A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O MEIO AMBIENTE NA ATUALIDADE PROF. ARILSON C. SILVA – GEOGRAFIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O MEIO AMBIENTE NA ATUALIDADE PROF. ARILSON C. SILVA – GEOGRAFIA."— Transcrição da apresentação:

1 O MEIO AMBIENTE NA ATUALIDADE PROF. ARILSON C. SILVA – GEOGRAFIA

2

3

4 FATORES CLIMÁTICOS ALTITUDE: QUANTO MAIOR ALTITUDE MENOR TEMPERATURA LATITUDE: QUANTO MAIOR LATITUDE, MENOR TEMPERATURA MARITIMIDADE E CONTINENTALIDADE: A AMPLITUDE TÉRMICA É DIRETAMENTE PROPORCIONAL À DISTÂNCIA DAS GRANDES MASSAS LÍQUIDAS URBANIZAÇÃO: PROMOVE ALTERAÇÕES DAS MÉDIAS TÉRMICAS E DA DINÂMICA DAS PRECIPITAÇÕES

5 (UNIOESTE) Sobre o clima mundial, os fatores e os processos que o condicionam, assinale a alternativa INCORRETA. I. A latitude influencia na distribuição espacial das temperaturas. Dessa forma, quanto maior for latitude, menores serão as temperaturas. II. A pressão atmosférica varia em função da altitude e da temperatura. Assim, quanto maior for a altitude, menor será a pressão atmosférica e quanto mais alta a temperatura, menor será a pressão. III. O planeta Terra é aquecido uniformemente, tanto ao longo da sua superfície quanto ao longo do tempo (anos), e isto condiciona a circulação atmosférica com a produção de centros de alta e de baixa pressão, que se alteram continuadamente. IV. Dependendo das condições locais, a precipitação pode ocorrer na forma de chuva, granizo ou neve e está relacionada, principalmente, à umidade atmosférica. V. A diferença entre as temperaturas máxima e mínima é maior no interior dos continentes e a continentalidade exerce grande influência sobre essa amplitude térmica. a) Estão incorretas as afirmativas I, III e V. b) Estão incorretas as afirmativas II, IV. c) Estão incorretas as alternativas I, IV e V. d) Apenas a afirmativa III está incorreta. e) Todas as afirmativas estão incorretas. D

6 EL NIÑO O FENÔMENO EL NIÑO É UMA MUDANÇA NO SISTEMA OCEANO-ATEMOSFERA DO PACÍFICO-LESTE PROVOCADA PELO AUMENTO ANORMAL DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE DA ÁGUA NESSA REGIÃO, SEGUINDO MAIS OU MENOS A LINHA DO EQUADOR(ÁREA CENTRAL DO OCEANO PACÍFICO).

7

8 EFEITOS DO EL NIÑO NO BRASIL REGIÕES NORTE E NORDESTE - O EL NIÑO DIMINUI AS CHUVAS NO LESTE E NOROESTE DA AMAZÔNIA ELEVA AS TEMPERATURAS MÉDIAS E DIMINUI AS CHUVAS NO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO REGIÃO SUL - EL NIÑO AUMENTA A INTENSIDADE DAS CHUVAS (PRIMAVERA DO PRIMEIRO ANO E OUTONO E INÍCIO DO INVERNO NO SEGUNDO ANO

9 (UFT) El Niño é um fenômeno oceânico caracterizado pelo aquecimento incomum das águas superficiais nas porções central e leste do oceano pacífico, nas proximidades da América do Sul, mais particularmente na costa do Peru. A corrente de águas quentes que ali circula, em geral, na direção sul no início do verão, somente recebe o nome de El Niño quando a anomalia térmica atinge proporções elevadas (1ºC) ou muito elevadas (de 4 a 6ºC) acima da média térmica, que é de 23ºC. Este fenômeno se faz notar com maior evidência nas costas peruanas, pois as águas provenientes do fundo oceânico (fenômeno conhecido como ressurgência) e da corrente marinha de Humboldt são interceptadas por águas quentes oriundas do norte e oeste. Essa alteração regional assume dimensões continentais e planetárias à medida que provoca desarranjos de toda a ordem em vários climas da Terra. (Mendonça e Danni-Oliveira, 2007

