A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O QUE É CURRÍCULO entendido como um conjunto de disciplinas, programas, planos de estudos e objetivos, o currículo deve ir além de uma seleção de matérias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O QUE É CURRÍCULO entendido como um conjunto de disciplinas, programas, planos de estudos e objetivos, o currículo deve ir além de uma seleção de matérias."— Transcrição da apresentação:

1 A LÓGICA E AS CONCEPÇÕES QUE NORTEIAM O CURRÍCULO OFICIAL DA REDE ESTADUAL DE SÃO PAULO

2 O QUE É CURRÍCULO entendido como um conjunto de disciplinas, programas, planos de estudos e objetivos, o currículo deve ir além de uma seleção de matérias e conteúdos. O currículo deve transmitir o legado histórico e social, adquirindo assim um saber cultural da sociedade fundamental no seu papel social.

3 CURRÍCULO Constituído de saberes ( conhecimentos):
Conteúdos - que devem se aprendidos e ensinados (contexto); Práticas : como é oferecido (métodos de ensino e aprendizagem); Acompanhamento da aprendizagem significativa: Avaliação visando a promoção : Avaliação Recursos usados (ex. livros usados para ministrar os conteúdos e para o processo ensino- aprendizagem).

4 Currículo x seleção de conhecimentos
Um currículo resulta de escolhas que devem levar em conta não apenas “o que” deve ser ensinado e “como” deve ser ensinado, mas principalmente “por que” este conhecimento deve ser ensinado.

5 Tipos de currículos CURRÌCULO FORMAL [baseia-se] em um conjunto de objetivos e resultados previstos (.) CURRÌCULO INFORMAL [diz respeito] à aprendizagem não planejada que ocorre nas salas de aula, nos espaços da escola ou quando os estudantes interagem com ou sem a presença do professor(a). O CURRÌCULO OCULTO:

6 Currículo e cultura Cultura Cultura é todo o conjunto de atitudes, costumes e crenças; caracteriza um grupo que o distingue dos outros, reflexos do que existe em uma sociedade. É uma experiência acumulada pela aprendizagem e que é transmissivel de geração em geração. Importância da interculturalidade, ou seja, da diferença de culturas no seu contributo para a cultura de um país. Competência Cultural Competência cultural é um conjunto de variáveis que contribuem para a organização inter- cultural.

7 CURRÍCULO ARTICULADO AS COMPETÊNCIAS PARA O conhecer, fazer, conviver e ser.
A construção do conhecimento pressupõe a construção do seu próprio saber – Tem por base as experiências vivenciadas. A construção de competências e habilidades - a mobilização destes conhecimentos e sua significação A aquisição dos saberes já construídos pela humanidade. a apropriação mediatizada pela transmissão. Os três processos são operações distintas e compete a escola atuar nesses processos. .

8 Principios da organização curricular
Currriculo Curriculo Conteúdos escolhidos para garantir que todos tenham educação básica Prioriza as competências leitoras e escritoras Estão intimamente ligados a cultura e a diversidade Os conteúdos não tem finalidade em si mesmo. Se referem ao desenvolvimento de habilidades e competências Articula as competências para o aprender

9 Curriculo X aprendizagem significativa
É contextualizado no mundo do trabalho É comprometido com a aprendizagem efetiva do aluno Aproveitam as diversidades dos alunos para incentivar a interação Parte sempre de conhecimentos que o aluno já possui , em cada serie ou ciclo. Permite avaliar o aluno com um todo Leva em conta as necessidades dos alunos em seus aspectos sociais – afetivos e cognitivos. Insere a avaliação processual e continua como parte do processo ensino aprendizagem

10 Objetivo da Escola Promover a formação integral dos indivíduos
FUNÇÃO SOCIAL DO ENSINO Para atingir esses objetivos ou finalidades a escola precisa definir que habilidades e competências (capacidades) pretende desenvolver em seus educandos. O papel dos objetivos educacionais COLL(1986) Classificação das capacidades do ser humano: Capacidades de Cognição ou Intelectuais Capacidades Motoras Capacidades de equilíbrio e autonomia pessoal (afetivas) Capacidades de relação interpessoal Capacidades de inserção Capacidades de atuação social.

