A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Carvalhos, Pedroso (V. N. de Gaia) Escola Secundária de Carvalhos Carvalhos, Pedroso, Vila Nova de Gaia Helena Fonseca (C.N.) com a colaboração de António.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Carvalhos, Pedroso (V. N. de Gaia) Escola Secundária de Carvalhos Carvalhos, Pedroso, Vila Nova de Gaia Helena Fonseca (C.N.) com a colaboração de António."— Transcrição da apresentação:

1 Carvalhos, Pedroso (V. N. de Gaia) Escola Secundária de Carvalhos Carvalhos, Pedroso, Vila Nova de Gaia Helena Fonseca (C.N.) com a colaboração de António Lopes (Geografia), Maria do Carmo Monteiro (E.V.) e Sérgio Martins (C.N.). Bosque do Lar Juvenil de Carvalhos 8º ano, 60 alunos + 7º ano, + de 60 alunos

2 Carvalhos, Pedroso (V. N. de Gaia) Escola Secundária de Carvalhos Carvalhos, Pedroso, Vila Nova de Gaia Helena Fonseca (C.N.) com a colaboração de António Lopes (Geografia), Maria do Carmo Monteiro (E.V.) e Sérgio Martins (C.N.). Bosque do Lar Juvenil de Carvalhos 8º ano, 60 alunos + 7º ano, + de 60 alunos Introdução: O projecto foi desenvolvido durante as aulas de Ciências Naturais e em colaboração com outros professores de outras disciplinas, sendo interdisciplinar e transversal ao currículo. Privilegiaram-se actividades diversificadas e as saídas de campo com as 3 turmas participantes. Enquadramento do projecto: Projecto Educativo da Escola “Servir, educar, inovar” ; Programa Eco-Escolas e Ano Internacional das Florestas. Objectivos Gerais (de acordo com o Projecto educativo de escola): Suscitar a participação activa dos Pais e Encarregados de educação na vida da Escola. Suscitar a participação activa das instituições do meio local na vida da Escola. Contribuir para a formação integral dos alunos. Proporcionar a consolidação, o aprofundamento e o domínio de saberes, instrumentos e metodologias que fundamentem uma cultura humanista, artística, científica e técnica e favoreçam a definição de interesses e motivações próprias. Fomentar uma cultura de liberdade, participação, reflexão, qualidade e avaliação. Contribuir para o desenvolvimento sustentável, através da definição de uma política ambiental para a Escola. Objectivos Específicos: Valorização dos bosques enquanto reservatórios de biodiversidade, fontes de recursos e abrigo para seres vivos, depuradores de poluentes e como factor de prevenção da erosão dos solos. Familiarização com os elementos básicos de caracterização dos bosques, nomeadamente os factores que condicionam as suas características; Aquisição de conhecimentos básicos sobre a flora e a fauna do país; Identificação dos factores que ameaçam os ecossistemas florestais; Elaboração de medidas de preservação dos bosques. Introdução: O projecto foi desenvolvido durante as aulas de Ciências Naturais e em colaboração com outros professores de outras disciplinas, sendo interdisciplinar e transversal ao currículo. Privilegiaram-se actividades diversificadas e as saídas de campo com as 3 turmas participantes. Enquadramento do projecto: Projecto Educativo da Escola “Servir, educar, inovar” ; Programa Eco-Escolas e Ano Internacional das Florestas. Objectivos Gerais (de acordo com o Projecto educativo de escola): Suscitar a participação activa dos Pais e Encarregados de educação na vida da Escola. Suscitar a participação activa das instituições do meio local na vida da Escola. Contribuir para a formação integral dos alunos. Proporcionar a consolidação, o aprofundamento e o domínio de saberes, instrumentos e metodologias que fundamentem uma cultura humanista, artística, científica e técnica e favoreçam a definição de interesses e motivações próprias. Fomentar uma cultura de liberdade, participação, reflexão, qualidade e avaliação. Contribuir para o desenvolvimento sustentável, através da definição de uma política ambiental para a Escola. Objectivos Específicos: Valorização dos bosques enquanto reservatórios de biodiversidade, fontes de recursos e abrigo para seres vivos, depuradores de poluentes e como factor de prevenção da erosão dos solos. Familiarização com os elementos básicos de caracterização dos bosques, nomeadamente os factores que condicionam as suas características; Aquisição de conhecimentos básicos sobre a flora e a fauna do país; Identificação dos factores que ameaçam os ecossistemas florestais; Elaboração de medidas de preservação dos bosques.