10 Ainda sobre a influência do fenômeno El Niño na dinâmica climática mundial pode-se afirmar que: I. Afetando a dinâmica climática em escala global, a ocorrência do fenômeno gera bruscas alterações climáticas no mundo. II. Influenciando a dinâmica climática em escala global, o fenômeno gera impactos generalizados sobre as atividades humanas causados por inúmeras catástrofes ligadas a severas secas, inundações e ciclones. III. Mesmo com maior influência nas costas peruanas, o fenômeno não interfere na dinâmica climática local e regional. IV. Além de atuar na costa pacífica da América do Sul, o El Niño provoca graves perturbações climáticas (secas anormais ou, ao contrário, ciclones e chuvas com totais pluviométricos extremamente elevados em relação às normais locais e regionais) em regiões isentas de tais eventos. V. Apesar de atuar na costa pacífica da América do Sul este fenômeno não traz mudanças climáticas significativas para a região. Com base no texto, as assertativas verdadeiras são: a) I, II, III e IV b) I, III, IV e V c) II, IIII, e IV d) I, II, e IV e) II, IV e V D

11 EFEITO ESTUFA

12 EFEITO ESTUFA O EFEITO ESTUFA É UM PROCESSO NATURAL EM QUE A ATMOSFERA ABSORVE ENERGIA SOLAR, AQUECENDO A TERRA O SUFICIENTE PARA QUE POSSA ABRIGAR VIDA. MUITOS CIENTISTAS ACREDITAM QUE AS ATIVIDADES HUMANAS QUE AUMENTAM OS "GASES DO EFEITO ESTUFA" ESTÃO PROVOCANDO UM AQUECIMENTO EXAGERADO DA ATMOSFERA. ENTRE ESSES GASES ESTÃO O DIÓXIDO DE CARBONO, EMITIDO PELA QUEIMA DE COMBUSTÍVEL FÓSSIL E PELO DESMATAMENTO, E O METANO, EMITIDO EM CAMPOS DE ARROZ IRRIGADO E DE DEPÓSITOS DE LIXO.

13

14 PERIGO O NÍVEL DOS OCEANOS ESTÁ SUBINDO DEVIDO AO AQUECIMENTO GLOBAL. A ESPESSURA DO GELO NO OCEANO ÁRTICO FICOU 40 % MENOR NOS ÚLTIMOS QUARENTA ANOS. AUMENTOU O VOLUME DE CHUVAS NO HEMISFÉRIO NORTE, COM MAIS TEMPESTADES E ENCHENTES. AS SECAS TORNARAM-SE MAIS FREQÜENTES E INTENSAS NA ÁFRICA E NA ÁSIA.

15

16 SE A ANTÁRTIDA PERDER SEU GELO, O NÍVEL DOS OCEANOS PODE SUBIR ATÉ 65 METROS. O PAINEL INTERGOVERNAMENTAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE MUDANÇAS NO CLIMA PREVIU QUE A TEMPERATURA MÉDIA DA SUPERFÍCIE DA TERRA SUBA ENTRE 1,4 E 5,8 GRAUS CELSIUS ANTES DA VIRADA DO PRÓXIMO SÉCULO, E ISSO DEVIDO AO AUMENTO DA CONCENTRAÇÃO NA ATMOSFERA DE GÁS CARBÔNICO E DE OUTRAS SUBSTÂNCIAS QUE PROVOCAM O EFEITO ESTUFA.

17 O DIÓXIDO DE CARBONO (CO2) É O "GÁS DO EFEITO ESTUFA" QUE MAIS PREOCUPA. UMA QUANTIDADE LIMITADA DE CARBONO É ENCONTRADA EM COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS, NO MAR, EM SERES VIVOS E NA ATMOSFERA. SEM A INFLUÊNCIA HUMANA, A TRANSFERÊNCIA ENTRE ESSES DEPÓSITOS SEMPRE FOI BALANCEADA. AS PLANTAS ABSORVEM O GÁS CARBÔNICO DURANTE A FOTOSSÍNTESE, E EMITEM QUANDO SE DECOMPÕEM. COM ATIVIDADES HUMANAS COMO O DESMATAMENTO E A QUEIMA DE COMBUSTÍVEL FÓSSIL, UMA QUANTIDADE EXTRA DE GÁS CARBÔNICO É EMITIDA, AUMENTANDO O EFEITO ESTUFA.

