A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOR TORÁCICA HGEB Laurence Santana Vacaro Dor torácica 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOR TORÁCICA HGEB Laurence Santana Vacaro Dor torácica 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência."— Transcrição da apresentação:

1

2 DOR TORÁCICA HGEB Laurence Santana Vacaro

3 Dor torácica 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência sintoma de características e gravidade variáveis sintoma de características e gravidade variáveis

4 Dor torácica Cardíaca Não cardíaca Não cardíaca

5 Dor torácica não cardíaca 1) OSTEOMUSCULAR Osteocondríte : bem localizada, piora com a movimentação/inspiração/compressão, mais comum em mulheres. Osteocondríte : bem localizada, piora com a movimentação/inspiração/compressão, mais comum em mulheres. fratura de costela : história de trauma, piora com a inspiração. fratura de costela : história de trauma, piora com a inspiração. Herpes Zoster: diabéticos, segue o trajeto do nervo intercostal, presença de lesões de pele Herpes Zoster: diabéticos, segue o trajeto do nervo intercostal, presença de lesões de pele

6 Dor torácica não cardíaca 2) Gastroesofágica Esofagite, Espasmo, Refluxo, Gastrite: queimação + eructações durante ou após refeições, duração prolongada, cede com anti-ácido. Esofagite, Espasmo, Refluxo, Gastrite: queimação + eructações durante ou após refeições, duração prolongada, cede com anti-ácido. Pancreatite: consumo de bebidas alcoólicas, dor intensa mais epigástrica. Pancreatite: consumo de bebidas alcoólicas, dor intensa mais epigástrica. Colecistite: tipo cólica, mais em hipocôndrio direito, associada a náuseas e vômitos. Colecistite: tipo cólica, mais em hipocôndrio direito, associada a náuseas e vômitos.

7 Dor torácica não cardíaca 3) Pulmonar Embolia Pulmonar: aguda, piora com a inspiração; hemoptise Embolia Pulmonar: aguda, piora com a inspiração; hemoptise Pneumonia: piora com a inspiração; Pneumonia: piora com a inspiração; febre, tosse, expectoração. Pneumotórax: aguda, história de trauma, dispnéia importante. Pneumotórax: aguda, história de trauma, dispnéia importante.

8 Dor torácica cardiovascular não isquêmica Dissecção da Aorta Dissecção da Aorta Pericardite Pericardite Valvulopatias Valvulopatias

9 Dor torácica cardiovascular isquêmica Isquemia do Miocárdio AGUDA Isquemia do Miocárdio AGUDA ANGINA INSTÁVEL ANGINA INSTÁVEL INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

10 Síndromes Isquêmicas Coronarianas agudas Sem elevação ST Com elevação do ST Angina Instável IAM não Q IAM Q (sub-oclusão s/ necrose) (sub-oclusão c/ necrose) (oclusão c/ necrose)

11 Aterogênese Fatores de Risco Tabagismo Tabagismo Hipertensão Hipertensão Hiperlipidemia Hiperlipidemia Outros (diabetes, alterações da coagulação, hiperomocisteinemia, etc.) Outros (diabetes, alterações da coagulação, hiperomocisteinemia, etc.) Estria gordurosa Placa Aterosclerótica

12 Aterosclerose Definição: É um processo dinâmico, evolutivo, a partir de dano endotelial de ordem multifatorial, com características de reparação tecidual. Art. Bras. Cardiol, 2001; 77 (supl. III) : 1-48 Disfunção Endotelial Placa Avançada Disfunção Endotelial Placa Avançada Ross. R N. Engl J Med. 1999; 340: 115 Ross. R N. Engl J Med. 1999; 340: 115

13 Trombo Lesão da Parede Vascular Adesão das Plaquetas Ativação Plaquetária Recrutamento das Plaquetas Formação do Trombo

14 Síndrome Isquêmica Coronariana Aguda Desconforto tipo aperto, opressão, compressão ou queimação torácica retro-esternal, prolongada. Desconforto tipo aperto, opressão, compressão ou queimação torácica retro-esternal, prolongada. Irradiação: todo tórax, face ulnar do braço esquerdo, ombros, pescoço e mandíbula. Irradiação: todo tórax, face ulnar do braço esquerdo, ombros, pescoço e mandíbula. Intensidade: severa na maioria dos pacientes. Intensidade: severa na maioria dos pacientes. Sintomas associados: nâuseas, vômitos, tonturas, fraqueza, palpitações e sudorese fria. Sintomas associados: nâuseas, vômitos, tonturas, fraqueza, palpitações e sudorese fria.

