A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BIOSSEGURANÇA com ênfase na RDC ANVISA 302 Marcelo Pilonetto LACEN/PR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BIOSSEGURANÇA com ênfase na RDC ANVISA 302 Marcelo Pilonetto LACEN/PR."— Transcrição da apresentação:

1

2 BIOSSEGURANÇA com ênfase na RDC ANVISA 302 Marcelo Pilonetto LACEN/PR

3 Segurança Geral em Laboratório Regulamentos e Estatutos “ABNT” “NBR” “BPL”  Regulamentos Governamentais  Regulamentos Institucionais  Regulamentos / Normas Laboratoriais “OSHA “Manual de Condutas: Hepatite & HIV / MS” “NIOSH” “IN nº7 - CTNBIO ” ANVISA

4 BIOSSEGURANÇA/RDC – O Laboratório Clínico e o Posto de Coleta laboratorial devem manter atualizados e disponibilizar, a todos os funcionários, instruções escritas de biossegurança, contemplando no mínimo os seguintes itens: c Instruções como agir em casos de acidentes ocorridos durante os trabalhos. Interpretação – Deve disponibilizar a todos os funcionários instruções escritas de biossegurança contendo pelo menos os itens abaixo: c) procedimentos em caso de acidentes; Evidência objetiva - Apresentar as instruções (ITR/POPs/ CAT).

5 Segurança Geral em Laboratório Acidentes em Laboratórios  Tipos de Acidentes: - 27 % : salpicos e derramamentos - 25 % : agulhas - 16 % : cortes causados por objetos perfurocortantes - 14 % : mordidas / arranhões de animais - 13 % : pipetagem com a boca - 6 % : outros, desconhecidos Pike (1976)

6 Biossegurança Laboratorial Vigilância Médica Programa de Emergência:  Registros de incidentes e acidentes  Medidas de emergência para cada área de trabalho.  Combate a incêndio  Primeiros socorros

7  Riscos Biológicos : São os seguintes agentes: Bactérias, Fungos, Parasitas, Vírus, Clamídias, Prions. Sendo divididos em CLASSES, por ordem crescente de risco (conforme critérios pré- estabelecidos). Leishmania donovani CLASSE II (IN nº7 –CTNBio) Leishmania donovani CLASSE II (IN nº7 –CTNBio) Segurança Geral em Laboratório Riscos em Laboratórios

8 Biossegurança Laboratorial___

9

10 A B C Nº de Acidentes Anos de Trabalho A Desconhecimento do Risco B Estabilidade C Negligência / Excesso de Confiança Segurança Geral em Laboratório Acidentes Laboratoriais

11 Classes de Risco Biológico Classe I: Dificilmente são patogênicos para o homem, animais ou plantas Exemplos: Lactobacillus, Bacillus cereus...

12 Classes de risco biológico Classe II: Moderado risco individual e limitado para a comunidade São patogênicos para o homem mas, Medidas terapêuticas e profiláticas eficazes A maioria dos microorganismos isolados em laboratórios clínicos de rotina Exemplos: E. coli, Pseudomonas spp, Acinetobacter spp, Enterococcus spp, Micobactérias de cresc. Rápido (MNTCR) Vírus da dengue, adenovirus, coronavirus

13 Classes de risco biológico Classe III: Muito patogênicos para o homem Potencialmente letais Disseminação via respiratória ou desconhecida Usualmente existe tratamento/prevenção Risco para comunidade e meio ambiente Exemplos: Vírus: Hantavirus (alguns), Flavivírus (febre amarela não vacinal), Influenza Aviária, Bactérias: Mycobacterium tuberculosis, Bacillus anthracis, Burkholderia mallei, Clostridium botulinum...

14 Classes de risco biológico Classe IV: São extremamente patogênicos para o homem e/ou para animas Grande poder de transmissão por via respiratória (ou forma desconhecida); Alta capacidade de disseminação na comunidade e meio ambiente Não há tratamento/profilaxia conhecida Exemplos: Vírus: Filovirus (Marburg, Ebola) Febres hemorrágicas: Congo, Lassa, Sabia Vírus da Aftosa

15 BIOSSEGURANÇA/RDC – O Laboratório Clínico e o Posto de Coleta laboratorial devem manter atualizados e disponibilizar, a todos os funcionários, instruções escritas de biossegurança,contemplando no mínimo os seguintes itens: d Manuseio e transporte de material e amostra biológica. Interpretação – Deve disponibilizar a todos os funcionários instruções escritas de biossegurança contendo pelo menos os itens abaixo: d) instruções como manusear e transportar os materiais com a segurança necessária e adequada. Evidência objetiva - Apresentar as instruções (ITR/POPs).

