A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão do Conhecimento Porto Alegre Julho/2008. Gestão do Conhecimento Nas Organizações Privadas e Públicas Abordagem Introdutória/Aspectos Teóricos e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão do Conhecimento Porto Alegre Julho/2008. Gestão do Conhecimento Nas Organizações Privadas e Públicas Abordagem Introdutória/Aspectos Teóricos e."— Transcrição da apresentação:

1 Gestão do Conhecimento Porto Alegre Julho/2008

2 Gestão do Conhecimento Nas Organizações Privadas e Públicas Abordagem Introdutória/Aspectos Teóricos e Práticos

3 BAYARDO MORALES Formação Administração de Empresas/ Pública - UFRGS Especialização em Gestão de Sistema de Informação - UFRGS Atividades Recentes Chefe da Escola Fazendária na Secretaria da Fazenda- RS Coordenador de Relações com o Governo pela Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento - SBGC

4 Ambiente Acadêmico Ambiente Empresarial  FGV  UNICAMP  UCB  Embrapa  Fiocruz  Petrobras GESTÃO DO CONHECIMENTO  USP  IPEA  UnB  Brasken  Siemens  Serpro

5

6 O QUE É GESTÃO DO CONHECIMENTO?

7 PARA QUE SERVE A GESTÃO DO CONHECIMENTO?

8 COMO SE FAZ A GESTÃO DO CONHECIMENTO?

9 GESTÃO DO CONHECIMENTO Contexto Histórico/Cultural  Nem a Gestão e nem o Conhecimento são “coisas” novas na sociedade e na cultura humanas.  Acompanha a evolução cultural da humanidade: tudo o que é produzido, aprendido e compartilhado pelos indivídos e pelos grupos.

10 GESTÃO DO CONHECIMENTO Alguns aspectos evolutivos MitologiaAstrologiaAlquimiaReligiãoHistóriaAstronomiaQuímicaCiência

11 Vantagem Competitiva Sustentável Sociedade Industrial Sociedade Pós-industrial Terra/Trabalho/Capital Informação/Conhecimento ERAS ECONÔMICAS

12  Dados interpretados, contextualizados. DADO INFORMAÇÃO CONHECIMENTO  Descrição, registro de fatos, eventos.  Informação com valor agregado pela mente humana. GESTÃO DO CONHECIMENTO Visão Linear

13 GESTÃO DO CONHECIMENTO Visão Linear Ampliada Contexto Independente Conhecimento Dado Informação Relações do Conhecimento Conhecimento Padrões do Conhecimento Sabedoria Precipícios do Conhecimento FONTE: Bellingr, Gene, 2004

14 AQUISIÇÃO DO CONHECIMENTO APLICAÇÃO DO CONHECIMENTO CONHECIMENTO Dados, Informações, Crenças, Valores, Experiências, Insights, Capacidades, Habilidades e Atitudes. GESTÃO DO CONHECIMENTO Vi~são Não Linear Visão Não Linear

15 Janela da Gestão do Conhecimento SABEMOS o que SABEMOS  Provisão de acessos às informações e facilitação do compartilhamento doconhecimento  Intranets, Portais, Taxonomias, Esquemas, Classificatórios eBenchmarking NÃO sabemos o que SABEMOS  Auditoria de Informações  Mapeamento do Conhecimento  Comunidades de Prática, Redes de Conhecimento. SABEMOS o que NÃO sabemos  Busca de informação direcionada  Proporção de criação do conhecimento  Inteligência Competitiva, Pesquisa &Desenvolvimento, Pesquisade Mercado.  Busca de informação direcionada  Proporção de criação do conhecimento  Inteligência Competitiva, Pesquisa & Desenvolvimento,Pesquisa de Mercado. NÃO sabemos o que NÃO sabemos FONTE: Janela de JOHARI - Adaptado de CHOO, 2002.

16 GESTÃO DO CONHECIMENTO Visão Sistêmica GC  Capital Intelectual  Aprendizagem Organizacional  Comunidades de Prática  Gestão de Processo  Tecnologia de Informação e Comunicação  Gestão de Competências  Ambientes Virtuais de Aprendizagem  Educação a Distância  E- learning E- learning  Planejamento Estratégico  Gestão de Mudanças  Gestão da Inovação  Bibliotecas

17 Mapeamento Conceitual da Gestão do Conhecimento FONTE: Adaptado de SOUZA & ALVARENGA NETO (2003).

18 GESTÃO DO CONHECIMENTO GC Gestão do Capital Intelectual Gestão Estratégica Gestão da TICs Gestão de Competências Gestão de Processos Modelos de Gestão

