A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário do Setor Químico do Brasil 05/12/2012

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário do Setor Químico do Brasil 05/12/2012"— Transcrição da apresentação:

1 Seminário do Setor Químico do Brasil 05/12/2012

2 Os Desafios e as Oportunidades da Indústria Química Brasileira
Fernando Figueiredo Presidente Executivo da Abiquim

3 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

4 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

5 Relação da Indústria Química com os demais setores industriais
Produtos Farmacêuticos Higiene pessoal, Perfumaria e Cosméticos Adubos e Fertilizantes Sabões e Detergentes Defensivos Agrícolas Tintas, Esmaltes e Vernizes Outros Produtos Inorgânicos Cloro e Álcalis Intermediários para fertilizantes Gases Industriais Produtos Orgânicos Petroquímicos básicos Intermediários para plásticos/resinas termofixas/fibras sintéticas/ detergentes/plastificantes Corantes e pigmentos Solventes industriais Plastificantes Resinas e Elastômeros Produtos e preparados químicos diversos (aditivos, colas, catalisadores e outros) Produtos Químicos de Uso Industrial Presença da Indústria Química Indústria Química Pecuária Alimentos e Bebidas Embalagens Têxtil Papel e Celulose Móveis Petróleo e Gás Eletroeletrônicos Agricultura Consumo e Bem-Estar das Famílias Construção Civil Automobilística Aviação Máquinas e Equipamentos Calçados e Artigos de Couro Fonte: Booz-Allen Hamilton e Abiquim.

6 Indústria Química Brasileira
Evolução do Faturamento Líquido e do Mercado – 2005/2011* US$ Bilhões Mercado = Faturamento líquido + Importação - Exportação. Fontes: Abiquim e Associações de segmentos específicos. * estimado.

7 Participação % no PIB Nota: Admitindo-se que o valor agregado, em média, seja de 40% Fonte: Abiquim.

8 Últimos 12 meses sobre o mesmo período do ano anterior
Balança comercial de produtos químicos – 1991 a 2011 US$ bilhões DESCRIÇÃO ∆ 2011/2010 ∆ a.a. 2011/1991 Últimos 12 meses sobre o mesmo período do ano anterior IMPORTAÇÃO +25,5% +13,1% +0,9% EXPORTAÇÃO +21,0% +10,6% +0,4% SALDO/DÉFICIT +28,3% +15,3% +1,2% Até o fim de 2012, o setor deve fechar com déficit de US$ 28 bilhões Déficit cresceu de forma explosiva 1991 = US$ 1,5 bilhão 2011 = US$ 26,5 bilhões (*) últimos 12 meses: julho/2011 a junho/2012 Fonte: MDIC/Secex – Sistema AliceWeb – Janeiro de 2012

9 (Exceto Mercosul e Mexico)
Balança Comercial – 2011 Blocos Econômicos Regionais US$ 3,2 bi US$ 8,8 bi US$ 3,5 bi US$ 12,0 bi UNIÃO EUROPEIA US$ 1,3 bi US$ 3,3 bi US$ 2,2 bi US$ 8,2 bi US$ 11,5 bi NAFTA US$ 1,4 bi BRASIL US$ 6,0 bi US$ 2,3 bi US$ 7,4 bi ÁSIA (Exceto Oriente Médio) US$ 1,1 bi US$ 2,1 bi US$ 6,0 bi US$ 1,2 bi ALADI (Exceto Mercosul e Mexico) US$ 8,1 bi OUTROS (Resto do Mundo) Déficit PQ: US$26,5 bilhões Exportações brasileiras de PQ Importações brasileiras de PQ Fonte: MDIC/Secex – Sistema AliceWeb –Janeiro de 2012

10 Número de Empregados na Indústria Química Brasileira
“Química é vida” Aprox. 20% dos recursos humanos tem um BSc em Química ou Engenharia Química. Fontes: IBGE e Abiquim *Estimado

11 Superior incompleto e superior completo
Qualificação da Mão-de-Obra Superior incompleto e superior completo “Química é vida” Indústria Química Indústria Geral Fontes: RAIS / Caged – Ministério do Trabalho

12 Qualificação da Mão-de-Obra
Remuneração Média “Química é vida” Indústria Geral Indústria Química Fontes: RAIS / Caged – Ministério do Trabalho

13 Produtos químicos de uso industrial Investimentos em P&D - Brasil
% SOBRE FATURAMENTO LÍQUIDO Fonte: Anuário da Indústria Química Brasileira; com base em pesquisa direta da ABIQUIM.

