A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profa. Dra. NAZIRA MAHAYRI REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL DE CAMPINAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profa. Dra. NAZIRA MAHAYRI REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL DE CAMPINAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS."— Transcrição da apresentação:

1 Profa. Dra. NAZIRA MAHAYRI REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL DE CAMPINAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

2 INCIDÊNCIA DAS DOENÇAS ONCO-HEMATOLÓGICAS NO BRASIL PAÍS - ESTADOS - MUNICÍPIOS VIII CONFERÊNCIA DE ONCO HEMATOLOGIA ABRALE HOSPITAL SÍRIO LIBANÊS 6 A 8 JUNHO 2013 SÃO PAULO

3 CONCEITO DE INCIDÊNCIA INCIDÊNCIA é o número de casos novos de uma doença que ocorrem em um mesmo local e período de tempo, ou seja, a INCIDÊNCIA traz a ideia de intensidade com que surgem os casos novos em uma dada população em um determinado período de tempo

4 REGISTRO DE CÂNCER É um serviço da área da saúde que realiza: 1. Coleta 2. Processamento 3. Análise e 4. Divulgação de Informações sobre câncer de forma: Padronizada, Sistemática e Contínua

5 REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL – RCBP CASOS NOVOS Os RCBPs coletam os CASOS NOVOS de câncer, ano a ano, de uma população específica, em uma área geográfica delimitada, por localização primária e comportamento do tumor, arquivam, processam, analisam os dados e DIVULGAM AS INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS PARA A COMUNIDADE

6 REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL Tem por objetivo determinar: 1. INCIDÊNCIA 2. MORTALIDADE 3. SÉRIES TEMPORAIS 4. SOBREVIDA 5. ANÁLISE ESPACIAL além de viabilizar ESTIMATIVAS e o PLANEJAMENTO DE AÇÕES adequadas ao perfil de uma população

7 REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL INCIDÊNCIA DE CÂNCER É O INSTRUMENTO FUNDAMENTAL PARA O CÁLCULO DA INCIDÊNCIA DE CÂNCER É ATRAVÉS DOS RCBPs QUE PASSAMOS A CONHECER: o número de pacientes portadores de câncer; sua distribuição por faixa etária; sexo; local de nascimento; local de residência; profissão; extensão da doença; qualidade do diagnóstico; avaliação das diferentes modalidades de tratamento; distribuição geográfica; a sobrevida, entre outros.

8 2007

9 QUALIDADE DA INFORMAÇÃO QUALIDADE DA INFORMAÇÃO A qualidade da informação dos REGISTROS DE CÂNCER E DAS ESTATÍSTICAS DE CÂNCER no Brasil dependem da representatividade e regularidade das informações coletadas, da atualidade destas, da utilização de critérios padronizados pelos técnicos dos Registros, e da participação de indivíduos e instituições relevantes aos processos de VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

10 CANCER INCIDENCE IN FIVE CONTINENTS AGÊNCIA INTERNACIONAL DE PESQUISA EM CÂNCER – IARC INCIDÊNCIA DE CÂNCER A CADA 5 ANOS A AGÊNCIA INTERNACIONAL DE PESQUISA EM CÂNCER – IARC DISPONIBILIZA ESTA PUBLICAÇÃO COM DADOS CONSOLIDADOS DE INCIDÊNCIA DE CÂNCER DOS CINCO CONTINENTES

11 OS DADOS DOS RCBPs DO BRASIL TAMBÉM PASSARAM A SER PUBLICADOS REGULARMENTE

12 ESTIMATIVAS SÃO PROJEÇÕES BASEADAS EM DADOS REAIS DE RCBPs

13

14

15 ESTIMATIVAS PARA O ANO DE 2012 DAS TAXAS BRUTAS DE INCIDÊNCIA POR 100 MIL E DE NÚMERO DE CASOS NOVOS POR CÂNCER, EM HOMENS E MULHERES SEGUNDO A REGIÃO SEGUNDO A REGIÃO

16 Distribuição proporcional dos 10 tipos de câncer mais incidentes estimados para 2012 por sexo (excluindo-se pele não melanoma)

