A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ISO 14000 PROCEDIMENTOS GESTÃO AMBIENTAL POLÍTICA IMPACTO AMBIENTAL O QUE É ISSO ?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ISO 14000 PROCEDIMENTOS GESTÃO AMBIENTAL POLÍTICA IMPACTO AMBIENTAL O QUE É ISSO ?"— Transcrição da apresentação:

1 ISO PROCEDIMENTOS GESTÃO AMBIENTAL POLÍTICA IMPACTO AMBIENTAL O QUE É ISSO ?

2 A QUESTÃO AMBIENTAL A TECNOLOGIA FEZ COM QUE OCORRESSEM MUDANÇAS IMPORTANTES NAS ORGANIZAÇÕES HUMANAS •melhoria da qualidade de vida •aumento do número de materiais e substâncias conhecidas •avanços na medicina aumentando a expectativa de vida do ser humano •população humana aumentou •automação e industrialização: aumento das taxas de produção novos problemas econômicos, sociais, políticos, ambientais e novas demandas de recursos naturais disponíveis

3 A opinião pública está cada vez mais se tornando sensível às questões ambientais. A sociedade começa a exigir um maior controle da poluição e uma mudança na concepção de produto de consumo, de modo que a sua produção e uso não afete sensivelmente o Meio Ambiente. A QUESTÃO AMBIENTAL mudança de paradigmas característica compulsória atitude voluntária A competitividade da organização começa a ser afetada

4 è órgãos regulamentadores è clientes ( corporativos e individuais ) è bancos è seguradoras è funcionários è comunidade local è grupos de interesses particulares è órgãos regulamentadores è clientes ( corporativos e individuais ) è bancos è seguradoras è funcionários è comunidade local è grupos de interesses particulares SISTEMAS DE GESTÃO INTERESSES E ORGANIZAÇÕES DE INFLUÊNCIA NO DESEMPENHO AMBIENTAL DA ORGANIZAÇÃO

5 A QUESTÃO AMBIENTAL ACIDENTES OCORRIDOS SEVESO BHOPAL MÉXICO CHERNOBYL BASILÉIA EXXON-VALDEZ SHELL  PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIASnúmero de vítimas degradação da flora e fauna valor das indenizações Efeito “estufa “Devastação das florestas Biodiversidade

6 SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL  ANOS 80 E INICIO DOS ANOS 90:  PREOCUPAÇÃO DAS EMPRESAS ERA A REALIZAÇÃO DE “AUDITORIAS” OU “REVISÕES” PARA DEMONSTRAR MELHORIAS NO SEU DESEMPENHO AMBIENTAL OU NO CUMPRIMENTO DE PADRÕES LEGAIS OU MESMO PRÓPRIOS. “AUDITORIAS” NÃO ASSEGURAVAM REALMENTE A POSSIBILIDADE DE ALCANÇAR UM DESEMPENHO AMBIENTAL ADEQUADO AUSÊNCIA DE UM SISTEMA DE GESTÃO FORMAL !

7  ANOS 90: NECESSIDADE DE UM PROCESSO QUE ASSEGURE QUE:  MÉTODOS E PRÁTICAS POSSAM SER VERIFICADOS SEGUNDO OS OBJETIVOS DETERMINADOS;  GERENCIAMENTO DO DESEMPENHO AMBIENTAL SEGUNDO MÉTODOS ESTABELECIDOS;  COMPARAÇÃO DE SISTEMAS DE DIFERENTES ORGANIZAÇÕES. SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

8  SISTEMAS DE GESTÃO: MANEIRA COMO O TRABALHO DE UMA ORGANIZAÇÃO DEVE SER REALIZADO  IMPLICA NA NECESSIDADE DE SE TER UMA VISÃO DO TODO !  Inclui:  estrutura organizacional,  responsabilidades,  procedimentos,  processos  recursos O que é um Sistema de Gestão ?

9 “ a parte do sistema de gestão global que inclui estrutura organizacional, atividades de planejamento, responsabilidades, práticas, procedimentos, processos e recursos para desenvolver, implementar, atingir, analisar criticamente e manter a política ambiental “. A norma NBR ISO define sistema de gestão ambiental`como: SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

10 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL (SGA) ESTRUTURA ORGANIZACIONAL Responsabilidades Autoridades PROCEDIMENTOSPROCESSOS Métodos Práticas RECURSOS Mão-de-Obra Material Máquina IMPLANTADO E MANTIDO PLANEJAMENTO

