aumento de RSU causado pelo crescimento econômico; - Porém insuficiente para controlar os resíduos das atividades econômicas

13 13 Era da Lei de Limpeza Pública( )  A Lei de Limpeza Pública foi promulgada visando combater a degradação ambiental causada pelo rápido crescimento econômico ・ O Governo foi requisitado para prover suporte tecnológico e financeiro aos municípios ao mesmo tempo que encorajavam o progresso em ciência e tecnologia ・ Os municípios ficaram totalmente responsáveis pelo manejo dos resíduos – obrigados a recolher e eliminar resíduos de uma forma bem planejada do ponto de vista higiênico em áreas sanitárias especialmente designadas. ・ As pessoas eram obrigadas a manter a sua casa e instalações limpas, inclusive o banheiro, do ponto de vista sanitário  Construção de instalações de incineração foram promovidas com subsídios do Governo. ※ Compostagem de alta velocidade foram avaliadas como outra opção, mas a incineração foi adotada como meio mais eficaz, visto a demanda por adubo e eficiência de tratamento  Alteração da composição dos resíduos – Aumento substancial em termos de % de resíduos de plásticos  Protestos como o “Not in My BackYard”(NIMBY) ocorreram frequentemente Source: Tokyo Metropolitan Government Bureau of Environment

14 14 Era da Lei da Gestão de Resíduos e Limpeza Pública(1970-) Era da Lei da Gestão de Resíduos e Limpeza Pública  Promulgação da Lei de Gestão de Resíduos e Limpeza Pública, juntamente com outras leis relacionadas ao controle da poluição  A lei foi revista várias vezes refletindo as exigências sociais  Promulgações de leis relacionadas à reciclagem

15 15 Era da Lei da Gestão de Resíduos e Limpeza Pública(1970-)  Esta lei visa assegurar as condições de vida e melhorar a higiene pública pela eliminação correta de resíduos, além de manter o ambiente de vida limpo  Resíduo é amplamente dividido em resíduos industriais e resíduos municipais, para estabelecer um sistema de disposição para cada um  O princípio da “responsabilidade do gerador de resíduos” foi estabelecido no que tange aos resíduos industriais  Coleta, transporte e eliminação de resíduos devem ser implementados com os critérios de eliminação especificados por ordem do Gabinete  Cada prefeitura é convidada a desenvolver um plano para a eliminação de resíduos industriais e promover o desenvolvimento do sistema de eliminação em sua jurisdição  A área responsável pelos municípios foi ampliada para toda a área dos municípios respectivos.  A cooperação dos moradores locais foi altamente requisitada

16 Problemas estruturais no gerenciamento de resíduos Resíduos = Inúteis Não existe motivação para redução de custo de tratamento ↓ Tratamento indiferente (bom ou ruim) ↓ Mal investimento tomando o lugar do bom investimento (a melhor empresa não se destaca) Princípios econômicos sem responsabilização Práticas nocivas como abandono ilegal ↓ Aumento da insatisfação popular com resíduos industriais ↓ Falha no tratamento Meio ambiente desequilibrado Princípio do Poluidor Pagador (PPP) Resíduos = Inúteis Os emissores cumprem seu papel com responsabilidade até o fim ↓ Tratamento correto e efetivo ↓ Os emissors selecionam as melhores empresas ( Empresas com práticas ruins deixam o mercado ) Princípios econômicos de auto responsabilização Realidade que utiliza práticas seguras de tratamento de resíduos ↓ Recuperação da credibilidade da população quanto aos resíduos industriais ↓ Construção da sociedade sustentável Garantia de uma vida saudável e cultural às futuras gerações Mudando a estrutura Reformas estruturais advindas da reformulação da lei de gerenciamento de resíduos ○Aumento da responsabilidade dos operadores de emissão ・ Fortalecimento do sistema de manifestos ・ Ampliação das ordens de recuperação ao estado original ○Combate às práticas ruins de tratamento ・ Rigor na emissão de permissões a operadores e instalações ・ Maior rigor nas punições (Detenção de 5 anos, multa de 300 milhões de ienes) ○Manutenção de boas instalações de tratamento ・ Transparência e rigor nos processos dentro das instalações ・ Apoio às instalações exemplares ・ Ajuda governamental ( Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos ) Houve maior rigor legal quanto à responsabilidade e permissão de empresas de processamento de resíduos a partir de Punições mais severas a quem despejasse irregularmente os resíduos e a notificação prévia de armazenamento de resíduos industriais foram promulgadas em maio de 2010 ( Em vigor desde 1º de Abril de 2011 ) Política para Resíduos do Setor Industrial ( Emenda da Lei de Tratamento de Resíduos Sólidos ) Política para Resíduos do Setor Industrial