14 Investimentos em P&D Comparação entre Europa, EUA e Japão
% P&D em relação às vendas Fonte: Cefic.

15 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

16 Gargalos Indústria Química no Brasil
Ambiente geral de negócios Tributação complexa e elevada Elevado custo de capital Limitações logísticas Carência de recursos humanos qualificados Baixa capacidade de inovação “Química é vida”

17 Desafios Atendimento ao crescimento do consumo interno;
Melhora da exportação de produtos químicos; Diversificação da produção e ampliação da participação em segmentos de maior valor agregado; Elevação dos investimentos em tecnologia e inovação. Internacionalização de empresas químicas brasileiras. “Química é vida”

18 Indústria Química no Brasil
Ameaças Indústria Química no Brasil Concorrência internacional (atuação chinesa no comércio mundial de produtos finais) Escala das novas plantas petroquímicas, com baixo custo de matérias-primas, principalmente nos complexos do Oriente Médio integrados até a produção de parques de transformados plásticos. Redescoberta da petroquímica americana com o shale gas. Restrições ambientais internacionais e fechamento das economias desenvolvidas com barreiras não tarifárias no caso da petroquímica (Reach, ChAMP etc.). “Química é vida”

19 Brasil com o Pré-sal passa de 30 para 120 Mm³/d (sem a Bolívia e LNG)
Perspectivas Projeção do crescimento econômico sustentável, com elevação do poder de compra; Aumento das reservas nacionais com o pré-sal, com perspectivas de matérias-primas petroquímicas (nafta e gás natural). Perspectivas de novos desenvolvimentos em química verde pela importância crescente da produção sustentável no plano mundial. Espaço econômico para integração da América Latina “Química é vida” Com o Pré-sal, Brasil passa de 2,0 para 5,2 Mbpd – 2018 para 2020 (4º no ranking de produção de óleo) Brasil com o Pré-sal passa de 30 para 120 Mm³/d (sem a Bolívia e LNG)

20 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

21 Pacto Nacional da Indústria Química Intento Estratégico
Posicionar a indústria química brasileira entre as cinco maiores do mundo até 2020 Tornar o país superavitário em produtos químicos Posicionar o Brasil como líder em química verde Geração de 2 milhões de empregos (diretos, indiretos e efeito renda)

22 Oportunidades de investimento na química para os próximos 10 anos
O crescimento da economia demanda um enorme esforço de crescimento da indústria química, com investimentos intensivos em capital. Para que o País possa caminhar na direção das oportunidades previstas no Pacto serão necessários investimentos pelo menos três vezes mais elevados dos planejados no momento. Total US$ 167 bilhões Fonte: Abiquim/Pacto Nacional da Indústria Química. Além dos investimentos em capacidade, a indústria química deverá realizar US$ 32 bilhões em P&D.

23 Evolução dos Projetos de Investimento entre 1995 a 2016
Inclui US$ 2,9 bi já investidos de projetos que ainda não entraram em operação US$ 19,1 bilhões Fonte: Anuário da Indústria Química Brasileira.

24 Projetos para expansão da oferta Aprovados ou em andamento
Concluído Concluído Fonte: Anuário da Indústria Química Brasileira.

25 Projetos para expansão da oferta Planejados ou em estudo
Destaque para outros projetos de investimento importantes: Polietileno verde – Braskem; ABS – Innova, Unigel e Videolar; Intermediários para fertilizantes – Petrobras e Vale Fertilizantes. Fonte: Anuário da Indústria Química Brasileira.

26 Necessidades de Investimento
Requisitos Matérias-primas competitivas em preço, disponibilidade de volume e prazo nos contratos; no caso do gás natural, margens para o SEGMENTO MATÉRIA- PRIMA Infraestrutura logística: Transporte, dutos e acesso a gasodutos de gás, energia, portos, rodovias e outras soluções modais Inovação e tecnologia: Apoio decisivo do Estado ao desenvolvimento tecnológico Crédito: Acesso ao crédito para fortalecimento da cadeia, financiamento à exportação, inovação e tecnologia Tributos: Solução das distorções do sistema, desoneração da cadeia, isonomia tributária com sucedâneos e defesa contra concorrência desleal Dificuldade adicional: câmbio valorizado, em meio a uma crise internacional prolongada, gerando um quadro profundamente desfavorável para a indústria poder competir com a indústria de outros países

27 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

28 Conselho Competitividade Química
Trabalho conduzido com muita competência, profissionalismo e organização pelo Gabriel Gomes (BNDES) e Alexandre Lopes (Diretor de Química do MDIC). Participaram Abiquim, Abiplast, ANDA, Sindag, Abrafati, CUT, Força Sindical e UGT. Todos os problemas que afetam a Indústria Química foram analisados e apresentada uma sugestão de encaminhamento do assunto.

