A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Filosofia e Bioética  Prof. Nereu R. Haag  Tema: Aborto  Componentes do grupo:  Camila Minuzzi;  Gabriela Azevedo Arnt;  Natália Damaceno Z. Barbosa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Filosofia e Bioética  Prof. Nereu R. Haag  Tema: Aborto  Componentes do grupo:  Camila Minuzzi;  Gabriela Azevedo Arnt;  Natália Damaceno Z. Barbosa."— Transcrição da apresentação:

1 Filosofia e Bioética  Prof. Nereu R. Haag  Tema: Aborto  Componentes do grupo:  Camila Minuzzi;  Gabriela Azevedo Arnt;  Natália Damaceno Z. Barbosa  Data da apresentação: 10 de novembro de 2012.

2 Camila Minuzzi Gabriela Arnt Natália Zarske PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENFERMAGEM, NUTRIÇÃO E FISIOTERAPIA DISCIPLINA DE FILOSOFIA E BIOÉTICA Porto Alegre gravida.jpg

3 • A palavra aborto vem do latim abortus que significa expulsar prematuramente do útero feminino o nascituro viável ou não, ab, quer dizer privação, e ortus, nascimento. • É homicídio antecipado. Equivale ao assassinato. É matar um futuro adulto antes do nascimento. Fala-se de futurus homu no sentido que hoje se poderia dizer futuro adulto ou futuro cidadão. • Aborto é a supressão da vida do embrião humano antes do nascimento, podendo ser espontâneo ou provocado. O concílio Vaticano II, na Gaudium et spes, condena o aborto e defende a vida. • Evangelium vitae, define-o, como “crime abominável”, entendendo-o como a morte deliberada e direta, independentemente de forma como venha realizada, de um ser humano na fase inicial da sua existência. ABORTO

4 • É o estado biológico da mulher desde o momento da concepção, ou fecundação até o parto, é a definição dada pela ciência embriológica. • A razão não-científica define o início da gravidez a partir da nidação do embrião no útero feminino. • A aceitação do aborto na mentalidade, nos costumes e na própria lei é sinal eloqüente de uma perigosíssima crise de senso moral, que se torna cada vez mais incapaz de distinguir o bem do mal mesmo quando está em jogo o direito à vida. GRAVIDEZ

5 ABORTO NO BRASIL E NO MUNDO O aborto no Brasil é proibido por lei, exceto em duas situações: • Estrupo e risco de vida da gestante. Porém os hospitais não estão preparados para atender mulheres nessas situações; • O aborto é considerado uma das principais causas da maternidade materna; • Cerca de 60% dos leitos de ginecologia no Brasil são ocupados por mulheres com sequelas de aborto; • As mulheres com boas condições sociais e econômicas procuram as clínicas particulares, enquanto as mulheres pobres recorrem a “aborteiras”, chás, agulhas de crochê, etc; o que muitas vezes, traz como consequências infecções e até mesmo risco de vida.

6 VALORES CONFLITANTES EM JOGO NA ORIGEM DA PROVOCAÇÃO DO ABORTO A VIDA DA MÃE • É sabido que em determinados casos a vida da mãe corre perigo se a gravidez for levada adiante; • gravidez ectópica, o óvulo fecundado se desenvolve nas tubas uterinas; • O embrião não tem a possibilidade de crescer até a viabilidade e no decurso do seu crescimento causará ruptura; • A intervenção é cirúrgica para a retirada do feto e salvar a vida da mãe; • A escolha é entre dois valores, entre duas vidas humanas. A vida do feto não tem possibilidade de ser salva, somente a da mãe. Não seria razoável deixar que as duas vidas morressem.

7 VALORES CONFLITANTES EM JOGO NA ORIGEM DA PROVOCAÇÃO DO ABORTO SAÚDE DA MÃE • O aborto por indicação médica terapêutica,a vida do feto se opõe à saúde de uma mulher grávida. • É a eliminação do embrião coloca em perigo a vida ou a saúde da mãe. • Não se trata de uma ação terapêutica Sobre a doença da mãe, mas de uma ação de eliminação de quem é sadio. • O filho nunca pode ser considerado um injusto agressor.

