A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistemas de Produção Capítulo 4 Sistema Kanban. Capítulo 4Sistema Kanban2 O Sistema Kanban.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistemas de Produção Capítulo 4 Sistema Kanban. Capítulo 4Sistema Kanban2 O Sistema Kanban."— Transcrição da apresentação:

1 Sistemas de Produção Capítulo 4 Sistema Kanban

2 Capítulo 4Sistema Kanban2 O Sistema Kanban

3 Capítulo 4Sistema Kanban3 Planejamento Estratégico da Produção Plano de Produção Planejamento-mestre da Produção Plano-mestre de Produção Programação da Produção Programa de montagem final Cálculo do número de kanbans Emissão e Liberação de kanbans Programa de Montagem Kanbans de Produção Kanbans de Movimentação FabricaçãoFornecedores Departamento de Marketing Previsão de Vendas Pedidos em Carteira Acompanhamento e Controle da Produção Avaliação de Desempenho Clientes Montagem Kanbans de Fornecedores KK

4 Capítulo 4Sistema Kanban4 Tipos de Cartões Kanban l O sistema kanban funciona baseado no uso de sinalizações para ativar a produção e movimentação dos itens pela fábrica. n Estas sinalizações são convencionalmente feitas com base nos cartões kanban e nos painéis porta-kanbans, porém pode utilizar-se de outros meios, que não cartões, para passar estas informações. n Os cartões kanban convencionais são confeccionados de material durável para suportar o manuseio decorrente do giro constante entre os estoques do cliente e do fornecedor do item. n Cada empresa, ao implantar seu sistema kanban, confecciona seus próprios cartões de acordo com suas necessidades de informações.

5 Capítulo 4Sistema Kanban5 Cartão Kanban de Produção l Também chamado de kanban em processo, é empregado para autorizar a fabricação ou montagem de determinado lote de itens, tendo sua área de atuação restrita ao centro de trabalho que executa a atividade produtiva nos itens.

6 Capítulo 4Sistema Kanban6 Cartão Kanban de Requisição Interna l Também chamado de cartão kanban de transporte, retirada ou movimentação, ou simplesmente cartão kanban de requisição, funciona como uma requisição de materiais, autorizando o fluxo de itens entre o centro de trabalho produtor e o centro consumidor dos itens.

7 Capítulo 4Sistema Kanban7 Cartão Kanban de Fornecedor l Executa as funções de uma ordem de compra convencional, ou seja, autoriza o fornecedor externo da empresa a fazer uma entrega de um lote de itens, especificado no cartão, diretamente ao seu usuário interno, desde que o mesmo tenha consumido o lote de itens correspondente ao cartão.

8 Capítulo 4Sistema Kanban8 Painel Porta-Kanban l O sistema kanban tradicional emprega painéis ou quadros de sinalização junto aos pontos de armazenagem espalhados pela produção, com a finalidade de sinalizar o fluxo de movimentação e consumo dos itens a partir da fixação dos cartões kanban nestes quadros.

9 Capítulo 4Sistema Kanban9 Outros Tipos de Kanbans l Como já foi afirmado, o sistema kanban funciona baseado no uso de sinalizações para ativar a produção e movimentação dos itens pela fábrica. Estas sinalizações são convencionalmente feitas com base nos cartões kanban e nos painéis porta- kanbans, porém pode utilizar-se de outros meios para passar estas informações: n Kanban contenedor (carrinho kanban), n Quadrado kanban, n Painel eletrônico, n Kanban informatizado.

10 Capítulo 4Sistema Kanban10 Funcionamento do Sistema Kanban l Regra 1: O processo subseqüente (cliente) deve retirar no processo precedente (fornecedor) os itens de sua necessidade apenas nas quantidades e no tempo necessário. n Esta primeira regra do sistema kanban é a chave do sistema de puxar a produção, diferenciando-o dos sistemas tradicionais de empurrar. n Como conseqüência direta desta regra temos que qualquer requisição de itens sem um cartão kanban autorizando-a é proibida, bem como, qualquer requisição de itens em quantidades diferentes da autorizada no cartão kanban também é proibida.

11 Capítulo 4Sistema Kanban11 Funcionamento do Sistema Kanban l Regra 2: O processo precedente (fornecedor) deve produzir seus itens apenas nas quantidades requisitadas pelo processo subseqüente (cliente). n Esta regra tem como objetivo limitar os estoques em processo nos postos de trabalho à quantidade projetada para o sistema kanban, evitando a superprodução. Desta forma os fornecedores estarão produzindo apenas os itens imediatamente requisitados pelos clientes, nivelando os ritmos de produção e garantindo uma reposição uniforme dos itens, no momento e nas quantidades necessárias. n Em decorrência desta regra, pode-se afirmar que qualquer produção diferente da autorizada pelo cartão kanban está proibida.

12 Capítulo 4Sistema Kanban12 Funcionamento do Sistema Kanban l Regra 3: Produtos com defeito não devem ser liberados para os clientes. n Esta regra ressalta a importância da qualidade total dentro do sistema produtivo, via padronização das operações, permitindo um fluxo contínuo de itens sem defeitos. n Por outro lado, a filosofia JIT na busca da flexibilidade no atendimento das necessidades dos clientes (internos e externos), se propõem a trabalhar com pequenos lotes de produção, o que, conseqüentemente, não dá margem a existência de itens defeituosos nestes lotes.

13 Capítulo 4Sistema Kanban13 Funcionamento do Sistema Kanban l Regra 4: O número de kanbans no sistema deve ser minimizado. n Como o sistema kanban tem por base o ambiente da filosofia JIT, deve-se seguir o princípio do “melhoramento contínuo”, ou seja, todos os envolvidos no processo produtivo devem buscar alternativas para trabalhar sempre com a mínima quantidade de estoques em processo.