11 Função social dos educadores
Compreender seu papel de mediador e facilitador no processo de desenvolvimento e amadurecimento dos educandos. Identificar os fatores que incidem no crescimento dos alunos. Aceitar o papel que podemos ter nesse crescimento e avaliar se nossa intervenção é coerente com a idéia que temos da função social da escola e de nossa função social como educadores

12 Os Conteúdos de Aprendizagem : Instrumentos das intenções educativas
Intenções educativas: globais e gerais O que ensinamos? ( conteúdos = conhecimentos de cada disciplina, conceitos, princípios, enunciados teoremas) O que deve se aprender? Aprendizagem ampla esta ligada a conteúdos de variadas naturezas: dados, habilidades, técnicas, atitudes, conceitos. Para que ensinamos? Desenvolvimento das habilidades e competências : gerais e especificas para que todos adquiram autonomia para saber, (conhecer), no saber fazer ( aplicar) e no saber conviver e ser ( formação)

13 Tipologia dos conteúdos ( COLL, in Zaballa)
CONCEITUAIS FATOS , CONCEITOS, PRINCÍPIOS ATITUDINAIS VALORES ATITUDES NORMAS PROCEDIMENTAIS PROCEDIMENTOS TÉCNICAS MÉTODOS

14 PROCESSOS DE APRENDIZAGEM DOS CONTEÚDOS - DIVERSIDADE
COMO OS ALUNOS APRENDEM? 1- AS APRENDIZAGENS DEPENDEM DAS CARACTERÍSTICAS SINGULARES DE CADA ALUNO. 2- APRENDEM CONFORME SUAS CAPACIDADES, MOTIVAÇÕES E INTERESSES 3 – A PARTIR DO QUE JÁ SABEM. 4 – QUANDO ESTÃO MOBILIZADOS E MOTIVADOS CONTEXTOS X PERCURSOS X INTER RELAÇÕES

15 A APRENDIZAGEM DOS CONTEÚDOS SEGUNDO SUA TIPOLOGIA
FATOS PROCEDIMENTOS CONCEITOS ATITUDES TELEFONE DATAS COMEMORATI - VAS NOMES Dirigir carro Cozinhar Jogar FUTEBOL Pintar um QUADRO Grafia das Letras Sistema alfabético Teoremas Divisão fotossintese Responsabilidade Hábito de leitura Solidariedade Respeito Prontidão MEMÓRIA Exercitar e repetir várias vezes FREQUÊNCIA Receber ajuda daquele que sabe CONSTRUÇÂO PESSOAL Pensar, comparar,compreender, estabelecer relações COERÊNCIA Vivenciar situações que representem valores

16 SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM
Como ensinar CURRÍCULO ATIVIDADES SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM MATERIAL DO ALUNO E DO PROFESSOR

17 Como organizar os conteúdos
A organização dos conteúdos Há duas formas de se organizar os conteúdos: 1 - Tomando como ponto de partida e referencial básico as disciplinas ou matérias; neste caso os conteúdos podem ser classificados conforme sua natureza em: multidisciplinares, interdisciplinares, transdisciplinares. A multidisciplinaridade - é a organização de conteúdos mais tradicionais. Os conteúdos escolares são organizados por matérias independentes umas das outras. A interdisciplinaridade – é a interação entre duas ou mais disciplinas, que pode ir desde a simples comunicação de idéias até a integração recíproca dos conceitos fundamentais e da teoria do conhecimento, da metodologia e dos dados de pesquisa. A transdisciplinaridade - é o grau máximo de relação entre as disciplinas e supõe uma integração global dentro de um sistema totalizador. É a realidade sem parcelamento.

18 2 - Métodos globalizados
Centra-se no aluno e suas necessidades educacionais, suas capacidades, interesses, motivações. O aluno se transforma no protagonista do ensino. É o conhecimento adquirido através de visões globais e com posterior aprofundamento através da análise. Inicialmente suscita o interesse do aluno e a partir daí, a interpretação da realidade. Esta concepção psicológica da percepção humana e da necessidade de despertar o interesse dos alunos, é o primeiro desencadeante dos métodos globalizados. Existem diversos métodos que podem ser considerados globalizados: os centos de interesse de Décroly, o sistema de complexos da escola soviética, o estudo do meio do MEC, o currículo experimental de Taba, o trabalho por tópicos, os projetos de trabalho. Todos partem de uma situação real: conhecer um tema, realizar um projeto, resolver certas questões ou elaborar um dossiê. A diferença fundamental entre eles está na intenção do trabalho a ser realizado e nas fases que devem ser seguidas.

