A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IMUNIZAÇÃO: NOVIDADES E CONTROVÉRSIAS DRA. JACY ANDRADE PROFª ASSOCIADO-DOUTOR INFECTOLOGIA MÉDICA CRIE/UFBA DIRETORA TÉCNICA SEIMI MEMBRO DIRETORIA SBIM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IMUNIZAÇÃO: NOVIDADES E CONTROVÉRSIAS DRA. JACY ANDRADE PROFª ASSOCIADO-DOUTOR INFECTOLOGIA MÉDICA CRIE/UFBA DIRETORA TÉCNICA SEIMI MEMBRO DIRETORIA SBIM."— Transcrição da apresentação:

1 IMUNIZAÇÃO: NOVIDADES E CONTROVÉRSIAS DRA. JACY ANDRADE PROFª ASSOCIADO-DOUTOR INFECTOLOGIA MÉDICA CRIE/UFBA DIRETORA TÉCNICA SEIMI MEMBRO DIRETORIA SBIM

2 INTRODUÇÃO VACINA PENTA E DOSES EXTRAS DE HEPATITE B DOSES EXTRAS – JUSTIFICATIVAS  DOSE EXTRA NÃO É CONTRA-INDICADA SE JUSTIFICADA  PRODUTO QUE CONTEM O ANTÍGENO NECESSÁRIO NÃO É DISPONÍVEL  QUANDO RISCO-BENEFÍCIO JUSTIFICA APLICAÇÃO – DISCUTIR COM OS PAIS  EXEMPLOS  Doses extras de Hib e hepatite B têm se mostrado seguras  Doses extras tétano associadas EAPV Crianças < 2Kg ou 33 semanas idade gestacional – 4 doses vacina VHB Rotina serviço público

3 Acesso 29/03/13 Fase atual transição - esquema ideal IPV INTRODUÇÃO ESQUEMA VIP/VOP NO BRASIL

4 VACINAS TRI E TETRAVIRAL - BRASIL SERVIÇO PÚBLICO TRÍPLICE VIRAL  PRIMEIRA DOSE ≥ 12 MESES  SEGUNDA DOSE 15 MESES VARICELA  DOSE ÚNICA ≥ 15 MESES NA FORMA DE TETRAVIRAL  APENAS UMA DOSE DE VARICELA SERVIÇO PÚBLICO TRÍPLICE VIRAL  PRIMEIRA DOSE ≥ 12 MESES  SEGUNDA DOSE 15 MESES VARICELA  DOSE ÚNICA ≥ 15 MESES NA FORMA DE TETRAVIRAL  APENAS UMA DOSE DE VARICELA SERVIÇO PRIVADO TV+V OUTETRAVIRAL  PRIMEIRA DOSE 12 MESES – AVALIAR TV +V  ENTRE 2 E 4 ANOS (15M A 2 ANOS) TETRAVIRAL - SBIM ≠ CDC  INTERVALO MÍNIMO – 3 MESES  2 DOSES S+C+R+V SERVIÇO PRIVADO TV+V OUTETRAVIRAL  PRIMEIRA DOSE 12 MESES – AVALIAR TV +V  ENTRE 2 E 4 ANOS (15M A 2 ANOS) TETRAVIRAL - SBIM ≠ CDC  INTERVALO MÍNIMO – 3 MESES  2 DOSES S+C+R+V Na Jornada SBIM 2013 a coordenadora PNI anunciou uma segunda dose de varicela aos 4 anos

5 VACINA QUÁDRUPLA VIRAL (SCRV) VS TRÍPLICE VIRAL + VARICELA  AOS 12 MESES: DEVE SER FEITA NA MESMA VISITA A 1ª. DOSE DAS VACINAS TRÍPLICE VIRAL (SCR) E VARICELA (V), EM ADMINISTRAÇÕES SEPARADAS, OU COM A VACINA QUÁDRUPLA VIRAL (SCRV) 1.  AOS 15 MESES: DEVERÁ SER FEITA A 2ª. DOSE, PREFERENCIALMENTE COM A VACINA QUÁDRUPLA VIRAL (SCRV), COM INTERVALO MÍNIMO DE TRÊS MESES DA ULTIMA DOSE DE VARICELA E SCR OU SCRV Sociedade Brasileira de Pediatria. Calendário vacinal da SBP Disponível em Acessado em 27/05/2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA

6 VARICELA (CATAPORA)

7 Taxa de número de casos acumulados de varicela (falha vacinal) em crianças de 12 meses a 12 anos, previamente vacinadas com uma ou duas doses da vacina de varicela, ao longo dos anos, EUA – Kuter B, Matthews H, Shinefield H et al. Ten year follow-up of healthy children who received one or two injections of varicella vaccine. Pediatr Infect Dis J 2004;23:132–7.5 Uma dose pode não ser suficiente VACINA VARICELA – 1 OU 2 DOSES?

