A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sustentabilidade e sustentação da produção de alimentos O papel do Brasil no cenário global.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sustentabilidade e sustentação da produção de alimentos O papel do Brasil no cenário global."— Transcrição da apresentação:

1 Sustentabilidade e sustentação da produção de alimentos O papel do Brasil no cenário global

2 Identificar ações que promovam a atuação proativa do Brasil na sustentabilidade e sustentação da produção de alimentos no país em um contexto global, com ênfase nos aspectos científicos, tecnológicos e de inovação. Objetivo

3 Fases do estudo Definição e planejamento da análise dos condicionantes do sistema agroalimentar Fase I Produção e análise das Notas Técnicas, para identificação de fatos portadores de futuro Fase III Identificação e análise de drivers externos e desafios para o sistema agroalimentar Fase II Proposição de pilares e ações imprescindíveis e validação por meio de oficinas Fase IV Seleção de ações imprescindíveis para a sustentação e sustentabilidade da produção de alimentos no Brasil, em cada pilar Fase V

4 120 profissionais 20 instituições 14 estudos 72 notas técnicas 6 oficinas 3 workshops 7 drivers 6 desafios 7 tendências de consumo 6 pilares para o sistema agroalimentar 28 recomendações Desenvolvimento do estudo

5 Pilares

6 Sistema Agroalimentar Brasileiro

7 Sistema agroalimentar brasileiro PIB Brasil R$4,844 tri ¹ Pecuária R$332,61 bi (30,45%) ¹ Agricultura R$759,62 bi (69,54%)¹ Emprego Total de Exportações US$242,17 bi ² * ¹, ² Dados referentes à 2013, ³ à 2012, da indústria de transformação Fonte: Cepea-USP/CNA¹, MAPA²,IPEA³

8 Sistema agroalimentar brasileiro 1. Indústria de insumos 2. Indústria de equipamentos 3. Transporte interno 4. Produção vegetal 5. Produção animal 6. Armazenamento Produção Primária

9 Sistema agroalimentar brasileiro 1. Indústria de equipamento 2. Indústria de embalagens 3. Transporte interno 4. Indústria de transformação Processamento

10 Sistema agroalimentar brasileiro 1. Trader interno 2. Atacado 3. Transporte interno 4. Varejo 5. Consumidor interno Mercado Interno

11 Sistema agroalimentar brasileiro 1. Trader externo 2. Transporte externo 3. Consumidor externo Mercado Externo

12 Instituições certificadoras Indústria de softwares Agências reguladoras Organismos internacionais Instituições de CT&I Sistema agroalimentar brasileiro Agências de fomento

13 Drivers do Sistema Agroalimentar

14 Aumento da população Drivers do Sistema Agroalimentar ¹ UN, 2013; ² UN data from Global Harvest Iniative GAP Report, 2011; ³ IBGE, 2013; 2050 Em + 2,4 bilhões de pessoas¹ maior crescimento populacional ² total de 9,6 bilhões ▴ 41% ▴ 49% “crescimento zero” Brasil³ Mundo mi de habitantes 0 – – 64 > 65 68,4% 7,4% 24,1% 63,2% 22,6% 14,1% Janela demográfica Crescimento populacional 226 mi de habitantes

15 Urbanização Drivers do Sistema Agroalimentar ¹ UN(2014); ² IBGE (2013) Brasil² % 6% 36,2% Urbana 66% Rural 34% Urbana 54%Rural 46% Mundo¹ 94%86%63,8% urbana rural

16 Crescimento da renda per capita Drivers do Sistema Agroalimentar ¹ FMI (2011); ² World Bank 2013); Renda per capita brasileira (estimada) 39 em 2050 mil (US$) Brasil Rússia China Indonésia Índia 100% 53% 85% 75% 67% Brasil² Mundo¹ Entre 1990 e em 2013 mil (US$) 21 em 2030 mil (US$)

