A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXATIDÃO COMPONENTES DA EXATIDÃO VALIDADE REPRODUTIBILIDADE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXATIDÃO COMPONENTES DA EXATIDÃO VALIDADE REPRODUTIBILIDADE."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 EXATIDÃO COMPONENTES DA EXATIDÃO VALIDADE REPRODUTIBILIDADE

4 VALIDADE SENSIBILIDADE ESPECIFICIDADE

5 VALIDADE SENSIBILIDADE ESPECIFICIDADE REPRODUTIBILIDADE ÍNDICE KAPPA COEFICIENTE DE CORRELAÇÃO INTRACLASSE

6 A SENSIBILIDADE E A ESPECIFICIDADE DE UM EXAME SÃO DETERMINADAS USANDO COMO REFERÊNCIA UM PADRÃO-OURO

7 A SENSIBILIDADE E A ESPECIFICIDADE DE UM EXAME SÃO DETERMINADAS USANDO COMO REFERÊNCIA UM PADRÃO-OURO PADRÃO-OURO = CERTEZA DIAGNÓSTICA

8 A SENSIBILIDADE E A ESPECIFICIDADE DE UM EXAME SÃO DETERMINADAS USANDO COMO REFERÊNCIA UM PADRÃO-OURO EM ESTUDO ESPECIALMENTE PLANEJADO PARA ESSE FIM

9 A SENSIBILIDADE E A ESPECIFICIDADE DE UM EXAME SÃO DETERMINADAS USANDO COMO REFERÊNCIA UM PADRÃO-OURO EM ESTUDO ESPECIALMENTE PLANEJADO PARA ESSE FIM SE CONCORDAR EM PARTICIPAR, O PARTICIPANTE DEVERÁ SUBMETER-SE AOS DOIS EXAMES

10 A SENSIBILIDADE E A ESPECIFICIDADE DE UM EXAME SÃO DETERMINADAS USANDO COMO REFERÊNCIA UM PADRÃO-OURO EM ESTUDO ESPECIALMENTE PLANEJADO PARA ESSE FIM E A INTERPRETAÇÃO DOS EXAMES DEVERÁ SER FEITA DE FORMA MASCARADA

11 A SENSIBILIDADE E A ESPECIFICIDADE DE UM EXAME SÃO DETERMINADAS USANDO COMO REFERÊNCIA UM PADRÃO-OURO EM ESTUDO ESPECIALMENTE PLANEJADO PARA ESSE FIM E A INTERPRETAÇÃO DOS EXAMES DEVERÁ SER FEITA DE FORMA MASCARADA QUEM INTERPRETA UM EXAME NÃO PODE SABER O RESULTADO DO OUTRO, E VICE-VERSA

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23 SENSIBILIDADE

24 Sensibilidade =PV / Doentes

25 SENSIBILIDADE Sensibilidade =PV / Doentes ESPECIFICIDADE

26 SENSIBILIDADE Sensibilidade =PV / Doentes ESPECIFICIDADE Especificidade =NV / Não doentes

27 Sensibilidade e especificidade são calculadas em colunas diferentes

28 Sensibilidade e especificidade são calculadas em colunas diferentes ISTO QUER DIZER QUE

29 Sensibilidade e especificidade são calculadas em colunas diferentes ISTO QUER DIZER QUE o cálculo da sensibilidade nada tem a ver com o cálculo da especificidade

30 Sensibilidade e especificidade são calculadas em colunas diferentes ISTO QUER DIZER QUE o cálculo da sensibilidade nada tem a ver com o cálculo da especificidade MAS...

