A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Por Renata M. Rodrigues – out/2012 IX Seminário Nacional de APLs de Base Mineral.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Por Renata M. Rodrigues – out/2012 IX Seminário Nacional de APLs de Base Mineral."— Transcrição da apresentação:

1 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Por Renata M. Rodrigues – out/2012 IX Seminário Nacional de APLs de Base Mineral e VI Encontro da RedeAPLmineral Plenária

2 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Plano de Desenvolvimento da RedeAPLmineral 2009 – 2012 (PDR 2009 – 2012) Plano de Trabalho

3 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral RedeAPLmineral É uma rede social/virtual de abrangência nacional – sem fins lucrativos – constituída por agentes econômicos, políticos e sociais, públicos e privados, envolvidos com o desenvolvimento sustentável dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) de Base Mineral.

4 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Ser instrumento eficiente e de excelência na disseminação de informação e conhecimento para o desenvolvimento sustentável dos APLs de base mineral do País. Ser uma Rede de informação com abrangência nacional e de excelência na área de arranjos produtivos locais de base mineral. *Promover a Governança da RedeAPLmineral de modo a contribuir para a sua sustentabilidade; *Adequar a estrutura e o funcionamento dos GTs com vistas ao fortalecimento e efetivação do seu papel institucional na RedeAPLmineral; *Implementar estratégias e instrumentos que promovam o aperfeiçoamento do Modelo de Gestão da RedeAPLmineral; Plano de Desenvolvimento da Rede *Autosustentabilidade; *Gestão do Conhecimento; *Desenvolvimento Sustentável dos APLs de Base Mineral;

5 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Plano de Trabalho Ações realizadas pelas instituições que fazem parte da Coordenação Geral da RedeAPLmineral Complementação do conteúdo do portal da RedeAPLmineral (implementação de conteúdos nos canais web 2.0, publicação e divulgação de informativos, mailling de divulgação, identificação de erros no Portal etc); Prêmio Melhores Práticas (elaboração da logomarca, divulgação nos meios eletrônicos de comunicação); Elaboração, diagramação e editoração da Cartilha de Segurança do Trabalho; Elaboração e diagramação da Cartilha dos Telecentros Mineral; Definição do Plano de trabalho para os bolsistas da Rede (contratação de bolsistas, acompanhamento semestral por meio de elaboração de relatórios) Seminário Nacional de APLs de Base Mineral e Encontro da RedeAPLmineral (elaboração da logomarca, distribuição de cartazes de divulgação, cobertura e publicação no portal, entrevista com os vencedores do Prêmio Melhores Práticas (regulamento, comissão julgadora, divulgação etc); Plano de Desenvolvimento da RedeAPLmineral (Elaboração do Cronograma de Atividades anual); Contato com possíveis colaboradores para adesão à Rede;

6 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Plano de Trabalho Serviço de Resposta Técnica (Pesquisa e resposta ao usuário e formatação para publicação no portal); Reestruturação da Rede (criação do Manifesto de Interesse, contato com empresas do setor de mineração para divulgação e convite para adesão à Rede); Apoio à promoção dos APLs de Gemas e Joias e Cerâmica Vermelha no Estado da Bahia; Apoio à promoção do APL de Rochas Ornamentais de Mato Grosso do Sul e sua participação na RedeAPLmineral; Articulação (MME/MCTI) para inclusão de metas e iniciativas no Plano Mais Brasil (PPA ) relativas à consolidação, organização e desenvolvimento de APLs de base mineral apoiadas pela RedeAPLmineral; (MPOG) orientação quanto o alcance das metas definidas no PPA relacionadas aos APLs apoiados pela RedeAPLmineral. (SEBRAE) inclusão da Coordenação da Rede no Encontro Nacional de Gestores da Carteira de Construção Civil, dentre outras atividades importantes para a concretização dos objetivos definidos no projeto. Constituição de um grupo de pesquisa voltado para o Cooperativismo Mineral, coordenado pelo Prof. Alan Freitas;

7 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Plano de Trabalho Organização da Oficina de trabalho de Estruturação de Ação do Governo Federal em APLs de Base Mineral e Reestruturação da RedeAPLmineral Articulação e cooperação com o GTP APL/MDIC para a implantação do Observatório Brasileiro de APLs, constituindo a Rede como projeto piloto Apoio/estímulo de APLs de Agrominerais que têm tecnologia e inovação, com a participação dos seguintes agentes: EMBRAPA, Universidade de Viçosa, UNITINS – Universidade de Tocantins, UFGO- Rio Verde Apoio à promoção dos APLs de Gemas e Joias e Cerâmica Vermelha no Estado da Bahia Apoio à promoção do APL de Rochas Ornamentais de Mato Grosso do Sul e sua participação na RedeAPLmineral

8 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Plano de Trabalho Resumo do Plano de Trabalho 3 Diretrizes 10 Objetivos Estratégicos 28 Ações 108 Atividades MISSÃO

9 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Reestruturação da RedeAPLmineral

10 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Estrutura do CT APL de Base Mineral e RedeAPLmineral ESTRUTURA

11 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral...participação de pessoas físicas e instituições públicas/privadas detentoras de recursos a serem investidos na Rede. Preenchimento do Manifesto de Interesse disponível no Portal da RedeAPLmineral Avaliação da Coordenação Geral Aprovação do Pedido Não Aprovação do Pedido Convite da CG para assinatura do Termo de Adesão

