A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Economia Ecológica: O papel da metodologia emergética para o desenvolvimento sustentável Serviços ambientais Alimentos, fibra e energia Efluentes, emissões.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Economia Ecológica: O papel da metodologia emergética para o desenvolvimento sustentável Serviços ambientais Alimentos, fibra e energia Efluentes, emissões."— Transcrição da apresentação:

1 1 Economia Ecológica: O papel da metodologia emergética para o desenvolvimento sustentável Serviços ambientais Alimentos, fibra e energia Efluentes, emissões e resíduos Produtos e serviços da economia urbana

2 2 Quais os princípios, as políticas e as estratégias da Economia Ecológica?

3 3 exergia energia degradada (calor) emergia trabalho realizado 1. Nos sistemas, a energia e a matéria se transformam e podem se manifestar como: (a) energia com potencial útil (“exergia”) (b) energia degradada (“energia calórica”) (c) trabalho realizado (“emergia”).

4 4 O cosmos é composto de inúmeros sistemas, muito diversos. Eles podem: Dispersar energia interna Acumular energia Receber e conduzir energia

5 5 Os sistemas no cosmos evoluem e podem: Transformar energia, criar acúmulos (biomassa, estruturas, organização e informação) e desenvolver laços de retro-alimentação As unidades se acoplam em redes e pulsam (crescem e decrescem) com diversas freqüências

6 Aproveitamento da energia disponível em uma área Cadeia de vários estágios de consumidores Energia dispersada Fontes renováveis externas Produtores (plantas e algas) Resíduos Nutrientes

7 7 2. A transformação gera energia de maior intensidade e novas propriedades e energia degradada (que não é mais aproveitável). O produto (trabalho) integra a energia potencial utilizada e recebe o nome de “emergia” (Odum e Scienceman, 1987).

8 3. Tudo no universo pode ser expresso em emergia (“trabalho agregado”). Isso é importante em termos da contabilidade ecológica de sistemas abertos. 8

9 4. Os sistemas com retro-alimentação se denominam “unidades auto-catalíticas” de produção e de consumo. 9 Elas conseguem capturar mais energia para crescer, se multiplicar, interagir e evoluir.

10 5. As unidades auto-catalíticas interagem para transformar energia potencial criando estruturas hierárquicas (“redes”) 10 As redes concentram energia, materiais e informação para usar e depois dispersar.

11 11 6. Os sistemas possuem padrões cíclicos (“pulsos”) cuja freqüência depende da sua posição na estrutura hierárquica de transformação de energia. Energia 1000 T = Acumulação de recursos Materiais reciclados Nível 1 Consumo de recursos Pulsos pequenos Pulsos médios Pulsos grandes Energia T = Acumulação de recursos Materiais reciclados Nível 2 Consumo de recursos Energia T = Acumulação de recursos Materiais reciclados Nível 3 Consumo de recursos

12 7. As energias disponíveis no meio externo para as unidades auto-catalíticas podem ser de tipo: (a) renovável, e (b) não renovável. 12 Equilíbrio dinâmico da homeostase

13 8. Os sistemas baseados em recursos não renováveis crescem e depois colapsam. 13 Área de influência Equilíbrio dinâmico sustentável que usa recursos renováveis Umbral da sustentabilidade 1500 anos 300 anos Tempo 20 anos Crescimento insustentável que usa recursos não renováveis Crise e colapso Transição Desenvolvimento Sustentável Capacidade de suporte renovável Crescimento insustentável usando recursos renováveis de forma predatória 200 anos Potência energética

14 14 9. A auto-organização gera sistemas que crescem e decrescem. No caso da humanidade, que usa todos os recursos disponíveis, a etapa do crescimento pode levar o tempo de uma civilização; mais depois vai decrescer muito!