18 EFEITO 'FEEDBACK ' 1. SUPERFÍCIE COBERTA DE GELO REFLETE FORTEMENTE A RADIAÇÃO SOLAR. 2. À MEDIDA QUE UM POUCO DE GELO DERRETE, MENOS RADIAÇÃO SOLAR É REFLETIDA. 3. ISSO PROVOCA MAIS AQUECIMENTO, O QUE FAZ COM QUE MAIS GELO DERRETA. 4. A CAMADA DE GELO É REDUZIDA, O QUE FAZ COM QUE A FORMAÇÃO DE NOVAS CAMADAS SEJA CADA VEZ MAIS DIFÍCIL.

19 CORRENTE DO GOLFO 1. AS CORRENTES DE SUPERFÍCIE CARREGAM A ÁGUA QUENTE E SALGADA DOS TRÓPICOS. 2. A ÁGUA FRIA DOS PÓLOS DESCE AO FUNDO DO OCEANO. 3. ESTA ÁGUA FRIA VOLTA AO EQUADOR, FORMANDO, ASSIM, UM CICLO CONTÍNUO: DOS PÓLOS AO EQUADOR A ÁGUA É FRIA E PESADA, E DO EQUADOR AOS PÓLOS, ELA É QUENTE E SUPERFICIAL. POR ESSE PROCESSO, A CORRENTE DO GOLFO AQUECE O NORTE DA EUROPA. 4. A ÁGUA PROVENIENTE DO DERRETIMENTO DO GELO DILUI A ÁGUA QUENTE E SALGADA VINDA DOS TRÓPICOS. 5. A ÁGUA SE TORNA MENOS DENSA E NÃO AFUNDA RAPIDAMENTE, PREJUDICANDO O CICLO E, CONSEQÜENTEMENTE, A CORRENTE DO GOLFO.

20 FREQUENTE NOS MESES DE INVERNO FENÔMENO NATURAL INTENSIFICADO PELA EMISSÃO DE POLUENTES COMUM NAS GRANDES CIDADES FONTE: GAZETA DO POVO - CURITIBA

21 UM NEVOEIRO DERIVADO DA POLUIÇÃO, CHAMADO DE SMOG, CERCA O MONUMENTO AO ANJO NA CIDADE DO MÉXICO, NO MÉXICO, DURANTE UMA INVERSÃO TÉRMICA. A POLUIÇÃO AUMENTA DRASTICAMENTE ENQUANTO UMA MASSA DE AR FRIO ESTÁ PRESA SOB UMA MASSA DE AR MAIS QUENTE, ESTE ESTADO PERMANECE INALTERADO ENQUANTO A AUSÊNCIA DE VENTO IMPEDE QUE A POLUIÇÃO PRÓXIMA DO CHÃO SE ESCAPE.

22 (FUVEST) Em algumas cidades, pode-se observar no horizonte, em certos dias, a olho nu, uma camada de cor marrom. Essa condição afeta a saúde, principalmente, de crianças e de idosos, provocando, entre outras, doenças respiratórias e cardiovasculares. Acessado em 20/06/2009. Adaptado

23 As figuras e o texto acima referem-se a um processo de formação de um fenômeno climático que ocorre, por exemplo, na cidade de São Paulo. Trata-se de a) ilha de calor, caracterizada pelo aumento de temperaturas na periferia da cidade. b) zona de convergência intertropical, que provoca o aumento da pressão atmosférica na área urbana. c) chuva convectiva, caracterizada pela formação de nuvens de poluentes que provocam danos ambientais. d) inversão térmica, que provoca concentração de poluentes na baixa camada da atmosfera. e) ventos alíseos de sudeste, que provocam o súbito aumento da umidade relativa do ar. D

24 (UFRN) No dia 19 de junho de 2010, a cidade do Rio de Janeiro amanheceu sob a influência de um forte nevoeiro, que dificultava a visibilidade, interferindo no ritmo das atividades urbanas. O ar quente permaneceu acima da camada de ar frio, que ficou retida nas proximidades da superfície, favorecendo a concentração de poluentes. O que foi vivenciado nesta cidade é um fenômeno climático que pode ocorrer em qualquer época do ano, sendo mais comum no inverno. Nessa época, as chuvas são mais raras, dificultando, ainda mais, a dispersão dos poluentes, o que causa um problema ambiental. O fenômeno climático descrito no texto é conhecido como, a) efeito estufa. b) ilhas de calor. c) inversão térmica. d) chuva ácida. C

25

26 (UFRJ) As “ilhas de calor” As imagens de satélite constituem hoje um instrumento essencial ao conhecimento das mudanças ambientais que ocorrem na superfície da Terra. As figuras a seguir são da cidade de Atlanta (EUA) e foram feitas pela NASA em A partir da observação das figuras, aponte dois fatores responsáveis pela formação de “ilhas de calor” em áreas urbanas.