29 Principais temas da Agenda
Início Prazo Final de entrega Órgão Responsável REIQ Investimento Jun/12 Set/12 MDIC/MF REIQ Inovação Desoneração matérias-primas de 1ª e 2ª geração Política para uso do gás natural como matéria-prima Out/12 Abr/13 MME/MDIC Estudo sobre oportunidades para diversificação da indústria química Dez/13 BNDES Incentivos especiais para exportação de plantas na fase inicial de produção Dez/12 MDIC/BNDES

30 Principais temas da Agenda
Início Prazo Final de entrega Órgão Responsável Criação de um fast track para registro de defensivos agrícolas e de um Órgão específico para registro Jun/12 Mar/13 Casa Civil/MDIC/ Anvisa/Ibama/MAPA Estimular políticas públicas para cadeias com oportunidades de produção local Abr/14 Jul/14 MDIC/MF Medidas que visam atender as demandas qualitativas e quantitativas de profissionais da química Jan/13 Dez/13 MEC/MCT

31 Principais temas da Agenda
Início Prazo Final de entrega Órgão Responsável Analisar as medidas necessárias para estimular o transporte de produtos químicos por meio ferroviário Set/12 MDIC/BNDES Normas de caráter sanitário, ambiental e qualidade/compras governamentais Abr/13 ABDI/MDIC Equalização de IPI na cadeia até a transformação Jun/12 Jul/12 MPOG/MDIC/MF

32 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

33 Gás – mudança de cenário nos EUA
Aproveitamento do shale gas nos EUA, deixando de ser importador para chegar a autossuficiência em gás Várias unidades químicas paradas retomaram produção Ressurgimento da indústria petroquímica nos EUA (boom de investimentos) Descolamento dos preços do gás dos combustíveis fósseis nos EUA, fato não ocorrido ainda no mercado brasileiro (base julho de 2012): EUA: gás Henry-hub a US$ 3,2/MMBTU e WTI a US$ 88,1/barril Relação Petróleo/Gás = 27.5 Brasil: gás natural a US$ 12-13/MMBTU e Brent a US$ 105,9/barril. Relação Petróleo/Gás = 8.5

34 Advento do Shale gas no mundo: reservas
Países Produção (2009) Consumo (2009) % Importação líquidas sobre consumo (2009) GÁS NATURAL Convencional Reservas provadas SHALE GAS Recursos tecnicamente recuperáveis Trilhões de pés cúbicos CHINA 2,93 3,08 5% 107,0 1.275 ESTADOS UNIDOS 20,6 22,8 10% 272,5 862 ARGENTINA 1,,46 1,52 4% 13,4 774 MÉXICO 1,77 2,15 18% 12,0 681 ÁFRICA DO SUL 0,07 0,19 63% - 485 AUSTRÁLIA 1,67 1,09 (52%) 110,0 396 CANADÁ 5,63 3,01 (87%) 62,0 388 ALGÉRIA 2,88 1,02 (183%) 159,0 231 BRASIL 0,36 0,66 45% 12,9 226 POLÔNIA 0,21 0,58 64% 5,8 187 FRANÇA 0,03 1,73 98% 0,2 180 Fonte: EIA/ARI, elaboração Gás Energy.

35 Referência: em US$/MBTU
Falta de competitividade: Preço do Gás natural Brasil x EUA Referência: em US$/MBTU Fonte: Gas Energy, elaboração ABIQUIM. 35

36 Ressurgimento da petroquímica - América do Norte: Boom de investimentos
Empresa Projeto Localização Capacidade Investimento Previsão (mil t/a) US$ bilhões Início DOW CHEMICAL Novo cracker US Gulf Coast 1.900 n.d. 2017 EXXONMOBIL Baytown, TX 1.500 2016 CHEVRON Cedar Bayou, TX SASOL Lake Charles, LA 1.400 3,5-4,5 BRASKEM/IDESA Coatzacoalcos, México 1.000 3,0 2015 SHELL CHEMICAL Monaca, PA FORMOSA Point Comfort, TX 800 1,7 LYONDELLBASELL Expansão Channelview, TX 600 2014 OXICHEM New cracker Ingleside, TX 500 Repartida Hahnville, LA 360 2012 WILLIAMS Geismar, LA 270 0,4 2013 NOCA CHEMICALS Sarnia, ON 230 WESTLAKE 100 110 INEOS Desgargalamento Chocolate bayou, TX BRASKEM US INDORAMA AITHER CHEMICALS US Northeast 0,8 SABIC Total 11,4 Fontes: Chemical Week (junho 2012) e ICIS (abril 2012).