15 Dor torácica 1) avaliação clínica e exame físico : características da dor características da dor fatores de risco: familiares, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, dislipidemia fatores de risco: familiares, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, dislipidemia exame físico: PA, sopros, B3, B4,atrito pericárdico, pulsos, presença de estertores exame físico: PA, sopros, B3, B4,atrito pericárdico, pulsos, presença de estertores

16 Dor torácica 2) ECG seriados NL, inversão de onda T, infra ST, supra ST 3) marcadores bioquímicos cardíacos CK-MB CK-MB Troponina I, T (+ sensível) Troponina I, T (+ sensível) 4) RX de tórax e Ecocardiograma

17

18 Inserir ecg iam

19 ST supra DII, DIII, AVF V4R, V5R, V6R= IAM de VD hipotensão arterial Não dar nitrato, dar volume

20

21 IAM com supra de ST M- morfina O- oxigênio N- nitrato A- AAS B- beta-bloqueador

22 ST SUPRA DESNIVELADO= TROMBO > 1 mV em duas ou + derivações Dor sugestiva + BRE O 2 nasal, acesso venoso, monitor ECG, enzimas O 2 nasal, acesso venoso, monitor ECG, enzimas Nitrato SL Nitrato SL Analgesia (morfina ou meperidina) Analgesia (morfina ou meperidina) Aspirina ( mg) Aspirina ( mg) início da dor < = 12 horas abrir a artéria <90 min <90 min Trombólise (SK,tPA) Angioplastia (ATC) Trombólise (SK,tPA) Angioplastia (ATC)

23 Índice de sucesso= patência do vaso ocluído Trombolítico ATC 60% 90% 60% 90%

24 Trombolíticos SK: ativador do plasminogênio ação fibrinolítica ação fibrinolítica t-PA: ativador do plasminogênio fibrinolítico mais específico fibrinolítico mais específico

25

26

27

28

29 Os homens deixam de nos interessar quando descobrimos suas limitações. O único pecado é a limitação. Logo que se descobrem as limitações de um homem ele está abandonado Obrigado!!! Obrigado!!!

30

31 Contraindicações Trombolíticos: Sangramento interno ativo Sangramento interno ativo Suspeita de dissecção aorta Suspeita de dissecção aorta Neoplasia intracraniana conhecida Neoplasia intracraniana conhecida História de algum AVC hemorrágico ou outro evento cerebrovascular < 1ano História de algum AVC hemorrágico ou outro evento cerebrovascular < 1ano Contraindicações

32 Contraindicações Trombolíticos II: Hipertensão severa na admissão (PA>180/110) Hipertensão severa na admissão (PA>180/110) História de hipertensão severa crônica História de hipertensão severa crônica História prévia AVC ou outra patologia intracraniana História prévia AVC ou outra patologia intracraniana Trauma recente(<2-4sem) ou grande cirurgia(<3sem) Trauma recente(<2-4sem) ou grande cirurgia(<3sem) RCP prolongada ou traumática (>10 min) RCP prolongada ou traumática (>10 min) Punção vascular não compressível Punção vascular não compressível Sangramento interno recente (<2-4 sem) Sangramento interno recente (<2-4 sem) Exposição prévia ou alergia a SK/APSAC, (use t-PA) Exposição prévia ou alergia a SK/APSAC, (use t-PA) Diátesis hemorrágicas ou INR > 2-3 Diátesis hemorrágicas ou INR > 2-3 Contraindicações Relativas


Carregar ppt "DOR TORÁCICA HGEB Laurence Santana Vacaro Dor torácica 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência 5 a 10 % dos atendimentos na sala de emergência."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google