A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BA. 13 – Homeostase e digestão Parte 2

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BA. 13 – Homeostase e digestão Parte 2"— Transcrição da apresentação:

1 BA. 13 – Homeostase e digestão Parte 2
Página 22

2 AB + H2O → A + B Enzima

3 Etapas da digestão No tubo digestório, os alimentos entram em contato sucessivamente com 5 secreções digestivas: 1- SALIVA pH neutro Produzido nas glândulas salivares e atua na boca. Amilase salivar (ptialina) – inicia a hidrólise do amido em maltose. Amido → maltose Amido + H2O → Maltose Ptialina

4 Proteínas + H2O → Peptídeos
Etapas da digestão 2- SUCO GÁSTRICO pH ácido – ácido clorídrico Produção e atuação no estômago Pepsinogênio (forma inativa) → pepsina Proteínas → peptídeos menores A camada de muco protege a parede do estômago da agressão do suco gástrico. Inflamação difusa da mucosa = gastrite Lesões que podem sangrar = úlceras gástricas. Depois de 3 a 4 horas os alimentos transformam-se em uma massa cremosa (quimo) que passa para o intestino delgado. Proteínas + H2O → Peptídeos Pepsina

5 Etapas da digestão 3- BILE
No duodeno, o quimo entra em contato com a bile. Armazenada na vesícula biliar. pH básico (bicarbonato de sódio) – não contém enzimas. Produção no fígado e atuação no intestino delgado. Nenhuma enzima Emulsificação de óleos e gorduras – redução de gotas de lipídios.

6 Etapas da digestão 4- Suco pancreático
No duodeno o quimo recebe também o suco pacreático. pH básico – (bicarbonato de sódio) + enzimas Produzido no pâncreas e atuação no intestino delgado As enzimas hidrolisam carboidratos, proteínas, gorduras e ácidos nucléicos. Tripsina: Proteínas → pepetídeos menores Amilase pancreática: Amido → maltose Lipase pancreática: Triacilgliceróis → glicerol + ácidos graxos

7 Etapas da digestão 5- Suco entérico pH neutro
Produção e atuação no intestino delgado Enteroquinase: Tripsinogênio → tripsina Maltase: Maltose → glicose + glicose Sacarase: Sacarose → glicose + frutose Lactase: Lactose → glicose + galactose Peptidases: Peptídeos → amnoácidos

8 Absorção e distribuição dos nutrientes
Etapas da digestão Absorção e distribuição dos nutrientes A digestão produz moléculas pequenas e solúveis, para serem absorvidas. Água e etanol – transporte passivo Aminoácidos e glicose – transporte ativo Intestino delgado absorve 90% da água que passa por ele, 10% no intestino grosso. Vitaminas e sais minerais não passam por hidrólise → absorção no intestino delgado. Superfície interna do intestino delgado apresentam dobras (vilosidades) = aumentam a superfície de absorção.

9

10 Absorção e distribuição dos nutrientes
Etapas da digestão Absorção e distribuição dos nutrientes Água, íons, minerais, vitaminas, aminoácidos e monossacarídeos = recolhidos por capilares sanguíneos das vilosidades. Fibras vegetais não são digeridas e nem absorvidas. Passam inertes e constituem a massa fecal. Fibras = retenção de líquido nas fezes, que se tornam mais macias e fáceis de eliminar. Pessoas com dieta pobre em verduras, cereais e frutas tem maior predisposição a hemorróidas, câncer de intestino grosso, diverticulose, ...

11 Controle da atividade digestiva
Produção de saliva é estimulada pela presença dos alimentos na boca ou por estímulos externos (cheiro, aparência...) Nervo vago → envia estímulos ao estômago para que se inicie a liberação de suco gástrico. Quando os alimentos chegam ao estômago, ele começa a secretar o hormônio gastrina. Atua sobre a glândulas da mucosa gástrica, estimulando a produção de suco gástrico. Quando o alimento passa para o duodeno há liberação da secretina. Esse hormônio chega ao pâncreas pelo sangue, estimulando a produção de suco pancreático (pH básico = neutraliza a acidez do quimo).

12 Controle da atividade digestiva
No duodeno, é produzida a colecistocinina – estimulada pela presença de ácidos graxos a aminoácidos no quimo. Esse hormônio também provoca a contração da vesícula biliar e o lançamento de bile no duodeno. Em resposta ao quimo rico em lipídios é secretada a enterogastrona → inibe o esvaziamento do estômago e a produção de ácido gástrico = permanência de alimentos gordurosos mais tempo no estômago.

13

14 Digestão em outros vertebrados
AVES - No esôfago há uma região dilatada – o papo (ou inglúvio) – não há secreção de enzimas, apenas armazena. - O estômago das aves divide-se em:  proventrículo: químico, os alimentos são misturados com enzimas digestivas  moela: mecânico, tritura os alimentos.

15 Digestão em outros vertebrados
MAMÍFEROS - Não produzem celulase, mas alguns mamíferos aproveitam os produtos da digestão da celulose, graças à presença de microorganismos produtores desta enzima. - Os herbívoros tem tubo digestório mais longo → câmaras de fermentação microbiológica. - As mais eficientes formas de digestão mutualística = herbívoros ruminantes. - Estômago é dividido em quatro compartimentos. - Presença de bactérias e protozoários ciliados, fermentadores de celulose.

16


Carregar ppt "BA. 13 – Homeostase e digestão Parte 2"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google