A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

©Jaelson Castro 1998 Slide 1 O Processo da Engenharia de Requisitos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "©Jaelson Castro 1998 Slide 1 O Processo da Engenharia de Requisitos."— Transcrição da apresentação:

1 ©Jaelson Castro 1998 Slide 1 O Processo da Engenharia de Requisitos

2 ©Jaelson Castro 1998 Slide 2 Objetivos u Introduzir as noções de processos e modelos de processo para a engenharia de requisitos u Explicar o papel crítico das pessoas no processo de engenharia de requisitos u Explicar porque a melhoria do processo é importante e sugerir um modelo de melhoria de processo para a engenharia de requisitos

3 ©Jaelson Castro 1998 Slide 3 Processos u Processo é um conjunto organizado de atividades que transforma entradas em saídas u Descrições de processos encapsulam conhecimento e permitem que sejam reusados u Exemplos de descrições de processo Manual de instrução de uma máquina de lavar Livro de receitas Procedimentos manuais para um banco Manual de qualidade para o desenvolvimento de software

4 ©Jaelson Castro 1998 Slide 4 O processo de projeto u Processo que envolve criatividade, interação entre um grande número de diferentes pessoas, julgamento de engenharia e experiência e conhecimento prévio u Exemplos do processo de projeto Escrita de um livro Organizar uma conferência Projeto de um chip processador Engenharia de Requisitos

5 ©Jaelson Castro 1998 Slide 5 Processo de ER - entradas e saídas

6 ©Jaelson Castro 1998 Slide 6 Descrição da entrada/saída

7 ©Jaelson Castro 1998 Slide 7 Variação do Processo de Requisitos u Os processos de requisitos variam radicalmente de uma organização para outra u Fatores que contribuem para esta variação Maturidade Técnica Envolvimento disciplinas Cultura Organizacional Domínio de aplicação u Portanto não existe um processo ‘ideal’ de engenharia de requisitos

8 ©Jaelson Castro 1998 Slide 8 Modelos de Processos u Um modelo de processo é uma descrição simplificada do processo descrito de um determinado ponto de vista u Tipos de modelo de processo: Modelos de atividades de alto-nível Modelos detalhados de atividades Modelos de ações-papéis Modelos de entidade-relacionamento

9 ©Jaelson Castro 1998 Slide 9 Modelo de ER de alto nível

10 ©Jaelson Castro 1998 Slide 10 Atividades do processo de ER u Elicitação de Requisitos Os requisitos são descobertos através da consulta com as partes interessadas u Análise e negociação de requisitos Requisitos são analisados e os conflitos resolvidos através de negociação u Documentação de requisitos Um documento de requisitos é produzido u Validação de requisitos É checada a consistência e completude do documento de requisitos

11 ©Jaelson Castro 1998 Slide 11 O modelo cascata de processo de software

12 ©Jaelson Castro 1998 Slide 12 Contexto do Processo de ER

13 ©Jaelson Castro 1998 Slide 13 Modelo espiral do processo de ER

14 ©Jaelson Castro 1998 Slide 14 Atores do processo de ER u Os atores do processo são as pessoal envolvidas na execução do processo u Os atores são normalmente identificados pelos seus papéis e não individualmente u Engenharia de requisitos envolve atores tanto atores que estão interessados no problema a ser resolvido (usuários finais) como também atores interessados na solução (projetistas, etc.) u Diagramas de papel-ação documentam quais atores estão envolvidos em que atividades

15 ©Jaelson Castro 1998 Slide 15 RAD para prototipagem de software

16 ©Jaelson Castro 1998 Slide 16 Descrição dos papéis

17 ©Jaelson Castro 1998 Slide 17 Fatores Humanos e sociais u Os processos de engenharia de requisitos são dominados por fatores humanos, sociais e organizacionais porque eles sempre envolvem um conjunto de partes interessadas com backgrounds diferentes e com objetivos organizacionais e individuais diferentes u As partes interessadas (stakeholders) pelo sistema podem ter uma variedade de background técnico e não técnico e de diferentes disciplinas

18 ©Jaelson Castro 1998 Slide 18 Tipos de partes interessadas (stakeholder) u Engenheiros de software responsáveis pelo desenvolvimento do sistema u Usuários finais do sistema que irão usar o sistem depois dele ser entregue u Os gerentes dos usuários finais do sistema, que será responsável pelo trabalho deles u Fiscais externos que verificaram se o sistema satisfaz os requisitos legais u Especialistas de domínio que possuem informações essenciais sobre o domínio da aplicação

19 ©Jaelson Castro 1998 Slide 19 Factores influenciando requisitos u Personalidade e status dos stakeholders u Os objetivos pessoais dos indivíduos dentro da empresa u O grau de influência política dentro de uma organização

20 ©Jaelson Castro 1998 Slide 20 Suporte para o processo u Ferramentas CASE proporcionam suporte automático para o processo de software u As ferramenta de CASE mais maduras suportam atividades bem entendidas tais como programação, teste e uso de métodos estruturados u O suporte para a engenharia de requisitos ainda é limitado devido a informalidade e a variação dos processos

21 ©Jaelson Castro 1998 Slide 21 Ferramentas CASE para ER u Ferramentas para modelagem e validação de requisitos que suportam o desenvolvimento de modelos do sistema, que podem ser usadas para checar a completude e consistência entre os modelos u Ferramentas de gerenciamento que ajudam o gerenciamento de um banco de dados de requisitos e apoiam o gerenciamento das modificações dos requisitos.

