A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Apresentação Fórum Permanente das MPEs BRASÍLIA-DF 21 de outubro de 2010 FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Apresentação Fórum Permanente das MPEs BRASÍLIA-DF 21 de outubro de 2010 FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência,"— Transcrição da apresentação:

1 Apresentação Fórum Permanente das MPEs BRASÍLIA-DF 21 de outubro de 2010 FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

2

3 Atuar em toda a cadeia da inovação, com foco em ações estratégicas, estruturantes e de impacto para o desenvolvimento sustentável do Brasil. FINEP - Perfil de Atuação

4 Inovação é a introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, processos ou serviços. (Lei /04) Inovações devem, necessariamente, estar disponibilizadas no mercado, aplicadas nas organizações ou transferidas para a sociedade. A inovação pode apresentar escala local, regional, nacional ou mundial. Pode ser incremental ou radical. Inovação

5 O apoio da FINEP abrange todo o ciclo de C,T&I, da pesquisa básica até o desenvolvimento de produtos, serviços e processos nas empresas. Sua atuação se dá por meio de diversos instrumentos: Financiamentos reembolsáveis (empréstimos com condições diferenciadas para empresas); Financiamentos não-reembolsáveis com recursos dos Fundos Setoriais; Outras formas de apoio à inovação (subvenção econômica, capital de risco). Formas de Atuação

6 A FINEP financia todos os estágios do desenvolvimento científico, tecnológico e inovação Empresa Nascente Incubação e start-ups Pre- incubação Pesquisa Científica e Infra- estrutura “clusters” de Inovação Expansão e Consolidação de Empresas Seed Money (K e FNDCT) ‏ Seed Money (K e FNDCT) Venture Capital SIBRATEC e outros instrumentos FINEP/FNDCT Não-reem- bolsável (FNDCT) ‏ Crédito, SIBRATEC, Cooperação ICT-EMP, Subvenção Econômica Inovar Semente PAPPE Juro Zero Subvenção PRIME/Subvenção INOVAR Inova Brasil Subvenção FINEP Instrumentos C,T&I

7 Crescimento Expansão e Consolidação Capital Familiar Anjo Pré- Incubação Incubação Empresas Nascentes Capital Semente Subvenção Financiamento Capital de Risco Subvenção PRIME PAPPE SUBVENÇÃO INOVA BRASIL SUBVENÇÃO NACIONAL INOVAR SEMENTE JURO ZERO Financiamento Private Equity Subvenção FOMENTO DA FINEP CONFORME ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS Versão 11/05/2010 INOVAR FUNDOS Crédito Subvenção Econômica Capital de Risco

8  Inova Brasil: Financiamento à Inovação nas Empresas Brasileiras - inovação de produto, processo ou serviço que contribua para a melhoria da competiti- vidade da organização, encargos reduzidos (equalização dos juros) e prazos de amortização diferenciados  Programa Juro Zero: Financiamento a micro e pequenas empresas inovadoras, ágil e com burocracia reduzida – projetos e planos de negócios que representem uma inovação em seu setor de atuação Financiamentos reembolsáveis

9 Inova Brasil Financiamento para Inovação nas Empresas Brasileiras Foco: inovação do produto, processo e/ou serviço que contribua para a melhoria da competitividade da organização Ação Coordenada: PACTI / MCT + PDP/MDIC

10 Inova Brasil - PDP Programas mobilizadores em áreas estratégicas Complexo Energia Biotecnologia Nanotecnologia Tecnologias de Informação e Comunicação Complexo Saúde Indústria da Defesa Programas para consolidar e expandir liderança Siderurgia Papel e Celulose OutrosPetroquímica MineraçãoAeronáutico Calçados e Couro Madeira e móveis Programas para fortalecer competitividade Complexo Automotivo Plásticos Têxtil e Confecções Indústria Naval e Cabotagem Construção Civil BK seriados BK sob encomenda Higiene, Perfumaria AgroindústriasFertilizantes Carnes Outros

11 Inova Brasil Financiamento Reembolsável para Inovação nas Empresas Brasileiras Encargos e condições aderentes à PDP Integração de instrumentos

12 Valor a partir de CEM mil reais (até R$ 900 mil) SEM juros reais (apenas IPCA) SEM garantias reais SEM burocracia (via web) SEM carência Amortizado em CEM parcelas Programa cooperativo com parceiros regionais, específico para micro e pequenas empresas inovadoras, já implantado em 9 estados: BA, MG, PE, PR, SC + RS, SP, ES, RJ Características: Juro Zero

