A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Referências Bibliográficas IPARDES. Famílias pobres no Estado do Paraná. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Referências Bibliográficas IPARDES. Famílias pobres no Estado do Paraná. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES,"— Transcrição da apresentação:

1 Referências Bibliográficas IPARDES. Famílias pobres no Estado do Paraná. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES, _____. Paraná: diagnóstico social e econômico.. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES, NCHS. National Center for Health Statistic. Growth Curves for Children Birth – 18 years. United States Department of Health, Education and Welfare, Publication n0 78, WHO. Physical status: use and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committee. WHO Technical report series, 854. Geneva, Indicadores sócio-econômicos de municípios no litoral do Paraná e estado nutricional de escolares AMORIM1, Suely, T.S.P.; RIGON1, Sílvia A; KAMINSKI2, Ellen J.; STOLARSKI3, Márcia C. Introdução O planejamento e condução das ações governamentais deve considerar a situação nutricional das populações pois o seu estudo revela as relações que são construídas no contexto sócio- ambiental e econômico em que vivem, apontando a presença ou não de condições desfavoráveis. O presente estudo é parte da pesquisa sobre o estado nutricional de escolares da rede pública estadual, uma parceria entre o Departamento de Nutrição-UFPR e a Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Objetivo Identificar as prevalências de baixa estatura, baixo peso, sobrepeso e obesidade de escolares matriculados na rede pública estadual em municípios do litoral paranaense, indicando possíveis relações com indicadores sociais e econômicos existentes. Metodologia A amostra, por conveniência, foi composta por 487 escolares de 10 a 18 anos, de 12 escolas de quatro municípios do litoral pertencentes ao Núcleo Regional de Educação de Paranaguá. Foram incluídas também as ilhas do Mel, Piaçaguera, Superagui, Rasa e das Peças, as duas primeiras pertencentes ao município de Paranaguá e as três ultimas ao de Guaraqueçaba. Dos 487 escolares, 90 são habitantes das ilhas e 397 do continente. A baixa estatura foi identificada quando o escore Z do índice altura para idade da referência NCHS/OMS[1], foi < -2Z. Para o diagnóstico de baixo peso, sobrepeso e obesidade foi utilizado o IMC com a classificação adotada pela OMS[2].[1][2] Antonina Ilha do Mel Essa situação, no entanto, gera dificuldades socioeconômicas para as comunidades tradicionais que vivem na região e que em função da questão ambiental não podem realizar atividades extrativistas para garantir sua subsistência e nem contam com outras alternativas para a geração de renda. Por outro lado, no continente há uma maior dinâmica econômica em função das atividades de pesca, portuárias e turísticas, mas que gera também um impacto negativo sobre o ambiente e sobre as condições de vida de seus moradores (IPARDES, 2004). Tal contexto não deixa de se refletir no estado nutricional dos escolares avaliados com as seguintes prevalências: 4,5% de baixa estatura, 4,3% de baixo peso, 11,9% de sobrepeso e 4,1% de obesidade. O município de Guaraqueçaba, com a maior taxa de pobreza entre os avaliados (49,06%), apresentou as maiores prevalências de baixa estatura (13,5%) e baixo peso (15,4%), enquanto as maiores prevalências de sobrepeso e obesidade ocorreram em Paranaguá (19,6%) e Antonina (20,0%). Os escolares residentes nas ilhas, onde a maior atividade econômica é a pesca, apresentaram maior prevalência de baixa estatura (11,1%) e baixo peso (8,9%). Os residentes no continente, onde predominam as atividades comercial e turística e encontra-se instalado o Porto de Paranaguá, apresentaram a maior prevalência de sobrepeso e obesidade (18,1%). Guaraqueçaba ESTADO NUTRICIONAL DE ESCOLARES NO LITORAL PARANAENSE, DE 10 A 18 ANOS, POR SEXO, PELO INDICE DE MASSA CORPORAL (IMC) Conclusão Os processos gerados pela ocupação e exploração econômica de determinada região promovem condições de vida e de acesso à alimentação diferenciadas conforme foi possível evidenciar no estudo em questão. Tais resultados indicam a necessidade de políticas públicas que visem a promoção de um desenvolvimento social e econômico regional com foco na equidade, como estratégia para a garantia do direito humano à alimentação adequada. Paranaguá AUTORAS: 1. Professoras do Departamento de Nutrição-UFPR.; 2. Acadêmica de Nutrição-UFPR e Bolsista pelo CECAN-SUL; 3. Nutricionista da Secretaria de Estado da Educação do Paraná. 1 Resultados O quadro presente no litoral paranaense aponta a existência de duas situações distintas, que interferem nas condições de vida de seus moradores. Persiste a necessidade da preservação do ambiente natural, caracterizado por diferentes biomas, “por ecossistemas estuarinos de grande importância, com extensões expressivas de manguezais” (IPARDES, 2004, p.29) para a manutenção da biodiversidade.. Colaboradoras: rebeca Duarte, Sibelly Cordeiro, Simone Salim: acadêmicas de Nutrição UFPR


Carregar ppt "Referências Bibliográficas IPARDES. Famílias pobres no Estado do Paraná. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Curitiba, IPARDES,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google