A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AVALIAÇÃO CLÍNICA E RADIOLÓGICA DAS INSTABILIDADES DO OMBRO MARCELO SOARES DE VITA Hospital Municipal Miguel Couto-RJ.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AVALIAÇÃO CLÍNICA E RADIOLÓGICA DAS INSTABILIDADES DO OMBRO MARCELO SOARES DE VITA Hospital Municipal Miguel Couto-RJ."— Transcrição da apresentação:

1 AVALIAÇÃO CLÍNICA E RADIOLÓGICA DAS INSTABILIDADES DO OMBRO MARCELO SOARES DE VITA Hospital Municipal Miguel Couto-RJ.

2 EXAME FÍSICO DA INSTABILIDADE TRAUMÁTICA: •LUXAÇÃO ANTERIOR : Dolorosa ; Espasmo Muscular ; Sinal de Dragona. • Palpação da cabeça do úmero anteriormente. • A região posterior mostra um concavidade abaixo do acrômio. • Braço é posicionado em leve rotação externa e abdução. • Rotação interna e adução limitadas. • Avaliação neurovascular do membro afetado.

3 LESÕES ASSOCIADAS COM LUXAÇÕES ANTERIORES: •LIGAMENTOS E CAPSULA : Avulsão dos ligamentos glenoumeral inferior e cápsula do bordo anterior da glenóide, especialmente em indivíduos jovens. •FRATURAS : Glenóide; Cabeça do úmero ( Hill-Sachs ); Tuberosidade maior ; Processo coracóide. •MANGUITO ROTADOR : 30 % de lesões em indivíduos acima de 40 anos e 80 % em maiores que 60 anos. •LESÕES VASCULARES : Artéria e veia axilar e ramos da artéria axilar. •LESÕES NERVOSAS : Nervo axilar.

4 LUXAÇÃO ANTERIOR SUBCORACÓIDE

5 LUXAÇÃO ANTERIOR SUBGLENÓIDE

6 EXAME FÍSICO DA INSTABILIDADE TRAUMÁTICA: •LUXAÇÃO POSTERIOR : •Reconhecimento difícil pela pequena deformidade. •Limitação de rotação externa. •Limitada elevação do braço. •Proeminência posterior em comparação ao outro lado. •Achatamento do aspecto anterior do ombro. •Proeminência do processo coracóide no lado luxado.

7 LESÕES ASSOCIADAS COM LUXAÇÕES POSTERIORES. •FRATURAS : Bordo posterior da glenóide ; Tuberosidade menor ; Porção anteromedial da cabeça ( Hill-Sachs reverso ). •MANGUITO ROTADOR E ESTRUTURAS NEUROVASCULARES : Raras.

8 LUXAÇÃO POSTERIOR

9

10 LUXAÇÃO INFERIOR - ERETA

11 RECORRÊNCIA DA INSTABILIDADE APÓS LUXAÇÃO TRAUMÁTICA •EFEITO IDADE : Caso o 1º episódio ocorra antes de 20 anos, 90 % de recidivas. Após 40 anos cai para 10 a 15 %. •EFEITO DO TRAUMA, ESPORTES, SEXO E DOMINÂNCIA : Severidade do trauma, atletas,  > . •EFEITO DO TRAT. PÓS LUXAÇÃO : Tipo e Tempo. •EFEITOS DAS FRATURAS : Fratura da tuberosidade no 1º episódio é associada a baixa recidiva ; Lesão posterolateral da cabeça ( Hill-Sachs) - Alta recidiva. •EFEITO DA LESÃO LABRUM – LIGAMENTAR : Lesão de Bankart – Alta recidiva.

12 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA NO OMBRO LUXADO: •NAS LUXAÇÕES AS RADIOGRAFIAS PRECISAM MOSTRAR : •A DIREÇÃO DA LUXAÇÃO •EXISTÊNCIA DE FRATURAS •POSSÍVEIS OBSTÁCULOS PARA REDUÇÃO

13 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA NO OMBRO LUXADO : •A ARTICULAÇÃO GLENOUMERAL É BEM AVALIADA, USANDO 03 INCIDÊNCIAS BÁSICAS TENDO COMO REFERÊNCIA O PLANO DA ESCÁPULA : INCIDÊNCIA EM AP VERDADEIRO INCIDÊNCIA EM PERFIL DA ESCÁPULA INCIDÊNCIA AXILAR / BLOOM E OBATA WEST POINT / AXILAR TRAUMA LATERAL

14 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA : AP NO PLANO DA ESCÁPULA

15 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA : PERFIL NO PLANO DA ESCÁPULA

16 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA : AXILAR – WEST POINT

17 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA: BLOOM & OBATA – TRAUMA AXILAR LATERAL

18 AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA NAS INSTABILIDADES RECORRENTES TRAUMÁTICAS •INCIDÊNCIA OBLIQUA APICAL

19 EXAMES COMPLEMENTARES: •ARTROTOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA. •ARTRORRESONÂNCIA MAGNÉTICA. •ARTROGRAFIA. •ARTERIOGRAFIA; DOPPLER; ENMG.

20 ARTROTOMOGRAFIA •

21 ARTRORRESONÂNCIA MAGNÉTICA •

22 INSTABILIDADE ATRAUMATICA RECORRENTE •FATORES PREDISPONENTES : •Tamanho e profundidade da glenóide. •Excessiva complacência capsular. •Flacidez do manguito rotador. •Alteração do controle neuromuscular. •Excessiva complacência labral. •Descentralização da cabeça umeral. •Hereditariedade. •SÍNDROME / MULTIDIRECIONAL.

23 APRESENTAÇÃO CLÍNICA •HISTÓRIA : •Pacientes com menos de 30 anos. •Início insidioso, mas pode ocorrer após pequena lesão ou período de desuso prolongado. •Desconforto e disfunção nas atividades do cotidiano. •Quando ocorre luxação, reduz-se espontaneamente. •Documentar circunstâncias relacionadas com o início do problema e posições que o paciente sente a instabilidade. •Bilateralidade ; Síndrome Ehlers-Danlos.

24 INSTABILIDADE ATRAUMÁTICA RECORRENTE: HIPERELASTICIDADE ARTICULAR

25 EXAME FÍSICO : •Demonstração da instabilidade •Testes de frouxidão : •DRAWER TEST •SULCUS TEST •PUSH-PULL TEST

26 DEMONSTRAÇÃO DA INSTABILIDADE : JERK TEST VOLUNTÁRIO

27 DRAWER TEST

28 SULCUS TEST

29 PUSH-PULL TEST

30 EXAME FÍSICO : •Testes de estabilidade : •FULCRUM TEST •CRANK OU APPREHENSION TEST •JERK TEST •CLUNCK TEST

31 FULCRUM TEST

32 CRANK OU APPREHENSION TEST

33 JERK TEST

34 CLUNCK TEST

35 OBRIGADO

36


Carregar ppt "AVALIAÇÃO CLÍNICA E RADIOLÓGICA DAS INSTABILIDADES DO OMBRO MARCELO SOARES DE VITA Hospital Municipal Miguel Couto-RJ."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google