A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Totalidade. • Áreas cognitivas, emocional e social.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Totalidade. • Áreas cognitivas, emocional e social."— Transcrição da apresentação:

1 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Totalidade. • Áreas cognitivas, emocional e social

2 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Maiores contribuições: • Pedagogia e psicologia. • Da Psicologia as contribuições surgem sobretudo das escolas psicanalíticas, piagetiana e da psicologia social.

3 UNIDADE II-BASE TEÓRICA A Psicanálise encarrega-se do mundo inconsciente, das representações profundas, operantes através da dinâmica psíquica que se expressa por sintomas e símbolos, permitindo-nos levar em conta a face desejante do homem;

4 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Psicopedagogia vs Psicologia Educacional; – 1. diferença quanto à origem histórica: PE-fracasso escolar Ps-problemas específicos -2. Formação; PE- especialização da psicologia Ps-especialização de vários cursos. -3. diferença em relação ao campo de atuação: PE o trabalho se realiza nos limites da Psicologia, enquanto o trabalho. Ps-se realiza na interface da Psicologia e da Pedagogia

5 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Algumas das outras contribuições: • - a Psicologia Social encarrega-se da constituição dos sujeitos, que responde às relações familiares, grupais e institucionais, em condições socioculturais e econômicas específicas e que contextuam toda aprendizagem;

6 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • - a Epistemologia e a Psicologia Genética se encarregam de analisar e descrever o processo construtivo do conhecimento pelo sujeito em interação com os outros e com os objetos;

7 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • - a Linguística traz a compreensão da linguagem como um dos meios que caracterizam o tipicamente humano e cultural: a língua enquanto código disponível a todos os membros de uma sociedade e a fala como fenômeno subjetivo, evolutivo e historiado de acesso ä estrutura simbólica;

8 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • - a Pedagogia contribui com as diversas abordagens do processo ensino- aprendizagem, analisando-o do ponto de vista de quem ensina;

9 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • - os fundamentos na Neuropsicologia possibilitando a compreensão dos mecanismos cerebrais que subjazem ao aprimoramento das atividades mentais, indicando-nos a que correspondem, do pondo de vista orgânico, todas as evoluções ocorridas no plano psíquico.

10 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • LER TEXTO7- A psicanálise relaciona-se à psicopedagogia enquanto teoria que abrange a compreensão da dinâmica do aparelho psíquico e, em especial, do desenvolvimento emocional do sujeito. Deste modo, nos auxilia a compreender melhor o sujeito com o qual trabalhamos em psicopedagogia, bem como as dificuldades que ele apresenta.

11 UNIDADE II-BASE TEÓRICA • A diferença existente entre Psicopedagogia e Psicanálise está em seu próprio objeto de trabalho: a Psicopedagogia trabalha com questões relacionadas à aprendizagem, tanto no que diz respeito ao processo quanto ao que diz respeito às dificuldades encontradas neste processo; tanto no que diz respeito ao sujeito quanto ao que diz respeito ao grupo ou à instituição

12 PSICOPEDAGOGIA Em uma analise interdisciplinar o diagnostico pode provar que além do aluno mais alguém precisa de tratamento.

13 1.História social Assistente social - Informação sobre a dinâmica familiar; - Determinar o que significa para a família toda a dimensão dos problemas da criança; - Dados mesológicos. 2.Exame médico Pediatra - Nível de saúde da criança, história clínica, identificação de problemas biomédicos ou genéticos, marcos do desenvolvimento, anamnese. 3.Exame neurológico Neurologista - Informação sobre algum envolvimento do SNC, lesão cerebral, EEG, determinar as funções e disfunções ÁREA TÉCNICO TIPO DE INFORMAÇÃO

14 4.Exame psicológicoPsicológico - Informações de testes (dados psicométricos) e de observações informais; Medir o nível de realização em várias áreas e detectar respostas emocionais em testes projetivos; perfil intra- individual, modelos de informação, intra ou intersensorial. 5.Exame auditivo Audiologista (ou Enfermeira de Saúde Pública) - Informação sobre o audiograma e determinar o tipo de desordem. 6.Exame visualOftalmologista (ou Enfermeira de Saúde Pública) - Detecção de algum problema visual (discriminação, figura-fundo, etc.)

15 7.Exame de linguagem Terapeuta da Fala - Identificar o nível de compreensão e de utilização de palavras e conceitos. 8.Exame educacional Professor especial Psicopedagogo - Determinar o estilo de aprendizagem e áreas fortes e fracas; PEI (programa educacional individualizado)

16 PSICOPEDAGOGIA • 3-CAMPO DE ATUAÇÃO DA PSICOPEDAGOGIA • ESPAÇO FÍSICO • ESPAÇO EPISTEMOLÓGICO (TEORIA DO CONHECIMENTO)

17 PSICOPEDAGOGIA • A PRÁXIS PSICOPEDAGÓGICA • O campo de atuação está se ampliando, pois o que inicialmente caracterizava-se somente no aspecto clínico (Psicopedagogia Clínica), hoje pode ser aplicado no segmento escolar (Psicopedagogia Institucional) e ainda em segmentos hospitalares, empresariais e em organizações que aconteçam a gestão de pessoas.

