A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Civilização Fluvial – disponibilidade de água doce para a agricultura e o consumo humano sempre esteve entre as principais preocupações do homem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Civilização Fluvial – disponibilidade de água doce para a agricultura e o consumo humano sempre esteve entre as principais preocupações do homem."— Transcrição da apresentação:

1 Civilização Fluvial – disponibilidade de água doce para a agricultura e o consumo humano sempre esteve entre as principais preocupações do homem

2   Conseguiram produzir alimentos necessários para a sobrevivência;  Rio – regime de cheias e vazantes anuais, fertilizava o solo com matéria orgânica;  A Civilização Ocidental tem suas raízes nos Povos do Oriente, que nos deixaram uma herança inestimável: Medicina, Astronomia, Matemática;  Medicina: mumificação (ausência de fungos e bactérias nas bandagens) - Propriedade antibiótica de algumas plantas; Nilo a Dádiva do Egito

3   Matemática: construções egípcias – diques, canais, celeiros, edifícios, templos e pirâmides – exigiam cálculos precisos;  Astronomia: aprenderam a determinar as estações do ano de acordo com o movimento dos astros – elaboraram o primeiro calendário solar – Ano foi dividido em 12 meses de trinta dias – Os meses abrangiam 3 semanas de dez dias – três estações: Inundação, Vegetação, Colheita;

4   As figuras abaixo mostram as proporções que os egípcios usavam nos cálculos da construção das pirâmides.  No inicio da construção da  grande pirâmide, foi fixado sua orientação segundo a constelação da Mão de Touro [hoje Ursa Maior] estabelecendo uma linha em ângulo reto. Pirâmide de Quéops e a Razão Áurea

5   Localização do Egito: nordeste da África, em uma região conhecida no passado como Crescente Fértil;  Território predominantemente desértico;  Hoje a região desenvolve uma grande produção algodoeira;  No Egito Antigo: grande produção de grãos;  Rio Nilo: o mais longo do Planeta (6.671 quilômetros de extensão);  Durante as Cheias (junho e outubro) – as águas cobriam as margens desérticas do Nilo – Quando o rio voltava ao normal uma grossa camada de limo fertilizante (húmus) era deixada sobre a terra – período da semeadura. O Rio-Deus e os Felás

6   Produtos Cultivados: trigo, cevada, linho, papiro, legumes e frutas;  Criavam: bois, carneiros, cabras, aves e porcos;  Barcos: asseguravam a ligação permanente entre as terras do sul e as regiões pantanosas do delta, ao norte;  Camponeses ou Félas: aprenderam a transformar a natureza em benefício da sociedade;

7   Divisão Social Uma Sociedade Diversificada

8  Processo de Mumificação

9   Deuses e Deusas – forças da natureza – sol, céu, terra, Rio Nilo;  Havia centenas de divindades, algumas cultuadas apenas em algumas regiões;  Eram associadas aos acontecimentos da vida diária, à morte e aos fenômenos naturais;  Religião – politeísta e antropozoomórfica (divindades representadas por seres híbridos, com uma parte humana e outra animal);  Assumia diferentes formas, inclusive a adoração de animais, como boi, gato, crocodilo entre outros. Terra dos deuses

10   O domínio dos milenares deuses do Egito foi quebrado durante o reinado do Faraó Amenófis IV (1353 a.C. a 1336 a.C.) – tentou implantar o culto ao deus único;  Reformas Religiosas: tinha o objetivo de diminuir a autoridade crescente dos sacerdotes, que ameaçava o poder central;  A experiência monoteísta baseou-se no culto ao deus Aton, simbolizado pelo disco solar;  O faraó passou a intitular-se Akenaton – e fundou uma nova cidade Akhetaton, nas proximidades de Tebas;  Tutankhamon: filho e sucessor de Amenófis; Aton, o deus único

11  Aton, Akenaton

12  Dois Reinos, Três Impérios  Pequenas aldeias: nomos  Liderança: nomarcas;  União das populações do Vale do Nilo:  Dois reinos;  Alto Egito ou Terras do Sul;  Baixo Egito ou Terras do Norte; * 3200 a.C. -> Unificação do Egito * Faraó: significa “Casa Grande” * Faraó = identificado a Hórus, filho de Rá, Deus do Sol

13   Capital: Mênfis;  Unificação dos dois Reinos – Faraó Menés  3200 a.C. até 2130 a.C.  Grandes obras de irrigação, desenvolvimento da agricultura;  Construção das Pirâmides: Quéops, Quéfren e Miquerinos;  Decadência: grandes proprietários de terras desafiaram a autoridade do faraó;  A partir de 2200 a.C. - as lutas entre nomarcas tornaram inevitável o esfacelamento do império. ANTIGO IMPÉRIO

14   Início 2052 a.C.  Tebas se tornou a capital dos dois reinos;  Período próspero, marcado pela expansão territorial e pelo início das relações comerciais entre Egito e outros povos (fenícios, sírios e cretenses);  Novas irrigações e novo impulso na vida cultural;  1630 a.C – invasão dos Hicsos: povo nômade da Ásia, utilizavam armas de ferro e carros de guerra conduzidos por cavalos, desconhecidos dos egípcios – os conquistadores permaneceram por mais de um século no território egípcios. MÉDIO IMPÉRIO

15   Período: 1539 a.C. – 525 a. C. – resultou em um processo de união dos egípcios contra os hicsos;  Faraó Amósi I – a sociedade conseguiu expulsar os invasores;  Outros povos haviam se estabelecido no Egito: os hebreus – foram perseguidos e transformados em escravos;  Expansionismo: Núbia, Palestina, Etiópia, Síria e Fenícia foram anexadas ao Egito;  1075 a.C. – período de decadência e o Egito foi sucessivamente conquistado por outros povos;  Século VII a. C. – ocupado pelos assírios; 525 a.C. persas; 332 a.C Macedônia (Alexandre, o Grande) NOVO IMPÉRIO

16   Hieróglifos: Encontrados nos túmulos e nas pirâmides só foram estudados a partir de 1798, quando o general francês Napoleão Bonaparte invadiu o Egito e nomeou estudiosos para registrar os monumentos encontrados;  Pedra de Roseta: uma lápide de basalto preto, de 114 cm de altura e 72 cm de largura – continha um texto gravado em três escritas diferentes;  1802 _ Jean François Champollion – decidiu dedicar-se a resolver o enigma. Passados 11 anos ele conseguiu decifrar os primeiros hieróglifos (1821);  Os escritos revelaram que se tratava de um decreto de 196 a.C., época do governante Ptolomeu V. Escrita Egípcia

17  PEDRA DE ROSETA


Carregar ppt "Civilização Fluvial – disponibilidade de água doce para a agricultura e o consumo humano sempre esteve entre as principais preocupações do homem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google