A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETO Estudos, pesquisas e interações regionais para a qualificação da saúde suplementar – projetos de investigação e atuação. SUB-PROJETO Cenários da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETO Estudos, pesquisas e interações regionais para a qualificação da saúde suplementar – projetos de investigação e atuação. SUB-PROJETO Cenários da."— Transcrição da apresentação:

1 PROJETO Estudos, pesquisas e interações regionais para a qualificação da saúde suplementar – projetos de investigação e atuação. SUB-PROJETO Cenários da saúde suplementar na Região Sul do Brasil: inventário e análise de situação da regulação, cobertura assistencial e dinâmica de atores com maior atuação subsetorial; Núcleo Sul da Rede de Centros Colaboradores da ANS Rio de Janeiro, maio de 2007.

2 A organização das instituições: Coordenação geral do sub-projeto:Coordenação geral do sub-projeto: NEPESC/UCS;NEPESC/UCS; Coordenação das atividades de campo:Coordenação das atividades de campo: UCS (RS e mídia);UCS (RS e mídia); UFSC (SC);UFSC (SC); UFPR (PR).UFPR (PR). Organização em redes colaborativas: trabalho integrado, oficinas e troca intensiva de comunicações.Organização em redes colaborativas: trabalho integrado, oficinas e troca intensiva de comunicações.

3 Objetivo geral: Analisar o cenário da Saúde Suplementar na Região Sul do Brasil no que se refere aos mecanismos e fluxos de regulação, à oferta e cobertura assistenciais em linhas de cuidado selecionadas e à dinâmica de atores com maior atuação nesse cenário, no âmbito da política de Centros Colaboradores da ANS e da proposta de redes colaborativas do Núcleo Sul.Analisar o cenário da Saúde Suplementar na Região Sul do Brasil no que se refere aos mecanismos e fluxos de regulação, à oferta e cobertura assistenciais em linhas de cuidado selecionadas e à dinâmica de atores com maior atuação nesse cenário, no âmbito da política de Centros Colaboradores da ANS e da proposta de redes colaborativas do Núcleo Sul.

4 Objetivos específicos: Inventariar e analisar os mecanismos e fluxos de regulação que são utilizados pelas operadoras de Planos e Seguros Privados de Saúde;Inventariar e analisar os mecanismos e fluxos de regulação que são utilizados pelas operadoras de Planos e Seguros Privados de Saúde; Inventariar e analisar a oferta assistencial na saúde suplementar em linhas de cuidado selecionadas na perspectiva da integralidade da atenção;Inventariar e analisar a oferta assistencial na saúde suplementar em linhas de cuidado selecionadas na perspectiva da integralidade da atenção; Inventariar e analisar a atuação de atores e a sua dinâmica de intervenção no cenário da saúde suplementar;Inventariar e analisar a atuação de atores e a sua dinâmica de intervenção no cenário da saúde suplementar; Desenvolver atividades de pesquisa em redes colaborativas no Núcleo Sul da Rede de Centros Colaboradores da ANS;Desenvolver atividades de pesquisa em redes colaborativas no Núcleo Sul da Rede de Centros Colaboradores da ANS; Desenvolver e implantar capacidade local de pesquisa em Saúde Suplementar nas instituições participantes.Desenvolver e implantar capacidade local de pesquisa em Saúde Suplementar nas instituições participantes.

5 Análise do cenário: Operadoras Prestadores Beneficiários MICRORREGULAÇÃO MACRORREGULAÇÃO ANSANS FONTE: adaptado de ANS, CENÁRIO MACRORREGULAÇÃO MICRORREGULAÇÃO Serviços Usuários Trabalhadores Gestão Mídia

6 GRÁFICO 1 – Comparativo de percentuais de cobertura populacional por operadoras de planos e seguros privados de saúde no Brasil, Região Sul e Estados, junho de FONTE: dados ANS e projeções do Senso Populacional.

7 GRÁFICO 2 – Comparativo de cobertura populacional por modalidade de operadoras de planos e seguros privados de saúde na Região Sul e Estados, junho de FONTE: dados ANS e projeções do Senso Populacional.

