Conferências, música de câmara e gravações."> Conferências, música.">

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

JORNALISMO PÚBLICO EM RÁDIO EUA - primeira "estação-estúdio" de radiodifusão. RÁDIO no Mundo 1916 Primeiro programa de rádio -> Conferências, música.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "JORNALISMO PÚBLICO EM RÁDIO EUA - primeira "estação-estúdio" de radiodifusão. RÁDIO no Mundo 1916 Primeiro programa de rádio -> Conferências, música."— Transcrição da apresentação:

1

2 JORNALISMO PÚBLICO EM RÁDIO

3 EUA - primeira "estação-estúdio" de radiodifusão. RÁDIO no Mundo 1916 Primeiro programa de rádio -> Conferências, música de câmara e gravações.

4 "ERA DO RÁDIO" Era de ouro do rádio nos EUA Efeito Westinghouse  radiodifusão  382 emissoras 1921  4 emissoras

5 O RÁDIO NO BRASIL Rio de Janeiro  Rádio Sociedade do Rio de Janeiro 1923 Conceito  "rádio sociedade" ou "rádio clube"

6 1932 – Rádio Tupi  primeira emissora comercial 1932 – Rádio Tupi  primeira emissora comercial Rádio “MEC” – “primeira educativa” Rádio “MEC” – “primeira educativa” Rádio Nacional do Rio de Janeiro Dramaturgia Música (auditório) Esportes Jornalismo  Repórter Esso Rádio Nacional do Rio de Janeiro Dramaturgia Música (auditório) Esportes Jornalismo  Repórter Esso Era de Ouro do Rádio  década de 50 Era de Ouro do Rádio  década de 50 O RÁDIO NO BRASIL

7 Concorrência com novas mídias Concorrência com novas mídias Mudança de paradigmas  introdução das FMs  novas linguagens Mudança de paradigmas  introdução das FMs  novas linguagens Jornalismo / informação  permeia a programação Jornalismo / informação  permeia a programação Foco no cidadão x foco no consumidor Foco no cidadão x foco no consumidor RADIO: AMEAÇAS E MUDANÇAS

8 DIFERENCIAL Preocupação em formar audiência Preocupação em formar audiência Uma alternativa de uma informação de qualidade que raramente se pode ver ou ouvir nas emissoras comerciais. Uma alternativa de uma informação de qualidade que raramente se pode ver ou ouvir nas emissoras comerciais.

9 Rádio como veículo de informação e expressão local e regional  interatividade  participação; Rádio como veículo de informação e expressão local e regional  interatividade  participação; Jornalismo  pauta de interesse público e com diversidade temática; Jornalismo  pauta de interesse público e com diversidade temática; Abordagem ampla  fatos e versões Abordagem ampla  fatos e versões Estimular grupos de ouvintes, sociedade de amigos, comitê de ouvintes... Estimular grupos de ouvintes, sociedade de amigos, comitê de ouvintes... Manter permanente diálogo  ouvidoria  ouvir e ser ouvido de forma clara e simples! Manter permanente diálogo  ouvidoria  ouvir e ser ouvido de forma clara e simples! CARACTERÍSTICAS

10 INFORMAÇÃO OBJETIVA E PRECISA Papel do jornalista e do comunicador

11 FOCO E VISÃO Objetividade, imparcialidade, isenção e pluralismo, Objetividade, imparcialidade, isenção e pluralismo, Documentários, programas de debates e de entrevistas, que ousem abordar temas dos mais importantes para a nossa sociedade, polêmicos ou não, abordando-os com profundidade e densidade, incentivando a reflexão crítica do cidadão, contribuindo para formar uma opinião pública equilibrada, trabalhando sempre para universalizar o direito à informação, dando vez e voz às minorias e aos excluídos. Documentários, programas de debates e de entrevistas, que ousem abordar temas dos mais importantes para a nossa sociedade, polêmicos ou não, abordando-os com profundidade e densidade, incentivando a reflexão crítica do cidadão, contribuindo para formar uma opinião pública equilibrada, trabalhando sempre para universalizar o direito à informação, dando vez e voz às minorias e aos excluídos.