11  OBJETIVOS DE UM SGA:  FORNECER AS FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA ALCANÇAR AS METAS AMBIENTAIS E MELHORIA CONTÍNUA DO DESEMPENHO DE UMA EMPRESA;  BUSCAR A QUALIDADE AMBIENTAL;  AVALIAR A ESTRATÉGIA DA EMPRESA (FATOR DE DIFERENCIAÇÃO NO MERCADO);  ADOTAR MEDIDAS DE PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

12 Situar-se acima das exigências legais deixou de ser apenas uma estratégia preventiva para constituir-se numa vantagem competitiva. Melhorias nos processos existentes; Uso de tecnologias mais limpas; Gerenciamento da prevenção de perdas; • redução de custos de produção; • uso mais racional de energia e de matérias primas; • menores quantidades de rejeitos; • menores números de incidentes / acidentes; • maior eficiência de conversão; SISTEMAS DE GESTÃO

13  Objetivos da série ISO  Assegurar e demonstrar a melhoria do desempenho ambiental;  Avaliar os resultados através da conservação e da preservação do meio ambiente.  Prevenção da Poluição na ISO  Modelo de gestão oferecendo meios efetivos para que a empresa possa garantir condições adequadas de minimização de seus impactos ambientais. PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO E A ISO 14000

14  Esse enfoque envolve: Busca de soluções para evitar: Busca de soluções para evitar:  O uso de substâncias tóxicas  A geração de resíduos e poluentes. Eliminação de desperdícios através de: Eliminação de desperdícios através de:  Aumento da eficiência e melhoria contínua dos processos e produtos utilizados e/ou fabricados. Necessidade de reavaliação dos processos de produção dentro de uma perspectiva holística ! Necessidade de reavaliação dos processos de produção dentro de uma perspectiva holística ! PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO E A ISO 14000

15  GERENCIAMENTO AMBIENTAL É UMA PARTE INTEGRANTE DO:  GERENCIAMENTO DA QUALIDADE TOTAL PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO E A ISO 14000

16 MEIO AMBIENTE ÁGUA SOLO /SUB-SOLO RECURSOS NATURAIS FLORA FAUNA PESSOAS AR ORGANIZAÇÃO

17 ATIVIDADE PRODUTO Elementos das atividades, produtos e serviços de uma organização que podem interagir com o meio ambiente. SERVIÇOS Qualquer mudança no meio ambiente, adversa ou benéfica, que resulte, total ou parcialmente, das atividades, produtos ou serviços de uma organização ASPECTO AMBIENTAL IMPACTO AMBIENTAL

18 POLÍTICA AMBIENTAL PLANEJAMENTO IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO MONITORAMENTO E AÇÃO CORRETIVA REVISÃO DO SISTEMA PELA ALTA ADMINISTRAÇÃO MELHORIA CONTÍNUA ISO ETAPAS DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

19 SELEÇÃO E USO AS NORMAS DA SÉRIE NORMA ISO ISO ISO 14010/1/2 ISO 14020’s ISO ISO 14040’s SGA - Diretrizes, Princípios e Elementos Adicionais aos Componentes Centrais Auditoria Ambiental Rotulagem Ambiental Avaliação do Desempenho Ambiental Avaliação do Ciclo de Vida Especificação do SGA - Componentes Centrais CONTEÚDO A norma que visa a certificação do Sistema de Gestão Ambiental é a ISO

20 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL  Planejamento pró-ativo e resposta reativa  Planejamento de um sistema de gestão requer uma abordagem enfatizando a prevenção da poluição e a melhoria contínua.

21  Um sistema pró-ativo de gestão deve assegurar que: Providências apropriadas e adequadamente providas de recursos sejam tomadas, utilizando pessoal competente, com responsabilidades definidas e meios eficazes de comunicação; Objetivos sejam estabelecidos, de modo a permitir a implantação de planos de ação, monitorando a sua implantação e verificando a sua eficácia; Criação de uma metodologia para identificar aspectos ambientais e avaliar e controlar impactos ambientais, antes que ocorram danos; Medição do desempenho possa ser realizada através de diversos modos. ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

22  Planejamento pró-ativo e resposta reativa è Problema de um planejamento pró-ativo é a gestão de mudanças de paradigmas:  Mudanças de pessoal;  Propostas de novos produtos, modificações de instalações, processos ou serviços;  Mudanças em procedimentos operacionais;  Modificações em sistemas ou programas de controle;  Novas regulamentações ou legislação.

23 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PREVENÇÃO EM MEIO AMBIENTE REQUER: ï CONTROLES TÉCNICOS ï ATITUDES COMPORTAMENTAIS SUSTENTADOS EM TREINAMENTOS E COMPETÊNCIA.