8 Metodologia: Eixo 1: inventário e análise dos mecanismos e fluxos de regulação da atuação dos prestadores utilizados pelas operadoras de Planos e Seguros Privados de Saúde para inventariar os principais mecanismos regulatórios da atuação dos prestadores de serviço utilizados.Eixo 1: inventário e análise dos mecanismos e fluxos de regulação da atuação dos prestadores utilizados pelas operadoras de Planos e Seguros Privados de Saúde para inventariar os principais mecanismos regulatórios da atuação dos prestadores de serviço utilizados. Eixo 2: inventário e análise da oferta assistencial na Saúde Suplementar em linhas de cuidado selecionadas (cardiologia, oncologia, gineco-obstetrícia e pediatria) na perspectiva da integralidade da atenção para analisar a oferta assistencial a partir da perspectiva da integralidade da atenção.Eixo 2: inventário e análise da oferta assistencial na Saúde Suplementar em linhas de cuidado selecionadas (cardiologia, oncologia, gineco-obstetrícia e pediatria) na perspectiva da integralidade da atenção para analisar a oferta assistencial a partir da perspectiva da integralidade da atenção. Eixo 3: Inventário e análise da atuação de atores e a sua dinâmica de intervenção no cenário da Saúde Suplementar.Eixo 3: Inventário e análise da atuação de atores e a sua dinâmica de intervenção no cenário da Saúde Suplementar.

9 Operadoras e prestadores: Fontes:Fontes: Dados secundários;Dados secundários; Bases de dados secundários;Bases de dados secundários; Documentos.Documentos. Dados primários:Dados primários: 12 operadoras (Autogestão, Cooperativa Medica, Filantropia): Direção geral, Direção Administrativa e Direção Assistencial.12 operadoras (Autogestão, Cooperativa Medica, Filantropia): Direção geral, Direção Administrativa e Direção Assistencial. 60 prestadores: hospital, cardiologista, oncologista, pediatria e gineco-obstetrícia.60 prestadores: hospital, cardiologista, oncologista, pediatria e gineco-obstetrícia.

10 Dinâmica de atores no cenário: Fontes (com tiragem submetida ao IVC) :Fontes (com tiragem submetida ao IVC) : Grupo 1: O3 jornais de circulação nacional com grande circulação na Região Sul (FSP, ESP, VE);Grupo 1: O3 jornais de circulação nacional com grande circulação na Região Sul (FSP, ESP, VE); Grupo 2: 03 revistas de circulação nacional com grande circulação na Região Sul (Veja, Época, Isto É);Grupo 2: 03 revistas de circulação nacional com grande circulação na Região Sul (Veja, Época, Isto É); Grupo 3: 08 jornais com circulação regional (PR: Gazeta do Povo, Tribuna do Paraná, Diário Popular; RS: Correio do Povo, Zero Hora, Jornal do Comércio; SC: Diário Catarinense, O Estado).Grupo 3: 08 jornais com circulação regional (PR: Gazeta do Povo, Tribuna do Paraná, Diário Popular; RS: Correio do Povo, Zero Hora, Jornal do Comércio; SC: Diário Catarinense, O Estado). Período: Ano de 2006.Período: Ano de 2006.

11 Mecanismos de regulação/ofertas: Natureza dos serviços:Natureza dos serviços: Na assistência hospitalar:Na assistência hospitalar: Credenciados: 75%Credenciados: 75% Próprios: 25%Próprios: 25% Na assistência ambulatorial:Na assistência ambulatorial: Próprios: 46%Próprios: 46% Credenciados: 36%Credenciados: 36% Livre escolha: 18%Livre escolha: 18%

12 Mecanismos de regulação/ofertas: Autorização prévia26,67 Porta de entrada20,00 Co-participação20,00 Direcionamento13,33 Fator moderador13,33 Hierarquização6,67 Total100,00 TABELA: Mecanismos de regulação de acesso utilizados segundo a freqüência FONTE: dados primários da pesquisa