27 Resolução: Entre os fatores responsáveis pela formação de ilhas de calor em áreas urbanas estão: a elevada densidade de construções e redução das áreas verdes; a presença de atividades emissoras de poluentes; o consumo intensivo de combustíveis fósseis em diferentes atividades urbanas; a alteração do albedo em função dos materiais utilizados nas construções (asfalto e concreto).

28 (UERJ) Na figura abaixo, está representado um fenômeno comum em grandes aglomerações urbanas, como a cidade de Londres. Explique a ocorrência do fenômeno representado na figura e cite duas ações do poder público sobre os espaços urbanos capazes de atenuar esse fenômeno.

29 Resposta: O fenômeno, conhecido como ilha de calor, resulta da elevação das temperaturas médias nas áreas urbanizadas das grandes cidades, em comparação com as zonas rurais, em função das diferenças de irradiação de calor. Duas das ações: - aumento da área dedicada a parques, praças e jardins públicos - criação de unidades de conservação para preservação de áreas de vegetação nativa ainda existentes - redefinição da legislação referente ao zoneamento urbano para redução da densidade das construções - definição de normas para as construções em área urbana, como a adoção de materiais e técnicas de redução da irradiação de calor

30 (UCSRS) Entre as maiores causas da poluição atmosférica estão a queima dos combustíveis fósseis e os resíduos gasosos da indústria. Isso provoca hoje alguns fenômenos climáticos que estão sendo acompanhados por cientistas. Considerando os fenômenos climáticos, listados na Coluna A, associe-os às características que os identificam, elencadas na Coluna B COLUNA A 1. Inversão Térmica 2. Ilhas de Calor 3. Efeito Estufa COLUNA B ( ) Desequilíbrio da composição atmosférica com elevação de dióxido de carbono, causada pela queima de combustíveis fósseis, florestas e outros. ( ) Fenômeno natural, freqüente nos meses de inverno, geralmente ocorre no final da madrugada e no início da manhã. ( ) Fenômeno antrópico, típico de aglomerações urbanas, com elevação das temperaturas médias, se comparadas às das zonas rurais. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo. a) 3 – 1 – 2 b) 1 – 2 – 3 c) 2 – 1 – 3 d) 3 – 2 – 1 e) 1 – 3 – 2

31 (IFPA) A respeito dos principais fenômenos climáticos recorrentes nas cidades, é correto afirmar: a) Friagem é o fenômeno natural mais frequente nos meses de verão, em períodos de penetração de massas de ar frio, acontecendo em escala local por apenas algumas horas. b) Efeito Estufa é um fenômeno natural e fundamental para a vida, que consiste na retenção de calor irradiado pela superfície terrestre, contribuindo para o equilíbrio térmico do planeta. c) Inversão Térmica é um fenômeno climático ocasionado por elevadas temperaturas, principalmente nas áreas centrais das cidades, onde existem poucas áreas verdes. d) El niño é o fenômeno climático resultante de alteração antropogênica, tais como verticalização, redução de áreas verdes, impermeabilização do solo, ocasionando a elevação da temperatura. e) La niña é o fenômeno natural mais frequente nos meses de verão, em períodos de penetração de massas de ar quente, acontecendo em escala local por apenas algumas semanas. B

32 (UCS/RS) A atmosfera terrestre é formada por diversos gases importantes para a vida. É na atmosfera que se desenvolve o clima e o tempo. Sobre o clima é correto afirmar que a) é o estado momentâneo da atmosfera que influencia todo o Globo. b) à medida que a altitude aumenta, a temperatura diminui. c) quando nos afastamos da costa, encontramos amplitudes térmicas menores. d) as massas de ar influenciam apenas os climas frios, pois, nos climas quentes, elas não conseguem penetrar. e) quanto menor a latitude, menor é a temperatura em função da baixa umidade. B

33 INVERSÃO TÉRMICA: O AR FRIO FICA RETIDO NAS CAMADAS INFERIORES DA ATMOSFERA

34 AS CIDADES APRESENTAM TEMPERATURAS MÉDIAS MAIORES DO QUE AS ZONAS RURAIS DE MESMA LATITUDE. DENTRO DELAS, AS TEMPERATURAS AUMENTAM DAS PERIFERIAS EM DIREÇÃO AO CENTRO. EM CASOS EXTERNOS, A DIFERENÇA DE TEMPERATURA ENTRE AS ZONAS PERIFÉRICAS E O CENTRO PODE ATINGIR ATÉ 10 º C. O USO DE GRANDE QUANTIDADE DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EM AQUECEDORES, AUTOMÓVEIS E INDÚSTRIAS TRANSFORMA A CIDADE EM UMA FONTE INESGOTÁVEL DE CALOR.