31 QUANDO UM EXAME NÃO É 100% ACURADO

32 AUMENTO NA SENSIBILIDADE

33 QUANDO UM EXAME NÃO É 100% ACURADO AUMENTO NA SENSIBILIDADE ACARRETA DIMUNIÇÃO NA ESPECIFICIDADE

34 QUANDO UM EXAME NÃO É 100% ACURADO AUMENTO NA SENSIBILIDADE ACARRETA DIMUNIÇÃO NA ESPECIFICIDADE E VICE-VERSA

35 % Valores crescentes de glicemia de jejum NÃO DOENTESDOENTES

36 % Glicemia NÃO DOENTES

37 % ponto de corte NÃO DOENTES Glicemia

38 % Testes positivosTestes negativos ponto de corte NÃO DOENTES Glicemia

39 % Testes positivosTestes negativos ponto de corte NÃO DOENTES 100 Glicemia

40 % Testes positivos NÃO DOENTES 100 Glicemia

41 % Testes positivos FALSOS POSITIVOS NÃO DOENTES 100 Glicemia

42 % Testes negativos NÃO DOENTES 100 Glicemia

43 % Testes negativos FALSOS NEGATIVOS NÃO DOENTES 100 Glicemia

44 % Testes negativosTestes positivos FPFN NÃO DOENTES 100 Glicemia

45 % Testes negativosTestes positivos FPFN PVNV NÃO DOENTES 100 Glicemia

46 % Testes negativosTestes positivos FPFN PVNV NÃO DOENTES 100 Glicemia

47 % Testes negativosTestes positivos FPFN PVNV NÃO DOENTES 100 Glicemia

48 % ponto de corte NÃO DOENTES 100 Glicemia

49 % ponto de corte NÃO DOENTES Glicemia

50 % ponto de corte NÃO DOENTES 60 Glicemia

51 % Testes positivosTestes negativos NÃO DOENTES 60 Glicemia

52 % Testes positivosTestes negativos  Sensibilidade NÃO DOENTES 60 Glicemia

53 % Testes positivosTestes negativos FP  Sensibilidade NÃO DOENTES 60 Glicemia

54 % Testes positivosTestes negativos FP  Sensibilidade NÃO DOENTES 60  Especificidade Glicemia

55 % ponto de corte NÃO DOENTES Glicemia

56 % ponto de corte NÃO DOENTES 140 Glicemia

57 % NÃO DOENTES 140 Testes positivosTestes negativos Glicemia

58 % NÃO DOENTES 140 Testes positivosTestes negativos  Especificidade

59 % NÃO DOENTES 140 Testes positivosTestes negativos FN  Especificidade

60 % Testes negativos FN  Sensibilidade NÃO DOENTES 140 Testes positivos  Especificidade

61 A curva ROC (Receiver Operating Characteristic curve) é a plotagem da sensibilidade e da especificidade em diferentes pontos de corte do teste diagnóstico.

62 Sensibilidade 0 100

63 Sensibilidade Especificidade

64 Sensibilidade Especificidade Proporção de falsos-positivos

65 Sensibilidade Especificidade

66 Sensibilidade Especificidade TESTE PERFEITO

67 Sensibilidade Especificidade TESTE PERFEITO TESTE SEM NENHUM PODER DISCRIMINATÓRIO

68

69

70

71

72

73

74 PÁGINA 72

75

76

77 Subformas do CKMB CKMB total 1 - especificidade Sensibilidade Área subformas = 0,948 Área CKMB total = 0,778 Puleo PR, Meyer D, Wathen C, et al. - Use of a rapid assay of subforms of creatine kinase-MB to diagnose or rule out acute myocardial infarction. N Engl J Med 1994;331(9):561-6.

78 Marcopito LF - Roll-over test in primigravidae attending a public primary care service. Rev Paul Med. 1997;115: Sensibilidade Especificidade

79 Mais de um exame

80 Exames interpretados EM PARALELO

81 Exame AExame BInterpretação

82 Exames interpretados EM PARALELO Exame AExame BInterpretação ++ Positivo

83 Exames interpretados EM PARALELO Exame AExame BInterpretação ++ Positivo +-

84 Exames interpretados EM PARALELO Exame AExame BInterpretação ++ Positivo +- -+

85 Exames interpretados EM PARALELO Exame AExame BInterpretação ++ Positivo Negativo

86 Exames interpretados EM PARALELO A U M E N T A M a SENSIBILIDADE

87 % Testes positivosTestes negativos ponto de corte FP  Sensibilidade NÃO DOENTES  Especificidade

88

89 Exames interpretados EM PARALELO A U M E N T A M a SENSIBILIDADE

90 Exames interpretados EM PARALELO A U M E N T A M a SENSIBILIDADE mas aumentam também a proporção de FALSOS-POSITIVOS

91 Exames interpretados EM PARALELO A U M E N T A M a SENSIBILIDADE mas aumentam também a proporção de FALSOS-POSITIVOS pela diminuição na ESPECIFICIDADE