37 Utilização do Gás Natural como Matéria-Prima na Indústria Química Brasileira
1 AIR LIQUIDE – SP HIDROGÊNIO 2 AIR PRODUCTS – BA CO e HIDROGÊNIO 3 BANN – SP 4 BAYER – RJ ISOCIANATOS 5 BRASKEM - BA 6 CABOT – SP NEGRO DE CARBONO 7 CLARIANT – SP 8 COLUMBIAN CHEMICALS – SP/BA 9 COPENOR - BA METANOL 10 DOW BRASIL - BA CO e HIDROGÊNIO P/ ISOCIANATOS (fábrica desativada 2011) 11 ELEKEIROZ – BA OXO-ÁLCOOOIS 12 EVONIK – ES PERÓXIDO HIDROGÊNIO 13 GPC QUÍMICA – RJ 14 LINDE – SP HIDROGÊNIO (AINDA NÃO ESTÁ USANDO) 15 ORION CARBONS - SP 16 PAN-AMERICANA – RJ CARBONATO DE POTÁSSIO 17 PERÓXIDOS DO BRASIL – PR PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO 18 PETROBRAS-FAFEN – BA/SE AMÔNIA e URÉIA 19 UNIGEL – BA cianetos, metacrilatos e policarbonatos 20 VALE FERTILIZANTES – PR/SP 21 WHITE MARTINS - RJ Fonte: ABIQUIM.

38 Participação do consumo como matéria-prima no total do Brasil
Em milhões de m3/dia ANO TOTAL BRASIL (*) GÁS NATURAL MATÉRIA-PRIMA (**) MATÉRIA-PRIMA SOBRE O TOTAL 2008 49,6 2,0 4,03% 2009 36,7 1,7 4,63% 2010 49,7 2,21 4,43% 2011 47,7 2,31 4,82% (*) Total de vendas de gás natural nas distribuidoras. (**) NÃO INCLUI o consumo das unidades de fertilizantes da Petrobras-FAFEN. Inclui consumo potencial de 0,65 milhão de m3/dia, que atualmente está sendo substituído por gás de refinaria. Fontes: ANP, Abegás, Petrobras, MME e Abiquim. 1 Preliminar. Mundialmente, nos países produtores, o consumo como matéria-prima, em relação ao total consumido, é da ordem de 8%.

39 GT – Interministerial sobre Gás Natural
GT foi constituído pelo Ministro Lobão atendendo pedido da Abiquim Participam Secretários e Diretores do MME, MF, MDIC e Casa Civil Esse grupo deve apresentar uma proposta para o Conselho de Competitividade, que poderá também ser levada ao CNPE, conforme previsto na Lei do Gás Em 2012, foram realizadas APENAS 3 reuniões Na próxima reunião, em 11 de dezembro, mesmo com a oposição do MME, o grupo deverá discutir tipos de instrumentos para que as medidas de curto, médio e longo prazos sejam colocadas em prática

40 A Cadeia de Valor da Indústria Química do C1 (metano)
Oportunidades: Possibilidades de investimentos na cadeia do C1 A Cadeia de Valor da Indústria Química do C1 (metano) Volume de investimentos necessários caso quiséssemos substituir as importações (em 2020): Total de U$ 10,18 Bilhões de investimentos para substituir U$ 8,45 Bilhões de importações anuais Importações Investimentos 1ª Geração U$ 3,5 bilhões U$ 4,2 bilhões 2ª Geração U$ 4,3 bilhões U$ 5,2 bilhões 3ª Geração US$ 0,5 bilhões US$ 0,6 bilhões

41 Agenda Dimensões da indústria química brasileira
Desafios e Oportunidades para 2020 Pacto Nacional da Indústria Química e os projetos de investimento previstos de 2011 a 2016 Conselho de Competitividade da Química O caso dos produtos derivados do gás natural Conclusões

42 Sumário O que falta para que a indústria química possa efetivamente aproveitar as oportunidades que se colocam para os próximos anos: Garantia de fornecimento de matérias-primas em condições competitivas (definição pelo CNPE de diretrizes para o uso do gás natural como matéria-prima); Aprovação do Regime Especial para a Indústria Química (REIQ), em estudo no Governo; Financiamento ao investimento em P&D, inclusive para pesquisa básica e plantas piloto; Investimento em formação de mão de obra; Mecanismos para favorecer o uso de matérias-primas alternativas e renováveis. “Química é vida”

43 Obrigado


Carregar ppt "Seminário do Setor Químico do Brasil 05/12/2012"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google