A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Consuelo L. Fernandez Pereira Enrique Ortega LEIA Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia de Alimentos Lab. de Engenharia Ecológica e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Consuelo L. Fernandez Pereira Enrique Ortega LEIA Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia de Alimentos Lab. de Engenharia Ecológica e."— Transcrição da apresentação:

1 Consuelo L. Fernandez Pereira Enrique Ortega LEIA Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia de Alimentos Lab. de Engenharia Ecológica e Informática Aplicada Avaliação da Sustentabilidade do Etanol Combustível usando Análise Emergética e Análise de Ciclo de Vida EMBRAPA

2 Combustível Renovável Em 2005 a participação do álcool foi de 16% (MME) Na safra 2006/07 foram colhidas 426 milhões de toneladas de cana; 17.7 bilhões de litros de álcool; 80% destinado ao mercado interno Etanol Dados: Unica, 2008

3 Cana no Estado de São Paulo: É o principal produto agrícola do estado; 36% do valor da produção agrícola do estado; Na safra 2006/07 produziu 264 milhões de toneladas; 3,7 milhões de hectares; Dados: IEA, 2008

4 Objetivo do Trabalho Avaliar a sustentabilidade de cadeida produtiva agrícolas utilizando as metodologias de:  Análise Emergética (AE)  Avaliação de Ciclo de Vida (ACV).

5 Análise Emergética Emergia é a soma de toda a energia, direta ou indiretamente incorporada, tanto na forma de energia, matéria, trabalho humano ou trabalho da natureza, necessária para produzir um dado bem ou serviço Emergia é expressa em equivalente de Joules de energia solar (seJ) Odum (1996)

6 Análise Emergética F R N Emergia Y =  E F +  E N   E R Transformidade é a emergia por unidade de energia, expressa em seJ/J Solar Joules Joules Y =  J F TR F +  J N TR N +  E R TR R

7 Avaliação de Ciclo Vida ACV avalia todos os estágios do ciclo de vida de um produto, desde a aquisição da matéria prima até a disposição dos resíduos, identificando, quantificando e avaliando os impactos ambientais acumulados ao longo do ciclo. Berço ao Túmulo Utiliza o conceito Berço ao Túmulo ISO 14000

8 Categorias de Impacto Consumo de recursos Naturais Uso do Solo Aquecimento Global Acidificação Eutrofização Toxicidade Indicadores da ACV

9 AE Emergia & ACV ACV

10

11 Dados da Cadeia avaliada {

12 Distribuição Fontes: Literatura Entrevistas ANT Fabricantes

13 Resultados – Análise Emergética

14

15

16

17

18 Unidade Funcional (UF): 1 litro de etanol Resultados – Inventário de ACV

19 Unidade Funcional (UF): 1 litro de etanol Resultados – Inventário de ACV

20 Unidade Funcional (UF): 1 litro de etanol Resultados – Inventário de ACV

21 Relação Energia Fornecida/Consumida

22 Resultados – Inventário de ACV Unidade Funcional (UF): 1 litro de etanol

23 Ciclo do Carbono

24 Absorção Emissão (Fotossíntese) = (Queima colheita, queima do bagaço, fermentação, queima do combustível)

25 Absorção (Fotossíntese) = Emissão (queima, fermentação e motor) Emissões de CO 2

26 Resultados – Emissões equivalentes

27

28 Reserva Legal

29

30

31  A etapa agrícola é aquela de maior peso e, portanto, seu desempenho é fundamental para o desempenho da cadeia como um todo.  Este resultado é confirmado pela inclusão da reserva legal nos cálculos. Conclusões  A etapa de distribuição pode alterar os indicadores de desempenho do sistema.  Quando a distância entre a usina produtora e o posto de distribuição aumenta, os índices ambientais apresentam valores piores.

32 Conclusões Na avaliação de sustentabilidade de biocombustíveis deve-se avaliar:  redução na dependência em combustível fóssil;  redução das emissões de gases de efeito estufa;  redução dos impactos ambientais.

33 Dependência em combustível fóssil Avaliada por:  Consumo total da cadeia  Eficiência energética - sistemas mais eficientes disponibilizam maior volume de energia por unidade de energia fóssil consumida. Dentre os biocombustíveis, o etanol de cana-de-açúcar apresenta menor consumo e melhor rendimento energético. Entretanto, a cadeia produtiva é dependente em combustíveis fósseis.

34 Redução das emissões  Todo CO 2 absorvido na etapa agrícola, é emitido à atmosfera durante os próximos ciclos.  Ao longo do ciclo produtivo há queima de combustíveis fósseis, tanto direta como indiretamente, e, portanto, há emissão de CO 2  Quando comparados a outros combustíveis a cadeia produtiva do etanol emite volumes menores de CO 2.

35  Porém, sua produção e seu uso não podem ser considerados como mitigadores de emissões, uma vez que emitem CO 2 para a atmosfera.  A inclusão de área de conservação de vegetação pode compensar as emissões do sistema produtivo. Redução das emissões – Cont.

36 Impactos ambientais  À cadeia produtiva do etanol estão associados : consumos significativos de recursos naturais emissões de gases de efeito estufa impactos ambientais a nível local, regional e global.  O modelo atual de produção de etanol de cana-de- açúcar tem baixa renovabilidade, 35%.

37 Conclusão Etanol apesar de seu desempenho ser melhor do que outros biocombustíveis, não é sustentável a longo prazo, pois é uma cadeia dependente de combustíveis fósseis e causa vários impactos ambientais.

38 A adoção do conceito de AVC associado à AE é uma ferramenta poderosa na avaliação da sustentabilidade de produtos agroindustriais, pois permite:  a avaliação da cadeia como um sistema único e de cada uma das etapas individualmente;  a identificação dos recursos, renováveis ou não, consumidos mais intensamente por cada uma das etapas e pela cadeia completa; Conclusões do Estudo

39  a identificação das etapas críticas das cadeias produtiva;  contabilizar tanto os recursos provenientes da economia, com custo financeiro, como aqueles da natureza, sem custo;  Identificação das diferenças entre modelos produtivos e de distribuição. Conclusões do Estudo – Cont.

40 Os resultados oferecem informações importantes que podem ser utilizadas para:  o desenho de modelos produtivos mais sustentáveis;  para sustentar políticas públicas e programas de desenvolvimento sustentável.  por sistemas de certificação com o objetivo de avaliar o desempenho ambiental dos produtos certificados. Conclusões do Estudo – Cont.

41 Obrigada! Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia de Alimentos Lab. de Engenharia Ecológica e Informática Aplicada LEIA


Carregar ppt "Consuelo L. Fernandez Pereira Enrique Ortega LEIA Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia de Alimentos Lab. de Engenharia Ecológica e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google