13 FINEP - Crédito 2009  Total contratado em 2009: 28,4 vezes maior que o de 2000

14 Desembolsado: R$ 880 milhões Contratado: R$ milhões FINEP - Crédito 2009

15 Apoio a instituições de ensino e pesquisa sem fins lucrativos, públicas ou privadas, ou organizações não governamentais, para a realização de projetos de ciência, tecnologia & inovação. Os recursos oferecidos nos financiamentos não-reembolsáveis são originados do Fundos Setoriais. Financiamentos não-reembolsáveis

16 Fundos Setoriais - Contribuições incidentes sobre o resultado da exploração de recursos naturais pertencentes à União - Parcelas do Imposto sobre Produtos Industrializados de certos setores - Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) incidente sobre os valores que remuneram o uso ou aquisição de conhecimentos tecnológicos / transferência de tecnologia do exterior Origem dos Recursos

17 Fundos Setoriais

18 FNDCT e Fundos Setoriais FNDCT – Desembolsos Fundos Setoriais

19 O objetivo do Programa de Subvenção Econômica é promover o aumento das atividades de inovação e da competitividade das empresas por meio da aplicação de recursos públicos não- reembolsáveis diretamente em empresas. O marco-regulatório que viabiliza a concessão de subvenção econômica foi estabelecido a partir: Da aprovação da Lei /04, regulamentada pelo Decreto 5.563/05 (Lei da Inovação) Da Lei /05, regulamentada pelo Decreto no /06 (Lei do Bem) Subvenção Econômica

20 Chamadas Públicas de Subvenção (Nacional) PAPPE Subvenção (Regional, MPEs) PRIME – Primeira Empresa Inovadora (MPEs)  projetos de desenvolvimento de produtos e processos inovadores priorizados pela PITCE  projetos de P,D&I para custeio da remuneração de novos pesquisadores (Mestres e Doutores) em atividades de inovação (Lei do Bem)

21 Subvenção Econômica Chamadas Públicas de Subvenção (Nacional) Subvenção 2006 R$ 300 milhões Demanda propostasR$ 1,9 bilhão Aprovados 145 projetos R$ 274 milhões Subvenção 2007 R$ 450 milhões Demanda propostasR$ 2,5 bilhão Aprovados 174 projetos R$ 313 milhões Subvenção 2008 R$ 450 milhões Demanda propostas R$ 6,2 bilhões Aprovados 245 projetos R$ 512 milhões Subvenção 2009 R$ 450 milhões Demanda: propostasR$ 5,2 bilhões Aprovados 261 projetos R$ 466 milhões

22 Editais nacionais 2006, 2007, 2008 e 2009 Total aprovado: R$ 1,6 bilhão – 825 projetos Subvenção Econômica

23 Subvenção Nacional 2006 – 2009 (Nº / Porte) Subvenção Econômica

24 Subvenção Nacional 2006 – 2009 (Valor / Porte) Subvenção Econômica

25 PAPPE Subvenção (Regional, MPEs) Descentralização e aumento da capilaridade Microempresas e empresas de pequeno porte PITCE & atendimento às prioridades regionais FAPDF DF 5.000FAPEAM AM FAPEG GO FAPES ES FIEMS MS FAPEMIG MG FAPESB BA FAPERJ RJ FUNCAPCE FAPESP SP FAPEMA MA Cons.PAPPE PR FACEPPE SEBRAERS SEBRAEPI FAPESC SC FAPERN RN TOTAL Em R$ 1.000,00

26 Subvenção Econômica PAPPE Integração (Regiões N, NE, CO, DF, MEEPPs) Descentralização e aumento da capilaridade Microempresas e empresas de pequeno porte PITCE & atendimento às prioridades regionais FAPDF DF R$ ,00 FAPEG GO R$ ,00 SEBRAE-MS MS R$ ,00 FAPEMAT MT R$ ,00 FACEPE PE R$ ,00 SEBRAE-PI PI R$ ,00 FUNCAP CE R$ ,00 FAPESB BA R$ ,00 FAPESQ PB R$ ,00 FAPITEC-SE SE R$ ,00 FAPERN RN R$ ,00 FAPEMA MA R$ ,00 FAPEAL AL R$ ,00 FAPESPA PA R$ ,00 Fund. Tec. Acre AC R$ ,00 FAPEAM AM R$ ,00 Secretaria de Estado RO R$ ,00 do Planejamento e Coordenação Geral SEBRAE-TO TO R$ ,0 TOTAL: R$ ,00