24 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Enfoque reativo normalmente é mais simples de aplicar Enfoque reativo normalmente é mais simples de aplicar è gestão fica reduzida à solução de problemas aparentemente contornados com medidas limitadas. Um sistema de gestão ambiental que se baseia em indicadores e medidas reativas e em investigações superficiais, não tem uma base segura, em termo de custos e no controle de impactos ambientais.

25 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Análise Crítica Inicial  objetivo  avaliar a situação existente  fornecer informações para decisões sobre o objetivo, adequação e implementação de um SGA  indicar as oportunidades de melhorias de desempenho e uma base para a medição do progresso  compara o sistema existente na organização com:  Requisitos de legislação, regulamentação e normas internas pertinentes;  Nível de orientação existente sobre gestão ambiental;  Comparação com as melhores práticas e melhor desempenho dos setores e segmentos;  Demonstração de eficiência e eficácia dos recursos destinados à gestão ambiental;

26 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Na realização da análise crítica da situação deve-se levar em consideração se o seu atual Sistema de Gestão:  depende somente de indicadores reativos de monitoramento - análise de saída de efluentes e emissões, índice de acidentes, etc.;  está baseado na atitude de que uma ação somente é necessária após a ocorrência de uma série de eventos, e que a ação preventiva torna- se necessária somente para evitar a repetição de um dado evento;  baseia-se em investigações e levantamentos superficiais de eventos ambientais.

27 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL  A Análise Crítica Inicial permite: è Identificar não conformidades facilitando o planejamento estratégico do programa de implantação e definindo um cronograma; è Melhorar a situação de áreas problemáticas ; è Identificar áreas que requerem maior atenção, como as que não estão em conformidade com a legislação e requerem ação imediata; è Estabelecer metas de ação e verificar necessidades de treinamento; è Levantar informações e oportunidades de melhorias, que serão usadas para direcionar o processo de planejamento de implementação do Sistema de Gestão Ambiental.

28 Comprometimento da alta administração Reunião de lançamento Representante da da alta administração Comitê executivo Treinamento de Implementação Projeto de Implem. Identificar Perigos Avaliar Riscos Requisitos Legais Objetivos e metas Desenvolver a Política Desenvolver Programa de Gestão Monitoramento e Mensuração Controle Operacional Responsabilidades Desenvolver Procedimentos Procedimentos de Sistema e atividades Práticas de operação Desenvolver Matriz de Treinamentos Revisão Gerencial Revisão Gerencial

29 Sistema de Documentação Estrutura e Responsabilidades Desenvolver Manual Conscientização Treinamentos Específicos de função Treinamento Conduzir Auditorias internas Programa de Auditorias Treinamento de Auditores Check-list e escopos Revisão Gerencial

30 Pré- certificação Certificação Manutenção Revisão Alta Administração Ações Preventivas E Corretivas Ações Preventivas E Corretivas Revisão Gerencial

31 O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO A política correta dependerá das circunstâncias que a empresa enfrentará e da estratégia que será escolhida. Debate sobre negócios e meio ambiente tem sido colocado numa maneira extremamente simples: "Ser " verde ", vale a pena ? " ç A resposta é: "Depende ! "

32  A hip ó tese mais aceita é que o planeta terra est á doente !  Deve ser altamente lucrativo pesquisar meios para ajudá-la a recuperar a sua saúde:  Reciclagem,  Energia solar  Agricultura em pequena escala, sem dúvida, devem ter um retorno lucrativo. O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO

33 Ao mesmo tempo, afirmar que a melhoria de desempenho ambiental não vale o investimento feito, é, também, incorreto O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO A verdade é que: problemas ambientais nem sempre criam oportunidades de ganhar dinheiro.

34 Abordagens utilizadas na integração do meio ambiente nos negócios: O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO  Diferenciação de seus produtos com preços mais altos;  Utilização de uma "regulamentação " própria mais restritiva que a da legislação oficial;  Corte de custos;  Melhoria de seu gerenciamento de riscos,e, portanto, redução de suas perdas associadas a acidentes, multas e boicotes;  Realização de mudanças sistêmicas que redefinirão a competição em seus mercados.

35 Com a implementação de uma política de prevenção da poluição, as organizações podem obter economias reduzindo: monitoramento, custos de controle e tratamento e o manuseio, pré-tratamento, transporte e disposição de resíduos O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO A PREVENÇÃO PODE REPRESENTAR UMA TAXA DE RETORNO MUITO MAIOR DO QUE A MAIORIA DOS INVESTIMENTOS ATUAIS DA EMPRESA.