8

9 VACINAS ROTAVIRUS  RV-1 - duas doses  RV-5 - três doses  Não se recomenda intercambiar as vacinas  Se uma das doses é RV-5 série total três doses

10 PNEUMOCOCO 13 VALENTE REAVALIAR ESQUEMA DE VACINAÇÃO ROTINA  SE USO ANTERIOR DE PNEUMO 10VALENTE  SE USO ANTERIOR DE PNEUMO 7VALENTE (NÃO EXISTE MAIS) Usar dose de Pneumo 13 valente antes dos 5 anos de idade

11 ≥ 8 semanas ≥ 5 anos ≥ 65 anos e ≥ 5 anos após dose prévia de polissacarídica 23-valente ≥ 65 anos e ≥ 5 anos após dose prévia de polissacarídica 23-valente Conjugada 13-valente Polissacarídica 23-valente ACIP/CDC. Use of 13-valent pneumococcal conjugate vaccine and 23-valent pneumococcal polysaccharide vaccine for adults with immunocompromising conditions. MMWR 2012; 61(Oct 12): VACINAÇÃO EM POPULAÇÃO DE RISCO

12 Proteção duradoura após vacinação: memória imunológica, persistência Ac funcionais e proteção rebanho Erlich KS and Congeni BL. Human Vaccines & Immunotherapeutics 8:8, ; August 2012 REVACINAR PARA MENINGOCOCO

13 MENINGOCOCO REAVALIAR ESQUEMA DE VACINAÇÃO  Série primária meningococo C  Se uso anterior da vacina meningococo C ≥ 5 anos - revacinar  Utilização de meningococo C x ACYW135  ACYW135 aprovada a partir de 2 anos idade Atenção especial para os adolescentes - intercâmbio

14 COQUELUCHE NO BRASIL

15 85% casos em < 6 meses

16 VACINA DTPA  ROTINA - 1 DOSE ANOS (ADOLESCENTES)  PODE SER ADMINISTRADA INDEPENDENTE DO INTERVALO DA DOSE ANTERIOR DE DT  SBIM - 1 DOSE NA GESTAÇÃO (27 A 36 SEMANAS)  PROFISSIONAL DE SAÚDE – IMPORTÂNCIA VACINAÇÃO  SE FOR ESQUEMA PRIMÁRIO 1 DOSE DE DTPA OU SE NÃO DISPONÍVEL T OU DT – FAZER 3 DOSES DTPA

17 Vacinação pais Vacinação dos avós Vacinação cuidadores Vacinação irmãos Vacinação profissionais de saúde Vacinação gestante PERTUSSIS ESTRATÉGIA CASULO

18 VACINA HPV  MENINAS > 9 ANOS SEM LIMITE IDADE SUPERIOR – VACINA BIVALENTE (TIPOS 16,18)  MENINOS E MENINAS A PARTIR DE 9 ANOS ATÉ 26 ANOS EM MENINOS – VACINA QUADRIVALENTE (TIPOS 6,11,16,18)

19 WHO recomendou suspensão reforço - Brasil esquema inalterado FEBRE AMARELA

20

21 Possibilidade de termos vacina trivalente e quadrivalente???

22 IMUNIZAÇÃO NÃO TEM PRIVILÉGIO DE IDADE Do RN AO IDOSO Tel:


Carregar ppt "IMUNIZAÇÃO: NOVIDADES E CONTROVÉRSIAS DRA. JACY ANDRADE PROFª ASSOCIADO-DOUTOR INFECTOLOGIA MÉDICA CRIE/UFBA DIRETORA TÉCNICA SEIMI MEMBRO DIRETORIA SBIM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google