15 10. Metabolismo Campo-Cidade Serviços ambientais Alimentos, fibra e energia Efluentes, emissões Resíduos Produtos e serviços da economia urbana Materiais não renováveis Maiores efluentes e emissões (produção industrial com novas entradas Serviços ambientais adicionais (população maior) Efluentes, emissões Áreas de vegetação nativa

16 11. A sobrevivência da humanidade depende de duas capacidades: (a) a adaptação ao perfil de recursos disponíveis (b) a preservação da qualidade do ecossistema para garantir sua recuperação (resiliência) /05/resilienciaso-por-deus_10.html

17 12. Em geral, o ambiente externo varia muito e a organização do sistema muda. O meio ambiente era rico e se tornou pobre, congestionado e poluído! 17 A organização interna de um sistema pode demorar a perceber as mudanças ou percebê-las de forma rápida para se adaptar as novas condições.

18 A inércia pode ser vencida pela auto- organização promovida pelos pioneiros na percepção das mudanças.

19 14. Geralmente, os recursos são abundantes predomina a competição e na escassez é necessária a cooperação. 19 HT Odum

20 15. A competição pode levar a exclusão, a guerra e a extinção de grupos sociais e de espécies. 20 guerra/ 03/exclusao-exclusiva/

21 16. Os sistemas humanos acumulam e distribuem o acúmulo em função das forças sociais e do poder bélico e comercial dos países e das classes sociais. 21

22 17. Os sistemas humanos colaborativos acumulam pouco, já os competitivos acumulam muito e o benefício se concentra no topo da cadeia. 22

23 18. A informação de boa qualidade orienta ao sistema na sua auto-organização. 23

24 19. A biodiversidade é uma manifestação da organização obtida por um sistema para aproveitar os recursos renováveis. 24 No decrescimento a biodiversidade será uma informação vital porque pode permitir um ajuste mais rápido ao equilíbrio (homeostase).

25 20. A cultura humana muda continuamente e pode ser: (a) ecológica (sustentável) 25

26 (b) antiecológica ( insustentável ). semana-do-urbanismo/a- insustentabilidade-nas-cidades/ ot.com/2009/03/insustentabilidade-do- plano-de.html

27 A valiosa informação das culturas humanas ecológicas (povos tradicionais e indígenas) precisa ser defendida da forte agressão que recebe da civilização industrial.

28 A diversidade cultural precisa ser resgatada, sistematizada, depurada, valorizada, colocada em termos atuais e ser transmitida amplamente para ajudar na recomposição do equilíbrio biosférico.

29 29 A solução está na mudança do modelo de crescimento para o modelo de decrescimento que considere a recuperação da flora e da fauna nativas. 23. A resiliência do planeta está ameaçada!

30 30 24.Como a informação predominante atende os interesses dos países, empresas e classes sociais no poder, a ela deve ser contraposto um novo projeto cultural, político, econômico e ecológico. O objetivo é gerar um modelo sustentável no mundo inteiro.

31 Devem ocorrer parcerias entre os que questionam o modelo atual para criar o novo modelo mundial, visando: Conseguir o decrescimento e a re-estruturação do consumo e dos ativos fixos Recuperar os ecossistemas Mudar a forma de produzir e consumir para um modo ecológico. /17/5102 / Apreender a utilizar de forma coletiva os recursos da Terra.

32 Os grupos humanos dominantes atuam de forma irresponsável desmatando e usando energia fóssil de forma a colocar na atmosfera o carbono que foi seqüestrado durante centenas de milhões de anos pelos ecossistemas na Terra para criar as condições ideais para a biodiversidade. O impacto dos gases de efeito estufa pode criar condições dramáticas para a vida da humanidade na Terra. Temos que atuar!

33 33 A questão que fica para resolver: Como criar um novo modelo mundial a partir dos trabalhos de comunidades locais e de setores da sociedade abertos a uma Economia Ecológica Sistêmica? ?

34 Temos que fazer análise crítica da situação global, formar grupos de trabalho, estabelecer estratégias, fomentar articulações e ações específicas para colocar a questão do novo modelo mundial (decrescimento urbano e ecologização rural) para a sociedade em todos os lugares do planeta.

35 Enrique Ortega Laboratório de Engenharia Ecológica Faculdade de Engenharia de Alimentos Unicamp TEDx Sustentabilidade Vila Madá, 26 de maio de


Carregar ppt "1 Economia Ecológica: O papel da metodologia emergética para o desenvolvimento sustentável Serviços ambientais Alimentos, fibra e energia Efluentes, emissões."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google