13 Mecanismos de regulação/ofertas: Autorização prévia36,36 Liberação conforme solicitação médica27,27 Co-pagamento27,27 Protocolo9,09 Auditoria médica0,00 Total100,00 Fonte: Dados preliminares da pesquisa TABELA: Mecanismos de regulação de acesso utilizados para ressonância magnética segundo a freqüência

14 Mecanismos de regulação/ofertas: Utilização de protocolos clínicos: 60% das operadoras. TABELA: Importância atribuída ao protocolo clínico: Orientação da conduta médica36,36 Definição da autorização de procedimentos27,27 Definição da autorização do número de procedimentos9,09 Definição do referenciamento do beneficiário27,27 Total100,00 Fonte: Dados preliminares da pesquisa

15 Mecanismos de regulação/ofertas: Oferta de ações de promoção e prevenção: 40% das operadoras. TABELA: Freqüência na oferta de grupos segundo a clientela: Grupos de promoção e prevenção à saúdeSim (%) Hipertensão arterial19,23 Idosos15,38 Pré-natal15,38 Outros15,38 Puericultura11,54 Diabetes11,54 Adolescentes7,69 Oncologia3,85 Total100,00 Fonte: Dados preliminares da pesquisa

16 Saúde Suplementar na mídia: A inserção da Saúde Suplementar é expressivamente mais freqüente na Região Sul:A inserção da Saúde Suplementar é expressivamente mais freqüente na Região Sul: Total de 0,05 inserções/dia nos jornais de circulação nacional e 1,43 nos jornais de circulação regional (exceto publicidade indireta).Total de 0,05 inserções/dia nos jornais de circulação nacional e 1,43 nos jornais de circulação regional (exceto publicidade indireta). Estratégia de ampliação do mercado ou dependência de venda de espaços na mídia regional?Estratégia de ampliação do mercado ou dependência de venda de espaços na mídia regional?

17 Atores com maior protagonismo na mídia: Operadoras de Planos e Seguros Privados de Saúde;Operadoras de Planos e Seguros Privados de Saúde; Órgãos governamentais:Órgãos governamentais: ANS;ANS; Prestadores de serviços de saúde:Prestadores de serviços de saúde: Instituições (hospitais e/ou ambulatórios especializados);Instituições (hospitais e/ou ambulatórios especializados); Profissionais médicos.Profissionais médicos. Usuários:Usuários: Empresas;Empresas; Indivíduos e/ou entidades associativas.Indivíduos e/ou entidades associativas.

18 Estratégias de divulgação: Anúncios publicitários:Anúncios publicitários: Diretos;Diretos; Indiretos (editoriais de esporte);Indiretos (editoriais de esporte); Publicações legais;Publicações legais; Notícias:Notícias: Tendência à fonte única (a operadora).Tendência à fonte única (a operadora). Crescente o uso de “a pedidos” com informes de operadoras e/ou de prestadores.Crescente o uso de “a pedidos” com informes de operadoras e/ou de prestadores.

19 Conteúdos predominantes: Divulgação da marca da instituição;Divulgação da marca da instituição; Oferta de serviços e/ou divulgação dos serviços ofertados;Oferta de serviços e/ou divulgação dos serviços ofertados; Políticas de regulação (ANS e as próprias operadoras).Políticas de regulação (ANS e as próprias operadoras).

20 Enunciados predominantes: “Consumo” da Saúde Suplementar e status:“Consumo” da Saúde Suplementar e status: Sucesso pessoal;Sucesso pessoal; Direito de escolha do profissional/serviço;Direito de escolha do profissional/serviço; Comodidade de acesso a procedimentos;Comodidade de acesso a procedimentos; Conforto para a realização de procedimentos.Conforto para a realização de procedimentos. Saúde Suplementar e resolutividade:Saúde Suplementar e resolutividade: Satisfação do profissional que atende;Satisfação do profissional que atende; Confiabilidade nos serviços e/ou profissionais;Confiabilidade nos serviços e/ou profissionais; Saúde física (práticas corporais).Saúde física (práticas corporais).