12 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Ações Externas Meta Participantes: R EDE APL MINERAL Centro de Tecnologia Mineral – CETEM/MCTI Antônio Rodrigues Campos – CATE Carlos César Peiter – CATE Francisco Hollanda Vidal - CATE Rosana Elisa Coppedê da Silva – CATE Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - IBICT Cecília Leite Oliveira – Coordenadora do Projeto Delson Lourenço Palmeira – IBICT/MCTI Márcia Liz da Silva – IBICT/MCTI Muryel Santana Fernandes – IBICT/MCTI Renata Monteiro Rodrigues - IBICT /MCTI- Secretária Executiva Thiara Carina dos Santos – IBICT/MCTI Victor Mateus Almeida – IBICT/MCTI Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI Cristina Ferreira Correia Silva - CGTS/SETEC Tássia de Melo Arraes - CGTS/SETEC Ministério de Minas e Energia -MME Elzivir Azevedo Guerra – DTTM/SGM – Coordenador Enir Sebastião Mendes - DTTM /SGM – Coordenador Adjunto José Marcos F. de Oliveira - DTTM /SGM– Coordenador CT APL Mineral Luis Mauro Gomes Ferreira – SGM Robson Reis Canedo – SGM Ministério do Planejamento e Gestão - MP Alessandro de Oliveira Borges – SPI Alan Ferreira de Freitas - Universidade Federal de Viçosa SEBRAE Nacional Alexandre Ambrosini

13 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Últimas adesões à RedeAPLmineral e Prospecções Federação das Indústria do Estado do Paraná - FIPAR Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia – SEDETEC – SE Associação Nacional da Indústria Cerâmica - ANICER Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração do Estado da Bahia – SICM/BA - ADESÃO NO PRÉ-EVENTO Sr. Jorge Geraldo de Jesus Rosário – consultor Sr. José Ferreira Leal – Geólogo - Consultor Ações realizadas pelos parceiros formais e informais  Divulgação da RedeAPLmineral;  Articulação com o setor público e privado afim de concretizar as ações planejadas;  Incentivo à participação no Prêmio Melhores Práticas;  Auxílio na busca de patrocínios para a realização de eventos anuais e oficinas;  Aproximação da Coordenação da Rede com pessoas chaves do setor;

14 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Como participar da RedeAPLmineral Pessoa física e jurídica: Por meio das comunidades da Rede Social do Observatório; Por meio do manifesto de interesse em fazer parte da RedeAPLmineral;

15 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Oficinas da RedeAPLmineral

16 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Objetivo  Capacitar e disseminar a boa informação em APLs de base mineral a fim de alcançar o maior número de gestores e liderança dos APLs e cadastrar novos colaboradores para a RedeAPLmineral e CT APL Mineral. Objetivos Específicos  Capacitar a governança dos APLs na utilização do Portal como canal de informação e as ferramentas e serviços disponíveis no portal da Rede e no Observatório;  Divulgar as ações desenvolvidas e apoiadas pela RedeAPLmineral;  Diagnosticar alternativas de atuação e divulgação da RedeAPLmineral nos APLs, especialmente onde não há infraestrutura tecnológica;  Sensibilizar, mobilizar e articular os participantes dos APLs com vistas a implantar e consolidar a Rede, os Grupos de Trabalhos Setoriais (GTS) e o CT APLs de Base Mineral;  Identificar e promover o cadastramento de colaboradores na Rede, nos GTS e no CT APLs de Base Mineral;  Contribuir na elaboração, implantação e manutenção do Banco de APLs de Base Mineral no âmbito do Observatório de APLs; Oficina

17 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Oficina Resultados Esperados  Divulgação do CT APL de Base Mineral como caminho para proposição de políticas públicas voltadas para os APLs de base mineral;  Divulgação da RedeAPLmineral como instrumento de gestão do conhecimento e informação para os APLs de base mineral  Divulgação do portal da Rede, bem como do Observatório de APLs, como ferramentas disponíveis para a obtenção de informações e dados que auxiliam a governança no desenvolvimento sustentável do APL;

18 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral 1ª. Oficina de Capacitação e Disseminação da Boa Informação em Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Região Sudeste – Cachoeiro de Itapemirim – ES Agosto

19 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Resultados Alcançados  Divulgação do CT APL de Base Mineral como caminho para proposição de políticas públicas voltadas para os APLs de base mineral  Manifestação do interesse em fazer parte do CT APL de Base Mineral do SINDIROCHAS  Divulgação da RedeAPLmineral como instrumento de gestão do conhecimento e informação para os APLs de base mineral  Divulgação do portal da Rede, bem como do Observatório de APLs, como ferramentas disponíveis para a obtenção de informações e dados que auxiliam a governança no desenvolvimento sustentável do APL;  Divulgação do Prêmio Melhores Práticas Região Sudeste – Cachoeiro de Itapemirim – ES

20 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral

21 Realização Apoio Patrocínio

22 Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Oficina de Capacitação e Disseminação da Boa Informação em Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Região Nordeste - Salvador – BA Local: FIEB, Rua Edístio Pondé, 342, 1º. Andar, sala 3 – Stiep, Salvador – BA Horário: 13h30 às 16h 15h30 Programação  Divulgação da RedeAPLmineral e Observatório de APLs  Ações desenvolvidas e apoiadas pela Rede  Apresentação do Portal  Dinâmica de Grupo  Apresentação do Observatório  Implantação e Consolidação dos GTS e do CT APL de Base Mineral  Apresentação do CT APL de Base Mineral  Sensibilizar, mobilizar e articular os participantes dos APLs com vistas a implantar e consolidar os GTS e o CT APLs de Base Mineral


Carregar ppt "Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Por Renata M. Rodrigues – out/2012 IX Seminário Nacional de APLs de Base Mineral."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google