A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Renascimento O homem no centro do mundo. Mudanças na Europa a partir do século XI: Crescimento da população. Avanço técnico. Aumento da produtividade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Renascimento O homem no centro do mundo. Mudanças na Europa a partir do século XI: Crescimento da população. Avanço técnico. Aumento da produtividade."— Transcrição da apresentação:

1 Renascimento O homem no centro do mundo

2 Mudanças na Europa a partir do século XI: Crescimento da população. Avanço técnico. Aumento da produtividade agrícola. Intensificação do comércio entre o Ocidente e o Oriente. Ascensão da burguesia comercial – valorizava o individualismo como algo positivo, sinônimo da capacidade individual, talento/criatividade de cada um.

3 Renascimento Movimento cultural, de amplas repercussões no tempo e no espaço, que floresceu na Europa entre os séculos XV e XVI e que consistia numa revalorização da cultura clássica greco-romana. Foram os renascentistas que cunharam o termo “Idade das Trevas” para caracterizar a Idade Média, desvalorizando toda a cultura produzida nesse período.

4 Características do Renascimento Racionalismo – A razão passou a ser a qualidade humana mais valorizada. Por meio Da razão, o ser humano podia investigar, criar e distinguir-se dos animais. De posse da razão, os renascentistas buscavam ampliar seu conhecimento e, para testá-lo, recorriam à experiência, considerada como um complemento da razão. Razão – Experiência – Conhecimento objetivo

5 “Penso, logo existo” O Homem Vitruviano, de Leonardo da Vinci Este é o princípio fundamental de toda a certeza racionalista. Devemos duvidar do conhecimento do mundo por meio dos sentidos, pois eles podem nos enganar.

6 Características do Renascimento Antropocentrismo - O ser humano, com sua beleza, inteligência e sensibilidade, passou a ser o centro das atenções. Anteriormente predominava o teocentrismo medieval, a ideia de que Deus está no centro do Universo. Racionalismo X Misticismo Antropocentrismo X Teocentrismo Luz X Trevas

7 Humanismo Ensino nas universidades medievais: aprendia- se direito, medicina e teologia. O conhecimento baseava-se no princípio da autoridade: bastava uma afirmação de alguém com autoridade (um professor, por exemplo), para que ela fosse considerada verdadeira. X Humanistas: só com a razão e a experimentação pode-se chegar à verdade.

8 Itália, o berço do Renascimento Cidades italianas, como Gênova e Veneza, enriqueceram com o comércio com o Oriente. Burgueses ricos queriam ganhar visibilidade social. Nobres e clero não queriam perder o prestígio social. Mecenas: Burgueses, príncipes e papas que patrocinavam as artes e as ciências, encomendando obras dos pintores renascentistas.

9 Arte Renascentista A Virgem dos Rochedos, Leonardo da Vinci

10 Arte Renascentista A Última Ceia, Leonardo da Vinci

11 Arte Renascentista A revalorização da Antiguidade greco- romana passava pelo estudo de anatomia. As formas humanas deveriam ser reproduzidas o mais fiel possível ao real.

12 Arte Renascentista Escola de Atenas, Rafael Sanzio

13 Renascimento Científico Crítica às verdades divulgadas pela Igreja e defesa da observação metódica e da experiência para se chegar ao conhecimento verdadeiro. – Nicolau Copérnico ( ) – Teoria heliocêntrica = o Sol é o centro do universo. Essa teoria foi comprovada por Galileu Galilei ( ). Na época, a Igreja defendia o geocentrismo = a Terra é o centro do universo.

14 Reformas Religiosas

15 Motivações da Reforma Igreja na Idade Média - instituição mais rica e poderosa. Cobrava impostos em toda a Europa, ameaçando, inclusive, o poder dos reis. A Igreja proibia os empréstimos a juros (usura) e o livre estabelecimento dos preços das mercadorias, o que prejudicava a burguesia. Venda de indulgências – compra da salvação. Venda de “relíquias sagradas”.

16 A compra da salvação

17 Protestantes Luteranismo – personificado na figura de Martinho Lutero e suas 95 teses contra as atitudes da Igreja Católica. Defendia que só a fé pode salvar.

18 Protestantes Doutrina Luterana: – Somente a fé em Deus pode salvar as pessoas. – A Bíblia é a única fonte confiável e deve ser traduzida em diversas línguas. – O culto às imagens não tem fundamento. – Os cultos devem ser ministrados em língua nacional e não em latim.

19 Protestantes Calvinismo – crença na predestinação: alguns já nascem predestinados à salvação e outros à danação, e nada muda isso. Ao valorizar o enriquecimento por meio do trabalho sistemático, de uma vida regrada e de moderação nos gastos, o calvinismo legitimava o estilo de vida metódico e racional da burguesia nascente, favorecendo assim o desenvolvimento do capitalismo. Em A ética protestante e o espírito do capitalismo Max Weber relaciona o calvinismo e o capitalismo.

20 Protestantes Anglicanismo – O rei Henrique VIII queria desfazer seu casamento para casar-se com Ana Bolena, mas o papa não aceitou seu pedido. O rei casou-se mesmo sem o consentimento da Igreja e criou uma nova igreja, o Anglicanismo. O rei anulou o poder do papa e concentrou os poderes políticos e religiosos.

21 Contrarreforma Movimento da Igreja Católica para se fortalecer, divulgar o catolicismo e deter o avanço das ideias protestantes. – Jesuítas – propagação do catolicismo por meio da pregação, do ensino e da catequese dos nativos do além-mar. – Inquisição (Tribunal do Santo Ofício) – instituição criada pela Igreja para combater hereges, ou seja, aqueles que se desviavam da sua doutrina.

22 Contrarreforma - Concílio de Trento ( ): - reforçou o poder do papa; - Venda de indulgências é crime; - Organizou o Index (lista de livros proibidos à leitura dos cristãos.


Carregar ppt "Renascimento O homem no centro do mundo. Mudanças na Europa a partir do século XI: Crescimento da população. Avanço técnico. Aumento da produtividade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google