18 PSICOPEDAGOGIA • O aspecto clínico é realizado em Centros de Atendimento ou Clínicas Psicopedagógicas e as atividades ocorrem geralmente de forma individual. • O aspecto institucional, como já mencionado, acontecerá em escolas e organizações educacionais e está mais voltada para a prevenção dos insucessos relacionais e de aprendizagem, se bem que muitas vezes, deve-se considerar a prática terapêutica nas organizações como necessária.

19 PSICOPEDAGOGIA • • A-PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA • Na Medicina, ciência de onde se originou o termo clínico, o médico observa o paciente, vê o que se passa, escuta o discurso para fazer o diagnóstico e proceder o tratamento.

20 PSICOPEDAGOGIA • O trabalho clínico se dá na relação entre um sujeito com sua história pessoal e sua modalidade de aprendizagem, buscando compreender a mensagem de outro sujeito, implícita no não-aprender. Nesse processo, onde o investigador e o objeto-sujeito de estudo interagem constantemente, a própria alteração tornar-se alvo de estudo da Psicopedagogia. Isto significa que, nesta modalidade de trabalho, deve o profissional compreender o que o sujeito aprende como aprende e por que, além de perceber a dimensão da relação entre psicopedagogo e sujeito de forma a favorecer a aprendizagem.

21 PSICOPEDAGOGIA • A práxis psicopedagógica é entendida como o conhecimento dos processos de aprendizagem nos seus aspectos cognitivos, emocionais e corporais. • Diagnostica, orienta, atende em tratamento e investiga os problemas emergentes nos processos de aprendizagem. Esclarece os obstáculos que interferem para haver uma boa aprendizagem. Favorece o desenvolvimento de atitudes e processos de aprendizagem adequados. Realiza o diagnóstico- psicopedagógico, com especial ênfase nas possibilidades e perturbações da aprendizagem; esclarecimento e orientação ocacional operativa em todos os níveis educativos.

22 PSICOPEDAGOGIA • A psicopedagogia no campo clínico emprega como recurso principal a realização de entrevistas operativas delicadas e a progressiva resolução da problemática individual e/ou grupal daqueles que a consultam.

23 PSICOPEDAGOGIA • Lino Macedo(1990) fala sobre as atividades do psicopedagogo- • -1- Orientação de estudos- Consiste em organizar a vida escolar do aluno, quando este não sabe fazê-lo. Procura-se promover o melhor uso do tempo e a elaboração de uma agenda e tudo aquilo que é necessário ao “como estudar” (como ler um texto, como escrever, como estudar para uma prova, etc.).

24 PSICOPEDAGOGIA • -2- Apropriações dos conteúdos escolares- O psicopedagogo visa propiciar o domínio de disciplinas escolares em que a criança não vem tendo um bom aproveitamento. Ele se diferencia do professor particular, pois o conteúdo escolar é usado apenas como uma estratégia para ajudar e fornecer ao aluno o domínio de si próprio e as condições necessárias ao desenvolvimento cognitivo.

25 PSICOPEDAGOGIA • -3- Desenvolvimento do raciocínio- Trabalho feito com processos de pensamento necessários ao ato de aprender. Os jogos são muito utilizados, pois são férteis no sentido de criarem um contexto de observação e diálogo sobre processos de criar e de construir o conhecimento. Este procedimento pode promover um desenvolvimento cognitivo maior do que aquele que as escolas costumam conseguir.

26 PSICOPEDAGOGIA • -4- Atendimento de crianças- A Psicopedagogia se presta a atender deficientes mentais, autistas ou com comprometimento orgânico mais graves, podendo até substituir o trabalho da escola. • Obs: As quatro atividades não são excludentes entre si e nem em relação a outras. • O atendimento psicopedagógico poderá. Em determinados casos, recorrer a propostas corporais, artísticas, etc

27 PSICOPEDAGOGIA • Para Janine Mery(1985), O psicopedagogo é um professor de um tipo particular que realiza sua tarefa de pedagogo sem perder de vista os propósitos terapêuticos da sua ação. Seu trabalho deve ser encarado como possuindo as seguintes especificidades: • -o distúrbio de aprendizagem”é encarado como uma manifestação de uma perturbação que envolve a totalidade da personalidade.