92 Exames aplicados EM SÉRIE A U M E N T A M a ESPECIFICIDADE

93 % Testes positivosTestes negativos ponto de corte  Especificidade FN  Sensibilidade NÃO DOENTES

94 Exames aplicados EM SÉRIE A U M E N T A M a ESPECIFICIDADE

95 Exames aplicados EM SÉRIE A U M E N T A M a ESPECIFICIDADE e diminuem a proporção de FALSOS-POSITIVOS.

96 Atualmente, no diagnóstico de infecção pelo HIV,

97 se o Elisa for positivo (ou duvidoso),

98 Atualmente, no diagnóstico de infecção pelo HIV, se o Elisa for positivo (ou duvidoso), o Western Blot é aplicado EM SÉRIE.

99 Rastreamento do câncer da próstata

100

101

102

103

104

105 Valores preditivos

106 SENSIBILIDADE Sensibilidade =PV / Doentes ESPECIFICIDADE Especificidade =NV / Não doentes

107

108

109 Um resultado positivo é positivo verdadeiro ou é falso positivo ?

110 Valor preditivo de um teste positivo ou Valor Preditivo Positivo ou VPP

111 Valor preditivo de um teste positivo ou Valor Preditivo Positivo ou VPP

112 VPP =PV / Positivos Valor preditivo de um teste positivo ou Valor Preditivo Positivo ou VPP

113 VPP =PV / Positivos VPP é a probabilidade de existir doença se o resultado do teste foi positivo VPP

114 Um resultado negativo é negativo verdadeiro ou é falso negativo ?

115 Valor preditivo de um teste negativo ou Valor Preditivo Negativo ou VPN

116 Valor preditivo de um teste negativo ou Valor Preditivo Negativo ou VPN

117 VPN =NV / Negativos Valor preditivo de um teste negativo ou Valor Preditivo Negativo ou VPN

118 VPN é a probabilidade de não existir doença se o resultado do teste foi negativo VPN VPN =NV / Negativos

119 VPN VPN =NV / Negativos VPP =PV / Positivos VPP Valores preditivos

120 VPN VPP SENSIBILIDADEESPECIFICIDADE

121 Um exame é muitíssimo específico. Explique isso a um leigo, com pouquíssimas palavras.

122 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

123 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

124 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

125

126 SE UM EXAME TEM 100% DE ESPECIFICIDADE, NÃO HÁ RESULTADOS FALSOS-POSITIVOS !

127 SE UM EXAME TEM 100% DE ESPECIFICIDADE, NÃO HÁ RESULTADOS FALSOS-POSITIVOS ! VPP =100%

128 Um exame é muitíssimo sensível. Explique isso a um leigo, com pouquíssimas palavras.

129 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

130 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

131 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

132

133 SE UM EXAME TEM 100% DE SENSIBILIDADE, NÃO HÁ RESULTADOS FALSOS-NEGATIVOS !

134 SE UM EXAME TEM 100% DE SENSIBILIDADE, NÃO HÁ RESULTADOS FALSOS-NEGATIVOS ! VPN =100%

135

136 PROBLEMA FICTÍCIO: Existe um “padrão-ouro” para o diagnóstico da doença xisnigma, mas este é caríssimo e invasivo. A dosagem de enfermina salivar, teste de custo irrisório e não-invasivo, mostrou sensibilidade de 95% e especificidade de 90% quando aplicado em adultos, num estudo milionário, tendo esse “padrão-ouro” como “certeza diagnóstica”. O teste da enfermina salivar foi então aplicado em toda a população adulta do município de Cariapoaçu, que somava 10 mil pessoas, resultando em exames positivos. Qual a verdadeira prevalência de xisnigma na população adulta de Cariapoaçu ? PÁGINA 76