19 ATIVIDADE X BOA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM
ATIVIDADES BOA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM TRABALHO SEM ADEQUAÇÃO NÃO PRECISA SER DESAFIADORA NÃO EXIGE REFLEXÃO: CÓPIA, SIGA O MODELO GARANTE CIRCULAÇÃO DE INFORMAÇÕES PREVÊ DESAFIOS E TOMADAS DE DECISÃO MANTÊM AS CARACTERÍSTICAS SÓCIO CULTURAIS DO OBJETO A SER APRENDIDO FAVORECE A REFLEXÃO SOBRE O CONTEÚDO A SER TRABALHADO

20 Princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
2 – os aprendizes têm problemas a resolver e decisões a tomar em função do que se propõem a produzir; 1 – Os aprendizes precisam por em jogo tudo o sabem e pensam sobre o conteúdo em torno do qual o professor organizou a tarefa

21 Modalidades organizativas – como ensinar
Mantendo a Articulação /integração entre as áreas de conhecimento - ensino interdisciplinar Contextualizando Organização do Tempo Pedagógico que garanta o aprendizado de todos no tempo real.

22 Modalidades organizativas
ATIVIDADES PERMANENTES ATIVIDADES INDEPENDENTES ( SISTEMATIZAÇÃO) SEQÜÊNCIAS DIDÁTICAS PROJETOS

23 Atividades permanentes
Situações didáticas propostas com regularidade, com o objetivo de construir atitudes, criar hábitos, etc... Ex: Você sabia? Noticia da hora. Nossa semana foi assim. No mundo da arte Roda literária Cantando e encantando Comunidade muito Prazer

24 Situações independentes sistematização
Têm como objetivo principal a sistematização de conhecimentos EX: Pontuação Escala cartográfica Algoritmo acentuação

25 projetos Prevê um produto final e planejamento com tempo definido e objetivos claros. Periodicidade: depende das necessidades , dos objetivos e do alcance das metas previstas; Contextualizam as atividades: ler , escrever, estudar , pesquisar... Permitem o trabalho com diferentes linguagens Finalidade = compartilhada por todos os envolvidos, que se expressa em um produto final.

26 Seqüencias didáticas São ações didáticas articuladas, que possuem uma seqüência de realização, cujo critério principal são os níveis de dificuldade. Funcionam de forma parecida com os projetos e podem integrá- los, desenvolvem habilidades e competências mas não fornecem, necessariamente, um produto final predeterminado

27

28 Etapa s significados Sobre o problema Conheci- mentos prévios
Levantamento de Conheci- mentos prévios Sobre o problema Exige negociação de significados

29 etapa problema analisar discutir Propor soluções contextualizar
apresentar problema analisar contextualizar discutir Propor soluções

30 Etapa Sistematização Novo conhecimento

31 Seqüência didática é uma seqüência de
ATIVIDADES LEITURAS AULAS PRÁTICAS TRABALHO EM GRUPO AULAS EXPOSI - TIVAS ANÁLISE DE TEXTOS PARA PROMOVER ENSINO E APRENDIZAGEM

32 Deve promover Conflito cognitivo compreensão Seqüência didática
Meta – cognição Aprendizagem significativa compreensão Atitude favorável motivação

33 DEVE APRESENTAR INTERDISCIPLIN A
SEQÜÊNCIA DIDÁTICA DEVE APRESENTAR INTERDISCIPLIN A RIDADE PODE UTILIZAR MAPAS CONCEITUAIS ANTONI ZABALA - A PRATICA EDUCATIVA – COMO ENSINAR – PAG 53 A 86 – AS SEQUENCIAS DIDATICAS E AS SEQUENCIAS DE CONTEÚDOS


Carregar ppt "O QUE É CURRÍCULO entendido como um conjunto de disciplinas, programas, planos de estudos e objetivos, o currículo deve ir além de uma seleção de matérias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google