28 PSICOPEDAGOGIA • - o desenvolvimento infantil é considerado a partir de uma perspectiva dinâmica, e é dentro dessa evolução dinâmica que o sintoma “distúrbio de aprendizagem” é estudado. Assim, se for oferecida uma relação melhor e diferente à criança, ela deverá retomar a sua evolução normal;

29 PSICOPEDAGOGIA • - a neutralidade do papel de psicopedagogo é negada, e este conhece a importância da relação transferencial entre o profissional e o sujeito da aprendizagem. • - o objetivo do psicopedagogo é levar o sujeito a reintegrar-se à vida escolar norma, respeitando as suas possibilidades e interesses.

30 PSICOPEDAGOGIA – B-– Psicopedagogia Institucional – A psicopedagogia vem atuando com muito sucesso nas diversas Instituições, sejam escolas, hospitais e empresas. Seu papel é analisar os fatores que favorecem intervêm ou prejudicam uma boa aprendizagem em uma instituição. Propõe e ajuda o desenvolvimento dos projetos favoráveis a mudanças.

31 PSICOPEDAGOGIA – Portanto o objetivo do psicopedagogo é o de: • - Conduzir a criança ou adolescente, o adulto ou a Instituição a reinserir-se, reciclar-se numa escolaridade normal e saudável, de acordo com as possibilidades e interesses dela. • Promover a aprendizagem, garantindo o bem estar das pessoas em atendimento profissional, valendo-se dos recursos disponíveis, incluindo a relação interprofissional.

32 PSICOPEDAGOGIA • Atender indivíduos que apresentem dificuldades para aprender por diferentes causas, estando assim, inadaptados social ou pedagogicamente. • Encorajar aquele que aprende à tornar-se cada vez mais autônomo em relação ao meio, em interagir com os colegas e resolver os conflitos entre eles mesmos; a ser independente e curioso; a usar iniciativa própria; Ter confiança na habilidade de formar idéias próprias das coisas; a exprimir suas idéias com convicção e conviver construtivamente com medos e angústias.

33 PSICOPEDAGOGIA • A Psicopedagogia tem muito a ensinar sobre o vínculo professor/aluno, professor/escola e sua incidência na construção do conhecimento e na constituição subjetiva de alunos e educadores. • A Psicopedagogia tem trabalhado com as relações entre as modalidades de ensino da escola e dos professores e as modalidades de aprendizagem de alunos e educadores.

34 PSICOPEDAGOGIA • O Psicopedagogo têm realizado trabalhos com grupos de educadores resgatando suas histórias de aprendizagem, ressignificando seus modelos de aprendentes/ensinantes; têm proporcionado a abertura de espaços vivencias para que os educadores reconheçam a própria autoria de pensamento, permitindo assim que seus alunos também sejam sujeitos pensantes. Espaços onde os educadores se conectam com a angústia de conhecer e de desconhecer redimensionando seus vínculos com os alunos.

35 PSICOPEDAGOGIA • C- FUNÇÃO PREVENTIVA • No trabalho em uma instituição o psicopedagogo pode desempenhar uma função que busque prevenir o surgimento de dificuldades de aprendizagem. • (Bossa,2000) Ela ocorre na ação do psicopedagogo dentro da instituição: • -Detectar possíveis perturbações no processo aprendizagem; • -participar da dinâmica das relações da comunidade educativa, a fim de favorecer processos de integração e troca;

36 PSICOPEDAGOGIA • -promover orientações metodológicas de acordo com as características dos indivíduos e grupos; • -realizar processos de orientação educacional, vocacional e ocupacional, tanto na forma individual quanto em grupo. • - No trabalho preventivo, a instituição, enquanto espaço físico e psíquico da aprendizagem, é o objeto de estudo da Psicopedagogia, uma vez que são avaliados os processos didático-metro- dológicos e a dinâmica institucional que interferem no processo de aprendizagem

37 PSICOPEDAGOGIA • - Psicopedagogia familiar, ampliando a percepção sobre os processos de aprendizagem de seus filhos, resgatando a família no papel educacional, complementar à escola, diferenciando as múltiplas formas de aprender, respeitando as diferenças dos filhos. • - Psicopedagogia empresarial, ampliando formas de treinamento, resgatando a visão do todo, as múltiplas inteligências, trabalhando a criatividade e os diferentes caminhos para buscar saídas, desenvolvendo o imaginário, a função humanística e dos sentimentos na empresa, ao construir projetos e dialogar sobre eles.

38 PSICOPEDAGOGIA • - Psicopedagogia hospitalar, possibilitando a aprendizagem, o lúcido e as oficinas psicopedagógicas com os internos. • - Psicopedagogia escolar, priorizando diferentes projetos. • - Diagnóstico da escola. • - Busca da identidade da escola. • - Definições de papéis na dinâmica relacional em busca de funções e identidades, diante do aprender. • - Instrumentalização de professores, coordenadores, orientadores e diretores sobre práticas e reflexões diante de novas formas de aprender. • - Reprogramação curricular, implantação de programas e sistemas avaliativos. • -Oficinas para vivências de novas formas de aprender.

