A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras – ANS São Paulo-

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras – ANS São Paulo-"— Transcrição da apresentação:

1 Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras – ANS São Paulo- Julho /Agosto de 2006

2 2 Pilares da Saúde Suplementar SAÚDE SUPLEMENTAR QUALIDADEASSISTENCIAL CONTRIBUIÇÕESESPONTÂNEAS

3 3 Pilares da Saúde Suplementar SAÚDE SUPLEMENTAR QUALIDADEASSISTENCIAL CONTRIBUIÇÕESESPONTÂNEAS Mutalismo Fluxo Financeiro Favorável Produto Controlado

4 4 O Funcionamento Financeiro das Operadoras de Planos de Saúde (Mutualismo) Beneficiários Carteira Receitas $$$$ Fatores Percepção de qualidade Cenário macro econômico Renda per Capita Formalidade na Economia

5 5 O Funcionamento Financeiro das Operadoras de Planos de Saúde (Mutualismo) Beneficiários Poucos beneficiários com muita utilização Carteira Receitas $$$$ Fatores Percepção de qualidade Cenário macro econômico Renda per Capita Formalidade na Economia Pacientes Despesas $$$ Fatores Cobertura Acesso Incorporação Tecnológica Envelhecimento da População Regulamentação Judiciário A despesa sempre tem de ser menor que a Receita

6 6 PAGAMENTOS= DA RECEBIMENTOS Tempo CICLO FINANCEIRO FAVORÁVEL RECEBIMENTOS PAGAMENTOS= DA PAGAMENTOS= DA + Desp. Assist. Resultado Financeiro Acumulado = 1,7 x Fat. O Ciclo Financeiro Favorável da Saúde Suplementar 1º Mês2º Mês3º Mês Encerramento das Atividades Mês N Mês N+1 Desp. Assist Desp. Assist Oculta

7 7 O Quebra-Cabeça da Saúde Suplementar LEI9661 JudiciárioCDC Plano Real LEI9656 CONSTITUIÇÃO1988 REGULAMEN TAÇÃO

8 8 Regulação Conceitos Básicos Contratos JustosContratos Justos Cumprimento dos ContratosCumprimento dos Contratos Visão econômica prudencialVisão econômica prudencial Pré pagamento, lida com economia popular Pré pagamento, lida com economia popular Contrato de trato contínuo Contrato de trato contínuo Lógica mutualista de financiamento – longo prazo Lógica mutualista de financiamento – longo prazo Risco sistêmico- curto prazo Risco sistêmico- curto prazo Conceitos Básicos Contratos JustosContratos Justos Cumprimento dos ContratosCumprimento dos Contratos Visão econômica prudencialVisão econômica prudencial Pré pagamento, lida com economia popular Pré pagamento, lida com economia popular Contrato de trato contínuo Contrato de trato contínuo Lógica mutualista de financiamento – longo prazo Lógica mutualista de financiamento – longo prazo Risco sistêmico- curto prazo Risco sistêmico- curto prazo

9 9 Risco de Insolvência Sobrecarga do Sistema Público Risco Sistêmico Hospitais/Laboratórios Concentração Necessidade de Defesa da Concorrência Beneficiário Risco de ficar sem assistência Efeitos Potenciais da Insolvência de Operadoras

10 10 População mais informada e exigente Envelhecimento da população Exigência de uma gestão cada vez mais profissional. Incorporação vertiginosa de novas tecnologias. Custos ascendentes assistenciais e regulatórios. Financiamento sob pressão. Falta de recursos. Conflitos entre os componentes do Setor. Interferência crescente do Judiciário Alternativas Cenário da Saúde Suplementar no Brasil

11

12 12 ConsumidorOperadoraPrestadorPaciente ANS – Novos Focos

13 13 Market Design x Regulação Market Design Consiste dos mecanismos que organizam os atos de compra e venda;canais de fluxo de informação;leis e regulamentos que são estabelecidos pelo estado que definem os direitos de propriedades e garantem o cumprimento dos contratos O design do mercado não controla o que ocorre no mercado (liberdade de decisão é fundamental!),mas dá forma e suporte às transações que ocorrem no mercado. O design do mercado é uma moldura que estabelece limites ao que é possível.