35 A CHUVA ÁCIDA É PROVOCADA PRINCIPALMENTE POR FÁBRICAS E CARROS QUE QUEIMAM COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS, COMO O CARVÃO E O PETRÓLEO. CHUVA ÁCIDA

36  OS LAGOS PODEM SER PREJUDICADOS COM O EFEITO DA CHUVA ÁCIDA, POIS PODEM PERDER TODA A VIDA EXISTENTE NELE.  A CHUVA ÁCIDA ABRE CLAREIRAS, PODENDO DESTRUIR FLORESTAS.  A CHUVA ÁCIDA AFETA AS PLANTAÇÕES QUASE DO MESMO JEITO QUE AS FLORESTAS, SÓ QUE MAIS RÁPIDO, TENDO ASSIM AS ÁREAS ATINGIDAS.  METAIS TÓXICOS QUE ESTAVAM NO SOLO PODEM ALCANÇAR RIOS E SEREM UTILIZADOS PELO HOMEM CAUSANDO SÉRIOS PROBLEMAS DE SAÚDE.  A CHUVA ÁCIDA TAMBÉM AJUDA A CORROER OS MATERIAIS USADOS NAS CONSTRUÇÕES COMO CASAS, EDIFÍCIOS E ARQUITETURA, DESTRUINDO REPRESAS, TURBINAS HIDRELÉTRICAS

37

38 • TRANSPORTE COLETIVO. • METRÔS EM SUBSTITUIÇÃO À FROTA DE ÔNIBUS A DIESEL. • FONTES DE ENERGIA MENOS POLUENTES, COMO ENERGIA HIDRELÉTRICAS, ENERGIA GEOTÉRMICA, ENERGIA EÓLICA • COMBUSTÍVEIS COM BAIXO TEOR DE ENXOFRE. COMO EVITAR A CHUVA ÁCIDA

39 Ozônio (O 3 ) CONCENTRADO ENTRE 15 E 35 KM DE ALTITUDE É FORMADO QUANDO SOB A INFLUÊNCIA DA RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA DO SOL, AS MOLÉCULAS DE OXIGÊNIO SE ROMPEM E OS ÁTOMOS SEPARANDO-SE COMBINAM-SE INDIVIDUALMENTE COM OUTRAS MOLÉCULAS DE OXIGÊNIO.

40 SUA IMPORTÂNCIA É QUE A CAMADA FORMA UMA BARREIRA SOB A TERRA, BLOQUEANDO A PENETRAÇÃO DAS RADIAÇÕES ULTRA-VIOLETAS DO SOL. SEM A CAMADA DE OZÔNIO NÃO SERIA POSSÍVEL A VIDA NA TERRA, POIS ELA RETÊM 95% DAS RADIAÇÕES ULTRAVIOLETAS.

41 Buraco na camada de ozônio é um termo popular usado para definir uma área em que o ozônio se encontra em menos concentração que o esperado. O buraco na camada de ozônio é um grande problema para a humanidade atualmente. Desde a década dos anos 80 vem sendo constatada uma queda da concentração do ozônio sobre a Antártica, em uma área de 60% da concentração normal. Recentemente foram encontradas novas áreas com baixa concentração de ozônio, agora também no hemisfério norte.

42 MAIOR INCIDÊNCIA DE RADIAÇÕES ULTRAVIOLETA SOBRE A TERRA = MAIOR INCIDÊNCIA DOS VÁRIOS TIPOS DE PROBLEMAS NA PELE HUMANA. O EXCESSO DE UVS AFETA A FOTOSSÍNTESE = A PLANTA DEMORA A CRESCER, TEM FOLHAS PEQUENAS, SUAS SEMENTES PERDEM QUALIDADE E ELA FICA MAIS EXPOSTA AO ATAQUE DAS PRAGAS = REDUÇÃO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS É POSSÍVEL QUE AS UVS DESTRUAM O FILOPLÂNCTON, GRANDE RESPONSÁVEL PELA PRODUÇÃO DE OXIGÊNIO DO MUNDO E ALIMENTO DE MUITAS ESPÉCIES MARÍTIMA AS RADIAÇÕES PODEM MODIFICAR A DISTRIBUIÇÃO TÉRMICA E A CIRCULAÇÃO DO AR NO PLANETA = REAÇÕES E ACELERAÇÃO DE ALGUNS PROCESSOS METABÓLICOS E DE DECOMPOSIÇÃO QUE PRODUZEM METADE DO, MONÓXIDO E DIÓXIDO DE CARBONO = AGRAVAMENTO DO EFEITO ESTUFA.

