A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO – O QUE É UM FERRET Por ser desconhecido da maior parte das pessoas, ele tem sido chamado de vários nomes: rato, iguana, hamster gigante, chinchila,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO – O QUE É UM FERRET Por ser desconhecido da maior parte das pessoas, ele tem sido chamado de vários nomes: rato, iguana, hamster gigante, chinchila,"— Transcrição da apresentação:

1

2 INTRODUÇÃO – O QUE É UM FERRET Por ser desconhecido da maior parte das pessoas, ele tem sido chamado de vários nomes: rato, iguana, hamster gigante, chinchila, entre outros. Mas não se deixe enganar, o Ferret é um animal a parte. Ele é da família dos Mustelídeos, a mesma do vison, marta, doninha, lontra, ariranha, irara e do furão selvagem. Estes animais têm em comum várias coisas: são carnívoros, possuem o corpo comprido e bastante flexível, membros curtos, orelhas pequenas, cauda peluda e longa e uma pelagem muito densa. Apesar do nome, o furão doméstico é mais aparentado com a doninha européia do que com o furão selvagem nacional. O furão doméstico é companheiro do homem a cerca de 2000 anos, segundo alguns historiadores. Ele era inicialmente usado para caçar pequenos roedores e para controlar os ratos em casas e silos. Chegou aos EUA com os primeiros colonizadores e lá se tornou um animal de companhia; atualmente os ferrets são a terceira maior população de Pets, com cerca de 8 milhões de animais.

3 IMPORTAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Para quem não sabe, os FERRETS que vivem no Brasil são importados por uma empresa de nome PRO PET – PROFESSIONAL PET SUPPLIERS, a qual, além de importar o animal, importa a ração, e controla a distribuição de vacinas em SP, sem nenhum concorrente, estando, portanto, livre para arbitrar valores e informações. No Brasil, não há nada de ilegal em ter Ferrets, desde que cheguem ao país microchipados, e sejam castrados, conforme determinação do IBAMA. Os Ferrets importados pela PRO PET, todos de origem americana e, em sua maioria, nascidos na fazenda MARSHALL (EUA), trazem, pois, um microchip sob a pele, contendo um número de identificação. Ao comprar o Ferret, o dono assina um documento contendo os seus dados pessoais e aquele número. No entanto, a MARSHALL PETS, o IBAMA, e a própria PRO PET não fazem o monitoramento a respeito do que acontece com os Ferrets nos Pet Shops brasileiros. Uma vez que hoje o valor médio de um animal equivale a R$ 1.000,00, alguns Ferrets chegam a ficar meses e até anos em gaiolas minúsculas, sem espaço para se movimentarem, ração adequada, cuidados de um veterinário, vacinação regular e adequada. Sem a garantia (previsão) de venda e, em virtude da falta de cuidados decorrentes dos problemas acima apontados, muitos animais adoecem e morrem. Dessa forma, apesar das Leis dos direitos dos Animais, NÃO existe fiscalização por parte dos órgãos competentes, NÃO existe a informação e NÃO existe um abrigo, uma ONG, uma associação, NÃO existe nada para ajudar esses animais.

4 PERGUNTAS QUE NÃO CALAM - Por que se é permitido a importação de animais tão caros e delicados, sem acompanhamento de vendas e de encomendas? - Existe alguma LEI que determine quando tempo um animal pode ficar enjaulado em exposição em um Pet Shop? - Existe alguma LEI que determine o horário de funcionamento de um Pet Shop? - O que acontece com os animais que lá ficam após o expediente, nos domingos e nos feriados? - Quem alimenta e protege os animais de companhia que não são estimados por quem os comercializa? - O que mais existe por trás disso, que desconhecemos, já que o mercado de produtos para Pets é um dos mais lucrativos, e está em expansão? - Não parece estranho que somente uma única empresa tenha descoberto esse filão? - Será que outras empresas são impedidas pela burocracia das importações, para assim se mantenha o monopólio? E, sem concorrência, os donos de Ferrets ficam sem opções, sendo obrigados a utilizar os únicos produtos comercializados nos valores arbitrados pelos detentores do monopólio de produção e comercialização, implorando para que os produtos necessários à manutenção dos animais não faltem nas prateleiras. - O que de fato está acontecendo no mercado? Será que por não serem animais da fauna nativa, não merecem nosso respeito? - Será que por conta do alto valor a eles arbitrados, eles foram elitizados, e por isso não tem direito a ajuda gratuita e humanitária prestada aos cães, gatos e mico-leão-dourados?