17 Mudanças climáticas Drivers do Sistema Agroalimentar ¹ World Bank (2014); ² Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas- PBMC (2013). Soja Mais favorecida Mais prejudicada Cana-de- açúcar + = 35% das emissões de gases de efeito estufa Brasil² Mundo¹ - Emissão de gases de efeito estufa (15%) 18% resultam da fermentação entérica Perdas em 2020 estimadas em até: R$ 7,0 bilhões 35% 20%12% Arroz irrigadoFermentação entéricaFertilizantes 12% Dejetos animais

18 Padrões de uso da terra Drivers do Sistema Agroalimentar ¹Bruinsma (2009); ² IBGE (2012); ³Sparovek (2011); ⁴Christofidis (2013); manter o abate de 40 milhões de cabeças/ano Brasil² Mundo¹ utilizado 1,5 bilhão de ha disponível 2,7 bilhões de ha agricultável 4,2 bilhões de ha pastagem 198 milhões de ha disponível 110 milhões de ha 72% no cerrado⁴ economizar 69 milhões de ha³ cultivos agrícolas 68 milhões de ha +

19 Padrões de uso da água Drivers do Sistema Agroalimentar Brasil Mundo 12% 80% na Amazônia 29,6 menos da metade da população mundial tem acesso à água potável¹ ¹ UNICEF (201?); ² MMA (2006); ³ CGEE (2012); da reserva hídrica mundial² Irrigada Irrigável Agricultura e Irrigação³ (área em milhões de ha) doméstico indústria irrigação 21% Consumo de água 73% 6% em ,4

20 Internet das coisas Drivers do Sistema Agroalimentar

21 Mudanças nos hábitos alimentares¹ Drivers do Sistema Agroalimentar ¹Euromonitor (2012); 5 milhões com idade entre 18 e 34 em milhões de domicílios ocupados por 1 pessoa Brasil Mundo 10% dos domicílios ocupados por 1 pessoa Busca por alimentos que facilitem sua preparação e consumo 77% 28% % da renda total Poder aquisitivo da população idosa

22 Mudanças nos hábitos alimentares (tendências de consumo) Drivers do Sistema Agroalimentar Saudabilidade Praticidade e conveniência Consumo Consciente Gourmet Digital Cooking Feito em casa Vegetarianismo Saúde preventiva Certificação de origem Alimentos funcionais Boa nutrição Facilidade de preparo Embalagens inteligentes Alimentação fora de casa E-commerce Satisfação pessoal & bem-estar coletivo Processos sustentáveis de produção Certificação de origem Produção local Sensoriabilidade e prazer Diferencial de qualidade Consumo sofisticado Mais poder de compra Produção customizada (individual e industrial) Novas apresentações de ingredientes Manufatura aditiva de alimentos Preferências culturais Refeições “caseiras” nos locais de trabalho Valorização de tradições Exclusão parcial ou total de proteína animal Substitutos para proteína animal (“fake meat”)

23 Desafios para o Sistema Agroalimentar

24 70% 100% nos países em desenvolvimento no mundo 2050 Em de toneladas de grãos 1 bi 200 mi de toneladas de carne A produção anual global deve aumentar em pelo menos¹: Crescimento médio na oferta de grãos Demanda por alimentos Desafios para o Sistema Agroalimentar ¹ FAO 2009;

25 Logística — equilibrar a matriz de transporte Desafios para o Sistema Agroalimentar ¹ OUTLOOK BRASIL 2022 (2012); ²IMEA (2013); Brasil¹ Estados Unidos¹ 74% 1% 22% 43% 4% 55% Custo de transporte de soja Brasil/EUA² Sorriso/MT Paranaguá/PR Iowa Golfo do México US$ 97/t (2.282 km) (1.576 km) US$ 34/t

26 Logística — diminuir o déficit de armazenamento Desafios para o Sistema Agroalimentar ¹ MIRANDA e CAMPOS (2013) e CONAB (2013); ² Capacidade de armazenagem 2012/2013 – Déficit de 22,1% em relação a produção. No Mato Grosso chegou a 20 milhões de toneladas(42% da safra) na safra 2011/2012. (MIRANDA e CAMPOS, 2013 (CONAB (2013), Armazenagem nas propriedades EUA 85% Canadá 65 % Argentina 40 % Brasil 13,6% BrasilMato Grosso Capacidade de armazenagem¹ 78%58% Déficit de 42% em relação a produção Déficit de 22% em relação a produção 20 milhões de toneladas = EUA 85% Canadá 65% Argentina 40% Brasil 13,6% Armazenagem nas propriedades² 85% EUA 65% Canadá 40% Argentina 13,6% Brasil

