A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Indicadores sócio-econômicos de municípios no litoral do Paraná e estado nutricional de escolares AMORIM (1), Suely, T.S.P.; RIGON (1), Sílvia A; KAMINSKI.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Indicadores sócio-econômicos de municípios no litoral do Paraná e estado nutricional de escolares AMORIM (1), Suely, T.S.P.; RIGON (1), Sílvia A; KAMINSKI."— Transcrição da apresentação:

1 Indicadores sócio-econômicos de municípios no litoral do Paraná e estado nutricional de escolares AMORIM (1), Suely, T.S.P.; RIGON (1), Sílvia A; KAMINSKI (2), Ellen J.; STOLARSKI (3), Márcia C. Introdução O planejamento e condução das ações governamentais deve considerar a situação nutricional das populações pois o seu estudo revela as relações que são construídas no contexto sócio-ambiental e econômico em que vivem, apontando a presença ou não de condições desfavoráveis. O presente estudo é parte da pesquisa sobre o estado nutricional de escolares da rede pública estadual, uma parceria entre o Departamento de Nutrição-UFPR e a Secretaria de Estado da Educação do Paraná, com apoio do CECAN/SUL. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética do Setor de Ciências da Saúde- UFPR. Objetivo Identificar as prevalências de baixa estatura, baixo peso, sobrepeso e obesidade de escolares matriculados na rede pública estadual em municípios do litoral paranaense, indicando possíveis relações com indicadores sociais e econômicos existentes. Metodologia A amostra, por conveniência, foi composta por 487 escolares de 10 a 18 anos, de 12 escolas de quatro municípios do litoral. Foram incluídas também as ilhas do Mel, Piaçaguera (Paranaguá), Superagui, Rasa e das Peças (Guaraqueçaba); Dos 487 escolares, 90 são habitantes das ilhas e 397 do continente. A baixa estatura foi identificada quando o escore Z do índice altura para idade da referência NCHS/OMS, foi < -2Z. Para o diagnóstico de baixo peso, sobrepeso e obesidade foi utilizado o IMC com a classificação de MUST et al (1991), adotada pela OMS. Antonina Ilha do Mel Por outro lado, no continente há uma maior dinâmica econômica em função das atividades de pesca, portuárias e turísticas, mas que geram também um impacto negativo sobre o ambiente e sobre as condições de vida de seus moradores (IPARDES, 2004). Tal contexto não deixa de se refletir no estado nutricional dos escolares avaliados com as seguintes prevalências: 4,5% de baixa estatura, 4,3% de baixo peso, 11,9% de sobrepeso e 4,1% de obesidade. O município de Guaraqueçaba, com a maior taxa de pobreza entre os avaliados (49,06%), apresentou as maiores prevalências de baixa estatura (13,5%) e baixo peso (15,4%), enquanto as maiores prevalências de sobrepeso e obesidade ocorreram em Paranaguá (19,6%) e Antonina (20,0%). Os escolares residentes nas ilhas, onde a maior atividade econômica é a pesca, apresentaram maior prevalência de baixa estatura (11,1%) e baixo peso (8,9%). Os residentes no continente, onde predominam as atividades comercial e turística e encontra-se instalado o Porto de Paranaguá, apresentaram a maior prevalência de sobrepeso e obesidade (18,1%). FIGURA 1 - ESTADO NUTRICIONAL DE ESCOLARES NO LITORAL PARANAENSE, DE 10 A 18 ANOS, POR SEXO, PELO INDICE DE MASSA CORPORAL (IMC) Conclusão Os processos gerados pela ocupação e exploração econômica de determinada região promovem condições de vida e de acesso à alimentação diferenciadas conforme foi possível evidenciar no estudo em questão. Tais resultados indicam a necessidade de políticas públicas que visem a promoção de um desenvolvimento social e econômico regional com foco na equidade, como estratégia para a garantia do direito humano à alimentação adequada. Paranaguá Autoras: 1. Professoras do Departamento de Nutrição-UFPR.; 2. Acadêmica de Nutrição-UFPR e Bolsista pelo CECAN-SUL; 3. Nutricionista da Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Resultados O litoral apresenta duas situações distintas, que interferem nas condições de vida de seus moradores. As comunidades tradicionais pela necessidade da preservação do ambiente natural, não podem realizar atividades extrativistas para garantir sua subsistência e nem contam com outras alternativas para a geração de renda. Colaboradoras: Pâmela Milene Sell, Priscilla Cerqueira Leite e Viviane Janz, acadêmicas de Nutrição UFPR. Agradecimento especial a acadêmica Francini Xavier Rosseti, monitora da disciplina Avaliação Nutricional – UFPR. Referências IPARDES. Famílias pobres no Estado do Paraná. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES, _____. Paraná: diagnóstico social e econômico. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES, NCHS. National Center for Health Statistic. Growth Curves for Children Birth – 18 years. United States Department of Health, Education and Welfare, Publication n.78, MUST, A.; DALLAL, G.E.; DIETZ, W.H. Reference data for obesity: 85th and 95th percentiles of Body Mass Index (wh/ht 2) and triceps skinfold tickness. American Journal of Clinical Nutrition, v. 53, n. 4, p , Nov


Carregar ppt "Indicadores sócio-econômicos de municípios no litoral do Paraná e estado nutricional de escolares AMORIM (1), Suely, T.S.P.; RIGON (1), Sílvia A; KAMINSKI."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google