A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FILOSOFIA PLATÃO E A ALEGORIA DA CAVERNA. PLATÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FILOSOFIA PLATÃO E A ALEGORIA DA CAVERNA. PLATÃO."— Transcrição da apresentação:

1 FILOSOFIA PLATÃO E A ALEGORIA DA CAVERNA

2 PLATÃO

3 • Platão nasceu em Atenas em 427 a.C, era filho de Artíston e Perictioné. • Seu pai era um homem rico cuja dinastia remontava aos primórdios de Atenas. • Deu ao filho uma excelente educação, a quem deu o nome de Aristocles.

4 ATENAS

5 PLATÃO • Platão era um apelido adquirido quando já moço, designando alguém que tenha um porte atlético, com ombros largos. • Platão não teve esposa nem deixou filhos.

6 PLATÃO • No início se dedicou a poesia e depois à filosofia. Conheceu Sócrates com dezoito anos e o acompanhou por dez anos, até em 399 a.C., quando Sócrates morreu.

7 PLATÃO E SÓCRATES

8 PLATÃO • Em 387 a.C. fundou sua escola nos jardins de Academus, dedicando-se ao ensino e composição de suas obras. • Platão afirma que as ideias são vivas e não inertes, como a muitos poderia parecer.

9 RUÍNAS DO JARDIM DE ACADEMUS

10 PLATÃO • Para ele a ideia mais importante é a do Bem, porque constitui a natureza de Deus criador soberano do Cosmo. Não pode o Bem ser causa do Mal. • Todavia, a existência do Mal não pode ser negada, é o inverso, que se opõe ao Bem.

11 PLATÃO • O que importa é que todas as ideias se inclinam para aquela ideia superior a todas elas, que é a ideia do Bem. • Ele quer que o Estado se ajuste à ideia do Bem, dai por que coloca sua filosofia, sua metafísica e sua ontologia a serviço da teoria política do Estado.

12 PLATÃO • Crê que se a ideia do Bem é a suprem a ideia, aquela que rege e manda em todas as outras ideias, do mesmo modo, entre tudo o que existe no mundo sensível, o que deve e tem que coincidir com a ideia do Bem é o Estado.

13 PLATÃO • Então, Platão estuda profundamente a formação do Estado ideal em seus livros: A República, e As Leis, e chega à conclusão de que o Estado ideal seria aquele em que os mandantes fossem filósofos.

14 A EDUCAÇÃO • Platão previu um sistema de ensino que mobilizava a sociedade para formar sábios e encontrar a virtude. • Defendia a instrução igual tanto para meninos quanto para meninas.

15 A EDUCAÇÃO • Duração total de 50 anos. • Dividida em cinco períodos: • Dos 3 anos aos 6 anos; • Dos 7 anos aos 12 anos; • Dos 13 anos aos 16 anos; • Dos 17 anos aos 20 anos; • Dos 21 anos em diante.

16 ACADEMIA

17 • A Academus foi criada com o intuito de ser muito parecida como uma irmandade, onde todos poderiam expressar suas idéias. • “Não entre quem não saiba geometria.” É o que estava escrito no portal do sitio, mostrando uma nítida influência pitagórica.

18 CORPO X ALMA • Alma: Imortal; • 3 Tipos – Mito do cocheiro: • Racional; • Emocional; • Sensual.

19 A ALEGORIA DA CAVERNA

20 ALEGORIA DA CAVERNA • A alegoria da caverna, foi escrito pelo filósofo grego Platão e encontra-se na obra intitulada A República (livro VII). Trata-se da exemplificação de como podemos nos libertar da condição de escuridão que nos aprisiona através da luz da verdade.

21 A ALEGORIA DA CAVERNA • O que é a caverna? O mundo em que vivemos. Que são as sombras ? As coisas materiais e sensoriais que percebemos. Quem é o prisioneiro que se liberta e sai da caverna? O filósofo. O que é a luz exterior do sol? A luz da verdade. O que é o mundo exterior? O mundo das idéias verdadeiras ou da verdadeira realidade. Qual o instrumento que liberta o filósofo e com o qual ele deseja libertar os outros prisioneiros? A interrogação. O que é a visão do mundo real iluminado? A filosofia. Por que é que os prisioneiros ridicularizam, espancam e matam o filósofo (Platão está a referir-se à condenação de Sócrates à morte pela assembléia ateniense?)? Porque imaginam que o mundo sensível é o mundo real e o único verdadeiro.

22 A ALEGORIA DA CAVERNA • Platão não buscava as verdadeiras essências na simplesmente Phýsis, como buscavam Demócrito e seus seguidores. Sob a influência de Sócrates, ele buscava a essência das coisas para além do mundo sensível.

23 A ALEGORIA DA CAVERNA • Platão nos convida a imaginar que as coisas se passassem, na existência humana, comparavelmente à situação da caverna: ilusoriamente, com os homens acorrentados a falsas crenças, preconceitos, idéias enganosas e, por isso tudo, inertes em suas poucas possibilidades.

24 A ALEGORIA DA CAVERNA

25

26

27

28

29

30 MATRIX X ALEGORIA DA CAVERNA

31 PLATÃO E A ALEGORIA DA CAVERNA Universidade Tecnológica Federal do Paraná Curso Técnico Integrado em Informática TI42 – 4ºAno – Filosofia Discentes: • Gabriela Pedroso, • Lucas Bispo, • Ricardo Saugo, • Thiago Auler.


Carregar ppt "FILOSOFIA PLATÃO E A ALEGORIA DA CAVERNA. PLATÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google