137 PROBLEMA FICTÍCIO: Existe um “padrão-ouro” para o diagnóstico da doença xisnigma, mas este é caríssimo e invasivo. A dosagem de enfermina salivar, teste de custo irrisório e não-invasivo, mostrou sensibilidade de 95% e especificidade de 90% quando aplicado em adultos, num estudo milionário, tendo esse “padrão-ouro” como “certeza diagnóstica”. O teste da enfermina salivar foi então aplicado em toda a população adulta do município de Cariapoaçu, que somava 10 mil pessoas, resultando em exames positivos. Qual a verdadeira prevalência de xisnigma na população adulta de Cariapoaçu ? PÁGINA 76

138 PROBLEMA FICTÍCIO: Existe um “padrão-ouro” para o diagnóstico da doença xisnigma, mas este é caríssimo e invasivo. A dosagem de enfermina salivar, teste de custo irrisório e não-invasivo, mostrou sensibilidade de 95% e especificidade de 90% quando aplicado em adultos, num estudo milionário, tendo esse “padrão-ouro” como “certeza diagnóstica”. O teste da enfermina salivar foi então aplicado em toda a população adulta do município de Cariapoaçu, que somava 10 mil pessoas, resultando em exames positivos. Qual a verdadeira prevalência de xisnigma na população adulta de Cariapoaçu ? PÁGINA 76

139 PROBLEMA FICTÍCIO: Existe um “padrão-ouro” para o diagnóstico da doença xisnigma, mas este é caríssimo e invasivo. A dosagem de enfermina salivar, teste de custo irrisório e não-invasivo, mostrou sensibilidade de 95% e especificidade de 90% quando aplicado em adultos, num estudo milionário, tendo esse “padrão-ouro” como “certeza diagnóstica”. O teste da enfermina salivar foi então aplicado em toda a população adulta do município de Cariapoaçu, que somava 10 mil pessoas, resultando em exames positivos. Qual a verdadeira prevalência de xisnigma na população adulta de Cariapoaçu ? PÁGINA 76

140 Doentes Prevalência = ——————— = ? Total

141 NÃO TENTE RESOLVER UM PROBLEMA SOBRE TESTE DIAGNÓSTICO SEM UMA TABELA 2x2 !

142

143

144

145

146

147 Sensibilidade = 0,95

148

149

150 0,90 = Especificidade

151

152

153

154 0,95x + 0,1( x) = 1.850

155 0,95x – 0,1x = 1.850

156 0,95x + 0,1( x) = ,95x – 0,1x = ,85x = 850

157 0,95x + 0,1( x) = ,95x – 0,1x = ,85x = 850 x = 1.000

158

159 Há resultados positivos,

160 mas há só doentes !

161 PÁGINA 78

162

163

164

165

166

167

168 Valor preditivo positivo (VPP) = 23 / 28 = 82%

169

170 Valor preditivo negativo (VPN) = 95 / 97 = 98%

171

172 Com base nessa evidência, você pediria a dosagem de NAG-urinária para os seus pacientes com HAS atendidos em uma clínica de atenção primária ?

173

174 Sensibilidade = 23 / 25 = 92%

175 Especificidade = 95 / 100 = 95%

176 Sensibilidade = 23 / 25 = 92% Especificidade = 95 / 100 = 95% Prevalência de doença renal = 25 / 125 = 20%

177 Qual a prevalência de hipertensão de origem renal em novos hipertensos numa clínica de atenção primária ?

178

179 20% de 5% = 1%

180 Prevalência de doença renal = 1%

181

182

183

184 Sensibilidade = 92%

185 Prevalência de doença renal = 1% Sensibilidade = 92%

186 Prevalência de doença renal = 1%

187 Especificidade = 95%

188 Prevalência de doença renal = 1% Especificidade = 95%

189 Prevalência de doença renal = 1%

190

191

192 Valor preditivo positivo (VPP) = 92 / 587 = 15,7%

193 Prevalência de doença renal = 1% Valor preditivo positivo (VPP) = 92 / 587 = 15,7% Valor preditivo negativo (VPN) = 9405 / 9413 = 99,9%

