A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pneumonia Hospitalar e Infecção Hospitalar Professor e Enfermeiro: Drº Gilmar de Moura Aula 23.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pneumonia Hospitalar e Infecção Hospitalar Professor e Enfermeiro: Drº Gilmar de Moura Aula 23."— Transcrição da apresentação:

1 Pneumonia Hospitalar e Infecção Hospitalar Professor e Enfermeiro: Drº Gilmar de Moura Aula 23

2 PNEUMONIA HOSPITALAR  Definição: PNEUMONIA ADQUIRIDA NO HOSPITAL  Após ≥ 48 h da admissão  Não incubada à admissão  Tratada na enfermaria/apartamento ou na UTI se mais grave

3 PNEUMONIA VENTILADOR-ASSOCIADA  Após h da intubação endotraqueal  PAH com intubação posteriormente = abordagem similar PNEUMONIA RELACIONADA À ASSISTÊNCIA  Hospitalizado em qualquer unidade de atendimento agudo por ≥ 2 dias nos últimos 90 dias  Residente em casa de saúde ou asilo  Antibioticoterapia endovenosa, quimioterapia ou tratamento de escara nos últimos 30 dias  Usuário de Unidade de hemodiálise

4 PATOGÊNESE FAT.HOSPEDEIROCIRURGIADISP.INVASIVOS EQUIP. TERAPIA RESPIRATÓRIA COLONIZAÇÃO OROFARINGE COLONIZAÇÃO GÁSTRICA ASPIRAÇÃOINÓCULOVIRULÊNCIA DEFESASPULMONARES PNEUMONIA TRANSLOCAÇÃOBACTERIEMIA MEDICAÇÃO

5 ETIOLOGIA  Bastonetes Gram-negativos56% • P. aeruginosa21% • Enterobacter sp9% • K. pneumoniae8% • Acinetobacter spp6% • E. coli4% • Serratia marcescens4% • Proteus spp2% • Citrobacter spp2%  Cocos Gram-positivos23% • S. aureus20% • Outros*21% *H. influenzae, S. pneumoniae, Influenza, VSR, Legionella, Anaeróbios, Fungos

6 EPIDEMIOLOGIA   Permanência hospitalar em média 7-9 dias  5 – 10 casos / admissões  VENTILAÇÃO MECÂNICA •6-20 vezes maior •UTI: 90% são VAP •  3%/dia primeiros 5 dias •  2%/dia: 5  – 10  dias •  1%/dia após 11  dia  > 50% da prescrição de antibióticos

7 PNEUMONIA ADQUIRIDA NO HOSPITAL APRESENTAÇÃO: Início precoce < 5 dias após admissão ou intubação Início tardio  5 dias após admissão ou intubação Risco de bactérias potencialmente mais resistentes P. aeruginosa, Acinetobacter sp, S. aureus MR, Stenotrophomonas maltophilia Mais de 7 dias de ventilação mecânica Uso prévio de antibióticos de largo espectro

8 FATORES DE RISCO - PH Esôfago Cuff Secreção acumulada Traquéia: perda da defesa (movimentos ciliares, tosse) Colonização da sonda Tubo endotraqueal Sonda gástrica Tubo endotraqueal Mãos dos PAS Colonização gástrica Mãos dos PAS Contaminação cruzada

9 FATORES DE RISCO PARA BACTÉRIAS MULTIDROGA-RESISTENTES  Antibioticoterapia nos 90 dias anteriores  Tempo de internação atual > 5 dias  Prevalência alta de antibiótico-resistência na comunidade ou na unidade hospitalar.

10 FATORES DE RISCO PARA PNEUMONIA RELACIONADA À ASSISTÊNCIA  Hospitalização por ≥ 2 dias nos 90 dias anteriores  Residência em casa de saúde ou similar  Terapia endovenosa domiciliar  Diálise crônica nos últimos 30 dias  Tratamento domiciliar de escaras  Membro familiar colonizado

11 DIAGNÓSTICO Diagnóstico clínico  Quando o paciente desenvolve um novo infiltrado à radiografia de tórax, ou apresenta piora em relação a infiltrados pré-existentes, acompanhado de alterações clínicas, tais como: •febre •leucocitose, •tosse, •expectoração purulenta (ou aspiração de secreção traqueal purulenta em pacientes intubados).

12 INFILTRAÇÃO CAVITÁRIA

13 DIAGNÓSTICO ETIÓLÓGICO  Técnicas invasivas (broncoscópicas) •Escovado brônquico com cateter protegido (EBP): 103 ufc/ml •Lavado broncoalveolar (LBA): 104 a 105 ufc/ml  Técnicas não-invasivas •Aspirado traqueal: 105 a 106 ufc/ml

14 TRATAMENTO Tratamento empírico: sem fatores de risco para patógenos multirresistentes:  Ceftriaxona: 1 g – 12/12 horas  Quinolona •Moxifloxacino: 400 mg – 24/24 horas •Levofloxacino: 750 mg – 24/24 horas •Ciprofloxacino: 400 mg – 12/12 horas  Ampicilina/sulbactam: 1,5 g – 6/6 horas  Ertapenen: 1 g – 24/24 horas

15 DURAÇÃO DO TRATAMENTO  Antes: 14 a 21 dias  Atualmente: •Sem fatores de risco para patógenos multirresistentes: 8 dias •Com fatores de risco para patógenos multirresistentes: 15 dias

16

17 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM  Higienização das mãos  Cuidados especiais com pacientes traqueostomizados e intubados  Identificar pacientes em pré-operatório e que tenham maior risco: orientar acompanhante e paciente sobre exercícios no P.O. para evitar estase de secreções nos pulmões (exercícios de mobilização, tosse, respiração profunda com lábios semi-cerrados entre outros)  Atentar para pacientes com nível de consciência deprimido ou com disfagia. Pacientes com SNG, consultar médico para a possibilidade de troca para SNE ou gastrostomia (se indicado)

18  Pacientes com SNG, posicionar em decúbito lateral direito ao invés de decúbito dorsal, preferindo alimentação intermitente ao invés de bolus  Técnica asséptica na manipulação dos circuitos respiratórios  Desprezar qualquer líquido que tenha condensado nos extensores  Aspiração somente quando necessário e não como rotina.  Balanço hídrico de hora em hora. Comunicar débito urinário  Monitorar Sinais Vitais, pressões hemodinâmicas e confira se há sinais de hipovolemia persistente  Administrar líquidos EV e registrar resposta do paciente Monitorizar sinais vitais e sintomas de sobrecarga hídrica.

19 CUIDADOS REALIZADOS COM OS VENTILADORES  Ventilador Mecânico Antes do Uso: •Realizar limpeza e desinfecção do ventilador antes da montagem •Montar o ventilador mecânico com técnica asséptica •Testar o ventilador mecânico com pulmão estéril •Proteger a conexão em Y do circuito com material estéril •Colocar o rótulo da data e assinatura de quem montou •Deixar o umidificador vazio

20  No momento da instalação: •Testar o ventilador mecânico com o pulmão estéril •Usar água estéril nos umidificadores •Colocar água no umidificador somente ao iniciar a VM  Durante a VM: •Descartar o condensado que se forma no circuito •Lavar as mãos após o procedimento •Usar água estéril nos umidificadores •Desprezar um liquido remanescente dos umidificadores antes de colocar água •Realizar troca do circuito ventilatório

21 Fim.


Carregar ppt "Pneumonia Hospitalar e Infecção Hospitalar Professor e Enfermeiro: Drº Gilmar de Moura Aula 23."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google