A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A ORIGEM DA VIDA Prof. Antonio José. Origem da vida Até meados do séc. XIX, acreditava-se que seres podiam surgir espontaneamente da matéria não-viva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A ORIGEM DA VIDA Prof. Antonio José. Origem da vida Até meados do séc. XIX, acreditava-se que seres podiam surgir espontaneamente da matéria não-viva."— Transcrição da apresentação:

1 A ORIGEM DA VIDA Prof. Antonio José

2 Origem da vida Até meados do séc. XIX, acreditava-se que seres podiam surgir espontaneamente da matéria não-viva. Hoje, sabe-se que um ser vivo surge somente através da reprodução. Biogênese versus abiogênese

3 Origem da vida Defensores da abiogênese  Helmont  Needham  Aristóteles  William Harvey  Isaac Newton  René Descartes Críticos da abiogênese  Redi  Joblot  Spallanzani  Louis Pasteur

4 Origem da vida Jan Baptista Van Helmont( ) “(...)coloca-se, num canto sossegado e pouco iluminado, camisas sujas. Sobre elas espalham-se grãos de trigo, e o resultado será que, em 21 dias, surgirão ratos.”

5 Origem da vida Francesco Redi ( ) Um dos primeiros a empregar o método experimental Uma das principais evidências da abiogênese era o aparecimento “espontâneo” de “vermes” em carne podre Hipótese de Redi: “Os seres vermiformes que surgem na carne em putrefação são larvas, um estágio do ciclo de vida das moscas. As larvas devem surgir de ovos colocados por moscas, e não por geração espontânea a partir da putrefação da carne”

6

7 Origem da vida Meados do século XVII: descoberta dos micróbios(Antonie van Leeuwenhoek) Reanimação da hipótese da geração espontânea Os abiogenistas achavam que seres tão pequenos e simples como os micróbios não se reproduziam, surgindo por geração espontânea

8 Origem da vida Louis Joblot( ) Em 1711, ferveu um caldo nutritivo à base de carne e repartiu-o entre duas séries de frascos: uns abertos e outros tampados com pergaminho Após alguns dias, os frascos abertos estavam repletos de micróbios, enquanto os frascos tampados continuavam inalterados. Conclusão de Joblot: Os micróbios surgiam de “sementes” provenientes do ar, e não por geração espontânea a partir do caldo

9 Origem da vida John Needham( ) Hipótese da geração espontânea ganha novo impulso Colocou caldo nutritivo em diversos frascos, fervendo-os por 30 min e tampou os frascos com rolhas Depois de alguns dias, os caldos estavam repletos de micróbios. Argumentou então que os seres presentes nos caldos surgiram por geração espontânea.

10 Origem da vida Lazzaro Spallanzani( ) Realizou experimentos semelhantes aos de Needham, mas obteve resultados diferentes As infusões preparadas por Spallanzani, muito bem fervidas e cuidadosamente arrolhadas, continuaram livre de micróbios

11

12 Origem da vida Needham versus Spallanzani Argumento de Spallanzani: Needham não ferveu o caldo por tempo suficiente ou não vedou os frascos de forma eficiente Resposta de Needham: A fervura por tempo prolongado destruía a “força vital” presente no caldo François Appert: Aproveitou as experiências de Spallanzani e inventou a indústria de enlatados

13 Origem da vida Em fins do século XVIII: descoberta do gás oxigênio e seu papel essencial à vida Novo ponto de apoio para os abiogenistas, que argumentavam que o aquecimento prolongado e a vedação hermética excluíam o oxigênio necessário à geração espontânea e à sobrevivência dos seres.

14 Origem da vida Nova disputa travada entre biogenistas e abiogenistas Abiogenistas: A presença de ar fresco era fundamental para a geração espontânea da vida Biogenistas: O ar era a fonte de contaminação dos caldos Academia Francesa de Ciências: prêmio para quem apresentasse um experimento definitivo sobre essa questão

15 Origem da vida Os frascos com pescoço de cisne: experimento de Louis Pasteur. Pasteur amoleceu os gargalos no fogo, esticando-os e curvando-os em forma de pescoço de cisne; em seguida ferveu os caldos até que saísse vapor pela extremidade dos gargalos À medida que esfriava, o ar penetrava pelo gargalo, mas as partículas do ar ficavam retidas nas paredes do gargalo em forma de pescoço; Nenhum frasco se contaminou Derrubada definitiva da hipótese da geração espontânea

16 Louis Pasteur

17 COMO SURGIU O 1º SER VIVO?

18 HIPÓTESE AUTOTRÓFICA Os primeiros seres vivos eram quimiolitoautótrofos, produziam seu próprio alimento a partir da energia liberada por reações químicas entre componentes inorgânicos da crosta terrestre.