36 O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO Quando uma empresa reduz de modo eficiente suas despesas com recursos naturais e eliminação de rejeitos está diminuindo suas despesas, podendo, portanto, reduzir o preço de seus produtos.

37 O mercado mundial de tecnologias de eficiência em energia e prevenção da poluição será um dos mercados de crescimento mais acelerado nos próximos anos. Esse aumento de produtividade e conseqüentemente da competitividade permite que a empresa supere a concorrência, tanto no mercado interno quanto no externo. O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO

38 A prevenção da poluição reduz as conseqüências negativas da degradação ambiental:  perda de recursos naturais valiosos, como águas limpas;  diversos efeitos sobre a saúde;  destruição de equipamentos e de propriedades ( corrosão, erosão );  danos aos ecossistemas  e redução da qualidade de vida. O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO

39 Em 2010, as melhorias estariam gerando dois milhões de novos empregos líquidos – o equivalente a quase 1,5 % da taxa de empregos daquele ano. Um estudo realizado nos Estados Unidos em 1993 para o Departamento de Energia, mostrou os benefícios macroeconômicos da prevenção da poluição Uma redução de 10 a 20 % do desperdício pela indústria americana geraria um aumento cumulativo do PIB entre 1996 e 2010 de 1,94 trilhões de dólares O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO

40 A adoção de métodos mais limpos de produção, portanto, auxilia na conservação de recursos, na eliminação de resíduos e emissões, no aumento de produtividade e até na geração de empregos. O CUSTO DA PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO O estudo afirmou, também, que esse é um impacto relativamente grande, considerando que os investimentos que o causaram foram feitos com propósitos diversos ao aumento do emprego.

41 è Não se pode gerenciar o que não se pode medir. è Não se pode medir o que não se consegue definir. è E não se pode definir sem entender. CONCLUSÃO

42 LEVANTAMENTO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS (MÓDULO 02)

43 INTRODUÇÃO   Porque se torna necessário impor controles e meios de prevenção, relacionados com o meio ambiente e segurança, em processos e produtos desenvolvidos ou fabricados pelo ser humano ?

44 O trabalho manual cedeu lugar á automação e industrialização, com o conseqüente aumento das taxas de produção. O trabalho manual cedeu lugar á automação e industrialização, com o conseqüente aumento das taxas de produção. INTRODUÇÃO

45 A tecnologia fez com que ocorressem mudanças importantes nas organizações humanas: • melhoria da qualidade de vida; • aumento do número de materiais e substâncias conhecidas; • avanços na medicina aumentaram a expectativa de vida do ser humano; • população humana aumentou; • automação e industrialização: aumento das taxas de produção. • melhoria da qualidade de vida; • aumento do número de materiais e substâncias conhecidas; • avanços na medicina aumentaram a expectativa de vida do ser humano; • população humana aumentou; • automação e industrialização: aumento das taxas de produção. INTRODUÇÃO

46  PRINCIPAL MUDANÇA Aumento da velocidade - transporte - comunicação - fluxo de informações Novos materiais  cerca de 4 milhões de substâncias registradas  em uso  700 novas por ano O FATOR TECNOLOGIA

47 Estas melhorias tiveram um crescimento enorme nos últimos duzentos anos Entretanto, esse desenvolvimento pode resultar em perdas para as pessoas e suas organizações e alterar excessivamente o meio ambiente natural. Essa visão tornou-se mais pronunciada a partir do anos sessenta, e desde então tem provocado uma revolução no comportamento humano. INTRODUÇÃO

48 ACIDENTES OCORRIDOS SEVESO BHOPAL MÉXICO CHERNOBYL BASILÉIA EXXON-VALDEZ SHELL  PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS número de vítimas degradação da flora e fauna valor das indenizações O FATOR TECNOLOGIA

49 o “Questão ambiental“: inicio no final dos anos 50, principalmente nos países desenvolvidos, à medida que seus cidadãos começaram a se alarmar com a deterioração da qualidade do ar e da água. o Quando essa preocupação com o meio ambiente aumentou, a chaminé soltando fumaça se tornou um símbolo negativo da prosperidade A QUESTÃO AMBIENTAL

50 A opinião pública está cada vez mais se tornando sensível às questões ambientais. A sociedade começa a exigir um maior controle da poluição e uma mudança na concepção de produto de consumo, de modo que a sua produção e uso não afete sensivelmente o Meio Ambiente. A QUESTÃO AMBIENTAL mudança de paradigmas característica compulsória atitude voluntária A competitividade da organização começa a ser afetada