194 Esse exame com 92% de sensibilidade e 95% de especificidade,

195 Esse exame com 92% de sensibilidade e 95% de especificidade, Prevalência 20%

196 Esse exame com 95% de sensibilidade e 90% de especificidade, PrevalênciaVPP 20%82,1%

197 Esse exame com 95% de sensibilidade e 90% de especificidade, PrevalênciaVPPVPN 20%82,1%97,9%

198 Esse exame com 95% de sensibilidade e 90% de especificidade, PrevalênciaVPPVPN 20%82,1%97,9% 1%

199 Esse exame com 95% de sensibilidade e 90% de especificidade, PrevalênciaVPPVPN 20%82,1%97,9% 1%15,7%

200 Esse exame com 95% de sensibilidade e 90% de especificidade, PrevalênciaVPPVPN 20%82,1%97,9% 1%15,7%99,9%

201 Propriedades estáveis: Sensibilidade Especificidade Propriedades que variam com a prevalência da doença: Valor preditivo positivo Valor preditivo negativo Propriedades dos testes diagnósticos

202 Se o exame não for 100% acurado, os valores preditivos dependerão da prevalência da doença no grupo que está sendo examinado

203 PÁGINA 79

204

205

206 2,0%

207 98,0%

208 2,0% 98,0% Probabilidades pré-teste

209 2,0% 98,0%

210 2,0% 98,0% 20

211 2,0% 98,0% 20980

212 2,0% 98,0% 20980

213 2,0% 98,0%

214 2,0% 98,0%

215 2,0% 98,0%

216 2,0% 98,0%

217 2,0% 98,0%

218 2,0% 98,0%

219 2,0% 98,0%

220 2,0% 98,0% ,2%

221 2,0% 98,0% ,2% 99,9%

222 2,0% 98,0% ,2% 99,9% Probabilidades pós-teste

223 EXATIDÃO COMPONENTES DA EXATIDÃO VALIDADE REPRODUTIBILIDADE

224 Medidas de concordância na interpretação de testes diagnósticos

225 Medidas de concordância na interpretação de testes diagnósticos Reprodutibilidade = confiabilidade

226

227

228 Positivo

229 Negativo

230 PositivoNegativo

231 PositivoNegativo ?

232 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância observada Observada = (52+32) / 100 = 0,84

233 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância observada Observada = (52+32) / 100 = 0,84

234 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância observada Observada = (52+32) / 100 = 0,84

235 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância observada Observada = (52+32) / 100 = 0,84

236 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância observada Observada = (52+32) / 100 = 0,84

237 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância esperada por acaso Esperada = (36+16) / 100 = 0,52

238 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância esperada por acaso Esperada = (36+16) / 100 = 0,52

239

240 CÁLCULO DAS FREQÜÊNCIAS ESPERADAS NUMA TABELA 2 X 2 EM CASO DE NÃO-ASSOCIAÇÃO OU INDEPENDÊNCIA ENTRE AS VARIÁVEIS Admita 40% de exposição na amostra populacional e 10% de prevalência do evento de interesse: Doentes Não- Doentes Expostos a 40 Não expostos Qual seria o único valor de “a” (e só há 1 grau de liberdade na tabela 2 x 2) que resultaria em total independência entre exposição e efeito?

241 Uma solução: se 10% da amostra é doente, então não haveria associação se tanto 10% dos expostos fossem doentes como 10% dos não-expostos o fossem. Outra solução: se 40% da amostra é exposta, então não haveria associação se tanto 40% dos doentes fossem expostos como 40% dos não-doentes o fossem. Assim, “a” deveria valer ou 10% de 40 ou 40% de 10: Doentes Não- Doentes Expostos43640 Não expostos Note que “4” pode ser obtido por [(40 x 10) / 100] O mesmo vale para todas as outras caselas E assim:O.R. = [(4 x 54) / (36 x 6)] = 216 / 216 = 1,0 R.R. = [(4 / 40) / (6 / 60)] = 0,1 / 0,1 = 1,0

242 No caso de dois observadores que vão classificar dicotomicamente um mesmo conjunto de dados (positivo ou negativo), podemos admitir que haveria alguma concordância entre eles “por acaso”, mesmo se eles não tivessem tido um treinamento para essa classificação. A idéia é que se o observador 1 não estiver “associado” ao observador 2 (por um treinamento), ele classificará à sua maneira (dada pela sua classificação) tanto os classificados como negativos pelo observador 2 como os classificados como positivos pelo observador 2. O mesmo ocorreria com o observador 2. Observador 2 +- Obser- vador Observador 2 +- Obser- vador Resultados observadosResultados esperados por acaso