27 Reduzir o desperdício de alimentos Desafios para o Sistema Agroalimentar ¹ FAO (201?); ² TESCO (2013); No mundo | Percentual perdido da produção 30 – 50% 1,2 – 2 bilhões de toneladas/ano) -25% de desperdício = alimentar 500 milhões de pessoas/ano¹ 14,5% No Reino Unido (rede TESCO), perde-se: frutas e hortaliças Desperdício no Reino Unido² 21%41%50% banana²itens de padaria 1,5 milhões de toneladas/ano)

28 90 % 50 % 78 % PotássioFósforoNitrogênio Diminuir a dependência externa por fertilizantes Desafios para o Sistema Agroalimentar ¹,³ANDA (2013); ² Costa & Silva (2012); Importação brasileira de NPK (em 2010)¹ Maiores consumidores de fertilizantes (2010)² China Índia EUA Brasil 30% 16% 12% 6% Entre 2000 e 2013³ 110% 90%17% Produção de fertilizantes ImportaçõesConsumo

29 50% Reduzir a dependência por defensivos importados Desafios para o Sistema Agroalimentar ¹: ² CGEE (2012); ³BNDES (2014); do total de defensivos demandados Consumo de herbicidas² Consumo de Defensivos 132,3% Entre 2001 e 2012¹ Mercado brasileiro U$ 9,7 bilhões Importação U$ 5,4 bilhões Em 2012³

30 Conclusões e recomendações

31 Desafio: diversificar formas de produção de alimentos Pilar I — CT&I, Educação e Capacitação Investir em pesquisa e desenvolvimento de novos polímeros e de substâncias e moléculas alimentares sintetizadas em Plataformas de Engenharia Biológica Recomendação Estas substâncias são importantes para o desenvolvimento do mercado de manufaturas aditivas Justificativa

32 Conclusões e recomendações Desafio: diferencial competitivo para a indústria de alimentos Pilar I — CT&I, Educação e Capacitação Mobilizar o sistema de fomento para o financiamento de projetos orientados para tornar o sistema agroalimentar neutro em termos das emissões de CO2 Recomendação Identificar a pegada de carbono dos produtos alimentares Recomendação Selo Baixo Carbono, MMA; Coalizão de Empresas pelo Clima, FBDS

33 Conclusões e recomendações Desafio: aumento da produtividade face as MCG´s e os riscos sanitários Pilar I — CT&I, Educação e Capacitação Investir em melhoramento genético preventivo para mudanças climáticas e defesa sanitária agropecuária Recomendação Agropreventivo (MAPA e Embrapa) Tecnologias disponíveis em genômica e proteômica podem impulsionar e abreviar o resultado dessas estratégias Justificativa Fortalecer a conservação e o uso de recursos genéticos ao longo da cadeia de produção de alimentos Recomendação

34 Conclusões e recomendações Desafio: fortalecer a integração e coordenação dos atores do SA Pilar II — Viabilidade Econômica, Social e Ambiental Promover maior coordenação e integração dos atores do SA com ministérios e agências reguladoras Recomendação Isto é fundamental para alinhar a tomada de decisão às estratégias voltadas para o aumento da competitividade do agronegócio brasileiro Justificativa

35 Conclusões e recomendações Desafio: reduzir, de forma sustentável, “yield gaps” existentes Pilar II — Viabilidade Econômica, Social e Ambiental Reduzir os “yields gaps” de forma sustentável Recomendação Informações sobre padrões de uso da terra e zoneamento agroecológico serão úteis neste sentido Justificativa Identificar áreas aptas para agricultura com potencial para produzir mais do que estão produzindo Recomendação

