A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Baixa Idade Média Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Baixa Idade Média Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano."— Transcrição da apresentação:

1 Baixa Idade Média Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano

2 Cristianismo Surge com a crucificação de Cristo. Se difunde pela necessidade do povo em acreditar em algo além da vida terrena. A igreja pregava o reino celeste = oposição ao politeismo Romano Autorizado pelo Édito de Milão e oficializado pelo Édito de Tessalônica.

3 Igreja Medieval Clero Regular & Clero Secular

4 Divisão de Clero Regular  Viviam em Mosteiros, sem muito contato com a sociedade leiga.  Iniciado por Bento de Núrcia (São Bento).  Rezam e trabalham.Monges copistas. Secular  Ação direto com os leigos.  Administrava a Igreja.  Dirigida pelo Papa, arcebispos e Bispos.  Promoviam ações sociais.

5 Querela das Investiduras Rei Poder Temporal Membros da igreja com condutas inadequadas

6 Querela das Investiduras Mosteiro de Cluny (França) Oposição a nomeação dos Bispo e Papas pelo poder Temporal. QUERELA DAS INVESTIDURAS

7 Quem nomeia os Bispos ? Rei Papa

8 Querela das Investiduras  O Papa Nicolau II fundou o colégio de Cardeais com a finalidade de eleger o próximo Papa.  O Imperador Henrique IV não concordou.  O Papa Gregório VII edita o DICTATUS PAPAE – coloca os Bispos sob a autoridade do Papa.  Reação de Henrique IV = excomunhão.

9 Querela das Investiduras  Henrique pede perdão (humilhação).  Reestrutura o poder.  Nova ofensiva contra o Papa (Gregório VII).  Deposto o Papa e nomeado um novo Papa – Clemente III.  No inicio do século XI a cristandade possuía dois Papa – Clemente III e Vitor III.

10 Concordata de Worms  Fim das disputas (1122 – século XII)  Poder Espiritual (Anel e Báculo) símbolo do poder espiritual (Igreja).  Poder Temporal (Coroa e Espada) símbolo do poder temporal (Rei). A Igreja sai fortalecida do conflito. Torna-se a instituição mais forte do período medieval

11 Cruzadas

12  Definição: Expedições organizadas por cristãos – incentivados pelo Papa – para libertar a Terra Santa (Palestina) que estava em poder dos turcos (muçulmanos).  Pode-se afirmar que as Cruzadas foram um movimento religioso com caráter militar e econômico.

13 Fatores contribuintes  A igreja católica pretendia aumentar seu poder e influência.  As cidades italianas pretendiam controlar as rotas comerciais.  Nobres viam nas Cruzadas uma forma de obter feudos no Oriente.  Camponeses oprimidos viam nas Cruzadas uma libertação – obtinham o perdão das dívidas e dos pecados.

14

15 Repercussões das Cruzadas  Houve um grande desenvolvimento do comércio marítimo, favorecendo as cidades.  A burguesia foi a camada social que mais se beneficiou com as cruzadas, pois os negociantes enriqueceram à custa dos nobres cavaleiros.  A expansão do mercado fez as cidades se desenvolverem.

16 Repercussões das Cruzadas  O contato com as requintadas civilizações bizantinas e muçulmanas despertou o refinamento no modo de vida europeu.  Uma grande quantidade de produtos orientais foi introduzida no Ocidente. (canela, pimenta, cravo, açúcar, arroz, café, perfumes...)

17 Repercussões das Cruzadas  Novas técnicas de cultivo, de produção de ferro, de fabricação de tecidos e práticas financeiras e comerciais, tais como a letra de câmbio e o cheque.  As Cruzadas comprometeram o prestígio da igreja católica e do papado, bem como da própria nobreza.

18 Repercussões das Cruzadas  Fortalecimento do poder real e enfraquecimento do poder do senhor feudal.  Desenvolvimento de vilas e cidades, os chamados burgos, gerando, com o tempo, o renascimento urbano.

19 Renascimento Urbano e Comercial Renascimento Comercial:  Novas técnicas de cultivo redução da mão de obra utilizada na agricultura.  Aumento da população aumento da demanda.  Produção e trocas sofrem mudança – surge a necessidade de moedas

20

21 Renascimento Urbano e Comercial  As Feiras comerciais: CHAMPAGNE Era o ponto de encontro dos comerciantes do mar Mediterrâneo e do Báltico e do mar do Norte. Com tantas saídas e direções, vinham comerciantes negociar seus produtos. As maiores feiras se concentravam nessa região. Nas cidades de Laguy, Provins e Troyes. Os proprietários de terras dessa região garantiam a participação segura de mercadores originários de qualquer lugar.

22 Renascimento Urbano e Comercial AS FEIRAS COMERCIAIS: FLANDRES Quando um cai outro se levanta! Quando Champagne começou a cair,Flandres tomou a frente nos negócios. Passou a ser o principal núcleo comercial do mar do Norte e do mar Báltico. Sendo a região mais destacada comercialmente. As cidades principais de comércio foram Bruges e Antuérpia.

23

24 Renascimento Urbano e Comercial  Com o aumento das atividades comerciais, surge os “defensores” dos interesses dos comerciantes: As Ligas ou Hansas: estas defendiam os interesses dos comerciantes de várias cidades. As primeiras foram formadas no século XII e cuidavam do comércio em larga escala ( o que hoje poder ser o comércio por atacado).

25 Renascimento Urbano e Comercial  O surgimento comercial levou ao surgimento de feiras permanentes na Europa.  Fez ainda que cidades antigas retomassem sua importância e surgissem novas cidades.  Cidades = Burgos com o tempo, os habitantes dos burgos passaram a ser chamados de burgueses  Movimento Comunal = as cidades procuravam se emancipar dos senhores feudais.

26

27 Corporações de Ofício Mestre  Proprietário da oficina artesanal. Responsável pela arte. Oficiais  Trabalhadores adultos e remunerados das oficinas.

28 Corporações de Ofício Jornaleiros  Auxiliar do mestre – remunerado por jornada de trabalho Aprendiz  Não recebiam pagamento, recebiam casa, comida e aprendizado do ofício.


Carregar ppt "Baixa Idade Média Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google