51 SISTEMAS DE GESTÃO trabalha-se mais no controle de perdas e na prevenção, integrados no sistema de gestão da organização, e tendo-se uma visão sistêmica do negócio. Visão moderna da Segurança e do Meio Ambiente

52 SISTEMA ITEGRADOS DE GESTÃO ESTRUTURA ORGANIZACIONAL RESPONSABILIDADES AUTORIDADES DOCUMENTAÇÃO PROCEDIMENTOS INSTRUÇÕES RECURSOS MÃO DE OBRA MÁQUINA PROCESSOS MÉTODOS

53  Algumas organizações já vem mudando uma visão unilateral, por exemplo do Meio Ambiente e da Segurança como um custo, e passaram a considerá-los como uma oportunidade.  Situar-se acima das exigências legais deixou de ser apenas uma estratégia preventiva para constituir-se numa vantagem competitiva. SISTEMAS DE GESTÃO

54  Objetivo: melhor qualidade ambiental e de segurança, Resultado: Redução de custos de produção, uso mais racional de energia e de matérias primas, menores quantidades de rejeitos, menores números de incidentes / acidentes e uma maior eficiência de conversão. SISTEMAS DE GESTÃO

55 PERDAS POTENCIAIS  INCÊNDIOS  EXPLOSÕES  LIBERAÇÃO TÓXICA INTRODUÇÃO ACIDENTE MAIOR PREOCUPAÇÃO DO PÚBLICO México, Bhopal, Cubatão, Basiléia, Exxon Valdez, Chernobyl, Petrobrás

56 Os resultados excepcionais que se conseguiu em termos de aumento da expectativa de vida e do controle das doenças agudas tornaram ainda mais evidentes os problemas das doenças crônicas e da poluição ambiental. INTRODUÇÃO

57  Quando verifica-se mais de perto a questão, constata-se que as novas tecnologias e programas de auxílio ampliaram e transferiram a insegurança em vez de eliminar os perigos.  A forma encontrada para reduzir o tamanho dos riscos foi torná-los mais difusos.  Troca-se o risco de vida pelo risco de danos materiais e distribui-se o custo desses danos ao longo do espaço e do tempo. INTRODUÇÃO

58  Tecnologia transformou eventos catastróficos em situações crônicas, sem entretanto, impedir as catástrofes naturais. o A cada ano, somente nos Estados Unidos, ocorrem mais de mortes e cerca de 11 milhões de inválidos, por acidentes. o O custo deste total de acidentes é mais ou menos de US $ 100 bilhões anualmente INTRODUÇÃO

59  Apesar dos índices, danos ou mortes haverem diminuído, o público ainda não está satisfeito plenamente com a proteção oferecida em relação ao risco tecnológico. INTRODUÇÃO

60  Nos EUA> 50 % dos entrevistados alegaram que o governo está realizando menos do que poderia fazer para obrigar as grandes empresas a terem uma atitude mais compatível, no tocante a aumentar a proteção da população, quanto aos riscos industriais e tecnológicos criados por essas empresas. INTRODUÇÃO

61  Em que extensão os perigos tecnológicos são considerados como aceitáveis;  Em que grau, riscos considerados como aceitáveis podem ser reduzidos. INTRODUÇÃO OBJETIVO DE UMA AVALIAÇÃO DE RISCOS Fornecer informações para conhecer:

62 ASPECTO AMBIENTAL ASPECTO / IMPACTO IMPACTOAMBIENTAL

63  Exigência do controle ambiental  Requisito dos Sistemas de Gestão Ambiental Avaliação de Impactos Ambientais

64 Identificação de aspectos e avaliação dos impactos ambientais associados É recomendado que a política ambiental, os objetivos e metas de uma organização sejam baseados no conhecimento dos aspectos e dos impactos ambientais significativos associados às suas atividades, produtos ou serviços. Isto pode assegurar que os impactos ambientais significativos associados a tais aspectos sejam levados em consideração quando do estabelecimento dos objetivos ambientais. (Fonte:NBR ISO – SGA - Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio )

65  É o processo de se caracterizar os efeitos adversos potenciais da exposição a perigos ambientais  Um dos mais eficientes meios de proteger uma comunidade e ecossistemas sensíveis contra os riscos de instalações industriais é mantê-las suficientemente afastadas.  A falta de zoneamento do uso do solo, como também de planejamento ambiental leva à proximidades perigosas, que foram a causa de vários acidentes graves. Avaliação de Impactos Ambientais


Carregar ppt "ISO 14000 PROCEDIMENTOS GESTÃO AMBIENTAL POLÍTICA IMPACTO AMBIENTAL O QUE É ISSO ?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google