A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTE (PET) COPPE/UFRJ Impactos da Substituição de Diesel por Gás Natural no Transporte Pesado 1 o SEMINÁRIO DE TECNOLOGIAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTE (PET) COPPE/UFRJ Impactos da Substituição de Diesel por Gás Natural no Transporte Pesado 1 o SEMINÁRIO DE TECNOLOGIAS."— Transcrição da apresentação:

1 PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTE (PET) COPPE/UFRJ Impactos da Substituição de Diesel por Gás Natural no Transporte Pesado 1 o SEMINÁRIO DE TECNOLOGIAS SUSTETÁVEIS EM TRANSPORTES MARCIO DE ALMEIDA D’AGOSTO AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE USO DE SISTEMA DIESEL-GÁS EM ÔNIBUS URBANO TIPO II EM LINHA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO LABORATÓRIO DE TRANSPORTE DE CARGA (LTC)

2 SUMÁRIO GERAL • Apresentação • COPPE - Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós Graduação e Pesquisa de Engenharia • Programa de Engenharia de Transporte (PET) • Laboratório de Transporte de Carga (LTC) • Palestrante • Equipe • Uso do Diesel-gás : Motivação • Objetivo • Cadeia de valor • Premissas adotadas • Resultados obtidos • Uso do Diesel-gás : Teste • Objetivo • Envolvidos • Metas • Medidas de desempenho • Cronograma • Ônibus Diesel-gás

3 Fundado em 1963, a COPPE tornou-se o maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina. Com 12 programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado), a instituição já formou mais de 11,5 mil mestres e doutores e conta hoje com 320 professores doutores e 116 modernos laboratórios, que formam o maior complexo laboratorial do país na área de engenharia. INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA (COPPE)  Engenharia Biomédica  Engenharia Civil  Engenharia Elétrica  Engenharia Mecânica  Engenharia Metalúrgica e de Materiais  Engenharia Nuclear  Engenharia Oceânica  Engenharia de Planejamento Energético  Engenharia de Produção  Engenharia Química  Engenharia de Sistemas e Computação  Engenharia de Transportes

4 O PET é um dos doze programas que compõem a COPPE/UFRJ. Avaliado pela CAPES como nível 5, o maior nível alcançado dentre as pós-graduações de engenharia de transportes do país, o programa tem assumido destacada posição na produção e propagação de conhecimento técnico e científico no Brasil. PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES (PET)  Áreas de Concentração:  Engenharia de Tráfego  Planejamento de Transportes  Transporte Público  Transporte de Carga e Logística  Transporte, Energia e Meio Ambiente  Engenharia Rodoviária

5 LABORATÓRIO DE TRANSPORTE DE CARGA (LTC) O LTC é um laboratório do PET/COPPE/UFRJ destinado a desenvolver pesquisa avançada e aprimoramento da formação de recursos humanos na área de transporte de carga, com ênfase na gestão dos transportes na cadeia logística, impactos ambientais dos transportes e no uso de métodos quantitativos.

6 PALESTRANTE Engenheiro Mecânico PG Eng. Automóveis M.Sc. Eng. Transportes D.Sc. Eng. Transportes Transporte de Carga L TC COPPE/UFRJ PET LABORATÓRIO DE TRANSPORTE DE CARGA (LTC) Transporte Energia e Meio Ambiente Centro de Estudo dos Caminhões (CEC)

7 TRANSPORTE ENERGIA E MEIO AMBIENTE  Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC) – GT3: Coordenação do item 3.3 do RAN/Mitigação em Transportes  Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) – LA: Chapter 8/AR5  Implementação de testes em sistemas de propulsão e fontes alternativas de energia (híbridos, B5, B20, B100, diesel- gas, gás natural);  Impactos ambientais na gestão dos transportes (ecoeficiência, ACV, cadeia de valor, logística verde)