27 Subvenção Econômica PRIME – Primeira Empresa Inovadora (MPEs) Apoiar empresas nascentes com até 24 meses de existência que apresentem um elevado conteúdo de inovação em seus produtos ou serviços de alto valor de conhecimento agregado. Operacionalização em parceria com 17 Incubadoras de Empresa – Ancoras Kit PRIME ano 1 – Subvenção R$ 120 mil Kit PRIME ano 2 – Juro Zero R$ 120 mil Preparação para Capital de Risco

28 Programa Prime – Quadro Consolidado

29 FINEP e os parques tecnológicos A carteira FINEP totaliza 30 projetos (excluindo demais iniciativas) : -dois editais para o ano 2002, resultaram em 11 projetos aprovados; -um edital para o ano de 2004, resultaram em 11 projetos aprovados; -duas encomendas para o ano de 2004; -três encomendas para o ano de 2005; -uma encomenda para o ano de 2006; -dois projetos estruturantes para o ano de 2007

30 FINEP e os parques tecnológicos ( Chamadas + Encomendas + Demais Iniciativas ) Já foram investidos aproximadamente R$ 38,5 MM em parques tecnológicos com recursos da FINEP.

31 FINEP e os parques tecnológicos A região Sudeste obteve aproximadamente 54% de todos os recursos pagos.

32 Objetivo “Consolidação de incubadoras âncora de base tecnológica, promovendo o aumento da taxa de sucesso das empresas incubadas, atuando em rede com incubadoras de menor porte.”  Agregar em rede 1 incubadora Âncora e pelo menos mais 3 incubadoras Afiliadas;  Até 20 projetos de consolidação de incubadoras  Incubadoras de uma mesma região Chamada Pública MCT/FINEP/Ação Transversal PNI 09/2006

33  Recursos Financeiros disponibilizados na Chamada: R$ ,00  Recursos Financeiros concedidos: R$ ,61 (Aprovação de 16 propostas.)  Inclusão de 2 propostas com acréscimo de recursos: R$ ,99  Aprovadas 18 propostas totalizando: R$ ,60 Chamada Pública MCT/FINEP/Ação Transversal PNI 09/2006

34 Objetivo “Consolidação de incubadoras coordenadoras de base tecnológica, promovendo o aumento da taxa de sucesso das empresas incubadas, atuando em rede com incubadoras de menor experiência, complementarmente a chamada PNI 09/2006.”  Agregar em rede 1 incubadora mais experiente (Coordenadora) e incubadoras (Afiliadas).  Foco nos estados não contemplados na chamada PNI 09/2006: Tocantins, Pará, Amapá, Roraima, Acre, Rondônia, Bahia, Alagoas, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Espírito Santo e Paraná. Chamada Pública MCT/FINEP/Ação Transversal PNI/PRONINC 03/2009 – Linha 1

35  Recursos Financeiros disponibilizados na Chamada: R$ ,00  Recursos Financeiros recomendados: R$ ,07 (aprovação preliminar - 12 propostas.)  Atualmente a chamada encontra-se em fase de recurso ao resultado preliminar. Chamada Pública MCT/FINEP/Ação Transversal PNI/PRONINC 03/2009 – Linha 1

36 Projeto INOVAR - Área de Investimentos da FINEP – AINV A FINEP investe em fundos de seed, venture capital e private equity, além de manter várias ações de estímulo ao empreendedorismo. Objetivo: apoiar as empresas inovadoras, de qualquer setor e porte, através de capital inteligente (investimento + gestão)

37 Fundos Finep 24 Fundos aprovados: 4 Fundos de Private Equity 6 Fundos de Capital Semente 14 Fundos de Venture Capital Volume Total dos Fundos: ~ R$ 3 bilhões Comprometimento Total FINEP: ~ R$ 300 milhões Alavancagem Finep para Inovação: R$ 7,55 para cada R$ 1 aportado pela FINEP Participação Média por Fundo: 21,4% 70 empresas investidas pelos fundos

38

39 Relação de Fundos Investidos pela FINEP

40 Processos de capacitação empresarial consolidados em eventos nos quais empreendedores têm a oportunidade de se apresentar a potenciais investidores. A FINEP prospecta e seleciona as empresas, orienta-as em seus planos de negócios e as auxilia a formatar suas propostas de valor. Foruns Finep

41 Seed Forum Venture Forum Forum Brasil Abertura de Capital  Aproximadamente 250 empresas capacitadas  Total de 67 operações de investimento

42 Evolução dos recursos da FINEP por natureza (FNDCT, Subvenção e Crédito)

43 Muito obrigado! Murilo Azevedo Guimarães Área de Subvenção e Cooperação FINEP


Carregar ppt "Apresentação Fórum Permanente das MPEs BRASÍLIA-DF 21 de outubro de 2010 FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google