243 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância esperada por acaso Esperada = (36+16) / 100 = 0,52

244 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância esperada por acaso Esperada = (36+16) / 100 = 0,52

245 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância esperada por acaso Esperada = (36+16) / 100 = 0,52

246 PositivoNegativo Positivo Negativo Observador n o 1 Observador n o Concordância esperada por acaso Esperada = (36+16) / 100 = 0,52

247 Concordância observada - Concordância esperada kappa = ———————————————————————— 1 - (Concordância esperada) Para dados em categorias:

248 Concordância observada - Concordância esperada kappa = ———————————————————————— 1 - (Concordância esperada) Para dados em categorias: 0,84 – 0,520,32 kappa = —————— = ——— = 0,67 ou 67% 1 – 0,520,48

249 Concordância observada - Concordância esperada kappa = ———————————————————————— 1 - (Concordância esperada) Para dados em categorias: 0,84 – 0,520,32 kappa = —————— = ——— = 0,67 ou 67% 1 – 0,520,48

250 Concordância observada - Concordância esperada kappa = ———————————————————————— 1 - (Concordância esperada) Para dados em categorias: 0,84 – 0,520,32 kappa = —————— = ——— = 0,67 ou 67% 1 – 0,520,48

251 Concordância nula 0 Concordância completa 100

252 Concordância nula 0 Concordância completa 100 Concordância observada 84

253 Concordância nula 0 Concordância completa 100 Concordância observada Concordância esperada por acaso 52 84

254 Concordância nula 0 Concordância completa 100 Concordância observada Concordância esperada por acaso Potencial concordância além do acaso 52 84

255 Concordância nula 0 Concordância completa 100 Concordância observada Concordância esperada por acaso Potencial concordância além do acaso 52 84

256 Concordância nula 0 Concordância completa 100 Concordância observada Concordância esperada por acaso Potencial concordância além do acaso 52 84

257 KAPPA  0,75

258 KAPPAConcordância  0,75 Excelente

259 KAPPAConcordância  0,75 Excelente 0,50 – 0,74Boa

260 KAPPAConcordância  0,75 Excelente 0,50 – 0,74Boa 0,25 – 0,49Razoável

261 KAPPAConcordância  0,75 Excelente 0,50 – 0,74Boa 0,25 – 0,49Razoável < 0,25Ruim

262 Medida de concordância para variáveis numéricas: coeficiente de correlação intraclasse

263 Imagine que dois observadores, usando o mesmo estetoscópio especial com saída dupla em “Y”, registrassem ao mesmo tempo a pressão arterial sistólica (pas) de 10 diferentes pessoas.

264 Imagine que dois observadores, usando o mesmo estetoscópio especial com saída dupla em “Y”, registrassem ao mesmo tempo a pressão arterial sistólica (pas) de 10 diferentes pessoas.

265 Imagine que dois observadores, usando o mesmo estetoscópio especial com saída dupla em “Y”, registrassem ao mesmo tempo a pressão arterial sistólica (pas) de 10 diferentes pessoas. Registros feitos pelo observador 1

266 Imagine que dois observadores, usando o mesmo estetoscópio especial com saída dupla em “Y”, registrassem ao mesmo tempo a pressão arterial sistólica (pas) de 10 diferentes pessoas. Registros feitos pelo observador 1 Registros feitos pelo observador 2

267

268

269

270

271

272

273

274

275

276

277 obspas1pas

278 obspas1pas CORRELAÇÃO PERFEITA !

279 obspas1pas CORRELAÇÃO PERFEITA ! Coeficiente de correlação linear (r) = 1,00

280 No entanto, os registros de pas diferem sistematicamente em 10 mmHg !

281

282 O coeficiente de correlação intraclasse (CCI) leva em conta essa discrepância:

283 No entanto, os registros de pas diferem sistematicamente em 10 mmHg ! O coeficiente de correlação intraclasse (CCI) leva em conta essa discrepância: CCI = 0,758

284 PÁGINA G

285

286

287

288


Carregar ppt "EXATIDÃO COMPONENTES DA EXATIDÃO VALIDADE REPRODUTIBILIDADE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google