8 EQUIPE Doutorado Suellem Deodoro Silva Marcelino Aurélio Vieira da Silva Pitias Teodoro Rubens Freitas Cristiane Duarte Ribeiro de Souza Universidade Federal Fluminense – VR  Ilton Leal Curty Junior Graduação Rodrigo Gomes Rodrigues Marina Natsuki Kamino Maria Lívia Real de Almeida Julia Maria Menge Rodrigues Arthur Prado Barboza Lays Gonçalves Carvalho Costa Agência Nacional de Transporte Terrestre  André Dulce Gonçalves Maia Pesquisadores associados Pesquisadores do LTC SAE Brasil  Gian Gomes Marques Apoio André Luiz Santos de Medeiros Coordenação: Márcio D’Agosto

9 USO DO DIESEL-GÁS – MOTIVAÇÃO Objetivo: Avaliação técnica e financeira do uso de gás natural no sistema de transporte público dos municípios do Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Nova Iguaçu considerando a cadeia de valor dos agentes envolvidos. Título do projeto: GNV no transporte urbano: uso nos municípios do Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Nova Iguaçu.

10 USO DO DIESEL-GÁS – MOTIVAÇÃO  Oportunidade de utilização de combustível potencialmente mais limpo em eventos de impacto internacional – Copa do Mundo (2014) e Olimpíadas (2016);  Oportunidade de utilização de combustível relativamente abundante no Rio de Janeiro e alternativo ao óleo diesel de petróleo (ampliação da segurança energética);  Oportunidade de utilização de combustível potencialmente menos impactante quanto aos aspectos ambientais globais;  Oportunidade de introdução de nova tecnologia de conversão de energia para veículos pesados.

11 CADEIA DE VALOR

12 PREMISSAS ADOTADAS

13 RESULTADOS OBTIDOS Preço do gás = 55% do preço do diesel -> retorno em 4 anos Índice de substituição = 90% -> retorno em 5 anos Não retorna: Preço do gás > 83% do preço do diesel ou Índice de substituição < 48% Período considerado:  CEG – 30 anos (Presidente CEG)  Distribuidor – 30 anos (SINDICOM)  Operador – 16 anos (FETRANSPOR)

14 Objetivo: Realizar uma análise comparativa do desempenho operacional de ônibus urbanos tipo II em linha da Região Metropolitana do Rio de Janeiro com a finalidade de identificar o potencial de uso de sistemas diesel-gás como sistema de alimentação de motores de ônibus USO DO DIESEL-GÁS: TESTE Título do projeto: Análise comparativa do desempenho operacional de ônibus urbano tipo II utilizando sistema diesel-gás em linha da região metropolitana do Rio de Janeiro.

15 ENVOLVIDOS

16 METAS •Identificar o objeto, o perfil de operação e as medidas de desempenho operacional; •Definir método para realização do projeto e metodologia estatística de avaliação das medidas de desempenho operacional proposta; •Capacitar o frotista para a realização do teste; •Reunir dados consistentes sobre a operação do veículo; •Analisar os dados obtidos durante o teste.

17 MEDIDAS DE DESEMPENHO  Eficiência energética [km/l eq ]  Índice de substituição (IS)  Quilometragem média entre falhas (KMEF)  Custos operacionais adicionais pelo uso do sistema diesel-gás.

18 CRONOGRAMA Proposta FAPERJ: Teste de campo simulado por meio do ciclo City Durability da MAN. Depende da articulação dos demais parceiros envolvidos. OK!

19 ÔNIBUS DIESEL-GÁS

20 LABORATÓRIO DE TRANSPORTE DE CARGA - LTC Coordenador: Márcio de Almeida D’Agosto Centro de Tecnologia, Bloco H, Sala 119 Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: – Rio de Janeiro – RJ Tel: (21) / / Julho/2011 AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE USO DE SISTEMA DIESEL-GÁS EM ÔNIBUS URBANO TIPO II EM LINHA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO


Carregar ppt "PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTE (PET) COPPE/UFRJ Impactos da Substituição de Diesel por Gás Natural no Transporte Pesado 1 o SEMINÁRIO DE TECNOLOGIAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google