A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Em 587 AC o povo de Israel é deportado para a Babilónia por Nabucodonosor; em 538 AC poderá voltar pelo Decreto de Ciro. Durante este tempo o povo de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Em 587 AC o povo de Israel é deportado para a Babilónia por Nabucodonosor; em 538 AC poderá voltar pelo Decreto de Ciro. Durante este tempo o povo de."— Transcrição da apresentação:

1

2 Em 587 AC o povo de Israel é deportado para a Babilónia por Nabucodonosor; em 538 AC poderá voltar pelo Decreto de Ciro. Durante este tempo o povo de Israel não tinha rei, a monarquia tinha acabado; mas os profetas continuaram a alimentar a esperança messiânica. Como não podiam referir-se a um rei, começam a anunciar um reino em que o mesmo Deus visita o povo, sem outros intermediários.

3 Alguns textos falam da vinda de um profeta ideal, que tem a missão de preparar a vinda do Senhor. Este profeta é chamado O NOVO MOISES ou SERVO DO SENHOR. Já no Livro do Deuteronómio se falava de um profeta como Moisés. O profeta Malaquias fala de um misterioso profeta precursor do Messias.

4 5O Senhor, teu Deus, suscitará no meio de vós, dentre os teus irmãos, um profeta como eu; a ele deves escutar. 16Foi o que pediste ao Senhor, teu Deus, no monte Horeb, no dia da Assembleia, quando lhe disseste: ‘Não queremos mais ouvir a voz do Senhor, nosso Deus, nem tornar a ver mais este fogo enorme, para não morrer.’ 17O Senhor disse-me então: ‘Está certo o que eles dizem. 18Suscitar- lhes-ei um profeta como tu, dentre os seus irmãos; porei as minhas palavras na sua boca e ele lhes dirá tudo o que Eu lhe ordenar.

5 1O espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu: enviou-me para levar a boa-nova aos que sofrem, para curar os desesperados, para anunciar a libertação aos exilados e a liberdade aos prisioneiros; 2para proclamar um ano da graça do Senhor, o dia da vingança da parte do nosso Deus; para consolar os tristes, 3para coroar os aflitos de Sião; para mudar a sua cinza em coroa, o seu semblante triste em perfume de festa e o seu abatimento em cânticos de alegria. Então serão chamados «Terebintos de justiça», «Plantação do Senhor para sua glória». (Is 61,1-3)

6 Dentro das figuras bíblica, com certeza, o Servo do Senhor, que se sacrifica pela humanidade pecadora, representa o cume da esperança messiânica. Na segunda parte do Livro de Isaías (cap ) encontramos os 4 poemas do Servo do Senhor.

7 1«Eis o meu servo, que Eu amparo, o meu eleito, que Eu preferi. Fiz repousar sobre ele o meu espírito, para que leve às nações a verdadeira justiça. 2Ele não gritará, não levantará a voz, não clamará nas ruas. 3Não quebrará a cana rachada, não apagará a mecha que ainda fumega. Anunciará com toda a fidelidade a verdadeira justiça. 4Não desanimará, nem desfalecerá, até estabelecer na terra o direito, as leis que os povos das ilhas esperam dele. Deus apresenta o Seu Servo

8 6Eu, o Senhor, chamei-te por causa da justiça, segurei-te pela mão; formei-te e designei-te como aliança de um povo e luz das nações; 7para abrires os olhos aos cegos, para tirares do cárcere os prisioneiros, e da prisão, os que vivem nas trevas. 8Eu sou o Senhor, este é o meu nome, a ninguém cedo a minha glória, nem aos ídolos a honra que me é devida. 9Os primeiros acontecimentos já se cumpriram. Agora anuncio algo de novo, e comunico-o a vós antes que aconteça.» DEUS FALA AO SEU SERVO (Is 42,5-9)

9 49 A Missão 1«Ouvi-me, habitantes das ilhas, prestai atenção, povos de longe. Quando ainda estava no ventre materno, o Senhor chamou-me, quando ainda estava no seio da minha mãe, pronunciou o meu nome. 2Fez da minha palavra uma espada afiada, escondeu-me na concha da sua mão. Fez da minha mensagem uma seta penetrante, guardou-me na sua aljava. 3Disse-me: «Israel, tu és o meu servo, em ti serei glorificado.» Segundo Cântico do Servo

10 4Eu dizia a mim mesmo: «Em vão me cansei, em vento e em nada gastei as minhas forças.» Porém, o meu direito está nas mãos do Senhor, e no meu Deus a minha recompensa. 5E agora o Senhor declara-me que me formou desde o ventre materno, para ser o seu servo, para lhe reconduzir Jacob, e para lhe congregar Israel. Assim me honrou o Senhor. O meu Deus tornou-se a minha força.

