A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PARTE IV Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PARTE IV Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA."— Transcrição da apresentação:

1 PARTE IV Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA

2 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir

3 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir • Coração Generoso

4 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir • Coração Generoso • Predisposição ao trabalho

5 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir • Coração Generoso • Predisposição ao trabalho • Empatia

6 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir • Coração Generoso • Predisposição ao trabalho • Empatia • Compaixão

7 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir • Coração Generoso • Predisposição ao trabalho • Empatia • Compaixão • Fé

8 O APLICADOR DE PASSES Características: • Vontade de servir • Coração Generoso • Predisposição ao trabalho • Empatia • Compaixão • Fé • Conhecer a técnica do passe

9 O APLICADOR DE PASSES Cuidados a seguir: • Não se deve tocar no paciente.

10 O APLICADOR DE PASSES Cuidados a seguir: • Não se deve tocar no paciente. • Não levantar os braços, esperando as correntes do alto.

11 O APLICADOR DE PASSES Cuidados a seguir: • Não se deve tocar no paciente. • Não levantar os braços, esperando as correntes do alto. • Não estalar dedos.

12 O APLICADOR DE PASSES Cuidados a seguir: • Não se deve tocar no paciente. • Não levantar os braços, esperando as correntes do alto. • Não estalar dedos. • Não gemer.

13 O APLICADOR DE PASSES Cuidados a seguir: • Não se deve tocar no paciente. • Não levantar os braços, esperando as correntes do alto. • Não estalar dedos. • Não gemer. • Não resfolegar ou respirar profundamente.

14 O PACIENTE Postura do paciente: • Sentar-se confortavelmente.

15 O PACIENTE Postura do paciente: • Sentar-se confortavelmente. • Postar as mãos sobre as pernas sem contração muscular.

16 O PACIENTE Postura do paciente: • Sentar-se confortavelmente. • Postar as mãos sobre as pernas sem contração muscular. • Os olhos podem ficar abertos ou fechados.

17 O PACIENTE Postura do paciente: • Sentar-se confortavelmente. • Postar as mãos sobre as pernas sem contração muscular. • Os olhos podem ficar abertos ou fechados. • Aguardar o término da aplicação para levantar-se.

18 O PASSE - APLICAÇÃO • IMPOSIÇÕES DE MÃOS • PASSES LONGITUDINAIS • PASSES TRANSVERSAIS • PASSES CIRCULARES • PASSES PERPENDICULARES • PASSES DISPERSIVOS • SOPROS TÉCNICAS MAIS USADAS

19 IMPOSIÇÕES DE MÃOS A imposição de mãos é a técnica mais usual. O aplicador fica à frente do paciente a uma distância de 25 a 50 cm. Solicita em prece a atuação dos Bons Espíritos.

20 IMPOSIÇÕES DE MÃOS A imposição de mãos é a técnica mais usual. O aplicador fica à frente do paciente a uma distância de 25 a 50 cm. Solicita em prece a atuação dos Bons Espíritos. Sobre um plexo específico

21 IMPOSIÇÕES DE MÃOS A imposição de mãos é a técnica mais usual. O aplicador fica à frente do paciente a uma distância de 25 a 50 cm. Solicita em prece a atuação dos Bons Espíritos. Duração: Varia de caso a caso. Entre 1 a 2 minutos (tempo médio). Sobre um plexo específico

22 IMPOSIÇÕES DE MÃOS Para suprirem carências fluídicas do paciente. São muito concentradoras e, a depender dos potenciais magnéticos do passista, deve-se observar com cuidado a excessiva doação por imposições, já que elas podem provocar congestões fluídicas com relativa facilidade, especialmente quando atuando sobre os centros vitais superiores e intermediário (coronário, frontal, laríngeo e cardíaco). Para suprirem carências fluídicas do paciente. São muito concentradoras e, a depender dos potenciais magnéticos do passista, deve-se observar com cuidado a excessiva doação por imposições, já que elas podem provocar congestões fluídicas com relativa facilidade, especialmente quando atuando sobre os centros vitais superiores e intermediário (coronário, frontal, laríngeo e cardíaco). Para que servem:

23 IMPOSIÇÕES DE MÃOS Para suprirem carências fluídicas do paciente. São muito concentradoras e, a depender dos potenciais magnéticos do passista, deve-se observar com cuidado a excessiva doação por imposições, já que elas podem provocar congestões fluídicas com relativa facilidade, especialmente quando atuando sobre os centros vitais superiores e intermediário (coronário, frontal, laríngeo e cardíaco). Para suprirem carências fluídicas do paciente. São muito concentradoras e, a depender dos potenciais magnéticos do passista, deve-se observar com cuidado a excessiva doação por imposições, já que elas podem provocar congestões fluídicas com relativa facilidade, especialmente quando atuando sobre os centros vitais superiores e intermediário (coronário, frontal, laríngeo e cardíaco). Se aplicadas perto do corpo, serão concentradoras ativantes. Se aplicadas distante, serão concentradoras calmantes. Se aplicadas perto do corpo, serão concentradoras ativantes. Se aplicadas distante, serão concentradoras calmantes. Para que servem:

24 IMPOSIÇÕES DE MÃOS Suprimem os envolvidos em suas carências fluídicas. São eficientes para:

25 IMPOSIÇÕES DE MÃOS Suprimem os envolvidos em suas carências fluídicas. Em termos orgânicos, são ótimas na solução de tumorações e inflamações (os ativantes) e para tonificar a força de vontade e as disposições de equilíbrio e do sono (os calmantes). Suprimem os envolvidos em suas carências fluídicas. Em termos orgânicos, são ótimas na solução de tumorações e inflamações (os ativantes) e para tonificar a força de vontade e as disposições de equilíbrio e do sono (os calmantes). São eficientes para:

26 PASSES LONGITUDINAIS São aplicados ao longo do corpo ou de uma região do corpo do paciente.

27 PASSES LONGITUDINAIS São aplicados ao longo do corpo ou de uma região do corpo do paciente. Pode-se aplicá-lo da cabeça aos pés, do coronário ao genésico ou de qualquer parte a qualquer outra parte, desde que obedecendo o sentido correto, ou seja, de cima para baixo.

28 PASSES LONGITUDINAIS Quando aplicados lentamente, funcionam como concentradores. Quando aplicados rapidamente, passam a dispersivos. Para que servem:

29 PASSES LONGITUDINAIS Quando aplicados lentamente, funcionam como concentradores. Quando aplicados rapidamente, passam a dispersivos. Se aplicados perto, serão ativantes e se distante, calmantes. Para que servem:

30 PASSES LONGITUDINAIS Quando aplicados lentamente, funcionam como concentradores. Quando aplicados rapidamente, passam a dispersivos. Se aplicados perto, serão ativantes e se distante, calmantes. Para que servem: Como normalmente atuam sobre mais de um local ou mais de um centro vital, sua repercussão é mais abrangente do que as obtidas com as imposições, porém menos eficientes. Como normalmente atuam sobre mais de um local ou mais de um centro vital, sua repercussão é mais abrangente do que as obtidas com as imposições, porém menos eficientes.

31 PASSES LONGITUDINAIS Especialmente para o equilíbrio geral dos pacientes e para todas as funções que normalmente se espera dos passes gerais, especialmente os dispersivos de menor intensidade. São eficientes para:

32 PASSES LONGITUDINAIS Especialmente para o equilíbrio geral dos pacientes e para todas as funções que normalmente se espera dos passes gerais, especialmente os dispersivos de menor intensidade. São eficientes para: Atuam com muita felicidade tanto nas estruturas dos ativantes como dos calmantes.

33 PASSES TRANSVERSAIS Os transversais são aplicados de preferência em regiões específicas do paciente ou em centros vitais, um a um, se for o caso.

34 PASSES TRANSVERSAIS Para atender necessidades de dispersões localizadas mais vigorosas. Para que servem:

35 PASSES TRANSVERSAIS Para atender necessidades de dispersões localizadas mais vigorosas. Para que servem: Ao utilizá-los conseguimos acelerar o processo de assimilação e somatização dos fluidos pelo organismo do paciente e também reduzimos a níveis muito baixos os riscos de congestões fluídicas.

36 PASSES TRANSVERSAIS No caso de pessoas com enxaquecas, dores localizadas, peso na cabeça, respiração difícil e irritabilidade em geral, os dispersivos pelos transversais resultam em formidáveis e quase imediatos alívios. São eficientes para:

37 PASSES CIRCULARES Os passe circulares são realizados com movimentação das mãos sobre um determinado local, região ou centro vital.

38 PASSES CIRCULARES São aplicados muito próximos do local, adquirindo, por isso mesmo, a característica de concentrador ativante. São concentradores porque estarão "dentro do próprio circuito de captação“ do centro vital ou da região em tratamento, o que resulta na característica concentradora de fluidos. Para que servem:

39 PASSES CIRCULARES São aplicados muito próximos do local, adquirindo, por isso mesmo, a característica de concentrador ativante. São concentradores porque estarão "dentro do próprio circuito de captação“ do centro vital ou da região em tratamento, o que resulta na característica concentradora de fluidos. Para que servem: As "aflorações psíquicas", abrangendo regiões maiores (mas, na medida do possível, atendendo e relacionando-se a um único centro vital por vez), também funcionam como concentradoras de fluidos, só que tanto podem ser aplicadas na estrutura dos ativantes como dos calmantes; todavia, os resultados ativantes são sempre melhor pronunciados.