21 Enunciados predominantes (2) : Natureza das tecnologias ofertadas:Natureza das tecnologias ofertadas: Predomínio de tecnologias duras, mas oferta crescente de tecnologias leve-duras e leves (normalmente atributos pessoais do profissional);Predomínio de tecnologias duras, mas oferta crescente de tecnologias leve-duras e leves (normalmente atributos pessoais do profissional); Organização dos processos de trabalho:Organização dos processos de trabalho: Especialização;Especialização; Equipes (estereótipos);Equipes (estereótipos); Novos arranjos assistenciais (assistência domiciliar, saúde da família);Novos arranjos assistenciais (assistência domiciliar, saúde da família); Novas abordagens (prevenção de doenças e promoção da saúde).Novas abordagens (prevenção de doenças e promoção da saúde).

22 Enunciados predominantes (3) : Tensão entre a racionalidade médica hegemônica e a oferta assistencial na Saúde Suplementar (trabalho em equipe, ampliação da atenção);Tensão entre a racionalidade médica hegemônica e a oferta assistencial na Saúde Suplementar (trabalho em equipe, ampliação da atenção); Tensão entre consumo de procedimentos e custo da assistência;Tensão entre consumo de procedimentos e custo da assistência; Tensão entre políticas e ofertas do componente público do sistema de saúde e da saúde suplementar: humanização, acolhimento, integralidade...Tensão entre políticas e ofertas do componente público do sistema de saúde e da saúde suplementar: humanização, acolhimento, integralidade...

23 Algumas conclusões transversais: Cultura nas operadoras e prestadores de dificuldade de oferecer o cotidiano à análise externa:Cultura nas operadoras e prestadores de dificuldade de oferecer o cotidiano à análise externa: Recusa;Recusa; Tempo de “análise” das solicitações.Tempo de “análise” das solicitações. Efeitos da política de qualificação da Saúde Suplementar:Efeitos da política de qualificação da Saúde Suplementar: Reconhecimento da ANS como órgão regulador pelas operadoras e, em menor intensidade, pelos prestadores;Reconhecimento da ANS como órgão regulador pelas operadoras e, em menor intensidade, pelos prestadores; Movimento da assistência em direção à integralidade (diversificação das ofertas, em particular de menor custo e sofisticação tecnológica);Movimento da assistência em direção à integralidade (diversificação das ofertas, em particular de menor custo e sofisticação tecnológica); Constituição de outros padrões para a qualidade da saúde.Constituição de outros padrões para a qualidade da saúde.

24 Algumas conclusões transversais: Predomínio da lógica da oferta de “bens de consumo médico” (Luz, 1991) sobre a integralidade do cuidado;Predomínio da lógica da oferta de “bens de consumo médico” (Luz, 1991) sobre a integralidade do cuidado; Protagonismo no Cenário:Protagonismo no Cenário: Alto das operadoras:Alto das operadoras: Resposta à dinâmica do mercado e à mudança no imaginário da saúde.Resposta à dinâmica do mercado e à mudança no imaginário da saúde. Alto da ANS:Alto da ANS: Diálogo importante com operadoras e com beneficiários;Diálogo importante com operadoras e com beneficiários; Baixo dos beneficiários (consumidores).Baixo dos beneficiários (consumidores).

25 Algumas conclusões transversais: Importância de mixar os três componentes do projeto.Importância de mixar os três componentes do projeto. Desafio de ampliar o escopo da análise:Desafio de ampliar o escopo da análise: Ampliando a diversidade da amostra;Ampliando a diversidade da amostra; Aprofundando a análise da gestão da comunicação;Aprofundando a análise da gestão da comunicação; Comparando com outras regiões.Comparando com outras regiões. Importância do projeto na implementação de capacidades de pesquisa;Importância do projeto na implementação de capacidades de pesquisa; Institucionalização, “efeito multiplicador” e parcerias na rede científica.Institucionalização, “efeito multiplicador” e parcerias na rede científica.

26 + Com a Saúde Suplementar regulada


Carregar ppt "PROJETO Estudos, pesquisas e interações regionais para a qualificação da saúde suplementar – projetos de investigação e atuação. SUB-PROJETO Cenários da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google