16 BIOSSEGURANÇA/RDC – O Responsável Técnico pelo Laboratório Clínico e pelo Posto de Coleta laboratorial deve documentar o nível de biossegurança dos ambientes e/ou áreas, baseado nos procedimentos realizados, equipamentos e microorganismos envolvidos, adotando as medidas de segurança compatíveis. Interpretação – De acordo com os procedimentos técnicos e atividades realizadas no Laboratório e Posto de Coleta, o responsável técnico deve fazer o seu PPRA (Programa de Prevenção de Risco Ambiental) ou equivalente para os não celetistas. Manual de Biossegurança. Evidência objetiva - Apresentar o PPRA e os mapas de riscos nas áreas.

17  Mapa de Risco: “ É a expressão gráfica de distribuição dos riscos envolvidos em um processo de trabalho realizado em um ponto específico.” Salientar a necessidade de ter uma AVALIAÇÃO DE RISCO Risco Termo que designa, em direito civil, o perigo de dano ou perda em decorrência de incidentes fortuitos ou razões de força maior. ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda. Risco Termo que designa, em direito civil, o perigo de dano ou perda em decorrência de incidentes fortuitos ou razões de força maior. ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda. Conceitos Básicos

18 Mapa de Risco Grupos de Riscos  Grupo 1- Riscos Físicos, identificados pela cor verde. Ex. ruído, calor, frio, pressões, umidade, radiações ionizantes e não-ionizantes, vibração, etc.  Grupo 2- Riscos Químicos, identificados pela cor vermelha. Ex: poeiras, fumos, névoas, neblinas, etc.  Grupo 3- Riscos Biológicos, identificados pela cor marrom. Ex: fungos, vírus, parasitas, bactérias, protozoários, insetos, etc.

19 Mapa de Risco Grupos de Riscos  Grupo 4- Riscos Ergonômicos identificados pela cor amarela. Ex: levantamento e transporte manual de peso, monotonia, repetitividade, responsabilidade, ritmo excessivo, posturas inadequadas de trabalho, trabalho em turnos, etc.  Grupo 5 - Riscos de Acidentes, indicados peia cor azul. Ex: arranjo físico inadequado, iluminação inadequada, incêndio e explosão, eletricidade, máquinas e equipamentos sem proteção, quedas e animais peçonhentos.

20

21 Símbolo de Risco Biológico para entrada de laboratórios Biossegurança Laboratorial RISCO BIOLÓGICO ENTRADA PERMITIDA SOMENTE A PESSOAS AUTORIZADAS Natureza do risco: Funcionário responsável: Em caso de emergência, chame por: Telefone diurno: Telefone residencial: A permissão para entrar no laboratório deve ser solicitada à pessoa responsável cujo nome consta acima

22 Conheça os “Avisos de Segurança”

23 Conheça os “Avisos de Alerta”

24 BIOSSEGURANÇA/RDC – Os saneantes e os produtos usados nos processos de limpeza e desinfecção devem ser utilizados segundo as especificações do fabricante e estarem regularizados junto a ANVISA/MS, de acordo com a legislação vigente. Interpretação – Para os processos de limpeza e desinfecção é recomendado só usar produtos registrados na ANVISA/MS, e seguir as instruções dos fabricantes. Evidência objetiva - Apresentar os produtos com as suas respectivas instruções de uso e tipos de riscos.

25 PGRSS O LACEN/PR - UNIDADE GUATUPÊ/ALTO DA XV Dados do estabelecimento Responsabilidades Instalações Gerenciamento de Resíduos

26 Muito obrigado Marcelo Pilonetto


Carregar ppt "BIOSSEGURANÇA com ênfase na RDC ANVISA 302 Marcelo Pilonetto LACEN/PR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google