A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Suporte Tecnológico à Distribuição de Conteúdo Midiático: Um Modelo de Qualidade Incremental Aluno: Márcio Leal de Melo Dahia (Doutorado) Orientador: Geber.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Suporte Tecnológico à Distribuição de Conteúdo Midiático: Um Modelo de Qualidade Incremental Aluno: Márcio Leal de Melo Dahia (Doutorado) Orientador: Geber."— Transcrição da apresentação:

1 Suporte Tecnológico à Distribuição de Conteúdo Midiático: Um Modelo de Qualidade Incremental Aluno: Márcio Leal de Melo Dahia (Doutorado) Orientador: Geber Lisboa Ramalho Co-orientador: Silvio Romero Lemos Meira

2 2 Roteiro O Trabalho Motivação Problema Estado da Arte Proposta Conclusão Atividades Cronograma Publicações

3 3 Motivação Distribuição de conteúdo Surgimento do MP3 e Napster RIAA processa 6k usuários de p2p por pirataria Crescimento do Software Livre Creative Commons (cc) Creative Commons (cc) Opção moderada 14 tipos de licença, entre de copyright e public- domain

4 4 Motivação Canto Livre Uma rede p2p de distribuição de conteúdo onde é possível Armazenar e divulgar a produção artística brasileira Distribuir música gratuitamente Licenças Creative Commons Evitar pirataria Estabelecer o conceito de “Comunidade Virtual” Promover “inclusão digital” Incentivar a re-utilização da cultura

5 5 Problemas 1) Como garantir que as licenças sejam obedecidas? 2) Como distribuir conteúdo que se adapte a necessidade de qualidade do usuário?

6 6 Problema 1: parcialmente resolvido

7 7 Níveis de qualidade Níveis de qualidade de objetos audiovisuais dependem principalmente de 3 fatores: Fisiológicos/Culturais/Psicológicos MP3 a 128kbps x MP3 a 192 kbps Fotos 300 kPixels x 5.1 MPixels Finalidade “Testar” uma música nova (try-before-buy), reconhecer um rosto Fazer um sampling, fazer uma “colagem” Dispositivo Tela do Cel. X HDTV

8 8 Problemas Que fatores influenciam a qualidade? Como decrementar a qualidade? Como incrementar a qualidade? Quais os formatos aceitos? Quais os tipos de mídia?

9 9 Objetivo Compressão de objetos audiovisuais com perda (MP3, DIVX) Características Psicoacústicas e Psicovisuais Retira dados menos relevantes compressão  1/qualidade Objetivo Permitir o incremento (decremento) de qualidade dos objetos adicionando (removendo) apenas os dados ausentes (em excesso) Sem a necessidade de re-codificação do objeto

10 10 Estado da Arte Trabalhos sobre Adaptação de Conteúdo Todos relacionados com Streaming Utilização apenas o decremento de qualidade Alguns formatos possuem facilidades para adaptação

11 11 Proposta Um objeto audio visual (OAV), codificado em um formato específico em qualidade máxima (DMAX), pode ser representado como a soma de um “objeto base” de qualidade mínima (D0) com incrementos de qualidade (I) OAV (D MAX ) D0D0 I 0,1 I 1,2 I 2,3... I MAX-1,MAX D1D1 D2D2 D MAX I 0,2 I 0,3 I 1,3 Regras: D i = D i-1 + I i-1,i D j – D i = I j,i I i,j + I k,l = I i,l {i,j,k,l  N | i

12 12 Proposta Para cada formato é necessário Descritor Estabelecer características específicas do formato (e.g., quantidade de incrementos) Splitter Distinguir a base e os incrementos de um determinado arquivo Merger Concatenar os diversos incrementos

13 13 Proposta Benefício Aumento na eficácia da distribuição e armazenamento de conteúdo Transferência da qualidade necessária para cada usuário Um objeto (de qualidade máxima) serve para clientes com exigências de definição diferentes Passo em direção ao fim da “era dos formatos” Conteúdo mais importante que o formato

14 14 Canto Livre na prática

15 15 Conclusões Contribuição Uma proposta original para a distribuição de conteúdo na Web Preservação das licenças Creative Commons Nova geração das redes P2P de distribuição de arquivos Download orientado a definição e em várias fontes

16 16 Cronograma (parte 1) Abril a Julho de 2005 Desenvolvimento de um middleware peer-to-peer adaptativo para substituir a API de comunicação usada no sistema TUPAN. Estudo de algumas técnicas de recuperação de informação musical para serem usadas na identificação de fonograma. Agosto a Novembro de 2005 Modelagem do Sistema de identificação de conteúdo Estudo do das principais formatos de arquivos de mídia Estudo sobre as Digital Signal Processing e as técnicas compressão com perdas associadas. Dezembro de 2005 a Março de 2006 Continuação dos estudos de DSP e compressão Estudo de Mpeg-7 e Mpeg-21 como estado da arte na descrição de objetos multimídia.

17 17 Cronograma (parte 2) Abril-Ago 2006 Escrita de artigo para Webmidia 2006 (28/07) Inicio da escrita da proposta de tese Estagio Docência da disciplina Computação Musical e Processamento de Sons Defesa de proposta de tese (junto com a qualificação) Set-Dez 2006 Definição da linguagem de manipulação dos objetos de mídia migração das técnicas de bit rate scaling para o sistema de distribuição p2p. Jan-Abr 2007 finalização da migração das técnicas Testes no funcionamento do sistema Ajustes e analise dos resultados Escrita de artigo pra revista Inicio da escrita da tese

18 18 Publicações 2005 Trajano, E., S. T. Madsen, M. Dahia, G. Widmer e G. L. Ramalho (2005). Extracting Patterns from Guitar Accompaniment Data: Some Experimental Results. Proc. of the X Brazilian Symposium on Computer Music (SBCM’05), 154–163, Belo Horizonte Trajano, E., S. T. Madsen, M. Dahia, G. Widmer e G. L. Ramalho (2006). Using AI to Extract Patterns from Brazilian Guitar Accompaniment. Submetido ao ECAI 2006 Webmedia Revista (IEEE Multimedia)


Carregar ppt "Suporte Tecnológico à Distribuição de Conteúdo Midiático: Um Modelo de Qualidade Incremental Aluno: Márcio Leal de Melo Dahia (Doutorado) Orientador: Geber."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google