A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fragilidade Dra Silvana de Araújo Geriatria - UFMG Julho/2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fragilidade Dra Silvana de Araújo Geriatria - UFMG Julho/2007."— Transcrição da apresentação:

1 Fragilidade Dra Silvana de Araújo Geriatria - UFMG Julho/2007

2 Introdução Idoso Frágil: aquele que sofreu declínio funcional em conseqüência da combinação de efeitos de doença e idade O idoso frágil é extremamente vulnerável a uma piora na capacidade funcional Os idosos, sobretudo o idoso frágil, apresentam várias demandas em relação à saúde.

3 Importância A identificação, avaliação e tratamento do idoso frágil constitui ainda grande desafio Alta prevalência na comunidade: entre 10 e 25% > 65 a 46% > 85 anos Representa alto risco para mortalidade, institucionalização, quedas, internações.

4 Importância Maior prevalência em mulheres, negras, com baixa escolaridade, menor renda, pior estado de saúde, com taxas mais altas de comorbidades crônicas e incapacitação. Fried e cols. (2001)

5 Definição Síndrome biológica de diminuição da capacidade de reserva homeostática do organismo e da resistência aos estressores, que resultam em declínios cumulativos em múltiplos sistemas fisiológicos, causando vulnerabilidade e desfechos clínicos adversos.

6 Definição Fragilidade: “Failure to thrive”: “falência em ser bem sucedido” Declínio energético + queda da taxa metabólica + declíno de força, de gasto energético e de mobilidade Doenças, imobilidade, depressão e medicamentos podem iniciar ou acelerar o ciclo da fragilidade

7 Diagnóstico diferencial Incapacitação: é um desfecho ou fator contribuinte da fragilidade Comorbidades: duas ou mais associadas constituem fator de risco, porém nem sempre

8 Ciclo da Fragilidade Fatores de risco + declínio energético + declínio da capacidade de reserva homeostática Alterações subjacentes: doença (fisiopatologia) e declínio na função e reserva fisiológica

9 Alterações subjacentes Declínios fisiológicos do envelhecimento: depuração da creatinina, volume expiratório forçado, velocidade de condução do nervo, sensibilidade insulínica, massa muscular, força “anorexia do envelhecimento”: multifatorial (diminuição do paladar e do olfato, dentição precária, depressão, demência, etc). Esta anorexia leva à sarcopenia

10 Sarcopenia Perda de massa magra corporal (m. esquelético) = sarcopenia Sarcopenia isolada ou associada à perda de gordura Prevalência de sarcopenia no idoso: 6- 12% nos >60 a e > 50% nos muito idosos Queda da testosterona+queda do GH: contribuem para a sarcopenia

11 Síndrome clínica de fragilidade (Fenótipo) – Sintomas: Perda de peso Fraqueza Anorexia Inatividade

12 Síndrome clínica de fragilidade (Fenótipo) – Sinais: Sarcopenia (imobilidade e sedentarismo) Osteopenia Alteração da marcha e do equilíbrio Descondicionamento Desnutrição Marcha lentificada

13 Síndrome clínica de fragilidade (Fenótipo) – Risco: Resistência diminuída : perda de m. esquelético (sarcopenia), desregulação neuroendócrina e disfunção imunológica Capacidade de resposta aos estressores: desregulação do eixo hipotalâmico- hipofisário-adrenal = ↑cortisol → leva a sarcopenia e osteopenia e afeta o sistema imunológico

14 Ciclo da Fragilidade Componentes do ciclo associam-se às alterações do próprio envelhecimento, como alterações do sistema imunológico, incluindo declínio na imunidade humoral e aumento dos níveis de citocinas catabólicas (IL-6 e fator de necrose tumoral alfa) levam ao desenvolvimento de sarcopenia e exacerbam a desregulação neuroendócrina

15 Desfechos adversos da Fragilidade Quedas Lesões Doenças agudas Hospitalizações Incapacitação Dependência Institucionalização Morte

16 Marca da fragilidade Vulnerabilidade aos estressores (exercício físico, extremos de temperatura, doenças agudas) Capacidade comprometida para manter a homeostase

17 Exame clínico Manifestações clínicas do idoso, sobretudo o idoso frágil são silenciosas e atípicas Delirium, incontinência, quedas, imobilidade, etc. Avaliação geriátrica ampla e multifatorial

18 Exame clínico Pesquisar polifarmácia e iatrogenia Pesquisar úlceras de pressão Pesquisar capacidade funcional, cognição, humor, equilíbrio, comunicação, mobilidade, eliminações, nutrição, recursos sociais e ambientais

19 Exames laboratoriais Hemograma,função hepática,função tireoideana, UR, íons, albumina, RX de tórax, TCC (se queda com TCE) Colesterol: seu declínio representa desnutrição e excesso de citocinas: Representa excelente marcador de fragilidade em pessoas idosas

20 Tratamento Tratar as causas e fatores associados Tratar a dor Estimular capacidade funcional Estimular autonomia Exercícios de resistência e equilíbrio Reposição testosterona no hipogonadismo Suporte nutricional e social


Carregar ppt "Fragilidade Dra Silvana de Araújo Geriatria - UFMG Julho/2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google