17 Prevenção custa muito menos Caso da Doença de Minamata (USD / ano) Custo para o Controle da Poluição $ 1.5 milhões Montante total dos danos $156 milhões Danos com a saúde $ 95 milhões Danos com a poluição $ 53 milhões Danos no setor de pesca $ 8 milhões (source: Global Environmental Economics Forum (1991) “Japan’s experience on environmental pollutions) 17

18 Era da Reciclagem 18

19 【 Aumento do ímpeto pela reciclagem 】 • Escassez de lixões • Novos e complexos produtos ⇒ Descarte adequado complexo • Necessidade de matéria prima 19 Circunstâncias que levaram à promulgação da Lei de Reciclagem 【 Aumento da responsabilidade do fabricante 】 ・ Cresce a opinião que as empresas fabricantes são responsáveis por todo o processo até o descarte. Dificuldade de descarte Quantidade de resíduos ( Volume ) Eletro domésticos Embalagens Recipientes Automóveis Lei de Reciclagem para cada tipo de produto

20 Embalagens e recipientes compreendem mais de 50% do lixo doméstico ( Comparação por volume ) ○ De acordo com a lei de tratamento de resíduos, os resíduos gerais são de responsabilidade dos governos municipais e locais (Art.6, § II) ○ Com o grande aumento de resíduos gerais, em sua maioria embalagens, o processamento final e a incineração causavam grandes transtornos aos moradores próximos das instalações. Assim, em 1995 foi promulgada a Lei de reciclagem de embalagens. Os Governos municipais e locais se responsabilizam totalmente e aumentam as responsabilidades das fabricantes para o tratamento desses materiais. 容積比(平成23年 度) 重量比(平成23年度) Circunstâncias que levaram a formulação da Lei de reciclagem de embalagens 20 Por Volume (2011) Não embalagens 47,5% Embalagens 52,5% Papeis 14,5% Outros 0,4% Metais 2,5% Vidros 1,2% Plásticos 33,9% Por Peso (2011) Não embalagens 75,8% Embalagens 24,2% Papeis 10,3% Plásticos 8,8% Vidros 3,7% Metais 1,3% Outros 0,1%

21 Estados e municípios (Coleta ) EX: Retirada de materiais Estranhos, transformação em fardos Beneficiadores de produtos reciclados Ex : Fabricam tecidos e fibras fornecimento do produto Pagamento do custo de reciclagem ( Cumprimento da obrigação de uso de reciclados ) Contribuições financeiras Pagamento do custo de reciclagem Entrega do produto para a reciclagem Registro Fluxo da EmbalagemFluxo Financeiro Venda do produto reciclado Consumidor ( Descarte separado ) Ex : Amassar a garrafa PET e descartar Recicladores (reciclagem) Ex : Transformação em flocos ou pellets Empresa designada (The Japan Containers and Packaging Recycling Association) Fabricantes de embalagens/ Setores que usam embalagens (Obrigação em usar materiais reciclados) Ex : Fabricantes de garrafas PET, fabricantes de bebidas Contrato Separação e compactação por tipo de resíduo Licitação Financiamento do processo Resumo do Sistema de Reciclagem de Embalagens Resumo do Sistema de Reciclagem de Embalagens 21