40 PASSES CIRCULARES Os "pequenos circulares" são muito felizes em pequenas feridas ou pequenas infecções, enquanto as aflorações são muito eficientes em questões gástricas de uma forma geral ou regiões maiores sob inflamações e/ou infecções. São eficientes para:

41 PASSES PERPENDICULARES São técnicas mais voltadas para uso de longo curso (da cabeça aos pés ou, no mínimo, que envolva os sete centros vitais principais do paciente), os perpendiculares solicitam que o paciente e o passista estejam de pé, um formando um ângulo de 90° em relação ao outro, pois o passista irá passar as mãos, simultânea e concomitantemente, uma pela frente e outra por trás do paciente.

42 PASSES PERPENDICULARES Para ordenar os centros vitais, todos em relação a todos; para tratar a psisensibilidade; para auxiliar em problemas motores e psíquicos; para aliviar depressões. Para que servem:

43 PASSES PERPENDICULARES Para ordenar os centros vitais, todos em relação a todos; para tratar a psisensibilidade; para auxiliar em problemas motores e psíquicos; para aliviar depressões. Para que servem: Os perpendiculares poderão ser usados como concentradores ativantes (passando-se as mãos de forma lenta e próxima) e, nalguns casos, como concentradores ou dispersivos calmantes, gerais (de grande curso), só que nem sempre esse método é totalmente feliz com os calmantes por causa da necessidade de distância que as mãos deverão assumir em relação ao corpo do paciente. Os perpendiculares poderão ser usados como concentradores ativantes (passando-se as mãos de forma lenta e próxima) e, nalguns casos, como concentradores ou dispersivos calmantes, gerais (de grande curso), só que nem sempre esse método é totalmente feliz com os calmantes por causa da necessidade de distância que as mãos deverão assumir em relação ao corpo do paciente. Como funcionam:

44 PASSES PERPENDICULARES No alinhamento dos centros vitais e no equilíbrio geral do sistema nervoso e da corrente sanguínea. São eficientes para:

45 PASSES DISPERSIVOS Como o próprio nome sugere, este tipo de passe serve para dispersar as energias concentradas, para descongestionar plexos e para eliminar absorções impróprias.

46 PASSES DISPERSIVOS É sempre muito conveniente a aplicação de mais dispersivos gerais ao final dos passes, já que com essas dispersões eliminaremos vários inconvenientes decorrentes da mudança fluídica provocada pela aplicação do magnetismo. São eficientes para:

47 RESUMINDO Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador NÃO conhece o problema do paciente

48 RESUMINDO Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador NÃO conhece o problema do paciente COM AMOR COM AMOR + TÉCNICA

49 RESUMINDO Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador NÃO conhece o problema do paciente COM AMOR COM AMOR + TÉCNICA IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

50 RESUMINDO 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador NÃO conhece o problema do paciente COM AMOR COM AMOR + TÉCNICA IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

51 RESUMINDO 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador NÃO conhece o problema do paciente 2. CIRCULAR Sobre plexo Cardíaco Sobre plexo Solar COM AMOR COM AMOR + TÉCNICA IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

52 RESUMINDO 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador NÃO conhece o problema do paciente 2. CIRCULAR Sobre plexo Cardíaco Sobre plexo Solar COM AMOR COM AMOR + TÉCNICA 3. DISPERSIVO Percorrendo todos os plexos IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

53 RESUMINDO Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador CONHECE o problema do paciente COM AMOR + TÉCNICA COM AMOR

54 RESUMINDO Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador CONHECE o problema do paciente COM AMOR + TÉCNICA COM AMOR IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

55 RESUMINDO 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador CONHECE o problema do paciente COM AMOR + TÉCNICA COM AMOR IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

56 RESUMINDO 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador CONHECE o problema do paciente 2.CIRCULAR Sobre plexo específico 2.CIRCULAR Sobre plexo específico COM AMOR + TÉCNICA COM AMOR IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

57 RESUMINDO 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário 1.IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário Qual o método correto de se aplicar o passe? Quando o aplicador CONHECE o problema do paciente 2.CIRCULAR Sobre plexo específico 2.CIRCULAR Sobre plexo específico COM AMOR + TÉCNICA 3. DISPERSIVO Percorrendo todos os plexos 3. DISPERSIVO Percorrendo todos os plexos COM AMOR IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário IMPOSIÇÃO DE MÃOS Sobre plexo Coronário

58 FIM - PARTE IV Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA


Carregar ppt "PARTE IV Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google