5 O PROBLEMA É AINDA MAIOR Mas o problema não termina aqui, pois mesmo após todo o sofrimento de um Ferret para vir para o Brasil (castração, microchipagem, transporte, passagem pela alfândega, quarentena, distribuição pelos Pet Shops, aprisionamentos em gaiolas, olhares e pegadas curiosas), quando enfim é vendido e encontra um dono, ele nem sempre encontra um bom lar. Muitos Ferrets morrem por ignorância de seus donos. Morrem porque seus donos não tem DINHEIRO para o tratamento quando eles adoecem. Muitos donos de Ferrets estão abandonando seus animais porque a moda passou, porque geram despesas ou porque estão ficando velhos e doentes! É a famosa posse irresponsável. No quesito alimentação, a desinformação impera, e os poucos fabricantes nacionais de ração para Ferrets não atendem às especificações internacionais já testadas e aprovadas, comprometendo a qualidade de sua oferta. Os que não conhecem os Ferrets, ou aqueles que vierem a conhecê-los, nunca imaginariam que alguns são acometidos de tumores ligados às castrações e à falta de função hormonal. Tumores em Humanos são facilmente tratados se diagnosticados em tempo, nos Ferrets também. Infelizmente, há pouca informação sobre esse animal. O pouco que sabemos está em sites e em listas de discussão na internet. Mas isso é insignificante face ao enorme número de brasileiros. As informações precisam ser difundidas à população em geral, aos veterinários, donos de Pet Shop, políticos e imprensa.

6 DESABAFO E PEDIDO DE AJUDA - Não existem organizações, nem instituições de Defesa dos Animais que conhecem o que é um Ferret. - Nas ONGs brasileiras, não é encontrado um único veterinário disponível que teria condições de avaliar quaisquer sintomas de um Ferret (nem todos os veterinários admitem não saber tratar um Ferret, pois até desconhecem sua existência). - Não existem informações de fácil acesso para a sociedade sobre cuidados, problemas e características sobre esse animal. Isso é um absurdo. Esses animais estão correndo perigo, pois uma pessoa sem informação pode facilmente apedrejar um Ferret, por receio de tratar-se de um animal nocivo. Diante disso, no dia 25/11/04, a PEA tomou a iniciativa de divulgar e tentar, de algum modo, ajudar esses animais cedendo um espaço no site. Divulguem essas informações o máximo que puderem! Aos jornalistas, aos políticos, às organizações, às associações, aos órgãos de defesa de animais e à todas as pessoas que decidirem colocar um fim no Martírio dos Ferrets do Brasil, por favor, manifestem-se contra essas atrocidades. Se você tem conhecimento de algum Ferret doente, sem tratamento adequado, no vizinho, em algum Pet Shop, divulgue, peça ajuda, escreva, NÃO SE CALE, VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO! AJUDE OS FERRETS, ELES PRECISAM DE VOCÊ!

7 FOTOS DE FERRETS SAUDÁVEIS

8

9 FOTOS DE FERRETS DOENTES

10 POSSE RESPONSÁVEL – VOCÊ ME ACEITA DO JEITO QUE SOU? -Antes de adquirir qualquer animal, pense nos imprevistos da vida e conte com eles! -Não nos use como investimento. Não somos objetos para sermos vendidos quando você precisar de dinheiro. -Vivemos em média de 5 à 8 anos, mas podemos chegar a 10 anos. - Dormimos cerca de 18 horas por dia. Em intervalos de 4 horas (aproximadamente) acordamos para comer, fazer as necessidades, brincar e voltamos a dormir. -Temos um cheirinho forte, que não sai se você nos der banho todos os dias (capaz de piorar), além de nos causar alergia. -Ás vezes, erramos a caixinha sanitária e fazemos as necessidades fora do lugar. - Mordemos quando nos sentimos acuados e amedrontados. Ás vezes, damos mordidinhas enquanto brincamos o que não quer dizer que queremos lhe machucar. -Precisamos de carinho, atenção e tempo para brincar e nos exercitarmos. Não podemos ficar presos o dia todo na gaiola. - Não somos elegantes como os gatos, nem submissos como cachorros. Não protegemos sua casa, não passeamos nas ruas, não apanhamos jornais, nem caçamos ratos. Apenas damos amor, alegria e diversão pulando pela casa. - Não gostamos de viver sozinhos, precisamos de companhia. Você se importaria de cuidar de dois? - Somos curiosos, xeretas e fujões, entramos em qualquer buraco, adoramos arranhar carpetes e cavocar plantas, podemos cair de moveis altos e janelas. Sua casa irá precisar de ajustes para nossa segurança. - Nossos custos (comida, veterinário, vitaminas, gaiolas) são caros e quando ficarmos velhos, os custos aumentam. Você acha que pode arcar com tudo isso? - Nós temos sentimentos e, por isso, não gostaríamos de sermos abandonados, doados ou vendidos depois de estarmos apegados a você. Por isso, pense bem, antes de ter um de nós! Planeje, pois não somos objetos, somos vidas e devemos ser amados e, acima de tudo, respeitados!

11 SITES DE AUXÍLIO SITES EM PORTUGÊS (BR) PARA CONTATOS: FÓRUNS DE DISCUSSÃO Orkut: Comunidade Ferrets Brasil SITES EM PORTUGÊS (PT) APOIO VETERINÁRIOS QUE CONHECEM FERRETS


Carregar ppt "INTRODUÇÃO – O QUE É UM FERRET Por ser desconhecido da maior parte das pessoas, ele tem sido chamado de vários nomes: rato, iguana, hamster gigante, chinchila,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google