17 Taxas brutas de incidência estimadas para 2012 por sexo no Estado de São Paulo e capital

18 LINFOMAS NÃO-HODGKIN (LNH) LINFOMA •Cerca de dois terços dos casos novos de LINFOMA são classificados como LINFOMAS DO TIPO NÃO-HODGKIN •No Brasil para o ano de 2012, estimou-se em casos novos de LINFOMA NÃO HODGKIN para homens e para mulheres. •LINFOMA NÃO HODGKIN no sexo masculino é o oitavo mais frequente na região NORTE (2/100 mil). Na região SUDESTE (7/100 mil), ocupa a nona posição. Nas regiões SUL (6/100 mil) e NORDESTE (3/100 mil), ocupa a décima posição, e, na região CENTRO-OESTE (5/100 mil), é o 11º mais frequente. •LINFOMA NÃO HODGKIN no sexo feminino, é o oitavo mais frequente na região SUDESTE (6/100 mil) e o 11º na região CENTRO- OESTE (4/100 mil), enquanto, nas regiões SUL (5/100 mil), NORDESTE (2/100 mil) e Norte (1/100 mil), é o 12º mais frequente

19 LINFOMA NÃO HODGKIN homens Representação espacial das taxas brutas de incidência por 100 mil homens estimadas para o ano de 2012 segundo a Unidade da Federação Fonte: ESTIMATIVA 2012 – Incidência de Câncer no Brasil – Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva – INCA/MS

20 LINFOMA NÃO HODGKIN mulheres Representação espacial das taxas brutas de incidência por 100 mil mulheres estimadas para o ano de 2012 segundo a Unidade da Federação Fonte: ESTIMATIVA 2012 – Incidência de Câncer no Brasil – Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva – INCA/MS

21 LINFOMA NÃO HODGKIN (C82-C85;C96) •As taxas de incidência do LNH aumentaram na maioria dos países desenvolvidos durante a década de • Esse aumento deveu-se, em parte, à melhoria nos procedimentos diagnósticos e nas mudanças na classificação morfológica do tumor. •Outro fato marcante foi que, nessa década, deu-se o início da epidemia pela Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS). •Pessoas do sexo masculino têm um risco duas vezes maior do que as do sexo feminino.

22 LEUCEMIAS (C91-C95) •As LEUCEMIAS constituem aproximadamente 2,8 a 3% de todos os diagnósticos de câncer no mundo. •A LEUCEMIA MIELÓIDE AGUDA (L.M.A) representa 90% das leucemias agudas na idade adulta. 2 a 4/ casos aos 40 anos para 15/ casos após os 70 anos •A incidência da L.M.A aumenta com a idade, passando de 2 a 4/ casos aos 40 anos para 15/ casos após os 70 anos, e 2/3 dos casos ocorrem em indivíduos acima dos 60 anos. •A L.M.A tem distribuição universal, sendo mais frequente nas áreas urbanas e industrializadas. Wiernik PH. Acute Myelocytic Leukemia. Encyclopedia of Cancer. 2001;2nd Edition, V1,

23 LEUCEMIAS •De acordo com a estimativa do GLOBOCAN para o ano de 2008, a incidência idade-ajustada de taxa de LEUCEMIA na Europa é de 8,3 para em homens e 5,6 para mulheres. • A taxa idade-ajustada de L.M.A para homens é 2,3 para e de 1,63 para mulheres no ano de • A menor incidência é encontrada na Europa em ambos sexos é no centro e leste europeu. Novak I, Jaksic O, Kulis T, Batinjan K, Znaor A. Incidence and mortality trends of leukemia and lymphoma in Croatia, Croat Med J –23.23doi: /cmj

24 LEUCEMIAS homens Representação espacial das taxas brutas de incidência por 100 mil homens estimadas para o ano de 2012 segundo a Unidade da Federação Fonte: ESTIMATIVA 2012 – Incidência de Câncer no Brasil – Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva – INCA/MS

25 LEUCEMIAS mulheres Representação espacial das taxas brutas de incidência por 100 mil mulheres estimadas para o ano de 2012 segundo a Unidade da Federação Fonte: ESTIMATIVA 2012 – Incidência de Câncer no Brasil – Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva – INCA/MS