19 Mapeamento Conceitual Integrativa da GC FONTE: Rivadávia de Alvarenga Neto (2008).

20 OBJETIVOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO Organização Privada Inovação Vantagem Competitiva Lucro Posição no Mercado Satisfação do Cliente

21 OBJETIVOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO Organização Pública Realizações Socioeconômico-Ambientais Melhorias de Indicadores (IDH, Segurança e Transparência) Inovação Bem-estar social

22 Criatividade Processo Cognitivo Inovação Processos Organizacionais (mercado) Invenção Processos Tecnológicos (Laboratório) OBJETIVOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO Criação

23 Gestão do Conhecimento Conversão Criatividade (Processo Cognitivo) Inovação (Processos Organizacionais) Invenção (Processos Tecnológicos) Conhecimento Tácito Conhecimento Explícito

24 DEFINIÇÃO TEÓRICA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO técnicas Gestão do Conhecimento é o processo sistemático de criação, renovação e aplicação dos conhecimentos estratégicos de uma organização. Envolve também um conjunto de práticas, técnicas e ferramentas com as mesmas finalidades.

25 DEFINIÇÃO PRÁTICA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO Gestão do Conhecimento é a conversão do conhecimento tácito em conhecimento explícito visando alcançar os objetivos estratégicos da organização.

26 DEFINIÇÃO “MATEMÁTICA” DE GESTÃO DO CONHECIMENTO Equação Fundamental da Informação/Conhecimento K: Conhecimento Inicial S: Estado de Conhecimento Δ: Incremento K¹: Novo estado de Conhecimento I: Informação K (S) + Δ K = K¹ (S+ Δ S) Δ IΔ I

27 CONHECIMENTO INDIVIDUAL CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL CONHECIMENTO SOCIAL EVOLUÇÃO DO CONHECIMENTO

28 Processo Organizacional Valor Intangível BENEFÍCIOS E RESULTADOS TANGÍVEIS Δ PROCESSODENEGÓCIOS PROCESSODENEGÓCIOS Gestão do Conhecimento Abordagem Estrutural

29 GESTÃO DO CONHECIMENTO Abordagem Empírica Práticas de CG  Aprendizagem Organizacional  Gestão do Conhecimento  Educação Corporativa  Ambientes Virtuais de Aprendizagem  Inteligência Empresarial  Gestão do Capital Intelectual  Comunidades Virtuais OBJETIVOS/ RESULTADOS

30 “A teoria é quando nós sabemos tudo, mas nada funciona; a prática é quando tudo funciona, mas não sabemos por quê. Quando a teoria e a prática são reunidas, nada funciona e ninguém sabe por quê.” (Autor Anônimo)

31 DEFINIÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Conjunto de Processos e Práticas sistematizados, articulados e intencionais, capazes de incrementar as habilidades dos gestores públicos em criar, organizar e compartilhar as informações e conhecimentos estratégicos que podem servir para a tomada de decisões e condução da gestão de políticas públicas.

32 BENEFÍCIOS/RESULTADOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO  Criação e compartilhamento de novos conhecimentos e informações  Inovação/Invenção  Solução de problemas  Aprendizagem Continuada (pessoal/organizacional)  Redesenho de processos e funções  Otimização do processo decisório  Minimiza ou elimina a redundância de esforços (retrabalho)  Minimiza a perda de Conhecimento (aposentadorias)

33 DUAS DIMENSÕES DO CONHECIMENTO Tácito (Subjetivo) Explícito (Objetivo)  Conhecimento da experiência  Conhecimento simultâneo  Conhecimento analógico  Conhecimento da racionalidade  Conhecimento seqüencial  Conhecimento digital Prática Teoria

34 CONVERSÃO DO CONHECIMENTO Principal foco da Gestão do Conhecimento Conhecimento Tácito Conhecimento Explícito

35 OBJETIVOS PRÁTICOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO Processamento da Informação/Conhecimento  Interpretação da Informação (ambientes/cenários)  Dar significação e relevância do que acontece e do que se faz  Cria novos conhecimentos (aprendizagem, inovação)  Promove a tomada de decisão

36 MODOS DE CONVERSÃO DO CONHECIMENTO Socialização (mestre – aprendiz) Externalização Combinação Internalização (professor – aluno) tácito explícito

37 CONTEÚDO DO CONHECIMENTO Socialização Internalização Combinação Externalização Conhecimento Compartilhado Conhecimento Conceitual Conhecimento Sistêmico Conhecimento Operacional

38 ESPIRAL DO CONHECIMENTO

39 TIPOS DE PRÁTICAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO  Gestão de Competências: está relacionado à criação, disseminação e aplicação de informações que facilitam o conhecimento;  Processos de Negócios: facilita a estruturação do conhecimento organizacional;  Tecnologia da Informação: Focada na estrutura dos aplicativos e ferramentas que facilitam a captura, difusão e colaboração.