43 A Antártida é a região mais afetada pela destruição da camada de ozônio Isso acontece na Antártida porque o ar de lá, devido ao rigoroso inverno, não circula pelo mundo, com A DINÂMICA dos outros lugares. Foi constatado que na Antártida a concentração de monóxido de cloro é 100 vezes maior do que em qualquer parte do mundo.

44 (UEPB) Estabeleça a correlação entre as características dos conceitos estabelecidos na coluna I. (1) Ilha de calor (2) Inversão térmica (3) Chuva ácida (4) Zona de convergência intertropical ( ) É um fenômeno meteorológico que provoca grandes danos à saúde da população urbana, em decorrência dos poluentes que ficam retidos nas camadas baixas da atmosfera. ( ) É um dos mais importantes sistemas meteorológicos que atuam nos trópicos. Ela é parte integrante da circulação geral da atmosfera. ( ) Corresponde ao aumento da produção de calor na área urbana. É resultante da vegetação escassa, do excesso de concreto e asfalto. ( ) Produzida por gotas de água carregadas de ácidos, resultantes dos resíduos poluentes depositados na atmosfera pelas indústrias, automóveis etc. Esses resídios entram em reação química com água formando o ácido sulfúrico, os quais se precipitam em forma de chuva. A alternativa que apresenta a sequência correta é: a) b) c) d) e) A

45 PLANETA ÁGUA A ESCASSEZ DE ÁGUA POTÁVEL ATINGE 2 BILHÕES DE PESSOAS. NESSE RITMO, DENTRO DE 25 ANOS SERÃO 4 BILHÕES. A ÁGUA CONTAMINADA PELO DESCASO AMBIENTAL MATA 2,2 MILHÕES DE PESSOAS POR ANO. 3 MILHÕES DE MORTES SÃO CAUSADAS ANUALMENTE PELA POLUIÇÃO DO AR. AS EMISSÕES DE CARBONO, O PRINCIPAL POLUIDOR DO AR, AUMENTARAM EM 10% DESDE 1991

46 Aqüífero Guarani

47 (UEPB) Observe o gráfico da distribuição da água doce na superfície do planeta.

48 Com base nos conhecimentos sobre o tema e o auxílio do gráfico, podemos afirmar: I - A distribuição desigual dos recursos hídricos é apenas uma face da problemática escassez de água potável no mundo; o desequilíbrio entre sua oferta e demanda passa também pela poluição dos grandes mananciais e pelas possibilidades das populações pobres terem acesso à água tratada. II - A América do Sul, que sozinha detém quase 1/3 da água doce do planeta, se configura como área estratégica. Mas também enfrenta problema, com a ambiguidade entre o desperdício e a escassez de abastecimento de água potável entre as camadas de suas populações. III - Os recursos hídricos estão equitativamente bem distribuídos por todos os continentes e dentro deles a carência de acesso a esse bem renovável se dá não por escassez, mas simplesmente por questões políticas, tais como no Nordeste brasileiro e no Saara, onde o subsolo guarda grandes reservas de água doce que poderiam abastecer as populações e desenvolver a agricultura irrigada sem problema. IV - As estatísticas da distribuição da água pelo planeta por si não revelam toda a realidade de acesso, ou não, das populações a esse líquido, tal como ocorre com a Ásia, que, embora detenha um dos maiores percentuais da água doce do planeta, também detém a maior população, parte vivendo em pobreza absoluta e alguns povos em áreas de escassez, onde o acesso à água é causa de conflitos. Estão corretas apenas as proposições a) I, II e III b) I, II e IV c) II, III e IV d) I, III e IV e) II e III B


Carregar ppt "O MEIO AMBIENTE NA ATUALIDADE PROF. ARILSON C. SILVA – GEOGRAFIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google