14 Capítulo 4Sistema Kanban14 Funcionamento do Sistema Kanban l Regra 5: O sistema kanban deve adaptar-se a pequenas flutuações na demanda. n Esta última regra diz respeito a capacidade do sistema kanban absorver pequenas alterações de curto prazo na demanda sem a necessidade de intervenção do PCP no sentido de alterar o número de kanbans no sistema. n Enquanto que no sistema tradicional de emissão de ordens não existe a possibilidade de responder rapidamente às variações de curto prazo na demanda, no sistema kanban, projetado para trabalhar com pequenos lotes e tempos de ciclo operacionais balanceados, esta adaptação se dá de forma simples e natural dentro da lógica de “puxar” a produção pela demanda do momento.

15 Capítulo 4Sistema Kanban15 Sistema Kanban com Dois Cartões

16 Capítulo 4Sistema Kanban16 Sistema Kanban com Um Cartão

17 Capítulo 4Sistema Kanban17 Sistema Kanban com Fornecedores

18 Capítulo 4Sistema Kanban18 Cálculo do Número de Cartões Kanban l Pode ser encarada sob dois aspectos: o tamanho do lote do item para cada contenedor e cartão, e o número total de contenedores e cartões por item, definindo o nível total de estoques do item no sistema. l Na prática, apesar de a busca pelo lote unitário ser contínua, normalmente definimos o tamanho do lote em função de dois fatores: n O número de setup que nos dispomos a fazer por dia: –Quanto maior for o tempo de setup, maior o tamanho do lote para diluir seus custos e menor a sua freqüência de produção diária. n O tamanho do contenedor onde serão colocados os itens: –Deve-se procurar reduzir os tipos de contenedores.

19 Capítulo 4Sistema Kanban19 Cálculo do Número de Cartões Kanban l Estabelecido para cada item o tamanho do lote por contenedor, pode-se projetar o número total de lotes no sistema. l A determinação do número de cartões kanban é função do tempo gasto para a produção e movimentação dos lotes no sistema produtivo, bem como, da segurança projetada.

20 Capítulo 4Sistema Kanban20 Cálculo do Número de Cartões Kanban l Sistema com dois cartões: D = 500 itens/dia;Q = 20 itens/cartão; S = 0,1 do dia; Tprod = 0,2 do dia (em função dos custos de setup da máquina, pretendemos fazer em média 5 preparações por dia para este item); Tmov = 0,25 do dia (o funcionário responsável pela movimentação dos lotes entre o produtor e o consumidor está encarregado de fazer 8 viagens por dia); N = 5,5 + 6,87 N = 6 cartões kanban de produção + 7 cartões kanban de movimentação

21 Capítulo 4Sistema Kanban21 Cálculo do Número de Cartões Kanban l Sistema com um cartão: D = 1500 itens/dia;Q = 10 itens/cartão; S = 0,05 do dia; Tprod = 0,062 do dia (o produtor emprega entre preparação da máquina e produção de um lote de 10 itens, 30 minutos de um dia de 480 minutos); Tmov = 0;

22 Capítulo 4Sistema Kanban22 Cálculo do Número de Cartões Kanban l kanban com fornecedores: D = 1200 itens/dia;Q = 40 itens/cartão; S = 0,2 do dia; Tprod = 0; Tmov = 1 dia (vamos supor que o fornecedor realize duas viagens a nossa empresa por dia, uma no início da manhã e outra no início da tarde);

23 Capítulo 4Sistema Kanban23 Funções Executadas pelo Sistema Kanban l Executa as atividades de programação, acompanhamento e controle da produção, de forma simples e direta: n As funções de administração dos estoques estão contidas dentro do próprio sistema de funcionamento do kanban. n O seqüenciamento do programa de produção segue as regras de prioridades estabelecidas nos painéis porta- kanban. n A emissão das ordens pelo PCP se dá em um único momento. n A liberação das ordens aos postos de trabalho se dá a nível de chão-de-fábrica. n O sistema kanban permite, de forma simples, o acompanhamento e controle visual e automático do programa de produção.

24 Capítulo 4Sistema Kanban24 Funções Executadas pelo Sistema Kanban l Estimula a iniciativa e o sentido de propriedade nos mesmos; l Facilita os trabalhos dos grupos de melhorias na identificação e eliminação de problemas; l Permite a identificação imediata de problemas através da redução planejada do número de cartões kanban em circulação no sistema; l Reduz a necessidade de equipamentos de movimentação e acusa imediatamente problemas de qualidade nos itens; l Implementa efetivamente os conceitos de organização, simplicidade, padronização e limpeza nos estoques do sistema produtivo; l Dispensa a necessidade de inventários periódicos nos estoques; l Estimula o emprego do conceito de operador polivalente; l Facilita o cumprimento dos padrões de trabalho.

25 Capítulo 4Sistema Kanban25 Pré-requisitos do Sistema Kanban l Os pré-requisitos de funcionamento do sistema kanban são as próprias ferramentas que compõem a filosofia JIT/TQC, e que determinam quão eficiente o sistema produtivo é, quais sejam: n Estabilidade de projeto de produtos; n Estabilidade no programa mestre de produção; n Índices de qualidade altos; n Fluxos produtivos bem definidos; n Lotes pequenos; n Operários treinados e motivados com os objetivos do melhoramento contínuo; n Equipamentos em perfeito estado de conservação.


Carregar ppt "Sistemas de Produção Capítulo 4 Sistema Kanban. Capítulo 4Sistema Kanban2 O Sistema Kanban."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google