19 HIPÓTESE HETEROTRÓFICA Os primeiros seres vivos não produziam seu próprio alimento utilizavam moléculas orgânicas do meio e quebravam estas moléculas por meio da fermentação para produção de energia. C6H12O6 – 2C2H5OH + 2CO2 +energia

20 GASES DA ATMOSFERA PRIMITIVA • CH4 (metano) • NH3 (amônia) • H2 (gás hidrogênio) • H20 (gasosa)

21 TEORIA DE OPARIN (COACERVADOS) Oparin e Haldane. Da Terra estéril aos primeiros seres vivos.

22 COACERVADOS

23 EXPERIÊNCIA DE MILLER Esquema da aparelhagem experimental de Miller.

24 SEQUÊNCIA EVOLUTIVA Heterótrofos – autótrofos Anaeróbios – aeróbios Fermentação – fotossíntese – respiração

25 PARA PENSAR??? PARA PENSAR??? Por que os primeiros seres vivos surgiram nos oceanos e não no ambiente terrestre? Por que a atmosfera primitiva era considerada redutora? Se o primeiro ser vivo era mesmo heterótrofo, de onde ele obtinha o alimento para a sua sobrevivência?

26 A Teoria do Big Bang O resultado do big bang foi a formação das quatro forças básicas do universo: •eletromagnetismo •interação nuclear forte •interação nuclear fraca •gravidadegravidade

27 EVOLUÇÃO BIOLÓGICA A semelhança entre mitocôndrias e cloroplastos e as células procarióticas

28 EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA

29 Características de alguns Hominídeos Primitivos Australopithecus afarensis Viviam na África. Baixa estatura (machos 1,50m e fêmeas 1,10m). Pesavam entre 30 e 40 Kg. Crânio com pequeno volume (380 a 450 cm 3 ). Fóssil mais conhecido Lucy.

30 EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA Australopithecus africanus • Viviam na África. • Massa de cerca de 40kg. • Volume do crânio de 440 cm 3. • Postura ereta. • O primeiro fóssil encontrado foi de uma criança de aproximadamente 6 anos.

31 EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA Australopithecus robustus • Viviam na África. • Maior que os demais. • Massa de 40 kg. • Mandíbula proeminente • Volume do crânio 500 cm 3.

32 EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA Homo habilis (ou A. Habilis) • Capacidade de fazer instrumentos de pedras e ossos. •Volume do crânio 700 cm 3. • Originou o Homo ergaster.

33 EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA Homo erectus • Expansão pela Eurásia. • Sofisticada “cultura”: fabricava ferramentas, usava o fogo, morava em cabanas ou grutas, usava roupas de peles de animais. • Não suportaram a era glacial (Pleistoceno). • Originaram o Homem de Neandertal.

34 Homo sapiens neaderthalensis ou Homo neanderthalensis - Volume do crânio 1450 cm 3. - Postura moderna. - Queixo pequeno. - Testa pequena. - Cérebro um pouco maior. - Baixo, forte e hábil construtor de ferramentas. - Formavam grupo de caça. - Enterravam os mortos. - Teorias para o desaparecimento: extintos por condições climáticas e/ou conflitos com outras populações. EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA

35 Homo sapiens sapiens - Surgidos entre 150 e 100 mil anos de grupos de Homo ergaster. - Mais altos e mais ágeis que os anteriores. - Comportamento social mais complexo. - Linguagem e simbologia. - Arte.

36 EVOLUÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA

37

38


Carregar ppt "A ORIGEM DA VIDA Prof. Antonio José. Origem da vida Até meados do séc. XIX, acreditava-se que seres podiam surgir espontaneamente da matéria não-viva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google