11 6Disse-me: «Não basta que sejas meu servo, só para restaurares as tribos de Jacob, e reunires os sobreviventes de Israel. Vou fazer de ti luz das nações, para que a minha salvação chegue até aos confins da terra.» (Is 49,1-6)

12 Sofrimento e confiança 4«O Senhor Deus ensinou-me o que devo dizer, para saber dar palavras de alento aos desanimados. Cada manhã desperta os meus ouvidos, para que eu aprenda como os discípulos. 5O Senhor Deus abriu-me os ouvidos, e eu não resisti, nem recusei.

13 6 Aos que me batiam apresentei as costas, e a face aos que me arrancavam a barba; não desviei o meu rosto dos que me ultrajavam e cuspiam. 7 Mas o Senhor Deus veio em meu auxílio; por isso não sentia os ultrajes. Endureci o meu rosto como uma pedra, pois sabia que não ficaria envergonhado. Terceiro Cântico do Servo

14 Paixão e glória do Servo do Senhor 13Olhai, o meu servo terá êxito, será muito engrandecido e exaltado. 14Assim como muitos ficaram espantados diante dele, ao verem o seu rosto desfigurado e o seu aspecto disforme, 15agora fará com que muitos povos fiquem bem impressionados. Os reis ficarão boqueabertos, ao verem coisas inenarráveis, e ao contemplarem coisas inauditas.

15 2O servo cresceu diante do Senhor como um rebento, como raiz em terra árida, sem figura nem beleza, sem aspecto atraente, 3desprezado e rejeitado, homem cheio de dores, habituado ao sofrimento, diante do qual tapamos o rosto. 4Ele, porém, tomou sobre si as nossas doenças, carregou as nossas dores; e nós o reputávamos como um leproso, ferido por Deus e humilhado. 5Por causa dos nossos crimes foi esmagado, por causa das nossas iniquidades. O castigo que nos salva caiu sobre ele, fomos curados pelas suas chagas. 6Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas perdidas, cada um seguindo o seu caminho. Mas o Senhor carregou sobre ele todos os nossos crimes.

16 7Foi maltratado, mas humilhou-se e não abriu a boca, como um cordeiro que é levado ao matadouro, ou como uma ovelha emudecida nas mãos do tosquiador. 8Sem defesa, nem justiça, levaram-no à força. Quem é que se preocupou com o seu destino? Foi suprimido da terra dos vivos, mas por causa dos pecados do meu povo é que foi ferido. 9Foi-lhe dada sepultura entre os ímpios, e uma tumba entre os malfeitores, embora não tenha cometido crime algum, nem praticado qualquer fraude.

17 10Mas aprouve ao Senhor esmagá-lo com sofrimento, para que a sua vida fosse um sacrifício de reparação. Terá uma posteridade duradoura e viverá longos dias, e o desígnio do Senhor realizar-se-á por meio dele. 11Por causa dos trabalhos da sua vida verá a luz. O meu servo ficará satisfeito com a experiência que teve. Ele, o justo, justificará a muitos, porque carregou com o crime deles.

18 12Por isso, ser-lhe-á dada uma multidão como herança, há-de receber muita gente como despojos, porque ele próprio entregou a sua vida à morte, e foi contado entre os pecadores, tomando sobre si os pecados de muitos, e sofreu pelos culpados.

19 A Bíblia diversas vezes salienta a necessidade do sacrifício pessoal que torna fecunda a acção de Deus no mundo. Isaac foi levado ao sacrifício; José foi vendido pelos seus irmãos e tornou-se salvação para toda a família. Moisés foi tantas vezes rejeitado por aqueles que queria ajudar. Ele não foi morto, mas estava pronto a morrer para salvar o povo, pelo qual intercede continuamente. Ele parece ser o mais parecido com este Servo justo e sofredor que aceita sofrer para que outros sejam salvos.

20 No Livro dos Salmos encontramos as súplica dos justos perseguidos que sofrem injustamente e que Deus ampara. O Profeta Jeremias, entre todos os profeta, parece ser quem mais encarna o ideal do Servo do Senhor. Segundo alguns exegetas é mesmo Jeremias este servo misterioso de quem fala Isaias.

21 18O Senhor instruiu-me e eu entendi. E então vi com clareza o seu proceder para comigo. 19E eu, como manso cordeiro conduzido ao matadouro, ignorava as maquinações tramadas contra mim, dizendo: «Destruamos a árvore no seu vigor; arranquemo-la da terra dos vivos, que o seu nome caia no esquecimento.» 20Mas o Senhor do universo, justo juiz, sonda os rins e o coração. Que eu seja testemunha da tua vingança sobre eles, pois a ti confio a minha causa. (Jer 11,19)

22 O Servo do Senhor é uma pessoa que se oferece a Deus como vítima inocente, espiando os pecados da humanidade. Este profeta sofredor é o Messias. Os cristão reconheceram Nele a Jesus: «nós acreditamos naquele que ressuscitou dos mortos Jesus, Senhor nosso, 25entregue por causa das nossas faltas e ressuscitado para nossa justificação.» (Rom 4,25)


Carregar ppt "Em 587 AC o povo de Israel é deportado para a Babilónia por Nabucodonosor; em 538 AC poderá voltar pelo Decreto de Ciro. Durante este tempo o povo de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google