A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Rodrigo Trigueiro Morais de Paiva DSGU Data: 22/03/2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Rodrigo Trigueiro Morais de Paiva DSGU Data: 22/03/2011."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Rodrigo Trigueiro Morais de Paiva DSGU Data: 22/03/2011

2  Situar o aluno sobre a importância do tema  Demonstrar modo de apresentação e diagnóstico  Conduta na urgência

3  Inabilidade para esvaziar a bexiga  A incapacidade de esvaziamento satisfatório da bexiga  Ocorre quando a força de contração detrusora é inferior à resistência uretral durante a micção ou tentativa de micção

4  Retenção urinária aguda  Emergência médica  Todo médico envolvido em atendimento de urgência deve estar capacitado para tratar de maneira adequada  Retenção urinária crônica  Importante reconhecer pois pode levar a dano de função renal

5  A micção normal ocorre em resposta aos sinais aferentes originários do trato urinário inferior Shefchyk, 2002; Holstege, 2005; Sugaya et al, 2005; Groat, 2006  O cérebro, a medula espinhal e os gânglios periféricos  Coordenam a atividade da musculatura lisa do detrusor da bexiga e da uretra com a atividade dos músculos estriados do esfíncter uretral e do assoalho pélvico Karl-Erik, 2010

6  O enchimento da bexiga e a micção envolvem um padrão complexo de sinais aferentes e eferentes gerados pelas vias:  Parassimpáticos (pélvicos)  Simpáticos (hipogástricos)  Somáticos (pudendos) Karl-Erik, 2010

7

8  Fase de Compensação  Estágio de irritabilidade ▪ Hipertrofia da musculatura vesical ▪ Equilíbrio entre a capacidade expulsiva vesical e a resistência uretral ▪ Bexiga parece ser hipersensível ▪ Primeiros sintomas são os irritativos: urgência e frequência Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

9  Estágio de compensação ▪ Aumento da hipetrofia das fibras musculares ▪ Manutenção da capacidade de esvaziamento vesical completo ▪ Paciente inicia quadro de hesitância, diminuição da força e tamanho do jato Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

10  Fase de Descompensação ▪ Desequílibrio, presença de urina residual  Descompensação aguda ▪ Tônus do músculo vesical é afetado temporariamente ▪ Alta ingesta líquida ▪ Adiamento voluntário da micção ▪ Hesitância acentuada, esforço miccional, jato fraco, esvaziamento incompleto e retenção urinária aguda e súbita Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

11  Descompensação crônica ▪ Desequílibrio entre a capacidade da musculatura vesical e a resistência uretral ▪ Sintomas de obstrução se acentuam ▪ Volume de urina residual aumenta gradualmente ▪ Bexiga distendida – 1000 à 3000 mL ▪ Incontinência por transbordamento Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

12  Dor e tensão em hipogástrio  Forte desejo miccional  Agitação  Anúria  Tremores  Sudorese  TR: Atonia esfincteriana, endurecimento ou aumento prostático  Globo vesical palpável Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

13  Quadro insidioso  Dificuldade miccional  Sensação de esvaziamento vesical incompleto  Esforço miccional  Hesitância  Jato fraco e/ou fino  Oligo/anúria  Urgência  Incontinência urinária  Insuficiência renal  TR: Atonia esfincteriana, HBP, endurecimento prostático  Globo vesical palpável Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

14  Exames de imagem  Cateterização vesical

15  Estudo urodinâmico  Sensibilidade  Complacência  Capacidade  Estudo fluxo-pressão  Resíduo pós-miccional  Cistoscopia  UCM  EAS, hemograma, bioquímica sanguínea Emil A. Tanagho, urologia geral de smith, Chapter 11

16  Obstrução do trato urinário  Problemas neurológicos  Infecções  Cirurgias  Medicações  Constipação

17  Hiperplasia benigna de próstata  Câncer de Próstata  Câncer de bexiga  Câncer de pênis  Estenose uretral  Cálculos urinários  Corpo estranho em trato urinário inferior  Tamponamento vesical por coágulos  Estenose de meato uretral  Fimose

18 Hiperplasia Benigna da próstata Cálculo uretral

19 Estenose de uretra Corpo estranho em uretra

20 Estenose meato uretral Fimose

21  Parto traumático  Infecção do cérebro e coluna espinhal  Diabetes  Acidente Vascular Encefálico  Traumatismo Crânio Encefálico e/ou Raquimedular  Esclerose Múltipla  Doença de Parkinson  Traumatismo pélvico Retention.pdf

22 Manobra de Credé Manobra de Valsalva

23

24  Retenção urinária pós-operatória:  Pós-cirurgias de suspensão vesical  Colporrafia anterior  Histerectomia  Cirurgias proctológicas orificiais  Cirurgias neurológicas  Ressecção abdomino-perineal  Retenção puerperal  Choque medular

25  Bexiga neurogênica:  Arreflexia  Dissinergia  Pressão de esvaziamento elevada  Deterioração do trato urinário superior  Baixa complacência  Detrusor hipoativo  Reconstruções vesicais que requeiram cateterismo intermitente via uretra ou via estoma continente

26  Antidepressivos triciclicos  Imipramina, amitriptilina e nortriptilina  Anticolinérgicos  Hiosciamina, oxibutinina, tolterodina e propantelina  Opióides  Simpatomiméticos (Agonistas alfa- adrenérgicos)  Efedrina e pseudoefedrina  Agonistas beta-adrenérgicos  Terbutalina e Isoproterenol Campbell-Walsh Urology, 9th ed. Chapter 56

27  Infecções  Inflamação, edema e irritação  Cirurgias (ginecológicas, proctológicas e urológicas)  Efeito anestésico  Dor  Restrição ao leito  Distensão vesical  Constipação

28 Cateter de Látex tipo Foley de 02 e 03 vias Cateter de silicone tipo Foley de 03 vias

29 Cateter de Robinson Cateter de Council Cateter de Coude

30 Cateter de Malecot Cateter de Pezzer

31 SONDAGEM VESICAL:FLEXÃO DAS PERNAS COM APOIO PLANTAR

32 SONDAGEM VESICAL: PARAMENTAÇÃO COM LUVAS

33 SONDAGEM VESICAL: ANTISSEPSIA E ASSEPSIA

34 SONDAGEM VESICAL: EXTENSÃO DA ANTISSEPSIA

35 SONDAGEM VESICAL: EXPOSIÇÃO DA GLANDE

36 SONDAGEM VESICAL: SERINGA COM 20 ML DE XYLOCAINA GEL

37 SONDAGEM VESICAL: TESTE DE INSUFLAÇÃO DO BALÃO DA SONDA

38 SONDAGEM VESICAL: PREENSÃO DA GLANDE ENTRE O DEDO INDICADOR E MÉDIO

39 SONDAGEM VESICAL: INTRODUÇÃO DE 20 ML DE XYLOCAÍNA NA URETRA

40 SONDAGEM VESICAL: INTRODUÇÃO DA SONDA

41 SONDAGEM VESICAL: INTRODUÇÃO COMPLETA DA SONDA

42 SONDAGEM VESICAL: ENCHIMENTO DE BALÃO

43 SONDAGEM VESICAL: TRAÇÃO DA SONDA ATÉ ANCORAGEM DO BALÃO

44 SONDAGEM VESICAL: FIXAÇÃO NO ABDOMEN PARA RETIFICAÇÃO DA URETRA

45 CISTOSTOMIA PERCUTÂNEA

46


Carregar ppt "Prof. Rodrigo Trigueiro Morais de Paiva DSGU Data: 22/03/2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google