A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tarcísio Vilton Meneghetti Professores: Aires José Rover e Orides Mezzaroba.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tarcísio Vilton Meneghetti Professores: Aires José Rover e Orides Mezzaroba."— Transcrição da apresentação:

1 Tarcísio Vilton Meneghetti Professores: Aires José Rover e Orides Mezzaroba

2 Os autores exploram os limites e contradições do projeto histórico democrático, bem como as ameaças e oportunidades que a era da globalização representam para a construção da verdadeira democracia (absoluta)

3  3.1 A longa marcha da democracia  3.2 Reivindicações globais da democracia  3.3 A democracia da multidão

4 - A crise da democracia na era da globalização armada O fim da Guerra Fria não concretizou a realização da verdadeira democracia. Hoje mesmo o país que diz representar a essência da democracia (EUA) é seriamente criticado por seu próprio povo. Hoje as vantagens e desvantagens da democracia são muito relacionadas à globalização. Há posições que afirmam ser a globalização ameaçadora à democracia enquanto outros veem uma oportunidade. O problema é que são visões limitadas, pois defendem ou atacam tendo em vista determinados valores. Ex: a social-democracia e determinados valores.

5 - A democracia da polis seria uma democracia direta. - Mas com o tamanho dos Estados-nação isso se viu dificultado. A modernidade reinventa a democracia na forma representativa. - Hobbes: transferência do poder ao monarca. - Rousseau também defende que se façam eleições para nomear indivíduos que representem a vontade geral. - Os federalistas norte-americanos já assinalavam que a representação é uma distância do governo. O povo tem poder, mas não tanto.

6 - O início do projeto de democracia socialista era promissor, defendia a criação a partir de baixo, limitando o poder do Estado, bem como uma aproximação maior entre Administração e o povo. Seria uma evolução em relação ao projeto de democracia liberal. - A história, contudo, levou a democracia socialista a criar tiranias e governos opressores.

7 - Duas correntes sobre o valor da opinião pública global: - (1) Representa a voz do povo e comunica ao governo a vontade de seus governados; - (2) Visão apocalíptica, que entende ser a opinião pública global resultado de manipulação da mídia, que serve a interesses específicos. - Na era da globalização há a produção biopolítica na mídia, que é a capacidade de grupos, classes sociais, indivíduos expressarem suas próprias opiniões. Fazer o que a mídia não faz.

8 - Cahiers de doléances - No período pré-Revolução Francesa, Luís XVI convocou uma Assembleia Geral para pedir auxílio à aristocracia. Em troca teve que ouvir a opinião do povo. - Os cahiers de doléances foram inúmeras petições de cidadãos reividicando questões locais e nacionais. Era uma voz coerente. - Hoje não há coerência nas reivindincações, mas é possível destacar queixas pontuais que sobressaem-se.

9 - Crise representativa – os representantes não representam o povo; - Justiça e Direitos Humanos – enquanto não houver um arcabouço jurídico não haverá grandes progressos; - Queixas econômicas – quase metade da população na pobreza; a globalização e a economia permitem o controle do poder nas mãos de poucos; dívidas como escravizações; - Queixas biopolíticas: queixas contra vários aspectos da vida humana, como o conhecimento. Ex: patentes de medicamentos, direitos autorais, etc.

10 - Não há conflito entre reforma e revolução; - A transformação precisa ser geral e não alcançar apenas pontos específicos. Entretanto, o que se vê ainda é apenas reivindicações de melhorias em questões pontuais. - Ainda assim elas ajudam a ilustrar e identificar a crítica global.

11 - Mudanças no sistema representativo. Ex: criação de uma Assembleia dos Povos na ONU; - Direito e Justiça: exigências de justiça para casos específicos como o protesto dos colonizados por indenização. Quem deve pagar? Quanto? Quem julga? - Reformas econômicas: exemplos da propriedade intelectual – reduzir a duração das proteções e permitir usos não comerciais. Ex: códigos-fontes abertos nos software; - Questões biopolíticas: criação de agências que controlem em alcance global esferas como a mídia. Perigo do gigantismo e monopolização da informação.

12 - As ferramentas elencadas são importantes mas insuficientes para se implementar uma verdadeira democracia global; - É preciso reiventar a democracia, superando o paradigma do Uno; - - “Coincidência do comum com as singularidades é o que define o conceito de multidão” (p. 390); - A pluralidade da multidão recusa-se a reduzir-se ao Uno.

13 - Soberania e democracia - O dilema da soberania é sua dualidade (dependência dos subordinados); - - Os governados podem conquistar autonomia do soberano, o contrário não; - A existência do soberano perde o sentido se os governados são autônomos; - A multidão, em redes, cria autonomamente relações sociais; - Supera a necessidade de escolha entre soberania e anarquia; - A multidão é coerente.

14 - A possibilidade de surgimento da democracia intensifica a resistência violenta contrária; - A democracia precisa revidar com uma guerra defensiva; - Três princípios: a violência persegue objetivos políticos; violência defensiva; organização democrática. - Refletir quanto aos meios utilizados: armas que sejam construtivas e não apenas destrutivas, e não necessariamente recorrendo à violência física.

15 - A real democracia de um ponto de vista ontológico produziria uma nova natureza humana, a partir do comum e para o comum; - Do ponto de vista sociológico romperia com as contradições entre o político e o econômico. Ex: as próprias formas de trabalho são mais flexíveis e cooperativas, baseadas na comunicação; - Possibilidade de acabar com a soberania e a autoridade (seria do comum); - Necessidade de surgimento de um amor como ato político, de um amor pela humanidade.


Carregar ppt "Tarcísio Vilton Meneghetti Professores: Aires José Rover e Orides Mezzaroba."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google