22 Muitos itens com alta porcentagem de coleta. Papéis e plásticos possuem porcentagens menores em comparação com outros itens Dados referentes a todas as municipalidades (2010) Dados referentes ao processo de coleta dos governos estaduais e municipais Item Coleta (%) Vidro transparente94.9 Vidro marrom95.0 Outros tipos de vidros94.7 Embalagens de papel35.8 Garrafas PET97.8 Embalagens plásticas74.5 (Embalagens brancas )28.9 Embalagens de ferro98.4 Embalagens de alumínio98.2 Papelão90.5 Embalagens de bebidas77.5 Porcentagem de coleta 22

23 ① Descarte de forma correta ② Pagamento de taxas referentes à coleta, transporte e reciclagem ① Descarte de forma correta ② Pagamento de taxas referentes à coleta, transporte e reciclagem Descarte Obrigação de recebimento ① Responsáveis pelos próprios produtos vendidos ② Produtos recebidos pelo consumidor na troca pelo equipamento novo Obrigação de entrega Obrigação de recebimento ① Responsáveis pelos próprios produtos vendidos ② Produtos recebidos pelo consumidor na troca pelo equipamento novo Obrigação de entrega Fornecedor (varejo) Coleta e Transporte Obrigação de recebimento Obrigação de reciclagem para gerar produtos ○ Porcentagem de reciclagem… Ar-condicionado : 70 %、 TV de tubo : 55 %、 TVs de LCD e Plasma : 50 %、 Geladeiras/Freezer : 60 %、 Máquinas de lavar e secadoras : 65 % Obrigação de recebimento Obrigação de reciclagem para gerar produtos ○ Porcentagem de reciclagem… Ar-condicionado : 70 %、 TV de tubo : 55 %、 TVs de LCD e Plasma : 50 %、 Geladeiras/Freezer : 60 %、 Máquinas de lavar e secadoras : 65 % Fabricantes/Importadores Empresa definida Reciclagem ① Inexistência de responsável Produtos fabricados ou importados pelos próprios ② Terceirização para pequenas e médias empresas Monitoramento da situação Formulário de Gestão ( Tíquete-Reciclagem ) Garantir o efetivo transporte dentro do sistema Formulário de Gestão ( Tíquete-Reciclagem ) Garantir o efetivo transporte dentro do sistema Local de entrega (definido pelos fabricantes) Emissão/ circulação Municipalidades ( Publicado em junho 1998 e efetivado em abril 2001 Municipalidades Estrutura da Lei de Reciclagem de Eletrodomésticos Alvos : Ar-Condicionados, TVs(Tubo 、 LCD ( ※ ), plasma), Geladeiras/Freezer, Máquinas de Lavar, Secadoras Emissor de resíduo 377 postos de coleta 49 centros de reciclagem ( junho 2012 ) ( ※ ) Exceto visores de celulares, TVs automotivos e TVs de banheiros 23

24 Proprietário do Automóvel Proprietário do Automóvel Empresas do ramo automotivo Proprietário do Carro Novo Proprietário de Carro Usado Último Proprietário Organização Gestora do Fundo Depósito da taxa de reciclagem Instalações para eliminação de Freons Instalações para reciclagem de air bags Instalações para reciclagem de fragmentos Pagamento da reciclagem Ferro-Velho Compactação e recortes de metal Taxa de recuperação de freons Taxa de recuperação de air bags Sentido dos automóveis e ações referentes Sentido do fluxo financeiro da reciclagem Outras ações Mercado de metais e peças automotivas $ $ $ $ $ $ Estrutura da Lei de Reciclagem de Automóveis Empresa de desmanche Recuperadores de Freon Responsável pelo recebimento Usuário das partes Desmanchadas do automóvel Usuário das partes Desmanchadas do automóvel Fragmentação Automóvel sem utilidade Freons Air Bags ASR 24

25 Reaproveitamento (%) Air BagsFragmentos Meta85 70 ( 2015 ~) 50 ( 2010 ~) 30 ( 2005 ~) ~ ~ ~ ~ 70.0 Porcentagem de reaproveitamento de air bags e fragmentos 25 Situação Pós-Aplicação da Lei de Reciclagem de Automóveis Unidades de automóveis armazenados indevidamente e abandonados ilegalmente (thousands)