3 Espécies dominantes: Pinheiro-bravo (Pinus pinaster) Eucalipto (Eucaliptus) Carvalho-alvarinho (Quercus robur) Austrália, Acácia (Acacia mimosa) Bordo (Acer psudoplatanus) Castanheiro (Castanea sativa) Sobreiro (Quercus suber) Outras espécies: Azevinho (Ilex aquifolium) Vidoeiro (Betula celtibérica) Erva-das-pampas (Cortaderia selloana) Cipreste-português (Cupressus lusitanica) Árvores de fruto: nogueira, pereira, ameixieira, amendoeira, figueira, etc.

4 Aspectos relevantes: O Director da instituição tem investido ao longo dos anos na remoção das mimosas e plantação de árvores autóctones como os sobreiros e outro tipo de folhosas. O bosque apresenta-se limpo de vegetação rasteira seca. Existem trilhos traçados no bosque que dão fácil acesso para o estudo das diferentes zonas, quer de talude quer de planalto.

5 Fauna observada: Melro-preto (Turdus merula) Pardal-comum (Passer domesticus) Alvéola-branca (Motacilla alba) Insectos variados: moscas, libelinhas, abelhas, formigas, escaravelhos, mosquitos, aranhas, centopeias, etc. Rochas dominantes: Granito de duas micas típico da região nortenha. Eventuais perturbações do bosque: A presença humana é evidente porque o bosque está inserido no espaço privado do Lar Juvenil de Carvalhos, estando situado perto de habitações, de estradas e caminhos e de actividades agrícolas e pecuárias (não realizadas em área florestal). Está também sujeito a limpeza de infestantes e de caminhos. O bosque está bastante intevencionado. Pelas razões apresentadas e pela dimensão dos grupos não foi possível o registo fotográfico de algumas das espécies referidas.

6 Preparação do Projecto e das Actividades: Recolha de informação acerca do projecto, inscrição e divulgação aos alunos do mesmo. Escolha do bosque a estudar – área florestal do Lar Juvenil de Carvalhos; pedido de permissão à Direcção do Lar para realizar o projecto. Actividades antes das saídas de campo: Divulgação do projecto e do bosque a estudar nas turmas do 8º ano. Familiarização dos alunos com conteúdos relativos ao bosque a visitar. Pré-selecção das actividades a realizar. Preparação do material para a visita: folhas de jornal ou saco papel para a recolha de plantas e solo, máquina fotográfica, lupa, bloco de apontamentos, marcadores, guias de árvores, de arbustos e de fauna, carta militar, roupa confortável, fichas de campo, etc. Actividades durante as saídas de campo: Realização da visita orientada pelos itens da ficha, com a divisão das turmas em grupos de 2 – 3 alunos para que cada um fosse responsável pela identificação e estudo de diferentes aspectos do bosque. Recolha de materiais (folhas de plantas, porções de musgos, líquenes e fetos, etc) para a realização do herbário digital. Registos escritos com indicações sobre a colheita (data, local e registo fotográfico).

7 Actividades durante as saídas de campo (cont.): Integração das actividades práticas nos conteúdos curriculares da disciplina de Ciências Naturais mediante o preenchimento de fichas de campo criadas para o efeito. Actividades após as saídas de campo: Actualização dos dados da ficha com base nas recolhas elaboradas no campo e em bibliografia (cartas militares, guias de campo, Internet). Caracterização do bosque, relacionando a sua situação actual com eventuais problemas decorrentes de fogos, intervenções silvícolas, cortes e outras perturbações. Cruzamento de informação recolhida durante o trabalho de campo, pelos grupos de alunos, de forma a obter a caracterização completa do bosque estudado, de forma a compreender de que forma as variáveis (altitude, precipitação, exposição, tipo de solo) determinam o tipo de fauna e flora existente no local. Identificação de soluções com vista à preservação da floresta autóctone. Integração das aprendizagens nos conteúdos curriculares da disciplina de Ciências Naturais de 8º ano. Dificuldades: Gestão do tempo lectivo para a realização de pesquisa complementar ao projecto e de saídas de campo. Identificação de espécies de flora, nomeadamente os carvalhos.