8 VALORES CONFLITANTES EM JOGO NA ORIGEM DA PROVOCAÇÃO DO ABORTO • No caso do aborto terapêutico, doenças que não estão vinculadas à gravidez não são curadas com aborto; • Se a gravidez intensificar a doença, podem ser ministrados remédios até que o feto atinja a viabilidade; • Com isso não se quer afirmar que a vida da mãe não sofra por causa da gravidez ou que a saúde não seja um grande valor as ressaltar e manter o princípio de que a vida do feto é o valor maior do que a saúde e que os remédios poderão ser aplicados para cura a doença da mãe, em vez de provocar o aborto.

9 ESTUPRO E INCESTO A mulher cuja gravidez é consequência de estupro ou de incesto é vítima de violência cruel e desumana. • É preciso compreender sua angústia e sofrimento mental e psicológico. • Os defensores do aborto argumentam em defesa da saúde mental da mulher é uma grave injustiça a vitima estar obrigada a levar a gravidez até o fim; • As vítimas recebem tratamento médico; • O feto não é um agressor. O estuprador sim. O feto é uma vítima inocente tal como a mãe. • Os tipos de ajuda são criação de centros para dar suporte às vítimas tais como: ajudas psicológicas, religiosa e social e a preparação para adoção, caso a vítima não queira cuidar da criança.

10 ABORTO EUGÊNICO • A origem da palavra eugênico é grega: eugenétes – eu, bom, génos, raça, espécie. • É a intervenção provocada para evitar o nascimento de um ser afetado por uma doença congênita (má-formação, doença genética etc.).

11 ASPECTO LEGAL DO ABORTO NO BRASIL O aborto provocado pela gestante ou com seu consentimento, o Código Penal brasileiro, Decreto-lei n.2.848, de 7 de Dezembro de 1940 dispõe: • No art.124. Provocar aborto em si mesmo ou consentir outrem lho provoque • Pena: detenção, de um a três anos Aborto provocado por terceiro: • Art.125. Provocar aborto sem o consentimento da gestante: • Pena: reclusão de três a dez anos • Art.126. Provocar aborto com consentimento da gestante: • Pena: reclusão, de um a quatro anos

12 O PONTO DE VISTA DA IGREJA CATÓLICA A posição da igreja católica sobre o aborto revela-se como: • Serviço incondicional à vida; • Estabelece critérios objetivos de proteção á vida; • Considera a fecundação como um momento decisivo.

13 O Catecismo da Igreja Católica defende: • O respeito à pessoa e à pesquisa cientifica; • O embrião tem que ser defendido em sua integridade, cuidado e curado, na medida do possível, como qualquer outro ser humano; • Deus é o autor da vida. A vida é um dom que Deus deu ao ser humano, mas dela o ser humano não é dono. Na Bíblia: • A vida é vista como dom de Deus. O PONTO DE VISTA DA IGREJA CATÓLICA

14 A Igreja • Repele o aborto em qualquer situação; • Igreja transmite certas normas que, em determinados casos, podem exigir heroísmo, ela o faz com a convicção de que essas normas provêm de Deus. “O ser humano deve ser respeitado e tratado como uma pessoa desde a sua concepção e, por isso, desde esse mesmo momento, devem-lhe ser reconhecidos os direitos da pessoa, entre os quais e primeiro de todos, o direito inviolável de cada ser humano inocente à vida”.

15 REFERÊNCIAS • BENTO. Luis Antonio. BIOÈTICA: desafios éticos no debate contemporâneo. 1.ed.São Paulo: Paulinas,2008. • MW8U/s1600/aborto-feto.jpg MW8U/s1600/aborto-feto.jpg • • • • 1600/essa.JPG 1600/essa.JPG •

16 “Manifestações a favor ou contra o aborto é necessário ter claro quando começa a vida humana” OBRIGADA!


Carregar ppt "Filosofia e Bioética  Prof. Nereu R. Haag  Tema: Aborto  Componentes do grupo:  Camila Minuzzi;  Gabriela Azevedo Arnt;  Natália Damaceno Z. Barbosa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google