12 Quanto ao mercado Quanto ao mercado Quanto aos poderes públicos Quanto aos poderes públicos O caráter público não permite a utilização da informação para obtenção de vantagens, promoção de causas pessoais, religiosas, comerciais ou partidárias; O caráter público não permite a utilização da informação para obtenção de vantagens, promoção de causas pessoais, religiosas, comerciais ou partidárias; INDEPENDÊNCIA E AUTONOMIA

13 Prestar à população brasileira o serviço de informar de forma objetiva, isenta e com espírito crítico, com foco no cidadão e cidadã. Prestar à população brasileira o serviço de informar de forma objetiva, isenta e com espírito crítico, com foco no cidadão e cidadã. Esta informação deve ser plural, abrangente, sem preconceitos e que traduza a expressão da diversidade, em permanente busca da qualidade; Esta informação deve ser plural, abrangente, sem preconceitos e que traduza a expressão da diversidade, em permanente busca da qualidade; JORNALISMO PÚBLICO Missão

14 Construir um jornalismo que seja referência de precisão, ética, qualidade e confiabilidade; que garanta o direito à informação e o foco na cidadania; Construir um jornalismo que seja referência de precisão, ética, qualidade e confiabilidade; que garanta o direito à informação e o foco na cidadania; Moldar uma comunicação que auxilie na formação de uma opinião pública equilibrada, sem preconceitos, refletida e bem elaborada sobre os grandes temas nacionais e internacionais; Moldar uma comunicação que auxilie na formação de uma opinião pública equilibrada, sem preconceitos, refletida e bem elaborada sobre os grandes temas nacionais e internacionais; Contribuir para integrar um sistema nacional público de emissoras de rádio com credibilidade pública Contribuir para integrar um sistema nacional público de emissoras de rádio com credibilidade pública DESAFIO

15 Qualidade de produto  apuração precisa e cuidado na elaboração das notícias; Qualidade de produto  apuração precisa e cuidado na elaboração das notícias; Fidelidade à fonte e não ao veículo; Fidelidade à fonte e não ao veículo; Toda informação possui versões que podem mudar o rumo dos fatos... Toda informação possui versões que podem mudar o rumo dos fatos... CREDIBILIDADE

16 "Tempos atrás, o líder de um povo, perseguido por um exército inimigo, se viu acuado. Ele não podia recuar porque não tinha armas para enfrentar seu adversário. Nem prosseguir porque à sua frente estava o Mar, barrando o seu caminho.

17 Esse líder, chamado Moisés, olhou seu povo e disse que iria abrir o mar para que pudessem fugir. Ao ouvir isso, um dos seus assessores não se conteve: 'Se o senhor abrir o mar, pode contar, eu lhe garanto no mínimo dez páginas na Bíblia'".

18 Manchetes a favor "Moisés abre o mar e salva seu povo" “Moisés deixa egípcios atônitos" “Moisés aponta o caminho da salvação" “A divina estratégia de Moisés"

19 Manchetes não a favor "Mar Vermelho se abre. Moisés diz que foi ele." "Fenômeno agita o Mar Vermelho" "Moisés é um risco à navegação" "Moisés desafiado a repetir a façanha"

20 “Em uma sociedade democrática, os profissionais da mídia tem o importante papel de informar de forma correta, tem a obrigação de investigar e passar as informações de forma correta. Gosto de brincar dizendo que devem ter um nariz bastante cumprido, como uma tromba de elefante, para farejar e investigar. E tudo isso com motivação sincera, de forma genuína” Dalai Lama

21 JORNALISMO PÚBLICO EM RÁDIO


Carregar ppt "JORNALISMO PÚBLICO EM RÁDIO EUA - primeira "estação-estúdio" de radiodifusão. RÁDIO no Mundo 1916 Primeiro programa de rádio -> Conferências, música."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google