39 PSICOPEDAGOGIA • - Análise de conteúdo e reconstrução conceitual. • - Releitura, ressignificando sistemas de recuperação e reintegração do aluno no processo. • - O papel da escola no diálogo com a família.”

40 PSICOPEDAGOGIA • OUTRAS ÁREAS DE ATUAÇÃO • TEXTO-10- PSIC. EMPRESARIAL. • TEXTO-11- PSIC. HOSPITALAR • TEXTO- 12-PSIC. NÍVEL SUPERIOR

41 PSICOPEDAGOGIA • • AÇOES DO PSICOPEDAGOGO • Bossa(2000,p.91-92)Pensar a escola, à luz da Psicopedagogia, significa analisar um processo que inclui questões metodológicos, relacionais e socioculturais, englobando o ponto de vista de quem ensina e de quem aprende, abrangendo, conforme já dissemos, a participação da família e da sociedade. • Nesse trabalho preventivo junto à escola, deve-se levar em consideração, inicialmente, quem são os protagonistas dessa história: professor e aluno. Porém, estes não estão sozinhos : participam, também, a família e outros membros da comunidade que interferem no processo de aprendizagem- aqueles que decidem sobre as necessidades e prioridades escolares.

42 PSICOPEDAGOGIA • o aluno, ao ingressar no ensino regular, por volta de sete anos, traz consigo uma história vivida dentro do seu grupo familiar. Se sua história transcorreu sem maiores problemas, estará estruturado seu superego e poderá deslocar sua pulsão e objetos socialmente valorizados, ou seja, estará pronto para a sublimação.

43 PSICOPEDAGOGIA • O professor tem uma posição básica no processo educacional, na qual devem ser lembrados alguns aspectos: • -Deve estar ciente das diferenças individuais dos alunos; • - ciente das diferentes histórias de vidas desses; • - que muitos dos alunos não estão ali por vontade própria, mas ele sim. • - ter claro o que significa: aprender e ensinar, • -compreender a importância do que se ensina qual a função, • -ver o aluno, como um igual; • -se sentido como parte integrante de um processo.

44 PSICOPEDAGOGIA • As propostas de formação do docente devem oferecer ao professor condições para estabelecer uma relação saudável e madura com os seus alunos, pais e autoridades escolares. • Esse assunto mobiliza muito o interesse d Psicopedagogo, pois quando ele consegue influenciar no aperfeiçoamento, desse, ele acaba evitando o surgimento de diversos outros problemas. Essa é sem dúvida uma ação preventiva da práxis psicopedagógica.

45 PSICOPEDAGOGIA • ABORDAGEM TÉCNICA E AVALIACAO DO TRABALHO EDUCATIVO E PSICOPEDAGOGICO- • A Avaliação psicopedagógica deve anteceder a toda e qualquer proposta de intervenção, seja ela clínica ou institucional. • A avaliação deve ser feita também em relação à instituição. • A análise dos materiais didáticos, a proposta pedagógica, a metodologia empregada,da avaliação, associadas a entrevistas com professores, tem-se constituído em importante instrumento de avaliação.

46 PSICOPEDAGOGIA • A contribuição de outros profissionais, nessa avaliação se faz importante, fonoaudiólogo, neurologista, psicólogo e outros técnicos. • A análise da história recente da escola também é importante, saber se ocorreu alguma mudança importante dentro dela, na estrutura, na proposta pedagógica etc... • Nessa análise psicopedagógico não se pode ignorar a importância da participação dos pais ou familiares e da realidade social que essa instituição está inserida.

47 PSICOPEDAGOGIA • Para o retorno dos dados obtidos, uma sugestão: • -Seja feita por meio de inventário de coleta dos dados observados, em primeiro lugar destacando-se os pontos positivos para depois colocar os aspectos mais comprometidos; • -do estabelecimento de relações entre os dados, ao nível histórico e ao nível presente; • -das hipótese e prognósticos como detalhamento e explicação do diagnóstico.

48 PSICOPEDAGOGIA • TEXTO-13-CONSIDERAÇÕES SOBRE A INSTRUMENTAÇÃO DP PSIC • TEXTO RECURSOS A SEREM USADOS NO DIAGNOSTICO- FINAL DA TERCEIRA FOLHA EM DIANTE.

49 UNIDADE II-BASE TEÓRICA •, TEXTO-SEM NÚMERO ANTES DO 7- CAP SCOZ

50 UNIDADE II-BASE TEÓRICA

51


Carregar ppt "UNIDADE II-BASE TEÓRICA • Totalidade. • Áreas cognitivas, emocional e social."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google