26 LEUCEMIAS •Para o Brasil, em 2012, estimou-se casos novos de LEUCEMIA para o sexo masculino e para o sexo feminino •LEUCEMIA em homens é a quinta neoplasia mais frequente na região NORTE (3/100 mil). Na região NORDESTE (4/100 mil), ocupa a oitava posição, na região CENTRO-OESTE (5/100 mil), a décima e, nas regiões SUL (6/100 mil) e SUDESTE (5/100 mil), a 11ª colocada •LEUCEMIA em mulheres, é a sétima mais frequente na região NORTE (3/100 mil) e a décima nas regiões CENTRO-OESTE (4/100 mil) e NORDESTE (3/100 mil), enquanto, nas regiões SUDESTE (4/100 mil) e SUL (5/100 mil), é a 12ª e a 13ª mais incidente, respectivamente

27 MIELOMA MÚLTIPLO (C90) • MIELOMA MÚLTIPLO corresponde a 1,0% de todas as doenças malignas e 10% das doenças malignas hematológicas, com uma incidência aproximada de 4 por • É uma doença com incidência maior em indivíduos idosos, em média 65 anos, estando a maioria entre 60 e 75 anos. Menos de 3% apresentam idade abaixo de 40 anos. Há uma pequena predominância do sexo masculino, variando de 1,1-1,5. A incidência é maior em indivíduos da raça negra. •A incidência varia de país para país, a menor é na China com 1/ e cerca de 4/ em países industrializados. Instituto Nacional de Câncer (Brasil). Câncer no Brasil: dados dos registros de base populacional, vol. IV. Rio de Janeiro: INCA; 2010.

28 INCIDÊNCIA DE CÂNCER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO BRASIL •LEUCEMIA é o tipo de câncer com maior incidência entre crianças e adolescentes no Brasil representando 29 % dos casos de câncer. •LINFOMAS são os tumores que aparecem na segunda posição entre aqueles que mais acometem a população infanto-juvenil brasileira em média 15,5%.

29 INCIDÊNCIA DE CÂNCER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO BRASIL Em 20 cidades brasileiras, distribuídas nas cinco regiões, que têm registros de casos de câncer de crianças e adolescentes e monitoram esses dados com apoio do INCA a maior incidência de câncer ocorreu em meninos e, estes dados, são semelhantes aos internacionais.

30 INCIDÊNCIA DE CÂNCER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO BRASIL •A incidência mais elevada por câncer em crianças e adolescentes foi encontrada nas cidades de Goiânia, Porto Alegre, São Paulo e Curitiba. •Em relação à leucemia, que é o grupo mais importante da doença em termos de incidência, ocorre no Brasil anualmente, em média 50 casos, por um milhão de meninos. •Nas meninas, esse número é um pouco menor, ou seja, 40 casos por milhão.

31 INCIDÊNCIA DE CÂNCER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO BRASIL •O segundo grupo de tumores de câncer mais importante em incidência, que são os LINFOMAS, também apresentam média mais elevada em meninos (30 casos por milhão) do que em meninas (20 casos por milhão). • LINFOMAS acometem mais os adolescentes na faixa etária dos 15 aos 18 anos.

32 INCIDÊNCIA DE CÂNCER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE EM CAMPINAS ANÁLISE ESPACIAL DOS CASOS DE CÂNCER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO HOSPITAL DR. DOMINGOS BOLDRINI

33 35 th IACR CONFERENCE 2013 OCTOBER, TEMA PRINCIPAL Registros de Câncer: avaliação de fatores de risco e a qualidade do cuidado

34 Coordenadores : Prof. Dr. Djalma de Carvalho Moreira Filho Dra. Nazira Mahayri RCBP-Campinas-SP/DSC/FCM/UNICAMP/INCA/IARC/OMS Registro Câncer Campinas

35 MUITO OBRIGADA Fone: (19) /9109/9110


Carregar ppt "Profa. Dra. NAZIRA MAHAYRI REGISTRO DE CÂNCER DE BASE POPULACIONAL DE CAMPINAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google