14 14 Ações da ANS em função do Cenário Segurança Econômica e Financeira. Análise padronizada dos dados econômico financeiros de 100% das Operadoras Criação de um Modelo de Solvência para Operadoras Visitas Técnicas Interação com o Judiciário Criação de um modelo de análise de solvência Autorização de Funcionamento

15 15 Saneamento do Mercado - Registros Cancelados Fonte: Cadastro de Operadoras – dezembro/2005

16 16 Ações da ANS em função do Cenário Qualidade Assistencial Racionalização da Incorporação Tecnológica Qualificação Objetiva dos Médicos e Prestadores

17 17 Ações da ANS em função do Cenário Desenvolvimento da Responsabilidade Social Questionário Balanço Social do Setor Manual Preliminar Criação da Rede de Responsabilidade Social na Saúde Suplementar

18 Resultados

19 19 Operadoras Médico-Hospitalares BRASIL Fonte: DIOPS (em 20/03/2006), Cadastro de Beneficiários (Dez/2005), IBGE, FIPE Concentração Beneficiários e Operadoras Variação de Preços Índice CombinadoCobertura

20 20 Índice Liquidez Corrente – Brasil Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

21 21 Índice Liquidez Corrente – Região Sudeste Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

22 22 Índice Combinado – Brasil Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

23 23 Índice Combinado – Região Sudeste Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

24 24 Índice de Despesa Assistencial – Brasil Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

25 25 Índice de Despesa Assistencial – Região Sudeste Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

26 26 Índice de Despesa Administrativa – Brasil Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

27 27 Índice de Despesa Administrativa – Região Sudeste Fonte: Cadastro de Operadoras; DIOPS/FIP

28 28 Questões Prementes do Sistema  Autorização de Funcionamento – Garantias Financeiras  Atualização dos Normativos  Regulamentação do Segmento Autogestão.

29 29 Monitoramento das Garantias Financeiras

30 30 Monitoramento das Garantias Financeiras – RDC77

31 31 Monitoramento das Garantias Financeiras/ Potencial de Ativos Garantidores Potencial de Ativos Garantidores Ativos x Exigências ModalidadeAtivos TOTAL ADMIN AUTOG COOPM COOPO FILAN MEGRP ODGRP Total Global ModalidadeCobertura Ativos Exigida ADMIN AUTOG COOPM COOPO FILAN MEGRP ODGRP Total Global Premissas de Cobertura: 90% Imóveis Hospitalares 30% Imóveis Não-Hospitalares 80% Renda Fixa 40% Renda Variável (Grande Porte) 30% Renda Variável (Médio Porte) 80% Longo Prazo

32 32 Grandes Questões  Definição das “práticas anti concorrenciais”  Discussão da Portabilidade de Carências  Discussão do Pacto Intergeracional e o questão do Idoso  Formas de mitigar os riscos sistêmicos deste mercado  Formas de aperfeiçoamento gerencial que consigam diminuir o preço aumentando o acesso mantendo a qualidade assistencial.

33 33 A Dinâmica de um Futuro Previsível – População IBGE

34 34 And hospital use increases with age Rate per 1,000 population

35 35 A concentração do risco

36 36 Um mercado só funciona bem quando informação flui livremente, Tem que haver mecanismos para assegurar que a informação é confiável. Uma assimetria na informação limita as negociações Os mercados só funcionam direito quando as pessoas podem confiar umas nas outras. Isso não ocorre naturalmente. Garantias são formas de assegurar que não há informação escondida. As pessoas tendem a não transacionar se não há garantias de que as promessas serão mantidas. “quando as coisas funcionam bem existe um mercado bem desenhado por trás” Crenças

37 Contatos:


Carregar ppt "Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Oficinas da ANS- Visões da DIOPE Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras – ANS São Paulo-"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google