26 Situação de Reciclagem de Outros Materiais • Leis de Reciclagem da Construção Civil ⇒ Prioridade para os resíduos gerados pela ação principal de empreendimentos • Leis de Reciclagem de Alimentos ⇒ Prioridade para os resíduos gerados pela ação principal do fornecedor • Leis de Reciclagem de Microeletrônicos Domésticos ⇒ Prioridade para os resíduos gerados pela ação doméstica ⇒ Lei que promova a não-obrigação dos envolvidos 26

27 Situação Atual 27

28 A produção de resíduos em geral atingiu o ápice de 548 milhões t/ano em 2000 e vem decrescendo. O descate final vem decrescendo por conta das políticas de reciclagem e diminuição na produção de resíduos. Descarte final de resíduos em geralProdução de resíduos em geral Despejo final de resíduos(em t) Produção de resíduos (em t) Quantidade de resíduos gerais emitidos/Transição da quantidade final a ser eliminado ※ Quantidade de resíduos produzido (g/Pessoa Dia) ・ H3(1991) 1.118(g/Pessoa Dia) ・ H12(2000) 1.185(g/Pessoa Dia) ・ H22(2010) 976(g/Pessoa Dia) ※※ ※ Condição Atual do Tratamento de Resíduos Sólidos

29 Em 2009, a produção total de resíduos pela indústria chegou a 390 milhões t/ano. Desde 1990, a produção industrial se mantém horizontal. O descarte final vem decrescendo por conta das políticas de reciclagem e diminuição na produção de resíduos. Situação do Tratamento de Resíduos Produção de resíduosDescarte final Produção de resíduos(em t) Descarte final(em t) Quantidade de resíduos gerais emitidos/Transição da quantidade final a ser eliminado

30 (OBS) Material aquoso: O material aquoso presente nos resíduos (lodo, detritos animais, urina, ácido de lodo, resíduos alcalinos) e resíduos como areia proveniente de construções civis Fluxo de Matéria no Japão

31 「 Entrada 」: Produção de recursos 「 Circulação 」: Porcentagem de uso cíclico 「 Saída 」: Descarte Final Todos os indicadores apontam para o cumprimento da meta 2000 【 Ano Base 】 2010 (comparado a 2000) 2015 【 Ano Meta 】 Recursos Naturais ( ¥ 10K/Ton) 24.824.8 37.4 (+5 3%) 42 Circulação (%) 10.0 15.3(+4.9 pontos ) 14~15 Descarte Final (10k Ton) 5619 ( ▲ 67%)23 Quant. Circulação/(Quant. Uso cíclico+Investimento em recursos naturais) Fluxo Indicador de Resíduos 【 Meta 】 ¥ 4.2Mi/T 【 2010 】 ¥ 3.74Mi/T 【 2000 】 ¥ 2.48Mi/T 【 2000 】 10.0% 【 2010 】 15.3% 【 Meta 】 14 ~ 15% 【 2000 】 56Mi Ton 【 2010 】 19Mi Ton 【 Meta 】 23Mi Ton Investimento em recursos naturais ( ¥ /Ton) Ano PIB/Quant. investimento em recursos naturais Porcentagem de Circulação Ano Despejo Final( Ton) Ano

32 Fonte: Research Institute of Solid Waste Management Engineering  O desenvolvimento econômico centralizado na Ásia e o aumento da população causa um grande aumento na quantidade e na variedade de resíduos. No panorama mundial, em 2050 prevemos que a quantidade de resíduos será o dobro de Quantidade de resíduos (Previsão) 32 Direção Para o Futuro 32 Queima de Plásticos Cortesia : Basel Action Network ⇒ Com uma legislação adequada, vamos promover o descarte adequado e a reciclagem! ÁsiaEuropaAmérica do Norte


Carregar ppt "Resíduos Sólidos no Japão e a Política Sobre a Reciclagem 1 Governo do Japão Ministério do Meio Ambiente Gabinete para a Promoção da Reciclagem Shigeyoshi."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google