36 Conclusões e recomendações Desafio: reduzir a dependência externa por NPK (70%) Pilar II — Viabilidade Econômica, Social e Ambiental Intensificar a difusão e uso da agricultura de precisão Recomendação Plano Nacional de Fertilizantes e Rede FertBrasil Essas estratégias são fundamentais para a redução dos custos de produção e da dependência externa do País por NPK Justificativa Dar visibilidade política ao Plano Nacional de Fertilizantes Recomendação

37 Conclusões e recomendações Pilar III — Infraestrutura, Logística e Tecnologia da Informação Desafio: superar gargalos logísticos Identificar e hierarquizar locais estratégicos para implantação de Plataformas Logísticas Recomendação Programa de Investimentos em Logística e Lei dos Portos Criar ambiente favorável a investimentos privados em portos, ferrovias e hidrovias Recomendação Plataforma Logística Multimodal de Anápolis

38 Conclusões e recomendações Desafio: melhorar as condições de armazenamento das safras Pilar III — Infraestrutura, Logística e Tecnologia da Informação Aumentar a capacidade de armazenamento das safras nas fazendas Recomendação Plano Nacional de Armazenagem, Programa para construção e ampliação de armazéns (BNDES), Programa de Sustentação do Investimento (PSI) cereralista e rural A capacidade de armazenamento aumenta o poder de barganha do produtor rural Justificativa

39 Conclusões e recomendações Desafio: ampliar uso das TICs no Sistema Agroalimentar Pilar III — Infraestrutura, Logística e Tecnologia da Informação Promover ações que intensifiquem o uso das TICs na gestão das propriedades e no planejamento da produção agrícola Recomendação Investir na cobertura de banda larga e telecomunicações para área rural Recomendação Inovagro

40 Conclusões e recomendações Desafio: inovar na prestação de serviços de alimentação Pilar IV — Promoção do Empreendedorismo Fortalecer e criar mecanismos de apoio a novos empreendimentos em serviços inovadores de alimentação Recomendação Atender demandas por praticidade, conveniência e maior informação dos consumidores em centros urbanos Recomendação

41 Conclusões e recomendações Desafio: agregar valor às exportações do agronegócio Pilar V — Cultura de Comércio Internacional Investir em ações de controle e denominação de origem, valorização da marca, melhoria da qualidade, padronização e apresentação do produto final Recomendação Apex (MDIC) e Indicação Geográfica (MAPA) Criar ambiente favorável na indústria brasileira para a agregação de valor aos produtos do agronegócio Recomendação

42 Conclusões e recomendações Desafio: participar na definição de regras e padrões internacionais Pilar V — Cultura de Comércio Internacional Estabelecer Central de Inteligência para o Comércio Internacional no agronegócio para fortalecer o papel do Brasil como Rule Maker em foros internacionais Recomendação Camex É preciso estabelecer métricas de certificação ambiental, social e de segurança dos alimentos adequadas aos sistemas de produção tropical e subtropical Justificativa

43 Conclusões e recomendações Desafio: preparar a indústria de alimentos para a “internet das coisas” Pilar VI — Consumo, saúde e bem-estar A indústria de alimentos deve considerar esse fenômeno para a sua inserção competitiva no mercado Justificativa Os produtos oferecidos no mercado conterão, em razoável proporção, dispositivos para a troca de dados e informações sem a intervenção humana Conclusão

44 Conclusões e recomendações Desafio: inovar no nexo saúde-nutrição Pilar VI — Consumo, saúde e bem-estar Fortalecer grupos de excelência em biologia sintética, nutrigenômica e nutrigenética para a produção de alimentos funcionais Recomendação INCT Ciência Animal São grandes as oportunidades para o desenvolvimento de alimentos nutracêuticos e próbióticos pela indústria de alimentos Justificativa

45 A difusão da ciência e da tecnologia tem que passar, de agora em diante, pelo estudo de sistemas complexos – o agronegócio é um deles.” Adaptado de Sérgio Mascarenhas (2013) “


Carregar ppt "Sustentabilidade e sustentação da produção de alimentos O papel do Brasil no cenário global."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google