8 Divulgação do projecto: Nas turmas: através da integração do mesmo na planificação da disciplina de C.N. do 8º ano. Na escola: através da integração do mesmo no Plano Annual de Actividades Materais produzidos: Frases sobre a gestão das florestas e do ambiente em suporte de papel. Herbário digital Fichas de trabalho de apoio ao desenvolvimento de conteúdos da disciplina Actividades realizadas: Saídas de campo BI da flora e fauna das florestas. Ilustrações científicas sobre a flora e fauna das florestas. Exposição “As nossas florestas” que decorreu, na biblioteca da escola, na última semana do 3º Período Palestra “Floresta: que futuro?” que decorreu, no auditório da escola, no dia 15 de Junho em parceria com os Bombeiros Voluntários de Carvalhos. SITE do Herbário Digital e do Projecto: bosque-da-escarvalhos

9 Google Earth – recurso que serviu de base à implementação do projecto junto dos alunos

10 Ficha complementar do projecto para a disciplina de Ciências Naturais de 8º ano., nesta caso preenchida pelos alunos durante a saída de campo.

11 Concurso “A vida na Floresta” – trabalhos realizados por alguns alunos do 8º ano para concurso.

12 Projecto “Árvore dos desejos” – projecto desenvolvido junto da comunidade educativa a propósito no Ano Internacional das Florestas em que os participantes formularam desejos em suporte de papel.

13 Exposição “As nossas florestas” – projecto desenvolvido com o 8º e 7º anos acerca também do Ano Internacional das Florestas, que decorreu na Bibliotecada escola.

14 Palestra “Floresta: que futuro?”

15 Vídeo das actividades relacionadas com o projecto apresentado na palestra: “Floresta: que futuro?”

16 Site elaborado acerca do projecto na Escola.

17 Avaliação do Projecto: Duração: o projecto decorreu durante o ano lectivo de Novembro a Junho. Cumprimento dos objectivos: os objectivos propostos foram cumpridos na íntegra. Participação dos alunos: os alunos das turmas A, B e C do 8º ano participaram em mais actividades e nas visitas ao bosque na disciplina de Ciências Naturais; os restantes alunos dos 8º e 7º anos apenas colaboraram na realização da exposição de fauna e flora das florestas portuguesas na disciplina de Educação Visual. De forma geral, os alunos mostraram-se muito interessados e empenhados nas actividades desenvolvidas, sendo este projecto uma mais-valia na aprendizagem dos conteúdos e na motivação para o ensino das Ciências Naturais. Participação dos professores: a colaboração com a disciplina de Educação Visual foi determinante para a elaboração com sucesso da exposição “As nossas florestas e os nossos rios” e na aquisição de competências de ilustração cientifica pelos alunos. A colaboração dos professores mencionados foi importante no sentido da melhor planificação e diversificação de actividades e estratégias de implementação de algumas actividades do projecto. Outros aspectos a considerar: pela importância da sensibilização ambiental e pela grande adesão dos alunos e respectivos pais, é um projecto a ter em conta a continuação do seu desenvolvimento para o próximo ano lectivo Avaliação do Projecto: Duração: o projecto decorreu durante o ano lectivo de Novembro a Junho. Cumprimento dos objectivos: os objectivos propostos foram cumpridos na íntegra. Participação dos alunos: os alunos das turmas A, B e C do 8º ano participaram em mais actividades e nas visitas ao bosque na disciplina de Ciências Naturais; os restantes alunos dos 8º e 7º anos apenas colaboraram na realização da exposição de fauna e flora das florestas portuguesas na disciplina de Educação Visual. De forma geral, os alunos mostraram-se muito interessados e empenhados nas actividades desenvolvidas, sendo este projecto uma mais-valia na aprendizagem dos conteúdos e na motivação para o ensino das Ciências Naturais. Participação dos professores: a colaboração com a disciplina de Educação Visual foi determinante para a elaboração com sucesso da exposição “As nossas florestas e os nossos rios” e na aquisição de competências de ilustração cientifica pelos alunos. A colaboração dos professores mencionados foi importante no sentido da melhor planificação e diversificação de actividades e estratégias de implementação de algumas actividades do projecto. Outros aspectos a considerar: pela importância da sensibilização ambiental e pela grande adesão dos alunos e respectivos pais, é um projecto a ter em conta a continuação do seu desenvolvimento para o próximo ano lectivo


Carregar ppt "Carvalhos, Pedroso (V. N. de Gaia) Escola Secundária de Carvalhos Carvalhos, Pedroso, Vila Nova de Gaia Helena Fonseca (C.N.) com a colaboração de António."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google