40 PRÁTICAS RELACIONADAS À GESTÃO DE COMPETÊNCIAS  Fóruns (presenciais e virtuais)  Comunidades de Prática (virtuais)  Educação Corporativa (presencial e virtual)  Lições aprendidas  Mentoring  Coaching

41 PRÁTICAS RELACIONADAS A PROCESSOS DE NEGÓCIOS  Melhores Práticas  Benchmarking interno e externo  Memória Organizacional/Banco de Conhecimentos  Sistema de Gestão de Competências  Banco de Talentos  Árvores do Conhecimento  Gestão do Capital Intelectual (Ativos Intangíveis)

42 PRÁTICAS RELACIONADAS À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO  Portais Corporativos  Sistemas de Workflow  Gestão Eletrônica de Documentos  Gestão de Conteúdos  Data Warehouse  Data Mining  Sistemas de Apoio a Decisão  Sistemas Operacionais/Gerenciais  Sistemas de Planejamento/BSC

43 ATIVOS INTANGÍVEIS Capital Intelectual:  Capital Humano: Fonte de invenção, inovação e renovação. Competências individuais.  Capital Estrutural Ou Organizacional: Pertence à organização como um todo: publicações, tecnologias, patentes, sistemas, práticas, rotinas, procedimentos...  Capital de Relacionamento: É o valor dos relacionamentos de uma organização com os seus clientes. Soma de Conhecimentos Individuais e Organizacionais

44  Grupos interfuncionais  Grupos intersetoriais  Equipes de trabalho  Comunidades de Prática Tarefas, resultados. Trabalho, aprendizagem, mudança, inovação. Estruturas formais, hierárquicas, de aquisição e difusão de informações, idéias, conhecimentos. Estruturas complementares às anteriores, não- hierárquicas, que consolidam o compartilhamento de conhecimentos e propiciam a aprendizagem e a inovação. GESTÃO DO CONHECIMENTO Evolução de novos modelos de trabalho organizacional

45 CONTEXTO DA GESTÃO DO CONHECIMENTO Aprendizagem Organizacional Criação do Conhecimento Organizacional Invenção / Inovação Melhoria de Produtos e Serviços Vantagem Competitiva

46 BARREIRAS NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DO CONHECIMENTO  Resistência cultural  Resistência Organizacional  Resistência a mudanças (novos conhecimentos, novos processos)  Falta de Comprometimento da Administração Superior  Falta de Capacitação dos facilitadores  Perda do Controle de Informações  Poucas oportunidades de Aprendizagem

47 “O homem nada sabe, mas é chamado a tudo conhecer.” (Hermes – O Trimegisto – O mensageiro dos deuses, ±2.700 a.C. no antigo Egito)

48 “Mais difícil do que convencer alguém a aceitar novos conceitos é convencer alguém a se livrar dos velhos conceitos.” John Maynard Keynes

49 GESTÃO DO CONHECIMENTO Projeto-Piloto de Gestão do Conhecimento  Mapeamento Organizacional  Mapeamento de Processos/Projetos  Mapeamento de Conhecimentos  Mapeamento de Competências  Mapeamento de Práticas  Mapeamentos de TICs  Áreas Estratégicas  Processos de Conhecimentos  Práticas/Ferramentas Modelo de Gestão do Conhecimento Implementação/Implantação

50  Software Livre (ferramenta) para produzir e gerenciar atividades educacionais na Intra/Internet.  AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem.  Ambientes virtuais de Cooperação e Colaboração (Comunidades de Prática).

51 BIBLIOGRAFIA BROOKES,B. The Foundation of Information Science. DAVENPORT & PRUZAK – Conhecimento Empresarial. NONAKA & TAKEUCHI - Criação do Conhecimento na Empresa. SENGE, Peter – A Quinta Disciplina. WENGER, Etienne – Comunidades de Prática. TERRA, José Cláudio – Gestão do Conhecimento - O Grande Desafio Empresarial. CHOO, C.W. – A organização do Conhecimento. SVEIBY, Karl – A Nova Riqueza da Organização.

52 Contatos: Contato:

53 Porto Alegre Abril/2008 Gestão do Conhecimento


Carregar ppt "Gestão do Conhecimento Porto Alegre Julho/2008. Gestão do Conhecimento Nas Organizações Privadas e Públicas Abordagem Introdutória/Aspectos Teóricos e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google