22 ©Jaelson Castro 1998 Slide 22 Um sistema de gerenciamento de requisitos

23 ©Jaelson Castro 1998 Slide 23 Ferramentas de gerenciamento de requisitos u Folheador (browser) de requisitos u Sistema de perguntas (query) de requisitos u Sistema de suporte de rastreamento u Gerador de relatórios u Conversor de requisitos e linker para processador de texto u Sistema de controle de mudanças

24 ©Jaelson Castro 1998 Slide 24 Melhoria de Processo u A melhoria de processo está relacionado com a modificação do processo de forma a alcançar algum objetivo de melhora u Objetivos de melhora Melhoria de qualidade Redução de prazo Redução de recursos

25 ©Jaelson Castro 1998 Slide 25 Planejando a melhoria do processo u Quais são os problemas com os processos atuais? u Quais são os objetivos de melhora? u Como o processo de melhora poderá ser introduzido para alcançar estes objetivos? u Como o processo de melhora poderá ser controlado e gerenciado?

26 ©Jaelson Castro 1998 Slide 26 Problemas do processo de ER u Falta de envolvimento dos stakeholders u As necessidades do negócio não são consideradas u Falta de gerenciamento dos requisitos u Falta de definição de responsabilidades u Problemas de comunicação dos stakeholders u Planejamento longo demais e baixa qualidade dos documentos de requisitos

27 ©Jaelson Castro 1998 Slide 27 Maturidade do Processo u A maturidade do processo de uma empresa pode ser considerada como sendo o grau de definição dos seus processos, como eles são controlados e a existência de suporte sistemático tanto humano como baseado em computador. u O modelo de maturidade da SEI (Capability Maturity Model- CMM) é uma proposta para avaliação da maturidade do processo de software de empresas de desenvolvimento

28 ©Jaelson Castro 1998 Slide 28 O modelo de maturidade

29 ©Jaelson Castro 1998 Slide 29 Níveis de maturidade u Nível inicial As empresas têm um processo não disciplinado e fica a cargo dos indivíduos tanto a escolha das técnicas de desenvolvimento a serem usadas como o gerenciamento do processo. u Nível repetível As empresas tem funcionando os procedimentos básicos de gerenciamento de custo e prazo. Provavelmente serão capazes de fazerem previsões consistentes de custo e escalonamento para projetos na mesma área de aplicação. u Nível definido O processo de software, tanto das atividades de gerenciamento como engenharia, está documentado, padronizado, e integrado aos padrões de processo de software para toda a organização.

30 ©Jaelson Castro 1998 Slide 30 Maturity levels u Nível gerenciado Medições detalhadas tanto do processo como da qualidade do produto são coletadas e usadas para controlar o processo. u Nível otimizado A empresar possuem uma estratégia de melhoria contínua do processo, baseada nos objetivos adotados para medição

31 ©Jaelson Castro 1998 Slide 31 Um modelo de maturidade de processo para ER

32 ©Jaelson Castro 1998 Slide 32 RE process maturity levels u Nível inicial Não há processo definido de ER. Sofre de problemas tais como volatilidade dos requisitos, stakeholders não satisfeitos e alto custo de refeita dos sistemas. Depende de habilidades e experiências individuais. u Nível repetível Padrões definidos para os documentos de requisitos e políticas e procedimentos para o gerenciamento de requisitos. u Nível definido Um processo definido de ER, baseado em boas práticas e técnicas. Em funcionamento um processo ativo de melhoria.

33 ©Jaelson Castro 1998 Slide 33 Boas práticas para a melhoria do processo de ER u Os processo de ER podem ser melhorados pela sistemática introdução de boas práticas de engenharia de requisitos u Cada ciclo de melhoria identificará diretrizes práticas e trabalhará em direção para a sua introdução na organização

34 ©Jaelson Castro 1998 Slide 34 Exemplos de diretrizes de boas práticas u Defina uma estrutura de documento padronizada u Identifique de forma única cada requisito u Defina políticas para o gerenciamento de requisitos u Use checklists durante a análise de requisitos u Use cenários para elicitar requisitos u Especifique requisitos de forma quantitativa u Use prototipagem para animar requisitos u Re-use requisitos

35 ©Jaelson Castro 1998 Slide 35 Pontos principais u O processo de engenharia de requisitos é estruturado como um conjunto de atividades que leva a produção do documento de requisitos. u As entradas do processo de engenharia de requisitos são as informações existentes dos sistemas, necessidade dos stakeholders, padrões organizacionais, regulamentações e informações do domínio. u Os processos de engenharia de requisitos variam radicalmente entre empresas. A maioria dos processos incluem a elicitação de requisitos, análise e negociação dos requisitos e validação dos requisitos.

36 ©Jaelson Castro 1998 Slide 36 Pontos chaves u Os modelos do processo de engenharia de requisitos são descrições simplificadas que são apresentadas de uma perspectiva particular. u Fatores humanos, sociais e organizacionais são influências importantes no processo de engenharia de requisitos. u A melhoria do processo de engenharia de requisitos é difícil, sendo tratada melhor de forma incremental. u Os processos de engenharia de requisitos podem ser classificados de acordo com seus graus de maturidade.


Carregar ppt "©Jaelson Castro 1998 Slide 1 O Processo da Engenharia de Requisitos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google